BOAS VINDAS

Seja bem vindo! Espero que aqui encontre alento, beleza, amor e paz! E que possa espalhar isto para o mundo, que vive tão sedento de tudo isto.



Pesquisar este blog

Seguidores

terça-feira, 8 de novembro de 2011

REFLEXÃO - CHICO XAVIER

A ALEGRIA DOS OUTROS



Um jovem, muito inteligente, certa feita se aproximou de Chico Xavier e indagou-lhe:
Chico, eu quero que você formule uma pergunta ao seu guia espiritual, Emmanuel, pois eu necessito muito de orientação.
Eu sinto um vazio enorme dentro do meu coração. O QUE ME FALTA, MEU AMIGO?
Eu tenho uma profissão que me garante altos rendimentos, uma casa muito confortável, uma família ajustada, o trabalho na Doutrina Espírita como médium, mas sinto que ainda falta alguma coisa.
O que me falta, Chico?
O médium, olhando-o profundamente, ouviu a voz de Emmanuel que lhe respondeu:
Fale a ele, Chico, que o que lhe falta é a “alegria dos outros”! Ele vive sufocado com muitas coisas materiais. É NECESSÁRIO REPARTIR, DISTRIBUIR PARA O PRÓXIMO...
A alegria de repartir com os outros tem um poder superior, que proporciona a alegria de volta àquele que a distribui.
É isto que está lhe fazendo falta, meu filho: a “alegria dos outros”.
* * *
Será que já paramos para refletir que todas as grandes almas, que transitam pela Terra, estiveram intimamente ligadas com algum tipo de doação?
Será que já percebemos que a caridade esteve presente na vida de todos esses expoentes, missionários que habitaram o planeta?
Sim, todos os Espíritos elevados trazem como objetivo a alegria dos outros.
Não se refere o termo, obviamente, à alegria passageira do mundo, que se confunde com euforia, com a satisfação DE PRAZERES IMEDIATOS.
Não, essa alegria dos outros,mencionada por Emmanuel, é gerada por aqueles que se doam ao próximo, é criada quando o outro percebe que nos importamos com ele.
É quando o coração sorri, de gratidão, sentindo-se amparado por uma força maior, que conta com as mãos carinhosas de todos os homens e mulheres de bem.
Possivelmente, em algum momento, já percebemos como nos faz bem essa alegria dos outros, quando, de alguma forma conseguimos lhes ser úteis, nas pequenas e grandes questões da vida.
Esse júbilo alheio nos preenche o coração de uma forma indescritível. Não conseguimos narrar, não conseguimos colocar em palavras o que se passa em nossa alma, quando nos invade uma certa paz de consciência por termos feito o bem, DE ALGUMA MANEIRA.
É a Lei maior de amor, a Lei soberana do Universo, que da varanda de nossa consciência exala seu perfume inigualável de felicidade.
Toda vez que levamos alegria aos outros a consciência nos abraça, feliz e exuberante, segredando, ao pé de ouvido: É este o caminho... Continue...
* * *
Sejamos nós os que carreguemos sempre o amor nas mãos, distribuindo-o pelo caminho como quem semeia as árvores que nos farão sombra nos dias difíceis e escaldantes.
Sejamos os que carreguemos o amor nos olhos, desejando o bem a todos que passam por nós, purificando a atmosfera tão pesada dos dias de violência atuais.
E lembremos: a alegria dos outros construirá a nossa felicidade.

Redação do Momento Espírita, com base em relato sobre episódio da vida de Francisco Cândido Xavier, de autor desconhecido, e que circula pela Internet.
Disponível no cd Momento Espírita, v. 20, ed. Fep.
Em 20.10.2011.

ATENDIMENTO MEDIÚNICO



Solidão. Dor. Um terrível sentimento de perda, depressão. falta de ânimo para continuar a viver. Esses são apenas alguns dos sintomas que se apresentam naqueles que“perderam” uma pessoa muito querida. Amor ou apego doentio?
Quem de nós poderá julgar com clareza os dramas e conflitos da
alma humana?
Diante desse fato a que todos nós seremos chamados a vivenciar algum dia, a doutrina espírita oferece um verdadeiro manancial de luz. Apresenta explicações lógicas e fundamentadas sobre a vida após a mor te e a reencarnação; acompanha as exor- tações evangélicas quando nos recomenda amarmos a humanidade inteira como nossa família e ainda nos abre a possibilidade real de recebermos alguma mensagem do além, através das chamadas comunicações mediúnicas, como a psicografia e a psicofonia
(incorporação). (...)
O centro espírita deve oferecer este tipo de atendimento?
Para mim, este tipo de trabalho é muito positivo, mas também pode se tornar negativo. Analisemos ambos os lados. O aspecto positivo é que, além de oferecer consolo, as famosas mensagens psicografadas têm o poder de despertar a atenção de muitas pessoas, que passam, em um segundo momento, a se interessarem pela proposta filosófica espírita. E qual é a proposta espírita senão aquela oferecida há dois mil anos atrás pelo Cristo, que é a de consolar os corações angustiados?
É importante percebermos também que as mensagens de consolo quase sempre fazem um trabalho de desobsessão, pois muitos pais que perderam seus filhos se tornam, inconscientemente, verdadeiros obsessores, impedindo o refazimento deles no plano espiritual.
Quanto aos aspectos negativos, se o centro espírita não possui estrutura moral e espiritual para essa tarefa, vemos o desabrochar das mais terríveis obsessões por parte mesmo dos médiuns. Vaidade, melindres, ganância, competição etc. Sem contar o apego doentio que muitas pessoas devotam às mensagens, “correndo de centro
em centro” atrás de mais notícias que nunca as satisfazem.
Esquecem-se de que a mente é o meio mais elevado e direto para
entrarmos em contato com os espíritos.
Por tudo isso, cada diretoria de centro espírita deve refletir muito
se deve desenvolver este tipo de atendimento em sua casa, se tem estrutura moral e mediúnica suficientes.
Agora, que é importante e necessário este tipo de atendimento em nosso meio, com certeza ainda é. Faz parte do nosso estado evolutivo, caso contrário, nosso querido Chico Xavier, considerado um dos maiores médiuns, não dedicaria tantos anos psicografando e confortando o coração daqueles que encontram dificuldade em
assimilar a perda de um ente querido.

Victor Rebelo, editor
editorial
R E V I S TA C R I S T Ã D E E S P I R I T I S M O

ALGUMAS DE MINHAS OBRAS

MEU MAIS NOVO LIVRO

MEU MAIS NOVO LIVRO