BOAS VINDAS

Seja bem vindo! Espero que aqui encontre alento, beleza, amor e paz! E que possa espalhar isto para o mundo, que vive tão sedento de tudo isto.



Pesquisar este blog

Seguidores

terça-feira, 30 de agosto de 2011

APRENDI...




Aprendi....que ninguém
é perfeito enquanto não se apaixona.

Aprendi....que a vida é dura
mas eu sou mais que ela!!

Aprendi que...as oportunidades nunca se perdem
aquelas que desperdiças... alguém as aproveita

Aprendi que... quando te importas com rancores e amarguras a felicidade vai para outra parte.

Aprendi que... devemos sempre dar palavras boas... porque amanhã nunca se sabe
as que temos que ouvir.

Aprendi que...um sorriso é uma maneira econômica de melhorar teu aspecto.

Aprendi que... não posso escolher como me sinto... mas posso sempre fazer alguma coisa.

Aprendi que...quando o teu filho recém-nascido
segura o teu dedo na sua mão tenta prendê-lo para toda a vida

Aprendi que...todos, todos querem viver no topo da montanha... mas toda a felicidade está durante a subida.

Aprendi que... temos que aproveitar da viagem
e não apenas pensar na chegada.

Aprendi que...o melhor é dar conselhos só em duas circunstâncias... quando são pedidos e
quando deles depende a vida.

Aprendi que...quanto menos tempo se desperdiça...
mais coisas posso fazer.


Desconheço a autoria

ÂNSIA DE TI



Travo a minha ânsia de ti
deixo-me empolgar devidamente
passo as tardes no jardim
esperando que tu venhas solenemente.

Não caibo em mim de tão contente
que exata espera te trará
e eu me visto-me merecidamente
que o meu peito te acolherá.

Virás de seda vestida e influente
deixando-me louco de desejos
não serei nunca teu concorrente
nem terei aqui tais ensejos.

Em silêncio vejo-te chegar demoradamente
e eu fascinado não paro de olhar
chegas como que num repente
de mim fazendo-me olvidar.

Vens linda como uma deusa tolerante
para junto de meus pés sentado
e um beijo levas adiante
que nos meus lábios é concertado.

Deitamo-nos na nossa humilde cama
com lençóis espalhados pelo chão
e onde à o amor não à o drama
ao longe o bater de um coração.

E quando em extasie nos tomamos
corpos colados um no outro
para trás de nós tudo deixamos
e seremos o nosso próprio porto.

Amanhece com o sol na janela
e os pássaros loucos vêm nos espreitar
na sublime nudez que é dela
no beijo que pelo seu corpo eu vou espalhar.

Jorge Humberto
05/05/11

domingo, 28 de agosto de 2011

UM GRANDE HOMEM



Nós homens nos caracterizamos por ser o sexo forte, embora muitas vezes caiamos por debilidade.
Um dia, minha irmã chorava em sua casa.. Com muita saudade, observei que meu pai chegou perto dela e perguntou o motivo de sua tristeza.
Escutei-os conversando por horas, mas houve uma frase tão especial que meu pai disse naquela tarde, que até o dia de hoje ainda me recordo a cada manhã e que me enche de força.
Meu pai acariciou o rosto dela e disse:
“Minha filha, apaixone-se por Um Grande Homem e nunca mais voltará a chorar".
Perguntei-me tantas vezes, qual era a fórmula exata para chegar a ser esse grande homem e não deixar-me vencer pelas coisas pequenas.. Com o passar dos anos, descobri que se tão somente todos nós homens lutássemos por ser grandes de espírito, grandes de alma e grandes de coração, o mundo seria completamente diferente! Aprendi que um Grande Homem... não é aquele que compra tudo o que deseja, porque muitos de nós compramos com presentes a afeição e o respeito daqueles que nos cercam.
Meu pai lhe dizia:
"Não se apaixone por um homem que só fale de si mesmo, de seus problemas, sem preocupar-se com voce... Enamore-se de um homem que se interesse por voce, que conheça suas forças, suas ilusões, suas tristezas e que a ajude a superá-las.
Não creia nas palavras de um homem quando seus atos dizem o oposto.
Afaste de sua vida um homem que não constrói com voce um mundo melhor.. . Ele jamais sairá do seu lado, pois voce é a sua fonte de energia.
Foge de um homem enfermo espiritual e emocionalmente, é como um câncer, matará tudo o que há em voce( emocional, mental, física, social e economicamente)
Não dê atenção a um homem que não seja capaz de expressar seus sentimentos, que não queira lhe dar amor. Não se agarre a um homem que não seja capaz de reconhecer sua beleza interior e exterior e suas qualidades morais.
Não deixe entrar em sua vida um homem a quem tenha que adivinhar o que quer, porque não é capaz de se expressar abertamente. Não se enamore de um homem que ao conhece-lo, sua vida tenha se transformado em um problema a resolver e não em algo para desfrutar”.
Não se apaixone por um homem que demonstre frieza, insensibilidade,falta de atenção com você, corra léguas dele. Não creia em um homem que tenha carências afetivas de infância e que trata de preenchê-las com a infidelidade, culpando-a, quando o problema não está em voce, e sim nele, porque não sabe o que quer da vida, nem quais são suas prioridades. Por que querer um homem que a abandonará se voce não for como ele pretendia, ou se já não é mais útil?
Por que querer um homem que a trocará por um cabelo ou uma cor de pele diferente, ou por uns olhos claros, ou por um corpo mais esbelto?
Por que querer um homem que não saiba admirar a beleza que há em voce, a verdadeira beleza… a do coração"?
Quantas vezes me deixei levar pela superficialidade das coisas, deixando de lado aqueles que realmente me ofereciam sua sinceridade e integridade e dando mais importancia a quem não valorizava meu esforço?
Custou-me muito compreender que GRANDE HOMEM não é aquele que chega no topo, nem o que tem mais dinheiro, casa, automóvel, nem quem vive rodeado de mulheres, nem muito menos o mais bonito. Um grande homem, é aquele ser humano transparente, que não se refugia atrás de cortinas de fumaça, é o que abre seu CORAÇÃO sem rejeitar a
realidade, é quem admira uma mulher por seus alicerces morais egrandeza interior.
Um grande homem é o que cai e tem suficiente força para levantar-se e seguir lutando...
Hoje minha irmã está casada e feliz, e esse Grande Homem com quem se
casou não era nem o mais popular, nem o mais solicitado pelas mulheres, nem o mais rico ou o mais bonito.
Esse Grande Homem é simplesmente aquele que nunca a fez chorar… É QUEM
NO LUGAR DE LÁGRIMAS LHE ROUBOU SORRISOS…Sorrisos por tudo que viveram e conquistaram juntos, pelos triunfos alcançados, por suas lindas recordações e por aquelas tristes lembranças que souberam superar, por cada alegria que repartem e pelos 3 filhos que preenchem suas vidas.
Esse Grande Homem ama tanto a minha irmã que daria o que fosse por ela sem pedir nada em troca...
Esse Grande Homem a quer pelo que ela é, por seu coração e pelo que são quando estão juntos.
Aprendamos a ser um desses Grandes Homens, para vivenciar os anos junto de uma Grande Mulher e NADA NEM NINGUÉM NOS PODERÁ VENCER!

Arnaldo Jabor

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

ADOTAREI O AMOR...


Na Primavera, andarei com o amor, lado a lado,
e cantaremos juntos entre as colinas;
e seguiremos as pegadas da vida,
que são as violetas e as margaridas;
e beberemos a água da chuva,
acumulada nos poços,
em taças feitas de narciso e lírios.
No Verão, deitar-me-ei ao lado do amor
sobre camas feitas com feixes de espigas,
tendo o firmamento por cobertor
e a lua e as estrelas por companheiras.

No Outono, irei com o amor aos vinhedos
e nos sentaremos no lagar,
e contemplaremos as árvores se despindo
das suas vestimentas douradas
e os bandos de aves migratórias
voando para as costas do mar.

No Inverno, sentar-me-ei com o amor
diante da lareira e conversaremos
sobre os acontecimentos dos séculos
e os anais das nações e povos.

O amor será meu tutor na juventude,
meu apoio na maturidade,
e meu consolo na velhice.
O amor permanecerá comigo até o fim da vida,
até que a morte chegue,
e a mão de Deus nos reúna de novo.

Khalil Gibran

DEUS ESTÁ FALANDO COM VOCÊ!


Um homem sussurrou: Deus fale comigo.
E um rouxinol começou a cantar
Mas o homem não ouviu.

Então o homem repetiu:
Deus fale comigo!
E um trovão ecoou nos céus
Mas o homem foi incapaz de ouvir.

O Homem olhou em volta e disse:
Deus deixe-me vê-lo
E uma estrela brilhou no céu
Mas o homem não a notou.

O homem começou a gritar:
Deus mostre-me um milagre
E uma criança nasceu
Mas o homem não sentiu o pulsar da vida.

Então o homem começou a chorar e a se desesperar:
Deus toque-me e deixe-me sentir que você está aqui comigo...
E uma borboleta pousou suavemente
Em seu ombro
O homem espantou a borboleta com a mão e desiludido
Continuou o seu caminho triste, sozinho e com medo.

Até quando teremos que sofrer para compreendermos que Deus está sempre onde está a vida???
Até quando manteremos nossos olhos e nossos corações fechados para o milagre da vida que se apresenta diante de nós em todos os momentos???

(Prece Indígena - Tradução e adaptação do Livro By San Eti)

VOCÊ QUER SER GENTE MESMO?


Então decore e vivencie estes 12 pontos:
1º Ponto - Três coisas devemos cultivar:
o esforço
a verdade
a perseverança
2º Ponto - Três qualidades devemos preservar:
o caráter
a nobreza
um cristalino coração de criança
3º Ponto - Três colunas devemos manter de pé, a todo custo:
a calma
o otimismo
a serenidade
4º Ponto - Três flores devemos plantar:
a justiça
o bem
a cordialidade
5º Ponto - Três tesouros devemos adquirir:
bons livros
bons discos
alegria, para não desafinar na orquestra da vida
6º Ponto - Três vampiros devemos expulsar de casa:
a cobiça
o medo
o rancor, sugadores de nosso sangue e energias
7º Ponto - Em três fontes inesgotáveis devemos beber:
no verde da natureza
no azul do céu
na majestade indômita do mar
8º Ponto - Três bandidos (ladrões) devemos matar, antes que eles nos matem:
o pessimismo
a covardia
o desânimo
9º Ponto - Três legados preciosos devemos defender:
a honra
a pátria
os amigos
10º Ponto - Três diamantes devemos burilar:
o trabalho
a prece
o silêncio
11º Ponto - Três galhos devemos podar:
a língua
a indisciplina
a maledicência
12º Ponto - Três irmãs gêmeas devemos nutrir:
a fé
o amor
a esperança.

Desconheço a autoria

PENSAMENTO DE HOJE


"Por que você conta o tempo? O tempo é um repetir contínuo e infinito do viver. Viva seu tempo. Viva o agora!
Olhe para trás e nada mudará. Olhe para frente e nada mudará. Olhe para si. Tudo mudará".

Filosofia Zen

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

MUDAR


Mude, mas comece devagar, porque a direção é mais importante que a velocidade.
Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.

Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho, ande por outras ruas,
calmamente,
observando com atenção os lugares por onde você passa.

Tome outros ônibus.
Mude por uns tempos o estilo das roupas.
Dê os teus sapatos velhos.
Procure andar descalço alguns dias.

Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia, ou no parque,
e ouvir o canto dos passarinhos.

Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda.

Durma no outro lado da cama...
depois, procure dormir em outras camas.

Assista a outros programas de tv,
compre outros jornais...
leia outros livros,
Viva outros romances.

Não faça do hábito um estilo de vida.
Ame a novidade.
Durma mais tarde.
Durma mais cedo.

Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos,
escolha comidas diferentes,
novos temperos, novas cores,
novas delícias.

Tente o novo todo dia.
o novo lado,
o novo método,
o novo sabor,
o novo jeito,
o novo prazer,
o novo amor.
a nova vida.

Tente.
Busque novos amigos.
Tente novos amores.
Faça novas relações.

Almoce em outros locais,
vá a outros restaurantes,
tome outro tipo de bebida
compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo,
jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado...
outra marca de sabonete,
outro creme dental...
tome banho em novos horários.

Use canetas de outras cores.
Vá passear em outros lugares.

Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.

Troque de bolsa,
de carteira,
de malas,
troque de carro,
compre novos óculos,
escreva outras poesias.

Jogue os velhos relógios,
quebre delicadamente
esses horrorosos despertadores.

Vá a outros cinemas,
outros cabeleireiros,
outros teatros,
visite novos museus.

Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.
Seja criativo.

E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa,
longa, se possível sem destino.

Experimente coisas novas.
Troque novamente.
Mude, de novo.
Experimente outra vez.

Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas,
mas não é isso o que importa.

O mais importante é a mudança,
o movimento,
o dinamismo,
a energia.
Só o que está morto não muda !

Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena!!!!

Clarice Lispector

domingo, 21 de agosto de 2011

SEGREDOS DO CORAÇÃO


"O coração que vive na gente -
caixinha de chave e cadeado -
foi feito para guardar um tesouro,
com todo amor e cuidado ...

Do tesouro trancado à chave
nada se fala, nem se comenta.

São guardados em silêncio
os segredos que ele inventa".

João Novais

CONSCIÊNCIA MORAL


Juízo que o próprio indivíduo faz da moralidade dos seus atos. Propriedade do ser humano de julgar normativamente o valor moral da conduta. Espírito que indica se um ato é justo ou não. Faculdade que julga da moralidade de nossas ações. Conjunto inato de princípios de moralidade que todo ser humano possui. Voz da consciência. Chamado da consciência. Juízo prático imediato sobre o caráter moral ou valor moral de nossas ações. A voz de Deus em nós.

(Viktor Cathrein, Filosofia morale, I. Editrice Fiorentina, Firenze, 1913).


DO BLOG LOU HERMENÊUTICAS

A CELA DO MEDO


Debruçada na janela,
Murcha de mocidade,
A moça espia
A vida lá fora...

Lá o palpitar
Das gentes, do povo,
O burburinho e a pressa,
A dor e a saudade...

Os anos se esvaem
E dentro o vazio
De uma mente desocupada
De um coração sem vida...

Sua fuga é sua cela
e a janela a tela
em que pinta seu destino...
O medo a encarcera.

E o silêncio da noite
Chega com a solidão
Vem tão certo
Quanto a morte é seu destino...

Maria Luiza












sábado, 20 de agosto de 2011

ORGULHO E HUMILDADE


1. INTRODUÇÃO

O objetivo deste estudo é mostrar que a humildade é o fundamento de todas as virtudes. Para isso iremos tratar do orgulho, da humildade e das orientações evangélicas a respeito do tema.

2. CONCEITO

Orgulho – Sentimento de dignidade pessoal; brio, altivez. Conceito elevado ou exagerado de si próprio; amor-próprio demasiado; soberba. É o sentimento da própria grandeza real, existente no íntimo de cada ser, mas transbordado ou desviado do seu verdadeiro curso.

Humildade. Do latim humilitas, de humilis = pequeno. Virtude que conduz o indivíduo à consciência das suas limitações. O humilde não se deixa lisonjear pelos elogios ou pela situação de destaque em que se encontre. Todo sábio é humilde, porque sabe que só sabe pouco do muito que deveria saber. (Pequena Enciclopédia de Moral e Civismo)

Rel. virtude cristã, oposta à soberba, muito recomendada por Jesus.

3. CONSIDERAÇÕES INICIAIS

1) No Antigo Testamento fala-se muitas vezes em humilhar no sentido de oprimir, derrotar, abusar: assim, o faraó humilha os hebreus, o homem, a sua mulher e seus filhos.

2) No Novo Testamento Jesus dá-nos diversas recomendações sobre a humildade, virtude que se opõe ao orgulho.

3) Extraído do capítulo VII – Bem-Aventurados os Pobres de Espírito – de O Evangelho Segundo o Espiritismo. Refere-se às instruções dos Espíritos.

4) O par de termo orgulho-humildade revela a polaridade do nosso pensamento. Precisamos partir do negativo para chegar ao positivo. Nesse mister, convém lembrar que todo o progresso nasce do que lhe é contrário. Com efeito, toda a formação é o produto de uma reação, assim como todo efeito é gerado por uma causa. Todos os fenômenos morais, todas as formações inteligentes são devidos a uma momentânea perturbação da inteligência. Nela há dois princípios subjacentes: um imutável, essencialmente bom, eterno; outro, temporário, momentâneo, simples agente empregado para produzir a reação de onde sai cada vez a progressão dos homens.

5) Há uma lei universal dos rendimentos decrescentes em que todo o excesso conduz ao seu contrário. No caso específico, o excesso de orgulho transforma-se em humildade e o excesso de humildade em orgulho.

4. ORGULHO

4.1. CONDIÇÃO DO ESPÍRITO REENCARNANTE

De acordo com os pressupostos espíritas, o Espírito, ao longo de suas inúmeras reencarnações, acaba escolhendo as situações que enveredam mais para o orgulho do que para a humildade. A razão é simples: há mais facilidade de se entrar pela porta da perdição, pelos prazeres da matéria. Em termos bíblicos, a opção pelo prazer começou com Adão e Eva. Naquela ocasião Eva, tentada pela serpente, comeu o fruto proibido e foi, juntamente com Adão, expulsa do Paraíso.

4.2. TER VALE MAIS QUE SER

O homem precisa possuir alguma coisa; o nada lhe amargura a vida. Por isso, a sigla de “doutor”, mesmo no meio espírita. Quantas não são as pessoas que se vangloriam de assim serem chamadas. Não é uma espécie de orgulho, de vaidade? Sempre que alguém quer saber algo a nosso respeito, não nos perguntam o que somos, mas o que temos, ou seja, profissão, bens, propriedades, religião etc. Em virtude disso, apropriamo-nos de alguma coisa, mesmo que essa coisa não nos satisfaça interiormente, pois isso nos dá uma certa segurança. Contudo, observe a mudança de comportamento daquelas pessoas que repentinamente ficam ricas, ou são escolhidas para ocupar uma posição de destaque. Geralmente o orgulho e a soberba assomam-lhe à cabeça. Já não tratam mais os seus como antigamente.

4.3. APEGO AOS BENS MATERIAIS

Conforme vamos adquirindo mais bens, mais ainda vamos desejando. De modo que a insaciabilidade dos desejos humanos induz-nos a procurar sempre mais, à semelhança daquele que consome droga. Este começa com pequenas quantidades; depois, tem que aumentá-las, pois o pouco já não satisfaz as suas necessidades. Quanto mais tem, mais necessidade fabrica. A necessidade acaba torturando a maioria dos seres viventes. Aliado à posse de bens materiais, há o medo: de que seremos roubados, de que não teremos o que comer etc.

5. HUMILDADE

5.1. OS POBRES NÃO NECESSARIAMENTE SÃO HUMILDES

Ao vermos uma pessoa mal vestida, de semblante sofrido e modo simples de se vestir, emprestamos-lhe as características de uma pessoa humilde. Contudo, o exterior nem sempre revela com segurança o interior de um indivíduo. É preciso verificar a essência de sua alma. Quando Jesus falava dos pobres de espírito, Ele se referia à humildade, pois há muitos pobres que invejam os ricos, de modo que eles são mais orgulhosos do que aqueles que possuem recursos financeiros em abundância.

5.2. UMA SÓ COISA É NECESSÁRIA

O Espírito Emmanuel, comentando o texto evangélico, diz-nos que uma única coisa é necessária para a evolução da alma: atender aos ensinamentos de Jesus. Quando o homem se compenetra dessa condição de servo do senhor, tudo o que está à sua volta toma outra feição. Ele fala, ouve, age, discute, sofre, chora e ri como outro ser humano qualquer, mas o faz de forma civilizada, de forma ponderada, de forma equilibrada. Está é a grande lição que os Espíritos benfeitores nos trazem.

5.3. O VERDADEIRO HUMILDE

O verdadeiro humilde geralmente não sabe que o é. São as pessoas ao seu derredor que acabam por descobri-lo. Para ele essa condição é tão natural que nem o percebe. Não é o que coloca um verniz por fora para esconder os defeitos interiores. O humilde coloca-se objetivamente dentro de sua capacidade, observando criteriosamente as suas limitações. Ele não importa saber quem é contra ou a favor, mas simplesmente atende a um chamado de ordem superior e segue o seu caminho com uma fé inquebrantável.

6. AS ORIENTAÇÕES DO EVANGELHO

6.1. A HUMILDADE COMO VIRTUDE ESQUECIDA

Jesus Cristo, quando esteve encarnado, deu-nos o exemplo da virtude, chegando a ponto de ordenar que amássemos os próprios inimigos. Dentre os seus vários ensinamentos, aquele que compara o Reino de Deus a uma criança, vem bem a calhar, pois evoca com firmeza o símbolo da humildade e da simplicidade. Não adianta conhecer profundamente a teologia e as mais altas concepções filosóficas. Se não nos fizermos humildes como as crianças – que são ingênuas e sem preconceitos – não entraremos no reino da verdade.

6.2. OS RICOS DESCONHECEM AS NECESSIDADES DOS POBRES

Há uma advertência dos Espíritos: “Oh, rico! Enquanto dormes sob teus tetos dourados, ao abrigo do frio, não sabes que milhares de teus irmãos, iguais a ti, estão estirados sobre a palha? A essas palavras teu orgulho se revolta, bem o sei; consentiras em dar-lhe uma esmola, mas a apertar-lhe a mão fraternalmente, jamais! ‘Que! Dizes, eu, descendente de um sangue nobre, grande na Terra, seria igual a esse miserável esfarrapado? Vã utopia de supostos filósofos! Se fôssemos iguais, por que Deus o teria colocado tão baixo e eu tão alto?’ É verdade que vosso vestuário não se assemelha quase nada; mas dele despojados ambos, que diferença haveria entre vós? A nobreza de sangue, dirás; mas a química não encontrou diferença entre o sangue do nobre e o do plebeu, entre o do senhor e o do escravo. Quem te diz que, tu também, não foste miserável e infeliz como ele? Que não pediste esmola? Que não a pedirás àquele que desprezas hoje? As riquezas são eternas? Elas não se acabam com esse corpo, envoltório perecível do teu Espírito? Oh! Volta-te humildemente sobre ti mesmo! Lança enfim os olhos sobre a realidade das coisas desse mundo, sobre o que faz a grandeza e a inferioridade no outro; lembra que a morte não te poupará mais que a um outro; que os títulos não te preservarão dela; que ela pode te atingir amanhã, hoje, numa hora; e se tu te escondes no teu orgulho, oh! Então eu te lastimo, porque serás digno de piedade” (Kardec, 1984, p. 107)

6.3. O EVANGELHO FUNDAMENTA-SE NUMA LEI CIENTÍFICA

Jesus deixou claro o alcance de sua Doutrina. O Evangelho é fundamentado numa lei científica: desprendimento dos bens materiais. Aquele que construir o seu destino, seguindo os exemplos de Cristo, terá como recompensa as bem-aventuranças do reino de deus. Não que devamos fazer isso ou aquilo esperando uma recompensa, mas pelo simples prazer de cumprir fielmente as determinações de nossa consciência. Há muitos exemplos de benfeitores anônimos, que auxiliam simplesmente pelo prazer de auxiliar. E por que fazem isso? Porque estão compenetrados dessa lei maior que une todos os seres humanos numa só entidade, a entidade humana. Para essas pessoas não há separação entre americano e chinês, budista e católico, branco e preto. Trata todos como irmãos como o Cristo nos ensinou.

7. CONCLUSÃO

Não nos iludamos com a subida inesperada do orgulhoso e as vantagens aparentes da riqueza. Estejamos firmes em nosso posto de trabalho, atendendo resignadamente às determinações da vontade de Deus a nosso respeito.

8. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA

ÁVILA, F. B. de S.J. Pequena Enciclopédia de Moral e Civismo. Rio de Janeiro: M.E.C., 1967.
KARDEC, A. O Evangelho Segundo o Espiritismo. 39. ed. São Paulo: IDE, 1984.
KARDEC, A. O Livro dos Espíritos. 8. ed. São Paulo: Feesp, 1995

Dany Garcia do blog "Nosso Lar"

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

PENSAMENTO DO DIA


O segredo da saúde da mente e do corpo está em não lamentar o passado,
em não se afligir com o futuro e em não antecipar preocupações;
mas está no viver sabiamente e seriamente o presente momento.

Sakyamuni

RIMAS ÍNTIMAS


Em versos
Abertos
Perdidos
Repletos de gritos
Surgí...
E senti
Por fim
Que vivo
Embalada
Nos sonhos
Secretos
Que nas rimas
Absorvo...
Porque poesia
Não fala
Docemente cala
Engole o poeta
Em suas letras
Tingindo os corações
Deixando as mentes
Trêmulas...
É sentimento
Indecente
Que transforma
E silencia
Retocando as cores
Enchendo de vida
Calmas linhas...
E assim
Rabisco meus medos
Que nascidos de prosa
Teimam
Puras crianças
Lindos sonhos
Permeiam...
São fachos de luz
Que se abrem
Em flores alvas
Escorrem em vigas
Revivem as feridas
E maravilhosamente
Explode a alma...
Essa poesia
Íntimo encanto
Em mim navega
E por fim existo
E ressurjo
Nela...


Ka Santos (poeta do Peapaz)

TENTAR SEMPRE

CONFIE SEMPRE


Não percas a tua fé entre as sombras do mundo. Ainda que os teus pés estejam sangrando, segue para a frente, erguendo-a por luz celeste, acima de ti mesmo. Crê e trabalha. Esforça-te no bem e espera com paciência. Tudo passa e tudo se renova na terra, mas o que vem do céu permanecerá. De todos os infelizes os mais desditosos são os que perderam a confiança em Deus e em si mesmo, porque o maior infortúnio é sofrer a privação da fé e prosseguir vivendo. Eleva, pois, o teu olhar e caminha. Luta e serve. Aprende e adianta-te. Brilha a alvorada além da noite. Hoje, é possível que a tempestade te amarfanhe o coração e te atormente o ideal, aguilhoando-te com a aflição ou ameaçando-te com a morte. Não te esqueças, porém, de que amanhã será outro dia.

Chico Xavier

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

REFLEXÃO


"Por mais que sofras, guarda a fé em Deus e segue adiante, no caminho que a vida te deu a trilhar.”

(Emmanuel)

HOJE E NÃO AMANHÃ...


Prefiro que partilhes comigo uns poucos minutos agora que estou viva, e não uma noite inteira quando eu morrer..
Prefiro que apertes suavemente a minha mão agora que estou viva e não que apoies o teu corpo sobre mim quando eu morrer...
Prefiro que me faça um só telefonema agora que estou viva, e não uma inesperada viagem quando eu morrer...
Prefiro que me ofereças uma só flor agora que posso sentir o perfume dela, e não um grande bouquet quando eu morrer.
Prefiro que elevemos ao céus uma pequena oração agora que ainda tenho fé, e não missas quando eu morrer...
Prefiro que me digas palavras de alento agora quando preciso delas, e não um dilacerante discurso a beira do meu túmulo...
Prefiro que me dediques um música agora quando posso escutá-la, e não uma comovente senerata quando meu espírito tiver partido..
Prefiro desfrutar todos os mínimos mimos agora que estou viva em lugar de grandes manifestações quando eu não estiver mais nesse mundo..
Prefiro que digas que me amas um pouco agora quando posso sentir tua presença, do que um grande lamento porque não tiveste tempo, pois nada ouvirei na eternidade...
Então, aproveitemos os nossos queridos enquanto estamos aqui!
Valorize as pessoas que estão à tua volta!
Ame-as, respeite-as, lembra-te delas,
Enquanto estão vivas !

Autor desconhecido

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

ESPIRITUALIDADE - O PODER DA PERSONALIDADE IDEALISTA



A experiência dinâmica da vivência espiritual nos transforma como seres humanos espirituais em uma personalidade de poder idealista.

A espiritualidade contribui para o progresso de todos nós, fomentando nosso crescimento individual, aumentado por meio da realização de todos.

Nosso crescimento espiritual é estimulado mutuamente pela ligação íntima com os outros. O amor propicia o solo para esse crescimento.

Vamos lá refletir sobre o tema?

Espiritualidade enobrece a lida comum da vida diária, realçando o poder da nossa personalidade idealista!

Embora a espiritualidade produza nosso crescimento nos significados e no engrandecimento dos valores, sabemos que o bem existe, e o mal precisa ser criado, e surge quando avaliações puramente pessoais são elevadas ao nível do absoluto.

Por exemplo, uma criança avalia uma experiência de acordo com o seu conteúdo de momento; a maturidade é proporcional à substituição das preferências pessoais por significados nobres, e mesmo pela lealdade aos conceitos mais elevados das situações diversificadas da vida e das relações cósmicas.

Muitas vezes algumas pessoas acham-se ocupadas demais para poderem crescer e, por isso, ficam expostas à estagnação espiritual.

Os principais inibidores do poder da nossa personalidade idealista são medo, preconceito e ignorância.

Quando em desenvolvimento será importante dar oportunidade para que a própria experiência espiritual cresça; não nos impondo a experiência já pronta de outros.

O crescimento espiritual verdadeiro é indicado pelo engrandecimento dos nossos ideais, por uma apreciação melhor e novos significados para os valores e maior lealdade aos princípios supremos.

Vivendo lealmente hoje — cresceremos - e o amanhã responderá por si. Faz sentido?

Por exemplo, a maneira mais rápida de um girino tornar-se uma rã é vivendo lealmente cada momento como girino.

O solo essencial ao nosso crescimento espiritual pressupõe uma vida progressiva de auto realização, de coordenação das propensões naturais, de exercício da curiosidade, do desfrutar das aventuras razoáveis, da experimentação de sentimentos de satisfação, de fazer o temor funcionar como estímulo para a atenção e a consciência, de sedução pelo maravilhoso e de uma introspecção normal de humildade.

O crescimento é também baseado na descoberta de nós mesmos, acompanhada da autocrítica — a consciência; pois a consciência é realmente a crítica voltada para nós mesmos, por meio da própria escala de valores dos nossos ideais.

Jonathan Ellerby espiritualista, escritor contemporâneo com mais de 20 anos de experiência nas áreas de cura holística, aconselhamento espiritual, medicina integrativa, no seu livro “Your Spiritual Personality” nos diz: “Personalidade espiritual é algo que todos nós temos, uma afinidade com as tradições de sabedoria, certas práticas do interior intuitivo, como as nossas inclinações para os alimentos que comemos ou a roupa que vestimos.”

Nossa experiência espiritual é influenciada de um modo marcante pela nossa saúde física, pelo temperamento e o ambiente social. Contudo, as condições temporais não devem inibir nosso progresso espiritual interior de Alma dedicada a fazer a vontade do Ser Maior Criador Deus. Correto?

A técnica certa de alimentar nosso dom intuitivo, que é parte do potencial de crescimento espiritual, é mantermos uma atitude de dedicação, do fundo do coração, aos valores supremos.

A espiritualidade não pode ser outorgada, recebida, emprestada, nem perdida. É uma experiência pessoal individual a ser despertada, que se amplia proporcionalmente à busca crescente de valores finais.

Hábitos espirituais, de sentir, pensar e agir, contribuem para o processo de crescimento espiritual.

Podemos desenvolver uma predisposição espiritual de reações favoráveis aos nossos estímulos, como sendo uma espécie de reflexo espiritual.

Por exemplo, hábitos que favorecem o crescimento espiritual abrangem o cultivo da nossa sensibilidade para os valores divinos, o reconhecimento do esforço nos outros, a meditação reflexiva sobre os significados cósmicos, entusiasmo ao resolver os problemas, o compartilhar da própria vida espiritual com os semelhantes, evitando egoísmo, vivendo como estivéssemos em companhia do Ser Maior
Criador Deus. Está claro?

O progresso espiritual é fundamentado no reconhecimento intelectual da própria nobreza espiritual combinada à autoconsciência do anseio de conhecer o Ser Maior Criador Deus e de ser um com Ele de todo o coração.

Inicialmente o crescimento espiritual é um despertar para as necessidades e, em seguida, um discernimento dos significados e, depois, uma descoberta dos valores.

A evidência do verdadeiro desenvolvimento espiritual consiste em demonstrarmos uma personalidade humana motivada pelo amor, animada pelo não-egoísmo e dominada pela adoração sincera dos ideais de perfeição da divindade.

E toda essa experiência constitui a realidade da espiritualidade, ao contrário da mera crença teológica.
A espiritualidade pode progredir até o nível de experiência em que se torna uma prática esclarecida e sábia de resposta espiritual ao universo.

Tal espiritualidade agora glorificada funcionará em ambos os níveis da nossa personalidade: o intelectual e o espiritual; sobre a mente e sobre a Alma em evolução.

E imediatamente a espiritualidade passa a ser indicadora da nossa aptidão de co-criação com o Ser Maior Criador Deus e a medida da nossa capacidade de servir aos nossos semelhantes.


por Marcos Porto - Stum

NOITE ESCURA



A Noite vem poisando devagar
Sobre a Terra, que inunda de amargura...
E nem sequer a bênção do luar
A quis tornar divinamente pura...

Ninguém vem atrás dela a acompanhar
A sua dor que é cheia de tortura...
E eu oiço a Noite imensa soluçar!
E eu oiço soluçar a Noite escura!

Por que és assim tão escura, assim tão triste?!
É que, talvez, ó Noite, em ti existe
Uma Saudade igual à que eu contenho!

Saudade que eu sei donde me vem...
Talvez de ti, ó Noite!... Ou de ninguém!...
Que eu nunca sei quem sou, nem o que tenho!...

Florbela Espanca

VERSO


Alma serena, a consciência pura,
assim eu quero a vida que me resta.
Saudade não é dor nem amargura
dilui-se ao longe a derradeira festa.

Fernanda de Castro - escritora, poeta, dramaturga e tradutora portuguesa.

PENSAMENTO DO DIA


Escuta a voz da sabedoria, que te repete o dia inteiro: a vida é breve e tu não és como as plantas que reverdecem depois de podadas.

Omar Khayyám

terça-feira, 16 de agosto de 2011

OS CINCO PRINCÍPIOS DA CABALA


1 - DIVIDA: Quando dividimos, nos conectamos com a força que a cabala chama de Luz - uma fonte infinita de bondade e força divina que nos permite sobrepujar nossos egos, a grande fonte de negatividade que buscamos transcender. Compartilhar é o grande sentido da vida e o único caminho para a verdadeira satisfação.
2 - CONHEÇA O SEU EGO: Há uma voz dentro de nós que nos impele a sermos egoístas, irresponsáveis, mesquinhos e negativos. Trata-se do ego. Ele é a força que nos faz buscar a satisfação a curto prazo, que pode ter um custo imenso a longo prazo. O ego é a fonte de todos os nossos problemas porque ele estimula a divisão e o distanciamento dos outros.
3 - RESPEITE AS LEIS DO UNIVERSO: A vida pode parecer arbitrária quando não respeitamos o sistema espiritual e universal. Como a lei da gravidade, existem leis espirituais. uma delas é a da causa e efeito - você colhe o que planta.
4 - ACEITE QUE VOCÊ É PARTE DE UM TODO: Somos todos um. Todo ser humano tem dentro de si a força do Criador. Essa força une a humanidade. Somos todos responsáveis pelas guerras e pela pobreza do mundo. Ninguém tem o direito de se sentir realizado enquanto outras pessoas estão sofrendo.
5 - SAIA DA ZONA DE CONFORTO: Incomodarmo-nos com o desconforto dos outros pode resultar em verdadeiros milagres. Quando nos mexemos para ajudar alguém que está sofrendo, abrimos uma nova dimensão espiritual por onde a Luz pode entrar.

ENTREGA


Hoje dou a minha vida a Deus para que Ele a guie. Pai, hoje Te dou todos os meus pensamentos. Não quero nenhum deles para mim. No seu lugar, dá-me os Teus. Também entrego a Ti todos os meus atos, para que eu possa fazer a Tua Vontade ao invés de buscar metas que não podem ser conquistadas e perder tempo com imaginações vãs. Hoje, eu venho a Ti. Eu recuarei e simplesmente Te seguirei. Que Tu sejas o Guia e eu o seguidor que não questiona a sabedoria do Infinito, nem o Amor, cuja ternura eu não posso compreender, mas que é, no entanto, a Tua dádiva perfeita para mim.

"Curso em Milagres - Lição 233"

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

VENDE-SE TUDO



No mural do colégio da minha filha encontrei um cartaz escrito por uma mãe, avisando que estava vendendo tudo o que ela tinha em casa, pois a família voltaria a morar nos Estados Unidos.
O cartaz dava o endereço do bazar e o horário de atendimento.
Uma outra mãe, ao meu lado, comentou:
- Que coisa triste ter que vender tudo que se tem.
- Não é não, respondi, já passei por isso e é uma lição de vida.

Morei uma época no Chile e, na hora de voltar ao Brasil, trouxe comigo apenas umas poucas gravuras, uns livros e uns tapetes.
O resto vendi tudo, e por tudo entenda-se: fogão, camas, louça, liquidificador, sala de jantar, aparelho de som, tudo o que compõe uma casa.
Como eu não conhecia muita gente na cidade, meu marido anunciou o bazar no seu local de trabalho e esperamos sentados que alguém aparecesse. Sentados no chão. O sofá foi o primeiro que se foi.
Às vezes o interfone tocava às 11 da noite e era alguém que tinha ouvido comentar que ali estava se vendendo uma estante. Eu convidava para subir e em dez minutos negociávamos um belo desconto. Além disso, eu sempre dava um abridor de vinho ou um saleiro de brinde, e lá se iam meus móveis e minhas bugigangas.
Um troço maluco: estranhos entravam na minha casa e desfalcavam o meu lar, que a cada dia ficava mais nu, mais sem alma.

No penúltimo dia, ficamos só com o colchão no chão, a geladeira e a tevê. No último, só com o colchão, que o zelador comprou e, compreensivo, topou esperar a gente ir embora antes de buscar. Ganhou de brinde os travesseiros..

Guardo esses últimos dias no Chile como o momento da minha vida em que aprendi a irrelevância de quase tudo o que é material.
Nunca mais me apeguei a nada que não tivesse valor afetivo.
Deixei de lado o zelo excessivo por coisas que foram feitas apenas para se usar, e não para se amar.

Hoje me desfaço com facilidade de objetos, enquanto que se torna cada vez mais difícil me afastar de pessoas que são ou foram importantes, não importa o tempo que estiveram presentes na minha vida...
Desejo para essa mulher que está vendendo suas coisas para voltar aos Estados Unidos a mesma emoção que tive na minha última noite no Chile. Dormimos no mesmo colchão, eu, meu marido e minha filha, que na época tinha 2 anos de idade. As roupas já estavam guardadas nas malas. Fazia muito frio. Ao acordarmos, uma vizinha simpática nos ofereceu o café da manhã, já que não tínhamos nem uma xícara em casa.

Fomos embora carregando apenas o que havíamos vivido, levando as emoções todas: nenhuma recordação foi vendida ou entregue como brinde. Não pagamos excesso de bagagem e chegamos aqui com outro tipo de leveza.

... só possuímos na vida o que dela pudermos levar ao partir...
Pense nisso!

Martha Medeiros

domingo, 14 de agosto de 2011

MENSAGEM


"Nas suas pisadas os meus pés se afirmaram; guardei o seu caminho e não me desviei dele".

Jó 24.11

sábado, 13 de agosto de 2011

PARA REFLEXÃO



TENDE POR TEMPLO O UNIVERSO
POR ALTAR A CONSCIÊNCIA
POR IMAGEM, DEUS
POR LEI, O AMOR E A CARIDADE.

(Leon Denis)

UM DEUS QUE SORRI



Eu acredito em Deus!
Mas não sei se o Deus em que eu acredito, é o mesmo Deus em que acredita o balconista, a professora,o porteiro, o bispo, o pastor...
O Deus em que acredito não foi globalizado.
O Deus com quem converso não é uma pessoa, não é pai de ninguém.
É uma idéia, uma energia, uma eminência.
Não tem rosto, portanto não tem barba.
Não caminha, portanto não carrega um cajado.
Não está cansado, portanto não está sempre no trono.
O Deus que me acompanha vai muito além do que me mostra a Bíblia.
Jamais se deixaria resumir por dez mandamentos, algumas parábolas e um pensamento que não se renova.
O meu Deus é tão superior quanto o Deus dos outros, mas sua superioridade está na compreensão das diferenças, na aceitação das fraquezas e no estímulo à felicidade.

O Deus em que acredito me ensina a guerrear conforme as armas que tenho e detecta em mim a honestidade dos atos.
Não distribui culpas a granel: as minhas são umas, as do vizinho são outras.
Nossa penitência é a reflexão.
Para o Deus em que acredito só vale o que se está sentindo.
O Deus em que acredito não condena o prazer.
O Deus em que acredito não me abandona, mas me exige mais do que uma flexão de joelhos e uma doação aos pobres: cobra caro pelos meus erros e não aceita promessas performáticas, como carregar uma cruz gigante nos ombros.
A cruz pesa onde tem que pesar: dentro.
É onde tudo acontece e este é o Deus que me acompanha:
Um Deus simples. Deus que é Deus não precisa ser difícil e distante, sabe tudo e vê tudo. Meu Deus é discreto e otimista.
Não se esconde, ao contrário, aparece principalmente nas horas boas para incentivar, para me fazer sentir o quanto vale um pequeno momento grandioso:de um abraço numa amizade, uma música na hora certa, um silêncio.
O Deus que eu acredito também não inventou o pecado, ou a segregação de credo.
E como ele me deu o Livre-Arbítrio, sou eu apenas que respondo e responderei pelos meus atos.

Rubem Alves

MONTES CLAROS - MINHA TERRA ADOTIVA

A ARTE


A arte pura é a mais elevada contemplação espiritual por parte das
criaturas. Ela significa a mais profunda exteriorização do ideal, a
divina manifestação desse “mais além” que polariza as esperanças da
alma. E o artista verdadeiro é sempre o “médium” das belezas eternas e
o seu trabalho, em todos os tempos, foi tanger as cordas mais
vibráteis do sentimento humano, alçando-a da Terra para o infinito e
abrindo em todos os caminhos, a ânsia dos corações para Deus, nas suas
manifestações supremas de beleza, de sabedoria e de amor.”


(Emmanuel).

Pintura de meu sobrinho Iuri Sarmento

POSSIBILIDADES


Tudo o que meus olhos viram
Nunca irá comparar-se
Aquilo que eles jamais verão.
Muito do que sente meu coração
Será sempre sonho
Anseio, saudade do que não vivi
Em suma, desejo insone,
Querências que nunca dormem,
Repousam, apenas
Á espera de que
Entre um sonho e outro
Descubram-se possíveis.


Célia Sena

NÃO DESCREIA DA VITÓRIA



Agravou-se a sua situação e aconteceu o que você menos goste.
Parece-lhe que nada poderá aliviar o seu sofrimento e que não há solução.
Amigo, não é assim.
Para qualquer problema, por maior que pareça, Deus reservou uma solução.
É preciso buscá-la. Você não está desamparado.
Não vacile. Não se entregue.
Acima de qualquer problema paira a Providência Divina.


Extraído de 'Sementes de Felicidade'

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

ENVELHECER


Quanto mais envelhecia,
quanto mais insípidas me pareciam
as pequenas satisfações que a vida me dava,
tanto mais claramente compreendia
onde eu deveria procurar a fonte
das alegrias da vida.
Aprendi que ser amado não é nada,
enquanto amar é tudo.
O dinheiro não era nada,
o poder não era nada.
Vi tanta gente que tinha dinheiro e poder,
e mesmo assim era infeliz.
A beleza não era nada.
Vi homens e mulheres belos,
infelizes, apesar de sua beleza.
Também a saúde não contava tanto assim.
Cada um tem a saúde que sente.
Havia doentes cheios de vontade de viver
e havia sadios que definhavam angustiados
pelo medo de sofrer.
A felicidade é amor, só isto.
Feliz é quem sabe amar.
Feliz é quem pode amar muito.
Mas amar e desejar não é a mesma coisa.
O amor é o desejo que atingiu a sabedoria.
O amor não quer possuir.
O amor quer somente amar.

Hermann Hesse

MULHER



O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana.
Tenho apenas um exemplar em casa,que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém. Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha 'Salvem as Mulheres!'
Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da feminilidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:
1. Habitat
Mulher não pode ser mantida em cativeiro. Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse de uma mulher, o que vai prendê-la a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente.
2. Alimentação correta
Ninguém vive de vento. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro Beijos matinais e um 'eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não a deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial.
3. Flores
Também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.
4. Respeite a natureza
Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia, discutir a relação? Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso.
5. Não tolha a sua vaidade
É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas, passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza, colecionar brincos, comprar muitos sapatos, ficar horas escolhendo roupas no shopping. Entenda tudo isso e apoie.

6. Cérebro feminino não é um mito
Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino. Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente o aposentaram!). Então, aguente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar bibelôs, tente se relacionar com uma mulher. Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens, a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.

7. Não faça sombra sobre ela
Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.
Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.

E meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire GAY.
Só tem mulher, quem pode!

Luiz Fernando Veríssimo

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

AO MEU PAI



Quando nasci você tomou-me nos braços e sorriu o mais belo sorriso de felicidade. Quando comecei a andar você me deu a mão para que eu ensaiasse os primeiros passos e não caísse. Quando adoecia você passava a noite à beira de minha cama e eu dormia confiante porque minha mão estava na sua. Quando fui para o colégio interno você estava ao meu lado e enquanto eu apertava a sua mão, com medo daquele mundo desconhecido, você me mostrava as maravilhas do conhecimento.

Durante toda a minha infância, juntamente com meus irmãos, você nos divertia com as mágicas que inventava, fazia cavalinho, contava-nos histórias mirabolantes que nos faziam rir, chorar e nos levava a conhecer Bach, Beethowen, Chopin, Tchaikovski, Mozart, Wagner e tantos outros músicos que amava e nos ensinava a amar. Prometia sempre um prêmio para quem acertasse o autor, o nome da música, a sinfonia, a ária. Quando, bem cedo, comecei a brincar com as letras, a ajuntá-las e a escrever nos seus jornais, abriu-me o mundo encantado dos mil e um autores.

Quando me tornei moça você tinha ciúmes de todos os meus namorados e ninguém servia para mim, pois você sonhava em casar-me com um “príncipe”. Quando aquele que escolhi para companheiro esperava-me no altar, você me levou até ele.

A vida foi continuando e as nossas conversas, alegrias e tristezas pareciam não ter fim. O tempo sempre era muito pouco. Contava-nos “causos”, casos e histórias de sua terra natal e de figuras lendárias do norte de Minas. Ensinou-me a amar criaturas admiráveis que só conheci por fotografias.

Aprendi com você a História da França, da Inglaterra, de Roma, da Grécia, do Brasil. Foi você quem me contou as histórias da Bíblia e levou-me a amar Jesus Cristo, cuja vida estudou profundamente, pesquisou, escreveu, admirou e amou. Foi você que abriu-me o caminho da espiritualidade, alargando cada vez mais o meu mundo de luz. Com você aprendi a ética que norteou toda a minha vida: o amor, o respeito, a compaixão, a justiça.

Tudo o que me acontecia tinha pressa em lhe contar. Quando buscava conforto, nas agruras da vida que não me pouparam, buscava seu abraço e sua palavra consoladora. Quando me desesperei aos 38 anos porque, depois de tanto estudar, tanto ler, tanto pensar, tanto buscar, cheguei à conclusão que nada sabia e fui correndo ao seu encontro em busca de conselho, você me disse, com tranqüilidade: "Que bom, minha filha, agora você vai, realmente, aprender o caminho da sabedoria!"

Você foi meu pai, meu amigo, meu mestre, meu conselheiro, meu companheiro de todas as horas.

Depois, eu amadurecia e você envelhecia. E vieram os momentos terríveis em que sua saúde rateava e eu quase enlouquecia só de pensar que poderia perdê-lo. Mas Deus foi misericordioso e sua vida foi longa, bonita, desprendida, produtiva e brilhante. Você tinha estopim curto, era verdadeiro, honesto, sempre correto demais e as pessoas se enganavam quando não o conheciam, imaginando-o uma pessoa brava e truculenta. No entanto, era manso de coração, terno, bondoso e compassivo.

Começamos a inverter os papéis. Você que era a minha rocha, o meu porto, o meu cais, foi decaindo, se sentindo inseguro e buscava, então, refúgio em mim. Depois de algumas isquemias cerebrais você, que era mestre da palavra, deixou de falar. Mas, o amor imenso que nos unia sempre nos levava à compreensão.

Acompanhei-o, minuto por minuto, agonia por agonia, em seus últimos dias. Assisti você ir para a sala cirúrgica, tão tranqüilo. Chorei de felicidade ao saber que a cirurgia em seu cérebro tinha sido um sucesso. Mas, a esta alegria foram se seguindo os dias em que sua matéria já cansada, machucada, doída, ia cada vez mais enfraquecendo.

Ah, se eu pudesse teria sofrido aquele calvário em seu lugar! Mas, ali estava, com o meu amor, impotente, só podendo colocá-lo nos braços de nosso Pai Maior. Percebi os momentos em que você, finalmente, nos deixava e minh’alma tão sofrida já não suportava mais o seu sofrimento. Fui obrigada a pedir ao Pai que o levasse. Fui forte, sim, até quando a guarda dos militares, em posição de funeral, deram o primeiro tiro e as notas musicais do toque de silêncio soaram. Aí, meu pranto jorrou como sangue e a dor rompeu meu peito.

Você fez história e será lembrado como o comandante, o delegado, o escritor, o historiador, o prefeito, o jornalista combativo, o assessor direto de vários comandantes-gerais da Corporação que tanto amou; o assistente militar de Secretário de Estado, de Dom Armando Lombardi, o cônsul do Papa no Brasil nos idos dos anos 50; o intelectual cujo nome está inscrito em várias instituições. Para mim, entretanto, você será lembrado como o melhor dos pais, o mais apaixonado por seus seis filhos.

Você segue o seu caminho na eternidade, conforme a sua semeadura e a vontade do Criador e eu, sua filha terrena, até que chegue minha hora, viverei como uma parte sua, buscando sempre honrar todo o legado do Bem que deixou em sua trajetória pelo planeta.

A saudade será grande! O vazio será enorme! E a minha gratidão e o meu amor serão eternos!

Até breve, Papai!

Maria Luiza

Dezembro de 2005

PENSAMENTOS DE OSHO


Ninguém nasce para o outro. Amor e liberdade andam juntos. Ela é uma expressão do amor. "Dar" liberdade é confiar. O crescimento precisa de liberdade. De todas as artes, o amor é a mais sutil e precisa ser aprendida. Amor é felicidade, harmonia, saúde. Um grande amante está sempre pronto a dar amor e não está preocupado se vai receber de volta ou não. O amor tem sua própria felicidade intrínseca. Quanto mais amamos, maior a possibilidade da pessoa certa acontecer, porque o coração floresce. O amor real nos deixa felizes e harmônicos pela simples presença do outro. Amor é eternidade. Se estiver presente, cresce. Ele conhece o início, mas não o fim. Duas pessoas infelizes que se unem multiplicam sua infelicidade. Osho

Um homem de amor sabe viver plenamente, porque vive totalmente. Seu corpo está cheio de amor; as células de seu corpo dançam no amor- não cheia de lógica, mas de amor. Seu coração está cheio de amor. Ele não é apenas um sistema para purificar o sangue, nem um instrumento respiratório; ele inspira amor e expira amor. Sua própria alma nada mais é que puro amor, um oceano de amor. Uma pessoa assim com certeza encontra a existência. Onde a existência poderia se esconder de tal pessoa? Na verdade, a pessoa não precisa ir atrás da existência; a existência é que vem atrás dela. E aí é que está a beleza: quando a existência vem procurar você." (OSHO)

Experimentar o amor é uma das mais belas experiências da vida.
Para vivenciarmos o verdadeiro amor, quatro passos devem ser celebrados.
O primeiro passo é: esteja aqui e agora - porque o amor só é possível aqui e agora.
O segundo passo em direção ao amor é libertar-se dos sentimentos negativos, porque muitas pessoas amam, mas seu amor está contaminado por sentimentos como ciúme, possessividade, medo.
O terceiro: compartilhe. O amor é uma fragrância a ser compartilhada, irradiada. O amor não pode ser acumulado; ele só pode ser compartilhado. E o quarto: seja um nada. Somente quando você está vazio de você,há o amor.
Quando você está cheio de ego não é possível amar.
E quando duas pessoas estão se amando, um dos maiores paradoxos da vida acontece.
Elas estão juntas, são quase um, mas esta unidade não destrói a individualidade. Na verdade realça.
Duas pessoas maduras em verdadeiro amor ajudam-se mutuamente a se tornarem mais
livres, mais plenas, mais completas.


Osho

terça-feira, 9 de agosto de 2011

ANÁLOSE SOCRÁTICA DOS TEMPOS ATUAIS



Encontrei Daniela, 10 anos, no elevador, às nove da manhã, e
perguntei: 'Não foi à aula?' Ela respondeu: 'Não, tenho aula à tarde'.
Comemorei: 'Que bom então de manhã você pode brincar e dormir até mais
tarde'. 'Não', retrucou ela, 'tenho tanta coisa de manhã...' 'Que
tanta coisa?', perguntei. 'Aulas de inglês, de balé, de pintura,
piscina', e começou a elencar seu programa de garota robotizada.

Fiquei pensando: 'Que pena, a Daniela não disse: 'Tenho aula de meditação!'

Estamos construindo super-homens e super-mulheres, totalmente
equipados, mas emocionalmente infantilizados.

Uma progressista cidade do interior de São Paulo tinha, em 1960, seis
livrarias e uma academia de ginástica; hoje, tem sessenta academias de
ginástica e três livrarias! Não tenho nada contra malhar o corpo, mas
me preocupo com a desproporção em relação à malhação do espírito.

Acho ótimo, vamos todos morrer esbeltos: 'Como estava o defunto?'.
'Olha uma maravilha, não tinha uma celulite!' Mas como fica a questão
da subjetividade? Da espiritualidade? Da ociosidade amorosa?

A palavra hoje é 'entretenimento' ; domingo, então, é o dia nacional
da imbecilização coletiva. Imbecil o apresentador, imbecil quem vai lá
e se apresenta no palco, imbecil quem perde a tarde diante da tela.

Como a publicidade não consegue vender felicidade, passa a ilusão de
que felicidade é o resultado da soma de prazeres: 'Se tomar este
refrigerante, vestir este tênis, usar esta camisa, comprar este
carro, você chega lá!' O problema é que, em geral, não se chega! Quem
cede desenvolve de tal maneira o desejo, que acaba precisando de um
analista. Ou de remédios. Quem resiste, aumenta a neurose.

O grande desafio é começar a ver o quanto é bom ser livre de todo esse
condicionamento globalizante, neoliberal, consumista. Assim, pode-se
viver melhor. Aliás, para uma boa saúde mental três requisitos são
indispensáveis: amizades, auto-estima, ausência de estresse.

Há uma lógica religiosa no consumismo pós-moderno. Na Idade Média, as
cidades adquiriam status construindo uma catedral; hoje, no Brasil,
constrói-se um shopping Center. É curioso: a maioria dos shoppings
centers tem linhas arquitetônicas de catedrais estilizadas; neles não
se pode ir de qualquer maneira, é preciso vestir roupa de missa de
domingo. E ali dentro sente-se uma sensação paradisíaca: não há
mendigos, crianças de rua, sujeira pelas calçadas...

Entra-se naqueles claustros ao som do gregoriano pós-moderno, aquela
musiquinha de esperar dentista. Observam-se os vários nichos, todas
aquelas capelas com os veneráveis objetos de consumo, acolitados por
belas sacerdotisas.

Quem pode comprar à vista, sente-se no reino dos céus. Se deve passar
cheque pré-datado, pagar a crédito, entrar no cheque especial,
sente-se no purgatório. Mas se não pode comprar, certamente vai se
sentir no inferno... Felizmente, terminam todos na eucaristia
pós-moderna, irmanados na mesma mesa, com o mesmo suco e o mesmo
hamburger do Mc Donald...

Costumo advertir os balconistas que me cercam à porta das lojas:
'Estou apenas fazendo um passeio socrático.' Diante de seus olhares
espantados, explico: 'Sócrates, filósofo grego, também gostava de
descansar a cabeça percorrendo o centro comercial de Atenas. Quando
vendedores como vocês o assediavam, ele respondia:

- "Estou apenas observando quanta coisa existe de que não preciso para
ser feliz !"


Frei Betto

NOITE DE SAUDADE


A Noite vem poisando devagar
Sobre a Terra, que inunda de amargura...
E nem sequer a bênção do luar
A quis tornar divinamente pura...

Ninguém vem atrás dela a acompanhar
A sua dor que é cheia de tortura...
E eu oiço a Noite imensa soluçar!
E eu oiço soluçar a Noite escura!

Por que és assim tão escura, assim tão triste?!
É que, talvez, ó Noite, em ti existe
Uma Saudade igual à que eu contenho!

Saudade que eu sei donde me vem...
Talvez de ti, ó Noite!... Ou de ninguém!...
Que eu nunca sei quem sou, nem o que tenho!!


Florbela Espanca

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

MEDITAÇÃO


As vezes, quando a noite vem caindo,
Tranqüilamente, sossegadamente,
Encosto-me à janela e vou seguindo
A curva melancólica do Poente.

Não quero a luz acesa. Na penumbra,
Pensa-se mais e pensa-se melhor.
A luz magoa os olhos e deslumbra,
E eu quero ver em mim, ó meu amor!

Para fazer exame de consciência
Quero silêncio, paz, recolhimento
Pois só assim, durante a tua ausência,
Consigo libertar o pensamento.

Procuro então aniquilar em mim,
A nefasta influência que domina
Os meus nervos cansados; mas por fim,
Reconheço que amar-te é minha sina.

Longe de ti atrevo-me a pensar
Nesse estranho rigor que me acorrenta:
E tenho a sensação do alto mar,
Numa noite selvagem de tormenta.

Tens no olhar magias de profeta
Que sabe ler no céu, no mar, nas brasas...
Adivinhas... Serei a borboleta
Que vendo a luz deixa queimar as asas.

No entanto — vê lá tu!— Eu não lamento
Esta vontade que se impõe à minha...
Nem me revolto... cedo ao encantamento...
— Escrava que não soube ser Rainha!

(Fernanda de Castro)

POSSO ESCREVER OS VERSOS MAIS TRISTES ESTA NOITE



Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Escrever, por exemplo: "A noite está estrelada,
e tiritam, azuis, os astros lá ao longe".
O vento da noite gira no céu e canta.

Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Eu amei-a e por vezes ela também me amou.
Em noites como esta tive-a em meus braços.
Beijei-a tantas vezes sob o céu infinito.

Ela amou-me, por vezes eu também a amava.
Como não ter amado os seus grandes olhos fixos.
Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Pensar que não a tenho. Sentir que já a perdi.

Ouvir a noite imensa, mais imensa sem ela.
E o verso cai na alma como no pasto o orvalho.
Importa lá que o meu amor não pudesse guardá-la.
A noite está estrelada e ela não está comigo.

Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe.
A minha alma não se contenta com havê-la perdido.
Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a.
O meu coração procura-a, ela não está comigo.

A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores.
Nós dois, os de então, já não somos os mesmos.
Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei.
Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido.

De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos.
A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos.
Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda.
É tão curto o amor, tão longo o esquecimento.

Porque em noites como esta tive-a em meus braços,
a minha alma não se contenta por havê-la perdido.
Embora seja a última dor que ela me causa,
e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo.

Pablo Neruda

UM SAVEIRO DE VERSOS PARA OS CAMPOS DOURADOS DO TOCANTINS


O saveiro dos meus versos
singra sereno nas águas caudalosas das lembranças
sob o impulso da esperança
de que não soçobre jamais
na vereda de meus sonhos.

Ah! Deixa que o saveiro de meus versos
percorra o trajeto de corações curiosos
e, depois, bólido, parta em busca de outros
que vigiando ansiosos o esperam.

Deixa que o saveiro de meus versos
Resvale em qualquer lugar,
saciando e ungindo
com melódicas estrofes poéticas,
àqueles que desejam por elas se besuntar .

Enfim, deixa que o saveiro de meus versos
velejando num mar de ternura,
lentamente, atraque nos campos de “Capim Dourado”
no “Jalapão do Tocantins”,
onde repousam minhas recordações
e uma saudade sem fim.



Romildo Ernesto de Leitão Mendes

PROVAÇÕES NA ESFERA ESPIRITUAL



Estudando o problema da escolha de provações da Esfera Espiritual para o círculo das experiências humanas, imaginemos um campo de serviço terrestre em que cada trabalhador é chamado à execução de tarefa específica.
Decerto que, aí dentro, vige a liberdade na razão direta do dever bem cumprido.
O servidor que haja inutilizado deliberadamente as peças do arado que lhe requer devoção e suor gastará tempo em adquirir instrumento análogo com que possa atender à orientação que o dirige.
O lavrador invigilante que tenha permitido por desleixo a incursão de vermes destruidores na plantação que lhe define o trabalho, não pode esperar a colheita nobre antes que se consagre à limpeza e preservação da leira que a administração lhe confia.
O cooperador que tenha a infelicidade de envolver-se no crime terá cerceada a sua independência de ação, de vez que será necessário circunscrever-lhe a influência em processo adequado de reajuste.
Entretanto, se o operário fiel da lavoura satisfaz agora todos os requisitos das justas obrigações a que, se vê convocado, sem dúvida, plasma, em seu próprio favor, o direito de indicar por si mesmo o novo passo de serviço na direção do futuro, com pleno assentimento da autoridade superior que lhe traça o roteiro de lutas edificantes.
Assim, pois, além do sepulcro, nem todos desfrutam de improviso a faculdade de escolher o lugar ou a situação em que deva prosseguir no esforço de evolução, porquanto, quase sempre, é imperioso o regresso às sombras da retaguarda para refazer com sofrimento e lágrimas, amargura e aflição o ensejo sublime de acesso à luz.
Se desejas, assim, a marcha vitoriosa para lá dos portais de cinza em que o túmulo se te expressa à visão, afeiçoa-te, com perseverança e lealdade, ao próprio dever, dele fazendo o teu pão espiritual, cada dia, por que para alcançar o triunfo e a elevação de amanhã é indispensável saibamos consagrar-lhes a nossa atenção desde hoje.

Emmanuel – Chico Xavier

domingo, 7 de agosto de 2011

A TRISTEZA E A ALEGRIA


"A sua alegria é a sua tristeza mascarada. E o mesmo poço de onde sai o seu riso esteve muitas vezes cheio de lágrimas. Como poderia ser de outra maneira? Quanto mais fundo a tristeza entrar no seu ser, maior é a alegria que poderá conter. A taça que contém o seu vinho não é a mesma que aquela que as labaredas no forno do oleiro desenharam?

O alaúde que consola o seu espírito, não é ele da mesma madeira que foi esculpida pelas facas? Quando estiver alegre, olhe para dentro do seu coração e descobrirá que aquilo que lhe dá tristezas é também aquilo que lhe dá alegrias.
Quando estiver triste, olhe novamente para o seu coração. Vai ver que na verdade você está chorando por aquilo que foi a sua alegria.

Alguns de vocês dizem: "A alegria é maior do que a tristeza" e outros dizem "Não, é a tristeza que é maior". Mas eu digo-lhe que elas são inseparáveis. Elas vêm juntas e se uma se senta ao seu lado em sua mesa, lembre-se que a outra está dormindo em sua cama.

Na verdade, tal como uma balança, você está em suspensão entre a sua tristeza e a sua alegria. Você tem de estar vazio para ficar imóvel e em equilíbrio. Quando o guardião do tesouro erguer você, para pesar o seu ouro e a sua prata nas bandejas, a sua alegria e a sua tristeza ou sobem ou descem".

Khalil Gibram

LEMBRANDO...


O único homem que nunca comete erros é aquele que ninca fez coisa alguma. Não tenha medo de errar, pois você aprenderá a não cometer duas vezes o mesmo erro.

Theodore Roosevelt

REFLEXÃO DO DIA


Quando somos verdadeiramente fortes, temos a coragem de admitir nossas limitações e reconhecer que dependemos de Deus.

Julie Ackerman

sábado, 6 de agosto de 2011

SIMPLICIDADE E SABEDORIA


Pediram-me que escrevesse sobre simplicidade e sabedoria. Aceitei alegremente o convite sabendo que, para que tal pedido me tivesse sido feito, era necessário que eu fosse velho.
Os jovens e os adultos pouco sabem sobre o sentido da simplicidade. Os jovens são aves que voam pela manhã: seus vôos são flechas em todas as direções. Seus olhos estão fascinados por 10.000 coisas. Querem todas, mas nenhuma lhes dá descanso. Estão sempre prontos a de novo voar. Seu mundo é o mundo da multiplicidade. Eles a amam porque, nas suas cabeças, a multiplicidade é um espaço de liberdade. Com os adultos acontece o contrário. Para eles a multiplicidade é um feitiço que os aprisionou, uma arapuca na qual caíram. Eles a odeiam, mas não sabem como se libertar. Se, para os jovens, a multiplicidade tem o nome de liberdade, para os adultos a multiplicidade tem o nome de dever. Os adultos são pássaros presos nas gaiolas do dever. A cada manhã 10.000 coisas os aguardam com as suas ordens (para isso existem as agendas, lugar onde as 10.000 coisas escrevem as suas ordens!). Se não forem obedecidas haverá punições.
No crepúsculo, quando a noite se aproxima, o vôo dos pássaros fica diferente. Em nada se parece com o seu vôo pela manhã. Já observaram o vôo das pombas ao fim do dia? Elas voam numa única direção. Voltam para casa, ninho. As aves, ao crepúsculo, são simples. Simplicidade é isso: quando o coração busca uma coisa só.
Jesus contava parábolas sobre a simplicidade. Falou sobre um homem que possuía muitas jóias, sem que nenhuma delas o fizesse feliz. Um dia, entretanto, descobriu uma jóia, única, maravilhosa, pela qual se apaixonou. Fez então a troca que lhe trouxe alegria: vendeu as muitas e comprou a única.
Na multiplicidade nos perdemos: ignoramos o nosso desejo. Movemo-nos fascinados pela sedução das 10.000 coisas. Acontece que, como diz o segundo poema do Tao-Te-Ching, “as 10.000 coisas aparecem e desaparecem sem cessar.“ O caminho da multiplicidade é um caminho sem descanso. Cada ponto de chegada é um ponto de partida. Cada reencontro é uma despedida. É um caminho onde não existe casa ou ninho. A última das tentações com que o Diabo tentou o Filho de Deus foi a tentação da multiplicidade: “Levou-o ainda o Diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a sua glória e lhe disse: ‘Tudo isso te darei se prostrado me adorares.’“ Mas o que a multiplicidade faz é estilhaçar o coração. O coração que persegue o “muitos“ é um coração fragmentado, sem descanso. Palavras de Jesus: “De que vale ganhar o mundo inteiro e arruinar a vida?“ (Mateus 16.26).
O caminho da ciência e dos saberes é o caminho da multiplicidade. Adverte o escritor sagrado: “Não há limite para fazer livros, e o muito estudar é enfado da carne“ (Eclesiastes 12.12). Não há fim para as coisas que podem ser conhecidas e sabidas. O mundo dos saberes é um mundo de somas sem fim. É um caminho sem descanso para a alma. Não há saber diante do qual o coração possa dizer: “Cheguei, finalmente, ao lar“. Saberes não são lar. São, na melhor das hipóteses, tijolos para se construir uma casa. Mas os tijolos, eles mesmos, nada sabem sobre a casa. Os tijolos pertencem à multiplicidade. A casa pertence à simplicidade: uma única coisa.
Diz o Tao-Te-Ching: “Na busca do conhecimento a cada dia se soma uma coisa. Na busca da sabedoria a cada dia se diminui uma coisa.“
Diz T. S. Eliot: “Onde está a sabedoria que perdemos no conhecimento?“
Diz Manoel de Barros: “Quem acumula muita informação perde o condão de adivinhar. Sábio é o que adivinha.“
Sabedoria é a arte de degustar. Sobre a sabedoria Nietzsche diz o seguinte: “A palavra grega que designa o sábio se prende, etimologicamente, a sapio, eu saboreio, sapiens, o degustador, sisyphus, o homem do gosto mais apurado. “A sabedoria é, assim, a arte de degustar, distinguir, discernir. O homem do saberes, diante da multiplicidade, “precipita-se sobre tudo o que é possível saber, na cega avidez de querer conhecer a qualquer preço.“ Mas o sábio está à procura das “coisas dignas de serem conhecidas“. Imagine um bufê: sobre a mesa enorme da multiplicidade, uma infinidade de pratos. O homem dos saberes, fascinado pelos pratos, se atira sobre eles: quer comer tudo. O sábio, ao contrário, para e pergunta ao seu corpo: “De toda essa multiplicidade, qual é o prato que vai lhe dar prazer e alegria?“ E assim, depois de meditar, escolhe um…
A sabedoria é a arte de reconhecer e degustar a alegria. Nascemos para a alegria. Não só nós. Diz Bachelard que o universo inteiro tem um destino de felicidade.
O Vinícius escreveu um lindo poema com o título de “Resta…“ Já velho, tendo andado pelo mundo da multiplicidade, ele olha para trás e vê o que restou: o que valeu a pena. “Resta esse coração queimando como um círio numa catedral em ruínas…“ “Resta essa capacidade de ternura…“ “Resta esse antigo respeito pela noite…“ “Resta essa vontade de chorar diante da beleza…“. Vinícius vai, assim, contando as vivências que lhe deram alegria. Foram elas que restaram.
As coisas que restam sobrevivem num lugar da alma que se chama saudade. A saudade é o bolso onde a alma guarda aquilo que ela provou e aprovou. Aprovadas foram as experiências que deram alegria. O que valeu a pena está destinado à eternidade. A saudade é o rosto da eternidade refletido no rio do tempo. É para isso que necessitamos dos deuses, para que o rio do tempo seja circular: “Lança o teu pão sobre as águas porque depois de muitos dias o encontrarás…“ Oramos para que aquilo que se perdeu no passado nos seja devolvido no futuro. Acho que Deus não se incomodaria se nós o chamássemos de Eterno Retorno: pois é só isso que pedimos dele, que as coisas da saudade retornem.
Ando pelas cavernas da minha memória. Há muitas coisas maravilhosas: cenários, lugares, alguns paradisíacos, outros estranhos e curiosos, viagens, eventos que marcaram o tempo da minha vida, encontros com pessoas notáveis. Mas essas memórias, a despeito do seu tamanho, não me fazem nada. Não sinto vontade de chorar. Não sinto vontade de voltar.
Aí eu consulto o meu bolso da saudade. Lá se encontram pedaços do meu corpo, alegrias. Observo atentamente, e nada encontro que tenha brilho no mundo da multiplicidade. São coisas pequenas, que nem foram notadas por outras pessoas: cenas, quadros: um filho menino empinando uma pipa na praia; noite de insônia e medo num quarto escuro, e do meio da escuridão a voz de um filho que diz: “Papai, eu gosto muito de você!“; filha brincando com uma cachorrinha que já morreu (chorei muito por causa dela, a Flora); menino andando à cavalo, antes do nascer do sol, em meio ao campo perfumado de capim gordura; um velho, fumando cachimbo, contemplando a chuva que cai sobre as plantas e dizendo: “Veja como estão agradecidas!“ Amigos. Memórias de poemas, de estórias, de músicas.
Diz Guimarães Rosa que “felicidade só em raros momentos de distração…“ Certo. Ela vem quando não se espera, em lugares que não se imagina. Dito por Jesus: “É como o vento: sopra onde quer, não sabes donde vem nem para onde vai…“ Sabedoria é a arte de provar e degustar a alegria, quando ela vem. Mas só dominam essa arte aqueles que têm a graça da simplicidade. Porque a alegria só mora nas coisas simples.


Rubem Alves

PENSAMENTO DO DIA


Aquele que protege sua mente da cobiça, e da ira, desfruta da verdadeira e duradoura paz.

(Shakyamuni Buddha

REENCONTRO


Compartilhamos momentos importantes de nossas vidas
E a todo instante tua figura me voltava à mente...
Andávamos pelas areias da praia,
Chorávamos no ombro um do outro...
Partilhávamos idéias, sonhos, mágoas...
Andávamos nos esbarrando pelos velhos corredores
Do antigo casarão por onde, hoje, perambulam fantasmas...
Também nós recolhíamos lembranças e utopias
Na Paulista, na Sé e na São João...
Com ardor e paixão,
Conclamávamos a juventude a pensar e criticar...
Incompreendidos e indesejados,então,
Procuramos pela vida outras veredas...
E, assim, nos perdemos,
Com a saudade sempre a agrilhoar nossos corações.
Mas, jamais nos despedimos,
Pois amigos sempre amigos o serão.
E fisgados por este sentimento profundo,
Talvez incompreensível por esse tolo mundo,
Nossas almas gritavam pelo encontro.
E, já na etapa final de nossas vidas,
Pudemos, enfim, nos reencontrar
E de novo partilhar os sonhos e utopias
Que continuam a perseguir-nos pelos dias...
Abraçados e felizes, enfim,
Outra vez, juntos no caminho que construimos...

Maria Luiza

ANTES DE TUDO, MULHER!



Mulher que conta o tempo a partir de então:
viro a ampulheta, deixo que os dias se escoem.
Eu os vivo, é certo, mais como uma obra em
desconstrução, dissolvendo-me, diluindo-me.

"Quem me vê assim cantando, não sabe nada de mim".

Algo assim, tão sem nexo,
a procura de um "eu"
que eu possa sê-lo.
Vou-me descosturando
com o passar dos anos,
sem deixar de coser os furos na manta
que mal cobre a minha nudez,
exposta tantas vezes
em carne viva em meus poemas.

Se eu fosse uma errante,
teria partido;
se eu fosse um trem,
estaria atrasada.

Como diz Dom Quixote:

"A mi solo faltó lo que a todos los desdichados sobra (...)
No hay memória a quiem el tiempo no acabe, nim dolor
que muerte no le consuma".

Sílvia Mendonça - Jornalista, escritora, do Peapaz

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

REFLEXÃO DO DIA


Todo bom relacionamento deve encerrar em si uma proposta de equilíbrio, a partir da qual a parceria proporciona o madurecimento a dois. Quando no desenvolvimento de uma relação cresce o elemento dominador, o ideal de amizade perverte-se(...).

José Fogaça

NINGUÉM PODE TIRAR DE VOCÊ...



A graça de se sentir querido.
A fé no amor, mesmo em tempos de guerra.
A força para transformar a si mesmo.
A esperança de realizar seus sonhos.
A liberdade de mudar de idéia.
A humildade de se saber imperfeito.
A vitória de ter resistido à uma tentação.
A coragem de ser simplesmente você.
A honestidade de assumir as suas limitações.
A disposição de tentar mais uma vez.
A vontade de enfrentar desafios.
A capacidade de pedir ajuda.
A sensação de dever bem cumprido.
A certeza de que a vida sempre vale à pena porque JESUS é a essência de tudo.

Desconheço autoria

ALGUMAS DE MINHAS OBRAS

MEU MAIS NOVO LIVRO

MEU MAIS NOVO LIVRO