BOAS VINDAS

Seja bem vindo! Espero que aqui encontre alento, beleza, amor e paz! E que possa espalhar isto para o mundo, que vive tão sedento de tudo isto.



Pesquisar este blog

Seguidores

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

BASTA-ME O TEU OLHAR...


Quando teu olhar me abraça
E ouço teus passos mudos
Minha voz treme calada
Viro apenas madrugada
Imersa feliz no teu mundo

E os sinos soam roucos
Ruídos brancos de um Arlequim
Vejo flores que gritam em lilás
Sabores ácidos de ananás
Explodindo sentidos em mim

Minha alma acorda do sonho
E escorre doce em meu peito
Pulsa feito menino solto
Voos rasantes de anjo louco
Azul, fresco, perfeito

Quando teu olhar me abraça...
Basta...

Ka Santos

(POETISA DO PEAPAZ, COLEGA E AMIGA)

terça-feira, 29 de novembro de 2011

REFLEXÃO



"O caminho que eu escolhi é o do Amor. Não importam as dores, as angústias, nem as decepções que eu vou ter que encarar. Escolhi ser verdadeira. No meu caminho, o abraço é apertado, o aperto de mão é sincero, por isso não estranhe a minha maneira de sorrir, de te desejar o bem. É só assim que eu enxergo a vida, e é só assim que eu acredito que valha a pena viver".


(Clarice Lispector)

DEEPAK CHOPRA - AS SETE LEIS ESPIRITUAIS PARA A PROSPERIDADE

PENSAMENTO DO DIA


Assim que você confiar em si mesmo, saberá como viver.

Goethe

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

ORAÇÃO POR ENTENDIMENTO


Mestre Amado, dá-nos o indispensável entendimento das lutas que enfrentamos...
Entendimento das dores oriundas justamente daqueles que mais amamos - que saibamos compreendê-los e perdoar-lhes!
Por mais profundamente nos tenham magoado, propicia-nos podermos abençoá-los.
Imuniza-nos, Senhor, contra o ressentimento, e que a ingratidão recebida não nos impeça de continuar a amá-los.
Se não lograrmos superar, de imediato, as mazelas de nosso mundo íntimo, que isto não nos seja motivo para nos chafurdarmos mais ainda no erro.
Todos somos enfermos da alma e és o nosso Divino Médico.
Cura-nos a nós e aos nossos irmãos, tão ou mais doentes que nós mesmos!


Livro: Preces e Orações – Médium: Carlos A. Baccelli - Espírito: Irmão José

P

MINHAS LÁGRIMAS



"Em caso de dor ponha gelo,
Mude o corte de cabelo,
Mude como modelo,
Vá ao cinema, dê um sorriso
Ainda que amarelo, esqueça seu cotovelo...
Se amargo foi ja terá sido.
Troque já esse vestido
Troque o padrão do tecido,
Saia do sério, deixe os critérios,
Siga todos os sentidos
Faça fazer sentido.
A CADA MIL LÁGRIMAS
SAI UM MILAGRE!
Caso de tristeza, vire a mesa,
Coma só a sobremesa, coma somente a cereja,
Jogue pra cima, faça cena
Cante as rimas de um poema!
Sofra penas, viva apenas
Sendo fissura ou loucura
Quem sabe casando cura...
Ninguém sabe o que procura...
Faça uma novena, reze um terço,
Caia fora do contexto
invente seu endereço,
A CADA MIL LÁGRIMAS SAI
UM MILAGRE!
Mas se apesar de banal
Chorar for inevitável,
Sinta o gosto do sal,
Sinta o gosto do sal
Gota a gota, uma a uma...
Duas, três, dez, cem, mil lágrimas sinta o milagre,

A CADA MIL LÁGRIMAS SAI UM MILAGRE ! "

Desconheço autoria

domingo, 27 de novembro de 2011

DE REPENTE SESSENTA OU 30X2



Ao completar sessenta anos, lembrei do filme “De repente 30”, em que a adolescente, em seu aniversário, ansiosa por chegar logo à idade adulta, formula um desejo e se vê repentinamente com trinta anos, sem saber o que aconteceu nesse intervalo.
Meu sentimento é semelhante ao dela: perplexidade.
Pergunto a mim mesma: onde foram parar todos esses anos?
Ainda sou aquela menina assustada que entrou pela primeira vez na escola, aquela filha desesperada pela perda precoce da mãe; ainda sou aquela professorinha ingênua que enfrentou sua primeira turma, aquela virgem sonhadora que entrou na igreja, vestida de branco, para um casamento que durou tão pouco!Ainda sou aquela mãe aflita com a primeira febre do filho que hoje tem mais de trinta anos.
Acho que é por isso que engordei, para caber tanta gente, é preciso espaço!
Passei batido pela tal crise dos trinta, pois estava ocupada demais lutando pela sobrevivência.
Os quarenta foram festejados com um baile, enquanto eu ansiava pela aposentadoria na carreira do magistério, que aconteceu quatro anos depois.
Os cinquenta me encontraram construindo uma nova vida, numa nova cidade, num novo posto de trabalho.
Agora, aos sessenta, me pergunto onde está a velhinha que eu esperava ser nesta idade e onde se escondeu a jovem que me olhava do espelho todas as manhãs.
Tive o privilégio de viver uma época de profundas e rápidas transformações em todas as áreas: de Elvis Presley e Sinatra a Michael Jackson, de Beatles e Rolling Stones a Madonna, de Chico e Caetano a Cazuza e Ana Carolina; dos anos de chumbo da ditadura militar às passeatas pelas diretas e empeachment do presidente a um novo país misto de decepções e esperanças; da invenção da pílula e liberação sexual ao bebê de proveta e o pesadelo da AIDS. Testemunhei a conquista dos cinco títulos mundiais do futebol brasileiro (e alguns vexames históricos).
Nasci no ano em que a televisão chegou ao Brasil, mas minha família só conseguiu comprar um aparelho usado dez anos depois e, por meio de suas transmissões,vi a chegada do homem à lua, a queda do muro de Berlim e algumas guerras modernas.
Passei por três reformas ortográficas e tive de aprender a nova linguagem do computador e da internet. Aprendi tanto que foi por meio desta que conheci, aos cinquenta e dois anos, meu companheiro, com quem tenho, desde então, compartilhado as aventuras do viver.
Não me sinto diferente do que era há alguns anos, continuo tendo sonhos, projetos, faço minhas caminhadas matinais com meu cachorro Kaká, pratico ioga, me alimento e durmo bem (apesar das constantes visitas noturnas ao banheiro), gosto de cinema, música, leio muito, viajo para os lugares que um dia sonhei conhecer.
Por dois anos não exerci qualquer atividade profissional, mas voltei a orientar trabalhos acadêmicos e a ministrar algumas disciplinas em turmas de pós-graduação, o que me fez rejuvenescer em contato com os alunos, que têm se beneficiado de minha experiência e com quem tenho aprendido muito mais que ensinado.
Só agora comecei a precisar de óculos para perto (para longe eu uso há muitos anos) e não tinjo os cabelos, pois os brancos são tão poucos que nem se percebe (privilégio que herdei de meu pai, que só começou a ficar grisalho após os setenta anos).
Há marcas do tempo, claro, e não somente rugas e os quilos a mais, mas também cicatrizes, testemunhas de algumas aprendizagens: a do apêndice me traz recordações do aniversário de nove anos passado no hospital; a da cesárea marca minha iniciação como mãe e a mais recente, do câncer de mama (felizmente curado), me lembra diariamente que a vida nos traz surpresas nem sempre agradáveis e que não tenho tempo a perder.
A capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo diminuiu, lembro de coisas que aconteceram há mais de cinquenta anos e esqueço as panelas no fogo.
Aliás, a memória (ou sua falta) merece um capítulo à parte: constantemente procuro determinada palavra ou quero lembrar o nome de alguém e começa a brincadeira de esconde-esconde. Tento fórmulas mnemônicas, recito o alfabeto mentalmente e nada! De repente, quando a conversa já mudou de rumo ou o interlocutor já se foi, eis que surge o nome ou palavra, como que zombando de mim...
Mas, do que é que eu estava falando mesmo?
Ah, sim, dos meus sessenta.
Claro que existem vantagens: pagar meia-entrada (idosos, crianças e estudantes têm essa prerrogativa, talvez porque não são considerados pessoas inteiras), atendimento prioritário em filas exclusivas, sentar sem culpa nos bancos reservados do metrô e a TPM passou a significar “Tranquilidade Pós-Menopausa”.
Certamente o saldo é positivo, com muitas dúvidas e apenas uma certeza: tenho mais passado que futuro e vivo o presente intensamente, em minha nova condição de mulher muito sex.agenária!

Regina (desconheço o sobrenome)








SÃO OS OLHOS


"Agora, ao final de nossas andanças, nossos olhos são outros,
olhos de velhice, de saudade.
Toda saudade é uma espécie de velhice.
É por isso que os olhos dos velhos vão se enchendo de ausências.
'Memória fraca', dizem os jovens.
Engano: é que a sua alma sabe o que merece ser lembrado.
Esquecem-se do que aconteceu ontem, mas se lembram do que aconteceu há muito tempo, como se fosse hoje."


Rubem Alves

A PALAVRA


Já não quero dicionários
consultados em vão.
Quero só a palavra
que nunca estará neles
nem se pode inventar.

Que resumiria o mundo
e o substituiria.
Mais sol do que o sol,
dentro da qual vivêssemos
todos em comunhão,
mudos,
saboreando-a.

Carlos Drummond de Andrade

sábado, 26 de novembro de 2011

QUANDO A GENTE SE ACEITA , O MUNDO NOS ACEITA



Caminhando pela estrada da vida e observando... Ser como você é, expressar o que sente e sentir a vida reagir a tudo isso, é sim, uma das melhores sensações que podemos ter. Isso significa liberdade, significa eliminar os padrões e máscaras que carregamos para que os outros nos aceitem. A regra é uma só e intocável: quando você se aceita, o mundo o aceita.

Não é o seu destino, nem uma ordem cósmica injusta que determina que você deve sofrer e, sim, a forma como você se coloca perante as situações e pessoas. Por trás de tudo isto, estão o seu equilíbrio pessoal e o seu poder pessoal. Ter poder pessoal significa ser um ser único que reconhece seu valor e suas potencialidades e acima de tudo representa a certeza de alma que o amanhã será sempre melhor do que é o hoje.

No exato momento em que tomamos consciência que somos seres plenos e repletos de luz, percebemos que as situações que um dia fizeram parte de nossas vidas, ou ainda fazem, foram atraídas pelo padrão vibracional que estávamos naquele instante.

A responsabilidade pela escolha da dor ou do amor está em nós mesmos. Decrete para você que este não é o padrão de vida que deseja, procure o equilíbrio pessoal e modifique seu dia a dia.
As emoções são forças criadoras poderosas, são elas que nos movem rumo ao que desejamos, mesmo que de forma inconsciente.

No momento em que você se descobre e percebe o importante papel que tem neste mundo, você se encontra. Neste exato momento você passa, então, a não ser mais escolhido pelos fatos da vida e, sim, a escolher o que é melhor para si. Passa, então, a realizar o seu projeto de vida!

Sua vida não depende do que as outras pensam a seu respeito, ela depende unicamente de você. Você não precisa ser especial ou melhor que os outros, precisa ser um ser em união com o todo.(...).
O relacionamento com os outros representa um dos maiores desafios, porque é só na relação com os outros que os problemas não resolvidos, que ainda estão no subconsciente individual, são tocados e ativados. Muitas pessoas por não se aceitarem e acreditarem que o problema está sempre com os outros, afastam-se da interação com os outros, e com isso conseguem manter sempre a ilusão de que os problemas são sempre causados pelo outros.
Quanto menor for o contato com os outros, mais o sentimento de frustração e solidão se desenvolve em você.
Cuide de seu equilíbrio pessoal e se aceite pelo ser maravilhoso que é e pela enorme diferença que pode fazer na vida das pessoas.(...)

Maria Isabel Carapinha
do site STUM






UM RETALHO DE VIDA COM SABOR DE ETERNIDADE



Na estrada sem fim das lembranças,
O espectro da minha juventude fluía,
Vazando pelo espelho cristalino das recordações,
Que ora percorria.

A imagem de um jovem se esboça,
Intensificando a fantasia,
Que extasiado manipulei,
Pleno de terna alegria.

Tez morena, bronzeada,
Como na época se exigia,
Nada de beleza helênica,
Mais com um curumim
Se parecia.

Cabelos negros,
Abundantes e lisos
Pela cabeça, até os ombros, escorriam,
Contrastando com alvos dentes,
Que sempre apareciam,
Quando um belo sorriso maroto,
Generosamente oferecia.

Exalando felicidade,
O dissipar da terna visão vislumbrei,
Só sei que era um retalho de vida,
Só sei que era vida saboreada,
Vida que jamais será esquecida!

Montes Claros 26 de novembro de 2011
Romildo Ernesto de Leitão Mendes
Postado por RECORDAÇÕES CÉNICAS

HÁ CERTAS HORAS...


"Há certas horas, em que não precisamos de um Amor...
Não precisamos da paixão desmedida...
Não queremos beijo na boca...
E nem corpos a se encontrar na maciez de uma cama...

Há certas horas, que só queremos a mão no ombro, o abraço apertado ou mesmo o estar ali, quietinho, ao lado...
Sem nada dizer...

Há certas horas, quando sentimos que estamos pra chorar, que desejamos uma presença amiga, a nos ouvir paciente, a brincar com a gente, a nos fazer sorrir...

Alguém que ria de nossas piadas sem graça...
Que ache nossas tristezas as maiores do mundo...
Que nos teça elogios sem fim...
E que apesar de todas essas mentiras úteis, nos seja de uma sinceridade
inquestionável...

Que nos mande calar a boca ou nos evite um gesto impensado...
Alguém que nos possa dizer:

Acho que você está errado, mas estou do seu lado...
Ou alguém que apenas diga:
Sou seu amor! E estou Aqui!"

William shakespeare

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

CUIDAR DO LUTO E DAS PERDAS


Pertencem, inexoravelmente, à condição humana, as perdas e o luto. Todos somos submetidos à férrea lei da entropia: tudo vai lentamente se desgastando; o corpo enfraquece, os anos deixam marcas, as doenças vão nos tirando irrefreavelmente nosso capital vital. Essa é a lei da vida que inclui a morte.
Mas há também rupturas que quebram esse fluir natural. São as perdas que significam eventos traumáticos como a traição do amigo, a perda do emprego, a perda da pessoa amada pelo divórcio ou pela morte repentina. Surge a tragédia, também parte da vida.
Representa grande desafio pessoal trabalhar as perdas e alimentar a resiliência, vale dizer, o aprendizado com os choques existenciais e com as crises. Especialmente dolorosa é a vivência do luto, pois mostra todo o peso do Negativo. O luto, possui uma exigência intrínseca: ele cobra ser sofrido, atravessado e, por fim, superado positivamente.
Há muitos estudos especializados sobre o luto. Segundo o famoso casal alemão Kübler-Ross há vários passos de sua vivência e superação.
O primeiro é a recusa: face ao fato paralisante, a pessoa, naturalmente, exclama:”não pode ser”; “ é mentira”. Irrompe o choro desconsolado que palavra nenhuma pode sustar.
O segundo passo é a raiva que se expressa: “por que exatamente comigo? Não é justo o que ocorreu”. É o momento em que a pessoa percebe os limites incontroláveis da vida e reluta em reconhecê-los. Não raro, ela se culpa pela perda, por não ter feito o que devia ou deixado de fazer.
O terceiro passo se caracteriza pela depressão e pelo vazio existencial. Fechamo-nos em nosso próprio casulo e nos apiedamos de nós mesmos. Resistimos a nos refazer. Aqui todo abraço caloroso e toda palavra de consolação, mesmo soando convencional, ganha um sentido insuspeitado. É o anseio da alma de ouvir que há sentido e que as estrelas-guias apenas se obscureceram e não desapareceram.
O quarto é o autofortalecimento mediante uma espécie de negociação com a dor da perda: “não posso sucumbir nem afundar totalmente; preciso agüentar esta dilaceração, garantir meu trabalho e cuidar de minha família”. Um ponto de luz se anuncia no meio da noite escura.
O quinto se apresenta como uma aceitação resignada e serena do fato incontornável. Acabamos por incorporar na trajetória de nossa existência essa ferida que deixa cicatrizes. Ninguém sai do luto como entrou. A pessoa amadurece forçosamente e se dá conta de que toda perda não precisa ser total; ela traz sempre algum ganho existencial.
O luto significa uma travessia dolorosa. Por isso precisa ser cuidado. Permito-me um exemplo autobiográfico que aclara melhor a necessidade de cuidar do luto. Em 1981 perdi uma irmã com a qual tinha especial afinidade. Era a última das irmãs de 11 irmãos. Como professora, por volta das 10 horas, diante dos alunos, deu um imenso brado e caiu morta. Misteriosamente, aos 33 anos, rompera-se-lhe a aorta.
Todos da família vindos de várias partes do país, ficamos desorientados pelo choque fatal. Choramos copiosas lágrimas. Passamos dois dias vendo fotos e recordando, pesarosos, fatos engraçados da vida da irmãzinha querida. Eles puderam cuidar do luto e da perda. Eu tive que partir logo após para o Chile, onde tinha palestras para frades de todo o Cone Sul. Fui com o coração partido. Cada palestra era um exercício de auto-superação. Do Chile emendei para a Itália onde tinha palestras de renovação da vida religiosa para toda uma congregação.
A perda da irmã querida me atormentava como um absurdo insuportável. Comecei a desmaiar duas a três vezes ao dia sem uma razão física manifesta. Tive que ser levado ao médico. Contei-lhe o drama que estava passando. Ele logo intuiu e disse: “você não enterrou ainda sua irmã nem guardou o luto necessário; enquanto não a sepultar e cuidar de seu luto, você não melhorará; algo de você morreu com ela e precisa ser ressuscitado”. Cancelei todos os demais programas. No silêncio e na oração cuidei do luto. Na volta, num restaurante, enquanto lembrávamos a irmã querida meu irmão também teólogo, Clodovis, e eu escrevemos num guardanapo de papel o que colocamos no santinho de sua memória:
“Foram trinta e três anos, como os anos da idade de Jesus/Anos de muito trabalho e sofrimento/Mas também de muito fruto/Ela carregava a dor dos outros/Em seu próprio coração, como resgate/Era límpida como a fonte da montanha/Amável e terna como a flor do campo/Teceu, ponto por ponto, e no silêncio/Um brocado precioso/Deixou dois pequenos, robustos e belos/E um marido, cheio de orgulho dela/Feliz você, Cláudia, pois o Senhor voltando/Te encontrou de pé, no trabalho/Lâmpada acesa/Foi então que caiste em seu regaço/Para o abraço infinito da Paz”.
Entre seus papéis encontramos a frase:”Há sempre um sentido de Deus em todos os eventos humanos: importa descobri-lo”. Até hoje estamos procurando esse sentido que somente na fé o suspeitamos.

Leonardo Boff
Fonte: http://leonardoboff.wordpress.com/2011/09/26/cuidar-do-luto-e-das-perdas/

APENAS MULHER...


Sou peregrina,
sem eira nem beira,
pura emoção
e não me cobrem razão!
Sou música e fogo,
chuva e tempestade,
vento que a tudo carrega...

Sou abandono e prisão,
liberdade e escuridão.
Sou o amor retido,
as insônias,
a fome e o grito.
Pesco sonhos
mas curvas do caminho,
vivendo à margem da vida...

Os risos me faltam,
o frio me queima,
os beijos me lambem.
Sou pranto que cai
enquanto a vida se esvai...

Sou dor e alegria,
sonho e ilusão.
Vivo a contar as horas
de espera e solidão.

Tenho pés feridos,
Lábios cerrados,
ouvidos moucos,
mãos inertes,
coração cansado...

Sou deus e sou nada,
Sou terra,semente,
grande e pequena,
paradoxal, incoerente...

Maria Luiza

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

AOS FILHOS DA LUZ



Meus queridos,

Anos atrás deixei um artigo publicado no Stum sobre um alerta direcionado aos Filhos da Luz. O texto da mensagem foi novamente postado no meu blog Stum, porque muitos não tiveram acesso a ele. A segunda chamada foi publicada agora no artigo “O soar das trombetas”, e é sobre isto que gostaria de “falar” com vocês, queridos guerreiros da Luz!
A história de cada um é longa... muito longa... dolorosa... dramática! E entre quedas e tropeços, vocês estiveram cumprindo suas missões de vida nesta imensa jornada aqui na Terra. Se hoje chegaram até aqui, significa que foram sempre vitoriosos, mesmo nas noites escuras em que não puderam ver a própria luz. Sobreviveram porque confiaram na fé que existia em cada um. Este é o estandarte de vocês!
A persistência de vocês... e eu diria a “teimosia” de desejarem continuar... prosseguir... foram louváveis, pois conseguiram atrair a Luz para essa densidade... nesta dimensão terrena... o plano físico da Terra. A caminhada de cada um foi marcada por perdas, tragédias, dores e sofrimentos intensos ao longo das vidas que encarnaram na terceira dimensão. O propósito de vocês era exatamente isto... trazer a Luz!
Desde o início, há milhões e milhões de anos vocês vem carregando esta “cruz”.
E, neste período “perdemos” muitos dos nossos irmãos... companheiros... que sucumbiram nas intermináveis batalhas contra a “escuridão” e contra as forças que se levantaram contra a presença de vocês neste planeta. Porque sabiam do propósito que cada um de vocês trazia no seu próprio interior. O que vocês, queridos guerreiros, não se lembram mais... é a guerra atual que estão travando!
O cansaço é natural, pois estão vivenciando suas experiências, em corpos muitos limitados e fragilizados onde tentam se expressar... e se manifestar. Os desgastes são consequências dos grandes esforços que fizeram até aqui. Há muitos danos em seus corpos, cujas feridas precisam ser tratadas e curadas imediatamente. É para isso que cada um de vocês vem recebendo o amparo necessário, nestes últimos tempos.
Antes de continuar... gostaria que cada um de vocês... agora... parassem um pouco... aquietassem seus corações... e refletissem sobre si mesmo... cada um... contemplem a si como se estivessem diante de um espelho... revejam suas vidas... e calmamente pronunciem as palavras que vêm lá do fundo do coração... da alma!
Enquanto isso...
Vou falar um pouco do outro grupo que vem fazendo um esforço tremendo, mas que também pertencem à grande família da Luz... e que nas últimas décadas vem realizando um trabalho de resgate e cura em cada um dos guerreiros da Luz. E, que também vieram com um propósito bem definido... ancorar a Luz!
Este grupo são vocês: Águias do Comando!
Vocês foram convocados num dos momentos mais dramáticos, quando os seus irmãos que os precederam, começaram a se perder na confusão das batalhas que havia aqui “embaixo”. Até o momento da grande invasão que ocorreu neste planeta, as coisas ainda estavam sob controle. Mas após a tomada deste orbe por forças renegadas, vindos de outros planetas físicos como a Terra, a situação se complicou e os nossos guerreiros da Luz entraram em conflitos consigo mesmo.
É a partir deste ponto que começa a história de vocês... as Águias do Comando!
Vocês fazem parte da Grande Operação de Resgate que foi arquitetado pelo nosso Criador. E, cada um de vocês pertence àqueles grupos de voluntários que atenderam ao chamado Dele. Vieram de todas as partes deste imenso Universo, das diversas dimensões... de uma infinidade de planetas. As aptidões de vocês são de uma grandeza universal... e usam essas qualidades e conhecimento à serviço do Todo... no trabalho da Luz!
As primeiras missões de vocês foram nos dois mundos inferiores, o astral e o mental, antes de desembarcarem em massa no plano físico. Muitas vezes, vocês agiram como verdadeiras Águias, fazendo mergulhos muitas vezes “suicidas” – iguais aos kamikazes -, apenas para dar apoio aos Guerreiros da Luz, quando as batalhas já estavam perdidas. E nestas investidas acabaram “prisioneiras” das forças que dominavam estes mundos inferiores.
Após o fim da segunda grande guerra mundial, os grupos de “desembarque” das Águias do Comando se intensificaram ao longo das décadas, trazendo sempre mais reforços ano após ano, fortalecendo e substituindo as baixas que ocorriam numa velocidade impressionante. Muitos de vocês, as Águias se tornaram verdadeiros guerreiros, ocupando as posições deixadas por seus irmãos da Luz, que se perderam e se afastaram das missões que lhes cabiam cumprir.
Os dilemas dos Guerreiros da Luz já foram mencionados em diversos artigos que publiquei no site anos atrás. E, para complementar este artigo que estou postando hoje, peço a cada um de vocês, tantos os Guerreiros da Luz quanto às Águias do Comando, que leiam dois dos artigos que estão publicados no meu blog Stum, sob os títulos de: “Guerreiros da Luz” e, “O vôo das Águias”. Deixarei os links no final deste artigo para poderem acessá-los com mais facilidades. Lembre-se que eles fazem parte do contexto desta mensagem.
E a mensagem que é enviada a cada um de vocês, que são os Trabalhadores da Luz, é que recebam as Forças das energias que lhes são enviadas com Amor, tenham a Coragem de assumir a identidade de quem são vocês e, que mantenham a Fé que os inspiraram para esta missão.
Uns trouxeram a Luz e outros vieram para ancorar esta mesma Luz.
Façam a parte que cada um se comprometeu a cumprir. Não há mais tempo para esperar que saiam da letargia e da dormência, porque a Grande Batalha já começou e está acontecendo neste plano físico... agora!
A armadura que vocês vão “vestir” é a União entre todos os grupos de Trabalhadores da Luz. Esta será a Força que utilizarão neste último embate.
O escudo que usarão durante os conflitos chama-se Discernimento. É este o método de defesa que os protegerão dos ataques que virão sem misericórdia, e contra o véu ilusório que será jogado sobre vocês. Precisarão apenas da Coragem para superar os conflitos que surgirão.
A espada de Luz abrirá os caminhos na escuridão. É com esse instrumento que irão trabalhar para trazer conhecimento, através da Verdade. E com esta espada, vocês irão libertar os nossos irmãos da escravidão da ignorância. Façam tudo com Fé. A vitória final já está consumada.
E, no alvorecer da nova Era entoaremos A Grande Invocação!

Paz!
Shiwa do site STUM

Observação de minha parte: por tudo isso temos que acabar com a "briga" e barreiras das religiões e unirmo-nos para o estabelecimento do Amor, da Paz e da Justiça.

Maria Luiza

REFLEXÃO


A palavra caminhar
diz da saga de viver
de trilhar veredas tortas
do aventurar e do renascer.

Miguel Araújo

MINHA PRECE DE HOJE


Cristo, vós sois a minha luz, o meu caminho, minha verdade, minha vida, meu mestre, meu senhor, meu amigo.
Nunca estou só! Mesmo decepcionada com os homens, ferida e magoada, sou feliz porque tenho o Senhor ao meu lado. Enxugais as minhas lágrimas, acariciais a fronte, alentai-me e confortai-me. Sois o meu vigor intelectual, a minha vitalidade moral, a minha compreensão mais profunda.
Levais meu coração à meditação, e, como diz o salmo: "Eu me torno como a árvore plantada à beira das águas que, em tempo próprio, dá o seu fruto, e cujas folhas não murcham".
Com a alma repleta de vosso amor, os amigos me dizem que de mim emana a paz e, mesmo de longe, repousam à minha sombra. Mas não sou eu: sois vós que viveis em mim.
Eu vos suplico, Jesus, que todos os homens possam encontrar-vos, possam ver a luz do caminho, possam ter a paz nos corações!Quero compartilhar com todos os irmãos este amor, esta fé, esta esperança! Fazei-me capaz, e que minha palavra ou o meu silêncio possam incendiar os corações dos homens, testemunhando o vosso amor por nós!
Amém!

Maria Luiza

terça-feira, 22 de novembro de 2011

PENSAMENTO DO DIA


Embora pensem os outros de ti o que quiserem, procede conforme te parecer justo. Conserva-te indiferente aos elogios e aos insultos. Não cometa nenhum ato vergonhoso nem na presença dos outros e nem em segredo. A tua primeira lei deve ser o respeito a ti mesmo.

Pitágoras

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

CONSCIÊNCIA DA CENTELHA DIVINA



"Tudo pode abandonar-nos, podemos perder tudo, exceto nós mesmos.Então, por que não havemos de procurar em nós, pois é a única posse, a única certeza que temos verdadeiramente? Quer nos encontremos na terra ou no outro mundo, nunca nos separaremos de nós. Para permanecermos senhores da situação em todas as circunstâncias, todos dispomos de algo que nada nem ninguém pode tirar-nos. E o que nada nem ninguém pode tirar-nos somos nós. Na vida, na morte, estaremos eternamente conosco. Sim, é o que há de mais seguro, tudo o resto não é seguro e pode escapar-nos. E este "nós" que nada pode tirar-nos é a consciência da centelha divina que nós somos, portanto, a capacidade que recebemos do Criador e ocasiões que nos são dadas todos os dias para pormos essas capacidades em ação."

Omraam Mikhaël Aïvanhov

O POEMA QUE NÃO FIZ...



Não consegui fazer o poema que queria...
Era preciso debruçar sobre a vida
E as palavras,
As janelas, desvãos
E máscaras de outras almas...
Viver dias de completa alegria
E momentos de plena agonia.
Estar no agora, viva,
Cheia de sonhos e utopias...
Mergulhando em abismos,
Explorando terras e gentes
E sentindo o ardor e a solidão dos desertos...
Tenho estações como a Natureza
E o meu poema não podia sair
No inverno de minha alma,
Pois tudo parece morrer no inverno...
Mas, a primavera sempre há de voltar
E o que parecia morto haverá de renascer.
Assim como renascem as plantas...
Caminhando sozinha
Pelos caminhos da existência,
Encontrei flores e frutos,
Crianças que sorriem,
Outras que já entram em processo de suicídio...
Amigos fiéis, além de pais,
Que foram porto seguro.
Bênçãos de Deus, presentes dos céus...
Minha vida é e foi tão simples,
Amor, dor, lágrimas, risos
Como a vida de toda gente...
Trabalho e descanso,
Oro e contemplo,
Medito e reflito,
Leio e filosofo...
Escrevo para que a memória não se perca,
Mas há um poema que não fiz...
Não sei se por incapacidade
Ou porque ele deve viver apenas dentro de mim...

Maria Luiza

domingo, 20 de novembro de 2011

SOLIDÃO



Caríssimos, viveis em uma época difícil, a falta de afetividade, de respeito, de solidariedade entre as criaturas, tem feito do homem um joguete mortal dos próprios erros.
Pressionado pela atmosfera nociva que criou ao seu derredor, a solidão tem buscado-lhe a sensibilidade do coração. Desnorteado, acabou sentenciando a prisão de si mesmo. Já não é capaz de sentir confiança. Teme o contato sentimental com os outros. Perde-se, em fim, no labirinto escuro que suas manifestações mentais inferiores criaram.
O materialismo, a sensualidade desequilibrada, o egoísmo transvestido de virtudes, a hipocrisia mascarada de caridade, o amor confundido com prazer, ou seja, a inversão alienante dos valores sociais e espirituais, trouxe a esta geração, uma luta feroz. Uma luta travada na intimidade do espírito. Luta silenciosa, porém, tão fulminante e trágica quanto uma guerra onde mãos empunham armas no objetivo sombrio de exterminar o semelhante.
Não é de admirar-se que em diversas oportunidades, te sintas alheio ao mundo, tal qual folha morta destacada da árvore da vida. Quando te entregas a todos os sentidos que entorpecem a razão, outra sensação não podes ter senão a de abandono por parte das forças divinas.
Entretanto, não se condena a árvore frutífera inteira ao fogo, apenas porque um de seus galhos apresenta deformidades. Não, não. Existem outros ramos em potencial de produzir. E, aquele que se encontra em desiquilíbrio, apenas requer maiores cuidados, jamais o desprezo absoluto.
Portanto, é natural que te sintas sozinho, quando preferis-te entregar-se a impulsividade de tuas paixões, pois, todo aquele que assim age, afasta-se de Deus. Compreenda; tu te afastas de Deus, mas, Deus jamais afasta-se de ti. Tu mesmo te projetaste nas sombras. Agora, é preciso coragem pra abrir novamente os olhos, já que a escuridão em que te encontras, é apenas a ilusão provocada pela tua teimosia em fechar os olhos para a luz que brilha eterna e intensamente para todos os filhos do Criador.

Espírito : Amália Domingos Soller

Mensagem psicografada em 06.03.2001 na S.E.E.Allan Kardec

SE DEUS TIVESSE FALADO...


“Pára de ficar rezando e batendo o peito! O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.
Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa.
Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti
Pára de me culpar da tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau.
O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.
Pára de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho... Não me encontrarás em nenhum livro!
Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?
Pára de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor.
Pára de me pedir perdão. Não há nada a perdoar. Se Eu te fiz... Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti? Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez? Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que tipo de Deus pode fazer isso?
Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti. Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia.
Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.
Eu te fiz absolutamente livre. Não há prêmios nem castigos. Não há pecados nem virtudes. Ninguém leva um placar. Ninguém leva um registro.
Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.
Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. Vive como se não o houvesse. Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir.
Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei.
E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não. Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste... Do que mais gostaste? O que aprendeste?
Pára de crer em mim - crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que acredites em mim.
Quero que me sintas em ti.
Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.
Pára de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja?
Me aborrece que me louvem. Me cansa que agradeçam. Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo. Te sentes olhado, surpreendido?... Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.
Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas. Para que precisas de mais milagres? Para que tantas explicações?
Não me procures fora! Não me acharás.
Procura-me dentro... aí é que estou, batendo em ti.”

Baruch Spinoza.

PENSAMENTO DO DIA


A sabedoria não é filha da lógica, mas da simplicidade; do saber olhar a vida com quietude e atenção; debruçar-se sobre as perguntas, as dúvidas e as palavras, com eterna humildade.

Maria Luiza

À FRANCESA


era você saindo e não percebi
não ouvi o bater da porta
na lama do quintal de ontem
nem pegadas ficaram pela manhã
mais sutil que a sua chegada
foi a sua saída
moça, não sabia que é francesa
não sei se foi bom ou ruim
o bilhete que você não deixou
caído pelo chão
por sorte não tenho portas ao fundo
por sorte não tenho muros também
apenas mãos abertas
e um jardim que não tem fim.

Jurandir Barbosa
deo blog http://jurandirbarbosa.blogspot.com

sábado, 19 de novembro de 2011

NA HORA DA FADIGA



Quando o cansaço te procure no serviço do bem,reflete naqueles irmãos que suspiram pelo mínimo das facilidades que te enriquecem as mãos.Pondera não apenas as dificuldades dos que,ainda em plenitude das forças físicas,se viram acometidos por lesões cerebrais, mas também no infortúnio dos que se acham em processos obsessivos, vinculados às trevas da deliquencia.Observa não somente a tortura dos paralíticos, reclusos em leito de provação,mas igualmente a dor dos que não souberam entender a função educativa das lutas terrestres e caminham, estrada afora de coração enrijecido na indiferença.Considera não apenas o suplício dos que nascem em dolorosa condição de idiotia, reclamando o concurso alheio nas menores operações da vida orgânica,mas também naqueles que, no fastígio do conforto material, resvalam em ateismo e vaidade, fugindo deliberadamente às realidades do espirito.
Medita não somente na aflição dos que foram acidentados em desastres terríveis,mas igualmente na angústia dos que foram atropelados pela calúnia,tombando moralmente em revolta e criminalidade, por não saberem assimilar o benefício do sofrimento. Quando a fadiga te espreite na esfera da ação, pensa naqueles companheiros, ilhados em padecimentos do corpo e da alma,a esperarem pelo auxílio, ainda que ligeiro,de teu pensamento, de tua palavra,de tua providencia, de tuas mãos... Se o desânimo te ameaça examina se o abatimento não será unicamente anseio de repousar, antes do tempo,e se te reconheces conscientemente disposto de energias para ser útil,não te confies a inércia ou à lamentação.Por pior que estejas, pense naqueles que dariam tudo, para estar em teu lugar.

(Emmanuel, psicografado por Chico Xavier)

AMIZADE INESQUECÍVEL



Ainda lembro
Daquelas inesquecíveis palavras,
Que murmuraram ao meu coração
E fizeram a impossibilidade do esquecimento...
Palavras que não se calaram...
Anos se passaram
Estações presenciei,
Lágrimas derramei
Dores eu senti,
Mas daquelas palavras
Não me esqueci.
Palavras que denunciavam
Que a nossa amizade era verdadeira,
De que não seria o tempo
O destruidor desse nosso laço.
Os anos passaram
As lembranças ficaram.
Saudade das vezes que o mundo era nosso,
E que o destino estava em nossas mãos...
Saudade das risadas
Que surpreendiam a todos ao nosso redor.
Hoje apenas saudade posso ter...
Mas quem sabe no amanhã
Voltamos a ser um só mundo,
Onde nada destruirá nossa verdadeira amizade
Nem mesmo a Morte...

Autor desconhecido

AMIGOS


Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.

Oscar Wilde

ANIVERSÁRIO DE MORTE DE GUIMARÃES ROSA


Hoje lembramo-nos da morte do grande escritor brasileiro, Guimarães Rosa. Ele nasceu em Cordisburgo, Minas Gerais, formou-se em Medicina e, apesar de um médico dedicado, era um grande literato. Fez concurso para o Itamarati e passou em primeiro lugar. Foi embaixador em vários países, sem jamais abandonar a Literatura.
Foi eleito membro da ABL em 1963, mas só tomou posse em 16 de novembro de 1967, quando declarou:
"A gente morre é para provar que viveu... As pessoas não morrem. Ficam encantadas ".

Morreu três dias depois.

Maria Luiza

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

AMOR E CARMA


Muitas criaturas se ligam a outras por impositivos da Lei de Causa e Efeito, que geralmente faz com que o credor se uma ao devedor de si mesmo. Nas dificuldades de relacionamento, costuma-se evocar esse princípio como justificativa para as desavenças domésticas, porém, deve-se estar atento para as imperfeições próprias de cada um e que não estão relacionadas com o modo de ser do outro.
O casamento é portal de crescimento, qualquer que seja o passado dos cônjuges. Ligar-se a alguém é sempre opção de cada um, sem que signifique necessariamente anterior ligação cármica.
Quando o amor está presente numa relação, ele é capaz de suplantar qualquer carma passado, desde que o indivíduo não projete no outro suas próprias imperfeições.
O amor transcende a matéria da carne renascendo a cada nova etapa da Vida do espírito. Os vínculos afetivos entre as criaturas se fortalecem a cada encarnação, objetivando o amor puro e sincero.
Os vínculos que firmamos numa encarnação não quebram aqueles que fizemos nas vidas anteriores. O verdadeiro amor não se acaba nem diminui com a convivência do ser amado com outrem. Casar com alguém não significa prender-se àquela pessoa nas encarnações futuras. Os vínculos se fortalecem pelo amor, porém, podemos estar ligados a alguém se o agredimos numa existência e ele não se equilibrou, necessitando novamente de nossa presença em sua vida para o aprendizado mútuo.
Entregar-se ao comando do amor é libertar-se dos atavismos que nos prendem ao sofrimento. Quem se deixa viver pelo amor alcança a plenitude libertando-se de carmas passados, entendendo o sofrimento como processo educativo salutar.
Transformar seu carma negativo em positivo é colocar a energia do amor a serviço do Bem Maior. Só o amor pode mobilizar e alterar o destino no sentido do crescimento espiritual.
O amor nunca se acaba. Por mais inconseqüentes sejam as atitudes do outro, o amor verdadeiro permanece, desculpando e amparando o ser amado que momentaneamente desequilibrou-se.
Quando o amor já vem ferido de outras vidas, costuma reaparecer nas uniões provacionais. Se você se encontra nessa situação, verifique o que ainda não aprendeu com a nova união. É importante fazê-lo antes que seja tarde, para sua felicidade.
As uniões ditas cármicas podem se tornar uniões felizes desde que um dos cônjuges se disponha ao amor e a tornar o outro feliz. Repense sua união a fim de não ter que retornar nas
mesmas circunstâncias.
Se você não mais deseja reencarnar na companhia de determinada pessoa, não a agrida. Termine a relação sem gerar carma negativo. Aprenda a conviver, como amigos.
Perceba que o amor de Deus coloca a serviço do ser humano Sua misericórdia, para diminuir os efeitos das atitudes negativas do passado, permitindo-lhe sua recuperação.
Não espere tempo algum para ajudar alguém com seu amor, sob pretexto da necessidade de que haja sofrimento para o progresso espiritual dele. Se possível, diminua aquele sofrimento.
Aprende você e aprende o outro.
Ninguém é dono da vida de ninguém. A desencarnação promove a alforria necessária para muitos indivíduos que se sentem presos na vida a alguém. Liberte-se libertando o outro da
Posse excessiva.
Não se obrigue a vincular-se a alguém por pena ou piedade.
Verifique suas necessidades evolutivas e o bem que você poderá fazer ao outro lhe permitindo sentir-se em igualdade de condições com seus semelhantes. Se a vida o colocou ao lado de alguém que necessita de cuidados, faça-o com consciência de seu papel e de sua responsabilidade.
O carma do filho deficiente coloca frente a frente antigos amores e, às vezes, antigos desafetos. A mãe que se dedica ao filho deficiente é duas vezes mãe, pois coloca acima de tudo o amor pelo seu filho que é diferente dos outros.
Não guarde mágoa em seu coração. Não o manche com a tinta negra do ódio. O verdadeiro amor não se magoa, pois compreende a atitude do outro, própria de seu nível de evolução.

Jesus reencarnou sem carma para nos ensinar, através de sua mensagem, como aprender com nossos equívocos do passado.


Fonte: capítulo 10 do Livro "Amor Sempre" de Adenáuer Novaes
Todos os artigos publicados são com autorização do autor



Adenáuer Novaes (Salvador–BA)
é conferencista, diretor da instituição filantrópica Fundação Lar Harmonia, do Centro Espírita Harmonia e do Centro Espírita Casa de Redenção Joanna de Ângelis, em Salvador.

UMA CERTA MULHER...




Uma simples mulher existe que,
pela imensidão de seu amor,
tem um pouco de Deus;
pela constância de sua dedicação,
tem muito de anjo; que, sendo moça,
pensa como uma anciã, sendo velha,
age com todas as forças da juventude;
Quando ignorante, melhor que qualquer sábio
desvenda os segredos da vida; e, quando sábia,
assume a simplicidade das crianças; pobre,
sabe enriquecer-se com a felicidade dos que ama;
rica, empobrece-se para que seu coração
não sangre ferido pelos ingratos;

Forte, estremece ao choro de uma criancinha;
fraca, entretanto se alteia com a bravura dos leões;
viva, não lhe sabemos dar valor,
porque à sua sombra todas as dores se apagam;
morta, tudo o que somos e tudo o que temos
daríamos para vê-la de novo,
e dela receber um aperto de seus braços,
uma palavra de seus lábios.

Não exijam de mim que diga o nome dessa mulher,
se não quiserem que ensope de lágrimas esse álbum
porque eu a vi passar em meu caminho.

Quando crescerem vossos filhos,
leiam para eles esta página;
eles vos cobrirão de beijos a fronte
e vos dirão que um pobre viandante,
em troca de suntuosa hospedagem recebida
aqui deixou para todos o retrato de sua própria MÃE...

Dom Ramon Angel Jara
Bispo de La Serena - Chile
Tradução de Guilherme Almeida




quinta-feira, 17 de novembro de 2011

SAI BABA


“Amor como pensamento é Verdade.
Amor como ação é Retidão.
Amor como sentimento é Paz.
Amor como compreensão é Não-violência.”

Sai Baba foi um grande Mestre que viveu na Índia e fez a passagem nesse ano de 2011. Como Jesus, ele viveu na simplicidade e pregou o amor universal, a união da Família Humana, a compreensão, o acolhimento, o perdão. Era tão humilde, mas, como toda estrela de extrema grandeza, não pôde deixar de brilhar e lançar longe sua luz. Era um verdadeiro mestre, no sentido mais amplo da palavra. Preocupou-se com pobres e doentes e acabou por fundar escolas, hospitais, casas de caridade e até uma Universidade. Era um grande educador. Podemos resumir aqui o princípio de sua doutrina educacional:

"A educação é um processo lento como o florescer de uma flor;
a fragância se faz cada vez mais profunda e perceptível
quando brota em silêncio, pétala por pétala,
até que surja a flor completa".


Fez tanto bem à humanidade, sem nenhum alarde, tanto que, fora do círculo dos espiritualistas, pouquíssimos conhecem seu nome. Foi um exemplo de humildade, amor, retidão e bondade.
Hoje, por causa dele e tantos outros como Madre Teresa de Calcutá, Irmã Dulce, Chico Xavier, João Paulo II, o mundo caminha lenta e silenciosamente para o Bem e a Paz.
Namastê,
Maria Luiza

PARA REFLETIR...


Todo fundamentalismo é perigoso, seja quando se trata de religião, política, economia, nacionalismo ou até em temas "prosaicos" como futebol e música.

Zeca Baleiro (Isto É - 16/11/11)

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

MISTÉRIO D'ALMA


Um mistério que trago dentro em mim
Ajuda-me, minh’alma a descobrir…
É um mistério de sonho e de luar
Que ora me faz chorar, ora sorrir!

Viemos tanto tempo tão amigos!
E sem que o teu olhar puro toldasse
A pureza do meu. E sem que um beijo
As nossas bocas rubras desfolhasse!

Mas um dia, uma tarde… houve um fulgor,
Um olhar que brilhou… e mansamente…
Ai, dize ó meu encanto, meu amor:

Porque foi que somente nessa tarde
Nos olhamos assim tão docemente
Num grande olhar d’amor e de saudade?!

(Florbela Espanca)

ENCONTRO MARCADO


Quando a aflição lhe bateu à porta, o discípulo tomou
as noticias do senhor e leu-lhe a promessa divina: “Estarei convosco até o fim dos séculos...”
Acendeu-lhe a esperança no imo d'alma.
E, certa manhã, partiu à procura do mestre, à feição
da corça transviada no deserto, quando suspira pela
fonte das águas vivas.
Entrou num templo repleto de luzes faiscantes, onde se lhe venerava a memória; todavia, não obstante sentir que a fé aí brilhava entre cânticos reverentes
e flores devotas, não encontrou o Divino Amigo.
Buscou-o nos vastos recintos, onde se lhe pronunciava o nome com reflexão de supremo respeito; contudo, apesar de surpreender-lhe o ensinamento puro, no verbo daqueles que sobraçavam dourados livros, não lhe anotou a presença.
Na jornada exaustiva, gastou as horas ...
Em vão, atravessou portadas e colunas, altares e jardins.
Descia, gélida, a noite, quando escutou os gemidos de uma criança doente, abandonada à sarjeta. Ajoelhando-se, asilou-a amorosamente na concha dos próprios braços.
Ao levantar os olhos, viu Jesus, diante dele.
Fremente, bradou:
- Mestre! Mestre!...

O excelso benfeitor afagou-lhe a cabeça fatigada, como quem lhe expungia toda a chaga de angústia, e falou, compassivo:
- Realmente, filho meu, estarei com todos e em toda a parte, até o fim dos séculos; no entanto, moro no coração da caridade, em cuja luz tenho encontro marcado com todo os aprendizes do bem eterno...
Debalde, tentou o discípulo reter o Senhor de encontro ao peito...
Através da neblina espessa das lágrimas a lhe inundarem o rosto mudo, reparou que a celeste visão se diluía no anilado fulgor do céu vespertino, mas na acústica do próprio ser, ressoavam para ele agora as palavras inesquecíveis:
- Toda vez que amparardes a um desses pequeninos, por amor de meu nome, é a mim que o fazeis...

Meimei (psicografia de chico Xavier)

DESPEDIDA


Por mim, e por vós, e por mais aquilo
que está onde as outras coisas nunca estão
deixo o mar bravo e o céu tranqüilo:
quero solidão.

Meu caminho é sem marcos nem paisagens.
E como o conheces ? – me perguntarão.
- Por não Ter palavras, por não ter imagens.
Nenhum inimigo e nenhum irmão.

Que procuras ? Tudo. Que desejas ? – Nada.
Viajo sozinha com o meu coração.
Não ando perdida, mas desencontrada.
Levo o meu rumo na minha mão.

A memória voou da minha fronte.
Voou meu amor, minha imaginação…
Talvez eu morra antes do horizonte.
Memória, amor e o resto onde estarão?

Deixo aqui meu corpo, entre o sol e a terra.
(Beijo-te, corpo meu, todo desilusão!
Estandarte triste de uma estranha guerra…)
Quero solidão.

(Cecília Meireles)

VENTANIAS


Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.

Clarice Lispector

PENSAMENTO DO DIA


Tudo aquilo que você encontra em seu caminho é feito para que você ame cada vez melhor.

Michel Quoist

VOCÊ FAZ A DIFERENÇA...


Hoje sei...
Que por mais que eu tentasse
Eu não conseguiria jamais esquecer
Dos melhores momentos de minha vida,
Pois sei,
Que foram eles os quais me trouxeram até este instante,
Onde vivo satisfeita e feliz.
Hoje sei...
Quais foram às pessoas que realmente fizeram à diferença,
E quais realmente fazem parte desse "eu" que eu me tornei hoje.
Sei...
Que você é muito mais que uma pessoa importante na minha vida,
É parte dela...
Pois sem suas palavras hoje eu não saberia falar,
Sem seus conselhos eu não saberia caminhar,
Sem sua companhia eu ficaria a entristecer,
Pois pessoas especiais fazem grande falta,
Ter sua companhia é o mesmo que estar vivendo com a certeza
Que existem pessoas as quais realmente se importam conosco.
As quais sabem dizem palavras certas em momentos mais difíceis,
Compartilham conosco nossas pequenas e grandes alegrias. Hoje sei,
Quais são as pessoas que quero levar pra sempre comigo,
Seja mesmo no coração,
E você é uma delas.
Pois você na minha vida,
Faz uma grande e maravilhosa diferença.

Autor desconhecido

terça-feira, 15 de novembro de 2011

CONFIE SEMPRE


Não percas a tua fé entre as sombras do mundo. Ainda Que Os Teus pés estejam sangrando, segue para a frente, erguendo-a por luz celeste, acima De ti mesmo. Crê e trabalha. Esforça-te no bem e espera Com paciência. Tudo passa e tudo se renova na terra, mas o que vem do céu permanecerá. De todos os infelizes os mais desditosos são os que perderam a confiança em Deus e em si mesmo, porque o maior infortúnio é sofrer a privação da fé e prosseguir vivendo. Eleva, pois, o teu olhar e caminha. Luta e serve. Aprende e adianta-te. Brilha a alvorada além da noite. Hoje, é possível que a tempestade te amarfanhe o coração e te atormente o ideal, aguilhoando-te com a aflição ou ameaçando-te com a morte. Não te esqueças, porém, de que amanhã será outro dia.

Chico Xavier

REFLEXÃO


Quando se crê em Deus, não há madeira sem som, nem dor sem apaziguamento; não há dia cotidiano sem milagre.

Nikos Kazantzakis

ESTATUTO DO HOMEM



(Ato Institucional Permanente)

Artigo I

Fica decretado que agora vale a verdade.
agora vale a vida,
e de mãos dadas,
marcharemos todos pela vida verdadeira.

Artigo II

Fica decretado que todos os dias da semana,
inclusive as terças-feiras mais cinzentas,
têm direito a converter-se em manhãs de domingo.

Artigo III

Fica decretado que, a partir deste instante,
haverá girassóis em todas as janelas,
que os girassóis terão direito
a abrir-se dentro da sombra;
e que as janelas devem permanecer, o dia inteiro,
abertas para o verde onde cresce a esperança.

Artigo IV

Fica decretado que o homem
não precisará nunca mais
duvidar do homem.
Que o homem confiará no homem
como a palmeira confia no vento,
como o vento confia no ar,
como o ar confia no campo azul do céu.

Parágrafo único:

O homem, confiará no homem
como um menino confia em outro menino.

Artigo V

Fica decretado que os homens
estão livres do jugo da mentira.
Nunca mais será preciso usar
a couraça do silêncio
nem a armadura de palavras.
O homem se sentará à mesa
com seu olhar limpo
porque a verdade passará a ser servida
antes da sobremesa.

Artigo VI

Fica estabelecida, durante dez séculos,
a prática sonhada pelo profeta Isaías,
e o lobo e o cordeiro pastarão juntos
e a comida de ambos terá o mesmo gosto de aurora.

Artigo VII

Por decreto irrevogável fica estabelecido
o reinado permanente da justiça e da claridade,
e a alegria será uma bandeira generosa
para sempre desfraldada na alma do povo.

Artigo VIII

Fica decretado que a maior dor
sempre foi e será sempre
não poder dar-se amor a quem se ama
e saber que é a água
que dá à planta o milagre da flor.

Artigo IX

Fica permitido que o pão de cada dia
tenha no homem o sinal de seu suor.
Mas que sobretudo tenha
sempre o quente sabor da ternura.

Artigo X

Fica permitido a qualquer pessoa,
qualquer hora da vida,
o uso do traje branco.

Artigo XI

Fica decretado, por definição,
que o homem é um animal que ama
e que por isso é belo,
muito mais belo que a estrela da manhã.

Artigo XII

Decreta-se que nada será obrigado
nem proibido,
tudo será permitido,
inclusive brincar com os rinocerontes
e caminhar pelas tardes
com uma imensa begônia na lapela.

Parágrafo único:

Só uma coisa fica proibida:
amar sem amor.

Artigo XIII

Fica decretado que o dinheiro
não poderá nunca mais comprar
o sol das manhãs vindouras.
Expulso do grande baú do medo,
o dinheiro se transformará em uma espada fraternal
para defender o direito de cantar
e a festa do dia que chegou.

Artigo Final.

Fica proibido o uso da palavra liberdade,
a qual será suprimida dos dicionários
e do pântano enganoso das bocas.
A partir deste instante
a liberdade será algo vivo e transparente
como um fogo ou um rio,
e a sua morada será sempre
o coração do homem.

Thiago de Mello

PENSAMENTO DO DIA


”Se você pensa que pode
ou sonha que pode, comece.
Ousadia tem genialidade, poder e mágica.
Ouse fazer e o poder lhe será dado”

(GOETHE)

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

A FORÇA DE VONTADE - A ALAVANCA QUE MOVE NOSSA VIDA


Cada consciência que reencarna no plano terrestre tem como propósito primordial buscar sua evolução espiritual, aprendendo com as lições que a vida lhe traz. Apesar do esquecimento temporário que passa quando para aqui vem, internamente traz consigo um sentimento de que algo tem a fazer.
Passam-se os anos na vida terrena e isso pode variar de indivíduo para indivíduo, que o sentimento se torna mais forte, até que em determinado momento à ânsia de saciar o espírito fala mais alto e intuitivamente sente que a necessidade da busca a respostas para certas indagações lhe trará a tranqüilidade interna que tanto necessita.
A vida, no entanto é uma escola, cheia de obstáculos e desafios que incentivam o desenvolvimento das potencialidades, que auxiliam o ser na busca do crescimento espiritual.
Uma dessas potencialidades é à força de vontade, a alavanca que põe em movimento nossas ações, gerando atitudes que permitem que aquele que deseja seguir adiante, com o propósito de buscar conhecimento, possa ultrapassar todas as barreiras que por ventura encontrar pela frente.
Há consciências, que por lhes faltar a força de vontade não conseguem caminhar por muito tempo nesta busca, preferindo deixar mais para frente, adiando assim, o que realmente vieram aqui fazer, continuando a sua vida material, sem compreender que nem só de pão vive o homem, pois o homem é matéria e espírito.
Porém, o sentimento foi apenas abafado, pois chega um momento que a insatisfação fala mais alto. O que se buscou no mundo das ilusões não trouxe o alimento necessário para o espírito, pois a personalidade egóica não estava sintonizada com o propósito da alma.
A busca do ser recomeça. Bate-se em porta em porta buscando conhecimento, buscando a paz. Nesta caminhada adquire experiências e através do conhecimento passa a compreender que a tranqüilidade se alcança quando os sentimentos, os pensamentos e as atitudes são alimentados pela energia do amor. Quando já se consegue discernir o certo do errado, do que lhe traz a paz e o que lhe causa dor, escolhendo assim, o que prefere se alimentar.
No entanto, para todo aquele que se coloca como peregrino a caminho da Luz, encontra muitos obstáculos, pois a porta é estreita e poucos são os que perseveram por faltar à força de vontade.
O contato com o ser interior, a fé e a confiança que está no caminho correto, que sabe o que quer e para onde deseja seguir é que fará com que a força de vontade, esta força que impulsiona o ser seguir adiante, o auxilie a conquistar o objetivo. Nada se conquista sem o uso dessa força e perseverar no que se acredita ser o melhor é o caminho para conquistar um troféu. O troféu da satisfação de ter alcançado sua meta.

APARECIDA

DO BLOG PORTAL DO ARCO-IRIS E CENTRO DE CURA CÓSMICA

MENSAGEM


"Só aqueles que compreenderam que devem procurar o infinito, o ilimitado, o que está além do tempo e do espaço, se sentem vivos, porque a vida verdadeira é a imensidão, a eternidade. Nunca vos refugieis naquilo que é acessível, limitado: abarcai o infinito e a vossa alegria também será infinita. Será a felicidade, a luz, a força, o dilatar de todo o vosso ser."

Omraam Mikhaël Aïvanhov

REFLEXÃO



"Tenho pensamentos que, se pudesse revelá-los e fazê-los viver, acrescentariam nova luminosidade às estrelas, nova beleza ao mundo e maior amor ao coração dos homens."
Faça como o poeta.


(Fernando Pessoa)

PENSAMENTO DO DIA


O que você pensa, sente e fala, transmite-se em ondas pelo Universo. Assim você é responsável por tudo de bom e ruim que acontece...

Maria Luiza

domingo, 13 de novembro de 2011

UMA NOVA QUALIDADE DO SER



Tudo que você possui pode ser perdido, pode ser roubado, pode ser removido. No fim, a morte separará você de suas posses. Somente aquilo que você se tornou não pode ser removido. Nem a morte o separa disso. Você não tem isso, você é isso.
Dessa forma, os grandes sábios do Upanixade dizem: "Quando você conhece Deus, você se torna Deus". Conhecendo Deus, a pessoa se torna Deus, porque conhecê-lo não é ter conhecimento, que é algo que você pode esquecer.Conhecer Deus significa simplesmente alcançar uma nova qualidade do ser. Ela se torna parte de sua respiração e de seu batimento cardíaco.
A união final com o todo significa simplesmente que você se tornou o todo, é o ponto em que você sente: "Cheguei. Esse é o destino que venho buscando há milhares de vidas. Essa é a casa que eu estava procurando. Fiz muitas casas, mas nenhuma foi de fato uma casa: todas foram apenas caravançarás, e sempre precisei sair. Agora não posso sair dessa casa, porque eu sou ela".

Osho, em "Meditações Para o Dia"

QUALQUER COISA



Minto que te esqueço
Que te largo
No fundo
Só pra ti tenho versos
E noites
Mal dormidas essas noites
Minto que desdigo
Tanto insano amor
Minto não sentir
Que não sintas nada
Ou quase isso
Equivalente
Sinto e faço troça
Desse desajeitado peito
A te guardar preciosa
Abestado peito
Com tanta tonta sonsa fácil e doida pelaí
Foi achegar-se a ti
A mais distante...
Onde a mão não toca
Nem o olho alcança
Minto te esquecer
Só até parir
Um rouco e doido verso fingindo que esqueci...

Alexandre Magno Aquino

sábado, 12 de novembro de 2011

O GUARDADOR DE REBANHOS


Eu nunca guardei rebanhos,
Mas é como se os guardasse.
Minha alma é como um pastor,
Conhece o vento e o sol
E anda pela mão das Estações
A seguir e a olhar.
Toda a paz da Natureza sem gente
Vem sentar-se a meu lado.
Mas eu fico triste como um pôr de sol
Para a nossa imaginação,
Quando esfria no fundo da planície
E se sente a noite entrada
Como uma borboleta pela janela.
Mas a minha tristeza é sossego
Porque é natural e justa
E é o que deve estar na alma
Quando já pensa que existe
E as mãos colhem flores sem ela dar por isso.
Com um ruído de chocalhos
Para além da curva da estrada,
Os meus pensamentos são contentes,
Só tenho pena de saber que eles são contentes,
Porque, se o não soubesse,
Em vez de serem contentes e tristes,
Seriam alegres e contentes.
Pensar incomoda como andar à chuva
Quando o vento cresce e parece que chove mais.
Não tenho ambições nem desejos.
Ser poeta não é uma ambição minha
É a minha maneira de estar sozinho.
E se desejo às vezes
Por imaginar, ser cordeirinho
(Ou ser o rebanho todo
Para andar espalhado por toda a encosta
A ser muita coisa feliz ao mesmo tempo),
É só porque sinto o que escrevo ao pôr do sol,
Ou quando uma nuvem passa a mão por cima da luz
E corre um silêncio pela erva toda.

Quando me sento a escrever versos
Ou, passeando pelos caminhos ou pelos atalhos,
Escrevo versos num papel que está no meu pensamento,
Sinto um cajado nas mãos
E vejo um recorte de mim
No cimo dum outeiro
Olhando para o meu rebanho e vendo as minhas ideias,
Eu olhando para as minhas ideias e vendo o meu rebanho,
E sorrindo vagamente como quem não compreende o que se diz
E quer fingir que compreende.
Saúdo todos os que me lerem,
Tirando-lhes o chapéu largo
Quando me vêem à minha porta
Mal a diligência levanta no cimo do outeiro.
Saúdo-os e desejo-lhes sol,
E chuva, quando a chuva é precisa,
E que as suas casas tenham
Ao pé duma janela aberta
Uma cadeira predilecta
Onde se sentem, lendo os meus versos.
E ao lerem os meus versos pensem
Que sou qualquer coisa natural

Por exemplo, a árvore antiga
À sombra da qual quando crianças
Se sentavam com um baque, cansados de brincar,
E limpavam o suor da testa quente
Com a manga do bibe riscado.


Fernando Pessoa (Alberto Caiero)

DIANTE DA VELHICE



Divino Amigo, diante do natural declínio das forças que nos sustentam a vida no corpo físico, não nos deixes pensar na morte como sendo o ocaso da existência...
Nem nos confies à inutilidade, como se nada mais nos restasse a fazer, a não ser cruzar os braços.
A velhice no corpo é abençoado estágio para o espírito a caminho da vida Imortal!
Que os homens, nossos irmãos, saibam envelhecer com dignidade, legando aos que haverão de sucedê-los os melhores exemplos de bondade e caráter.
Quanto mais belo o entardecer, mais magnífico é o despontar de novo dia.
A sombra existe para que a luz ainda mais se mostre em esplendor.
O espírito de quem vive em função do bem não envelhece nunca.
A velhice, portanto, é a idade da Sabedoria, que, por sua vez, é a fonte da eterna juventude!


Livro: Preces e Orações – Médium: Carlos A. Baccelli - Espírito: Irmão José

ALEGRIA

TUDO PASSA...

REFLEXÃO


O conhecimento é um substituto falso da sabedoria
A pessoa adormecida no máximo pode sonhar que está acordada.

Mas isso também é um sonho. Esse sonho é conhecimento. A pessoa que está adormecida e pensa que sabe... Isso é conhecimento.

Mas a pessoa que realmente desperta - é sabedoria. O conhecimento é um substituto falso, plástico, da sabedoria.

Osho, em "The Book of Wisdom"

ALGUMAS DE MINHAS OBRAS

MEU MAIS NOVO LIVRO

MEU MAIS NOVO LIVRO