BOAS VINDAS

Seja bem vindo! Espero que aqui encontre alento, beleza, amor e paz! E que possa espalhar isto para o mundo, que vive tão sedento de tudo isto.



Pesquisar este blog

Seguidores

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

NADA DE VÓS QUEREMOS PARA NÓS


Paz sobre todos os quadrantes planetários!
Paz também em vossos corações!
Irmãos e amigos,
Vimos retransmitindo nossas recomendações a essa humanidade. Existem muitos que ainda duvidam de nossa presença.
Não podemos obriga-los a reconhecer em nós, irmãos dedicados e amorosos; mas, como é comum entre espíritos que já encontraram na Luz o sentido do existir, somos persistentes na determinação em servir ao Criador, e mais uma vez entre vós nos colocamos, relembrando-vos que não estais sós no Universo e que este tempo (final de ciclo) que viveis não é o primeiro que se passa com uma humanidade.
Dentro vós há muitos que em vossos próprios mundos de origem já viveram momentos de Transição Planetária e dentre vossas células no corpo espiritual, o registro daqueles momentos encontra-se vivo.
Aquele que quiser crer e encontrar as respostas aos questionamentos infindos que trazem na alma inquieta, acessem o conhecimento gravado em vossas próprias consciências, em vosso próprio corpo espiritual e em vosso psiquismo e verão ali as verdades reveladas por nós, gravadas como registro histórico de suas existências pregressas.
Talvez assim, possais compreender que nos dispomos a estar entre os terrestres, neste momento como trabalhadores da Luz, orientados pelo Mestre Jesus a socorrer a humanidade terrena, indicando-lhe os caminhos a seguir nesta hora de enormes perturbações.
Nada de vós queremos, que não seja o engrandecimento da fé, o fortalecimento do espírito na determinação do progresso, que urge entre todos.
Nada de vós queremos para nós, porque nossa maior alegria e felicidade será com a elevação de um grande número de terrestres, acima dos padrões vibratórios em que hoje se encontram.
Ficai na Paz do Senhor dos Mundos. Ele vos rege os destinos e nós todos com Ele seguimos, servindo e amando como Jesus ensinou.
Paz sobre todos os quadrantes planetários!
Paz também em vossos corações!

Ashtar Sheran

SOLIDÃO


Quando toco nos pedaços de luz
Elas se espalham
Na forma como toco.

Ficam suspensas e inertes
Como as muitas lágrimas
Que não chegam a caír.

Sou tão pobre de palavras
Esbatida na árvore sem folhas
Do meu entardecer.

Atravessei o Oceano
Infringi todas as regras
Cantei todos os cantos.

E não te vi
E não tive repouso
Em nenhuma praia.

Podes ajudar-me a perceber
O meu último erro?

E fomos diferentes de todos
Na loucura em que vivemos,
Mas houve um erro...eu sei...

E assim, rasguei meus versos
Varri meu nome.

As lágrimas fervem
E eu estou desprovida de apegos
E quero solidão!...

Maria Luísa Adães

PENSAMENTO DO DIA


"Haverá sempre momentos em que se sentirá vazio e estranho. Tais momentos são muito desejáveis, pois significam que a alma se desfez de suas amarras e navega para lugares distantes. Isto é o desapego – quando o velho terminou e o novo ainda não veio. Se você tem medo, o estado pode ser penoso; mas não há realmente nada a temer. Recorde a instrução; o que quer que você encontre – vá além."

Nisargadata Maharaj

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

DIANTE DA VELHICE


Divino Amigo, diante do natural declínio das forças que nos sustentam a vida no corpo físico, não nos deixes pensar na morte como sendo o ocaso da existência...
Nem nos confies à inutilidade, como se nada mais nos restasse a fazer, a não ser cruzar os braços.
A velhice no corpo é abençoado estágio para o espírito a caminho da vida Imortal!
Que os homens, nossos irmãos, saibam envelhecer com dignidade, legando aos que haverão de sucedê-los os melhores exemplos de bondade e caráter.
Quanto mais belo o entardecer, mais magnífico é o despontar de novo dia.
A sombra existe para que a luz ainda mais se mostre em esplendor.
O espírito de quem vive em função do bem não envelhece nunca.
A velhice, portanto, é a idade da Sabedoria, que, por sua vez, é a fonte da eterna juventude!


Livro: Preces e Orações – Médium: Carlos A. Baccelli - Espírito: Irmão José

REFLEXÃO


Se a força de sua convicção determina-o, se os ímpetos do seu coração conduzem-no, vá; mesmo que o impeçam as vozes das conveniências abjetas ou dos interesses sem decoro, porque o espreitam as alegrias do encontro e da conquista.

José Fogaça

TARA


Escrevo
do que preciso

Correr o perigo das palavras
que invento
que não ganharam som,
nem memória.
Mas que o vento vai
e me arrasta para fascínios de loucura
com que me espalho
de poema.

Impreciso
o que sinto...

Leonardo Valesi Valente

domingo, 29 de janeiro de 2012

PAUSA PARA MEDITAÇÃO


O amor perfeito exclui o medo.
Se o medo existe,
então não há amor perfeito.
Mas,
Só o amor perfeito existe.
Se há medo,
ele produz um estado que não existe.
Acredita nisso e tu serás livre. Só Deus pode estabelecer essa solução e essa fé é o Seu dom.

UCEM, cap 1 seção VI.

O ESPELHO DE GANDHI



Perguntaram a Mahatma Gandhi quais são os fatores que destroem os seres humanos.
Ele respondeu:
A Política, sem princípios; o Prazer, sem compromisso; a Riqueza, sem trabalho; a Sabedoria, sem caráter; os negócios, sem moral; a Ciência, sem humanidade; a Oração, sem caridade.

A vida me ensinou que as pessoas são amigáveis​​, se eu sou amável,
que as pessoas são tristes, se estou triste,
que todos me querem, se eu os quero,
que todos são ruins, se eu os odeio,
que há rostos sorridentes, se eu lhes sorrio,
que há faces amargas, se eu sou amargo,
que o mundo está feliz, se eu estou feliz,
que as pessoas ficam com raiva quando eu estou com raiva,
que as pessoas são gratas, se eu sou grato.
A vida é como um espelho: se você sorri para o espelho, ele sorri de volta. A atitude que eu tome perante a vida é a mesma que a vida vai tomar perante mim.
"Quem quer ser amado, ame"









sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

ENTRELINHAS ONDE DESPONTO


Quando há dor, há poesia
e o poema ajuda-me a não invadir o chão
escrevo enquanto não me perco
se possuo a vida que não era a minha
sei que sou um tanto melhor de avidez
pois meu desejo é o que acredito ser
não consigo realizá-lo no dia que passa ligeiro
então, sobra-me escrever para um vir-a-ser
repleto de vida que já nem tenho

poesia é arte dor encontros
arte dor cantigas
arte dor calar
arte dor reter pra sobreviver
arte dor e re.vivar
poesia é arte dor
arte dor contra o vazio de não ser
o vazio que é em mim dor
e a arte que sou quando escrevo

vou com a vida que não soube reter
(escrevo poesias porque moro nas entrelinhas)
e caminho sem muito saber se devo


Leonardo Valesi Valente

Entrevista realizada no Instituto de Difusão Espírita, em Araras, SP, por Salvador Gentile, a 5 de dezembro de 1971, quando da visita do médium Chico Xavier para uma Tarde de Autógrafos.

GENTILE: Dr. Elias Barbosa, as doenças antes de aparecerem no corpo físico se manifestam no corpo espiritual? Terão, acaso, origem nos mecanismos da mente?
DR. ELIAS: Não temos dúvida de que antes de aparecer no corpo físico, que se constitui uma veste do espírito, a doença se manifeste na mente. Isto é compreensível se analisarmos o indivíduo, por exemplo, que se desencarna numa situação de violência, ingerindo, suponhamos substância cáustica.
Depois de atravessar períodos de sofrimento nas regiões purgatoriais da Espiritualidade, por tempo mais ou menos longo, quando retorne à Terra, é natural que ele traga a região comprometida do trato digestivo com alterações funcionais ou muitas vezes anatômicas, porque houve lesão do corpo físico que ele deixou na Terra em circunstâncias drásticas, com repercussão no corpo espiritual.
Por exemplo, se ele ingeriu um metal pesado, cuja eliminação se faz principalmente por via renal, é claro que ele deverá renascer, e os seus glomérulos e o epitélio tubular apresentarão alterações muitas vezes de caráter embrionário, acarretando a esse espírito reencarnado sofrimento e dificuldade.
E, de um modo geral, no que se refere às doenças mentais, os indivíduos portadores decomplexos de culpa muito intensos, no Mundo Espiritual, reencarnam em situações por vezes deploráveis, tendendo fugir à realidade ou tornando-se psicóticos. Essa situação depânico se instalou na vida dele em decorrência da prática da autodestruição ou do mal,contra quem quer que seja. E, ainda, se verificarmos todos os tipos de enfermidades,concluiremos que para a doença se instalar, é evidente que terá de ser primariamente noespírito.
E, a propósito, queremos nos lembrar de um livro de Carl Gustav Jung, intitulado “Psicologia e Religião” (2), já traduzido no Brasil. Nesse livro, Jung considera que num indivíduo portador de qualquer processo blastomatoso, semelhante processo não pode estar localizado somente no corpo. E acrescenta que no indivíduo deverá existir um corpo espiritual e na tessitura desse corpo deverá existir também esse tumor, primariamente. Julga o notável psicanalista que para existir o tumor no corpo
físico, deverá também existir na tessitura do corpo espiritual.
Em Doutrina Espírita, esta é a realidade que os Espíritos Amigos nos informam.
O problema das doenças decorre da gravidade da culpa. Quer dizer, conforme a gravidade da prática do mal, será o tipo de doença.
A doença surge na Terra, a benefício da própria pessoa, às vezes para salvá-la de certas situações em que ela cairia, conforme caiu em mais de dez, vinte existências anteriores.
O indivíduo nasce com determinada doença, como medida curativa do espírito.
A criatura, acostumada, durante existências e existências, a roubar, a lançar mão do alheio, poderá em certa existência pedir para nascer sem mãos, a fim de que aprenda a não roubar.
Antes de nascer sem as mãos, possivelmente haja passado por mais de dez ou vinte
existências sofrendo do que nós chamamos de cleptomanias.
Vejamos uma outra possibilidade, qual aconteceu naquele caso descrito em “Memórias de um Suicida” (3), em que um companheiro havia subtraído a vida da esposa; os complexos de culpa lhe foram tão intensos, que a mão se lhe foi ressecando no Plano Espiritual, e, quando renasceu na Terra, trazia consigo a lesão conseqüente.


(2) C.G. Jung, Psicologia e Religião, Tradução de Fausto Guimarães, Zahar Editores, Rio de
Janeiro, 1965. (N. dos O.)
(3) Obra recebida pela médium Yvonne A. Pereira, e editada pela Federação Espírita
Brasileira, Rio, R J (N. dos O.)


O médico, biógrafo e revisor das obras de Chico Xavier, Elias Barbosa, morreu no dia 31 de março de 2011, às 16h, no Hospital São Domingos, em Uberaba (MG), vítima de traumatismo cranioencefálico, aos 76 anos.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

REFLEXÃO DE HOJE


Embora cristã, sei admirar e respeitar toda e qualquer posição religiosa, pois o que realmente admiro e respeito são as pessoas bondosas, solidárias, amorosas, compassivas, pacíficas e justas. Se sua religião não o está tornando uma pessoa melhor, se você não está crescendo em humanidade, se prega o que não vive, melhor fora não se dizer religioso. Muitos são os que se dizem ateus e se comportam de maneira digna, respeitosa, acolhendo e amparando o seu semelhante com amor, dignificando o seu papel na sociedade e não fugindo jamais à ética. Esses, mesmo que não saibam, já estão ao lado de Deus.

Maria Luiza

A FAMÍLIA COMO INSTRUMENTO DE REDENÇÃO ESPIRITUAL



... Reconcilia-te com o teu adversário – advertiu Cristo – enquanto estás a caminho com ele.
E não é precisamente no círculo aconchegante da família que estamos a caminho com aquele que a nossa insensatez converteu em adversário?
O espiritismo coloca, pois, sob perspectiva inteiramente renovada e até inesperada, além de criativa e realista, a difícil e até agora inexplicável problemática do inter-relacionamento familial. Se um membro de nossa família tem dificuldades em nos aceitar, em nos entender, em nos amar, podemos estar certos de que tais dificuldades foram criadas por nós mesmos num relacionamento anterior em que as nossas paixões ignoraram o bom senso.
- E a repulsão instintiva que se experimenta por algumas pessoas, donde se origina? Perguntou Kardec aos seus instrutores (LIVRO DOS ESPÍRITOS, Pergunta 389).
- São espíritos antipáticos que se adivinham e reconhecem, sem se falarem.
O ponto de encontro de muitas dessas antipatias, que necessitam do toque mágico do amor e do entendimento, é a família consangüínea, célula de um organismo mais amplo que é a família espiritual, que por sua vez, é a célula da instituição infinitamente mais vastas que são a família mundial e, finalmente, a universal.
A Doutrina considera a instituição do casamento como instrumento do “progresso na marcha da humanidade” e, reversamente, a abolição do casamento como “uma regressão à vida dos animais”. (Questões 695 e 696, de O LIVRO DOS ESPÍRITOS). Como vimos há pouco, é também essa a opinião dos cientistas especializados responsáveis.
Ao comentar as questões indicadas, Kardec acrescentou que – “O estado de natureza é o da união livre e fortuita dos sexos. O casamento constitui um dos primeiros atos de progresso nas sociedades humanas, porque estabelece a solidariedade fraterna e se observa entre todos os povos, se bem que em condições diversas”.
No que, mais uma vez, estão de acordo estudiosos do problema do ponto de vista científico e formuladores e divulgadores da Doutrina Espírita.
Isto nos leva à delicada questão do divórcio, reconhecido como uma das principais causas desagregadoras do casamento e, por extensão, da família.
O problema da indissolubilidade do casamento foi abordado pelos Espíritos, de maneira bastante sumária, na Questão nº. 697. Perguntados sobre se “Está na lei da Natureza, ou somente na lei humana a indissolubilidade absoluta do casamento”, responderam na seguinte forma:
- É uma lei muito contrária à da Natureza. Mas os homens podem modificar suas leis; só as da Natureza são imutáveis.
O que, exatamente, quer dizer isso?
Em primeiro lugar, convém chamar a atenção para o fato de que a resposta foi dada no contexto de uma pergunta específica sobre a indissolubilidade absoluta. Realmente, a lei natural ou divina não impõe inapelavelmente um tipo rígido de união, mesmo porque o livre arbítrio é princípio fundamental, direito inalienável do ser humano. “Sem o livre arbítrio – consta enfaticamente da Questão nº. 843 de O LIVRO DOS ESPÍRITOS – o homem seria máquina”.
A lei natural, por conseguinte, não iria traçar limites arbitrários às opções humanas, encadeando homens e mulheres a um severo regime de escravidão, que poderá conduzir a situações calamitosas em termos evolutivos, resultando em agravamento dos conflitos, em lugar de os resolver, ou pelo menos atenuá-los.
Ademais, como vimos lembrando repetidamente, o Espiritismo não se propõe a ditar regras de procedimento específico para cada situação da vida. O que oferece são princípios gerais, é uma estrutura básica, montada sobre a permanência e estabilidade de verdades testadas e aprovadas pela experiência de muitos milênios. Que dentro desse espaço se movimente a criatura humana no exercício pleno de seu livre arbítrio e decida o que melhor lhe convém, ante o conjunto de circunstâncias em que se encontra.
O casamento é compromisso espiritual previamente negociado e acertado, ainda que nem sempre aceito de bom grado pelas partes envolvidas. São muitos, senão maioria, os que se unem na expectativa de muitos anos de turbulência e mal-entendidos porque estão em débito com o parceiro que acolhem, precisamente para que se conciliem se ajustem, se pacifiquem e se amem ou, pelo menos, se respeitem e estimem.
Mergulhados, porém, na carne, os bons propósitos do devedor, que programou para si mesmo um regime de tolerância e autocontrole, podem falhar. Como também pode exorbitar da sua desejável moderação o parceiro que vem para receber a reparação, e em lugar de recolher com serenidade o que lhe é devido (e outrora lhe foi negado) em atenção, apoio, segurança e afeto, assume a atitude do tirano arbitrário que, além de exigir com intransigência o devido, humilha, oprime e odeia o parceiro que, afinal de contas, está fazendo o possível, dentro das suas limitações, para cumprir seu compromisso. Nesses casos, o processo de ajuste – que será sempre algo difícil mas poderá desenrolar-se em clima de mútua compreensão – converte-se em vingança irracional.
Numa situação dessas, mais freqüentes do que poderíamos supor, a indissolubilidade absoluta a que se refere a Codificação seria, de fato, uma lei antinatural. Se um dos parceiros da união, programada com o objetivo de promover uma retificação de comportamento, utilizou-se insensatamente da sua faculdade de livre escolha, optando pelo ódio e a vingança, quando poderia simplesmente recolher o que lhe é devido por um devedor disposto a pagar, seria injusto que a lei recusasse a este o direito de recuar do compromisso assumido, modificar seus termos, ou adiar a execução, assumindo, é claro, toda as responsabilidades decorrentes de seus atos, como sempre, aliás.
A lei divina não coonesta a violência que um parceiro se disponha a praticar sobre o outro. Além do mais, a dívida não é tanto com o indivíduo prejudicado quanto com a própria lei divina desrespeitada. No momento em que arruinamos ou assassinamos alguém, cometemos, claro, um delito pessoal de maior gravidade. É preciso lembrar, contudo, que a vítima também se encontra envolvida com a lei, que, paradoxalmente, irá exibir a reparação da falta cometida, não para vingá-la, mas para desestimular o faltoso, mostrando-lhe que cada gesto negativo cria a sua matriz de reparação. O Cristo foi enfático e preciso ao ligar sempre o erro à dor do resgate. “Vai e não peques mais, para que não te aconteça coisa pior”, disse ele.
Não há sofrimento inocente, nem cobrança injusta ou indevida. O que deve paga e o que está sendo cobrado é porque deve. Assim a própria vítima de um gesto criminoso é também um ser endividado perante a lei, por alguma razão concreta anterior, ainda que ignorada. Se, em lugar de reconciliar-se, ela se vingar, estará reabrindo sua conta como novo débito em vez de saldá-la.
A lei natural, portanto, não prescreve a indissolubilidade mandatária e absoluta do casamento, como a caracterizou Kardec na sua pergunta. Conseqüentemente, a lei humana não deve ser mais realista do que a outra que lhe é superior; deve ser flexível, abrindo espaço para as opções individuais do livre arbítrio.
Isso, contudo, está longe de significar uma atitude de complacência ou de estímulo à separação dos casais em dificuldades. O divórcio é admissível, em situações de grave conflito, nas quais a separação legal assume a condição de mal menor, em confronto com opções potencialmente mais graves que projetam ameaçadoras tragédias e aflições imprevisíveis: suicídios, assassinatos, e conflitos outros que destroem famílias e acarretam novos e pesados compromissos, em vez de resolver os que já vieram do passado por auto-herança.
Convém, portanto, atentar para todos os aspectos da questão e não ceder precipitadamente ao primeiro impulso passional ou solicitação do comodismo ou do egoísmo. Dificuldades de relacionamento são mesmo de esperar-se na grande maioria das uniões que se processam em nosso mundo ainda imperfeito. Não deve ser desprezado o importante aspecto de que o casamento foi combinado e aceito com a necessária antecipação, precisamente para neutralizar diferenças e dificuldades que persistem entre dois ou mais Espíritos.
O que a lei divina prescreve para o casamento é o amor, na sua mais ampla e abrangente conotação, no qual o sexo é apenas a expressão física de uma profunda e serena sintonia espiritual. Estas uniões, contudo, são ainda a exceção e não a norma. Ocorre entre aqueles que, na expressão de Jesus, Deus juntou, na imutável perfeição de suas leis. Que ninguém os separe, mesmo porque, atingida essa fase de sabedoria, entendimento e serenidade, os Espíritos pouco se importam de que os vínculos matrimoniais sejam indissolúveis ou não em termos humanos, dado que, para eles vige a lei divina que já os uniu pelo vínculo supremo do amor.
Em suma, recuar ante uma situação de desarmonia no casamento, de um cônjuge difícil ou de problemas aparentemente insolúveis é gesto e fraqueza e covardia de graves implicações. Somos colocados em situações dessas precisamente para resolver conflitos emocionais que nos barram os passos no caminho evolutivo. Estaremos recusando exatamente o remédio prescrito para curar mazelas persistente que se arrastam, às vezes, por séculos ou milênios aderidas à nossa estrutura espiritual.
A separação e o divórcio constituem, assim, atitudes que não devem ser assumidas antes de profunda análise e demorada meditação que nos levem à plena consciência das responsabilidades envolvidas.
Como escreveu Paulo com admirável lucidez e poder de síntese.
_ “Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém”.
O Espiritismo não é doutrina do não e sim da responsabilidade, Viver é escolher, é optar, é decidir. E a escolha é sempre livre dentro de um leque relativamente amplo de alternativas. A semeadura, costumamos dizer, é voluntária; a colheita é que é sempre obrigatória.
É no contexto da família que vem desaguar um volume incalculável de conseqüências mais ou menos penosas resultantes de desacertos anteriores, de decisões tomadas ao arrepio das leis flexíveis e, ao mesmo tempo, severas, que regulam o universo ético em que nos movimentamos.
Para que um dia possamos desfrutar o privilégio de viver em comunidades felizes e harmoniosas, aqui ou no mundo póstumo, temos de aceitar, ainda que relutantemente, as regras do jogo da vida. O trabalho da reconciliação com espíritos que prejudicamos com o descontrole de nossas paixões, nunca é fácil e, por isso, o comodismo nos empurra para o adiantamento das lutas e renúncias por onde passa o caminho da vitória.
Como foro natural de complexos problemas humanos e núcleo inevitável das experiências retificadoras que nos incumbe levar a bom termo, a família é instrumento da redenção individual e, por extensão, do equilíbrio social.
Não precisaria de nenhuma outra razão para ser estudada com seriedade e preservada com firmeza nas suas estruturas e nos seus propósitos educativos.

Deolindo Amorim e Hermínio C. Miranda.

texto - http://www.oespiritismo.com.br/textos

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

O FENÔMENO MEDIÚNICO


O fenômeno mediúnico, para expressar-se com segurança, exige toda a complexidade do mecanismo fisiopsíquico do homem que a ele se entrega, assim como da perfeita identificação vibratória do seu comunicante.
Para o desiderato, o perispírito do encarnado exterioriza-se em um campo mais amplo, captando as vibrações do ser que se lhe acerca, por sua vez, igualmente ampliado, graças a cuja sutileza interpenetram-se, transmitindo reciprocamente os seus conteúdos de energia, no que resulta o fenômeno equilibrado.
Às vezes, automaticamente, dá-se a comunicação espiritual, produzindo o fato mediúnico, ora por violenta injunção obsessiva e, em outras oportunidades, por afinidades profundas, quando a ocorrência é elevada.
Seja porém, como for, sem o contributo e a ação do Perispírito, a tentativa não se torna efetivo.
Desse modo o conhecimento do Perispírito é de vital importância para quantos desejam exercitar a mediunidade colocando-a a serviço de ideais enobrecedores.
Penetrabilidade, elasticidade, fluidez, materialização, depósito das memórias passadas entre outras oferecem compreensão e recurso para melhor movimentação dessas características, algumas das quais são imprescindíveis para a execução da tarefa, no fenômeno de intercâmbio espiritual.
A fixação da mente, através da concentração, proporciona dilatação do campo perispirítico e mudança das vibrações que variam das mais grosseiras às mais sutis a depender, igualmente, do comportamento moral do indivíduo.
O pensamento é o agente das reações psíquicas e físicas, sem o que, os automatismos desordenados levam aos desequilíbrios e aos fenômenos mediúnicos perturbadores, que respondem pelas obsessões de variada nomenclatura, que aturdem e infelicitam milhões de criaturas invigilantes e desajustadas.
Todo fulcro de energia irradia-se em um campo que corresponde à sua área de exteriorização, diminuindo a intensidade, à medida que se afasta do epicentro. Graças a isto, são conhecidos os campos gravitacional e atômico, no macro e microcosmo, conforme os detectou Albert Einstein.
Na área psicológica não podemos ignorar-lhe a presença nas criaturas, gerando as simpatias - por decorrência de afinidades vibratórias entre as pessoas que se identificam - e a antipatia - que deflui do choque das ondas que se exteriorizam, portadoras de teor diferente produzindo sensações de mal-estar.
Invisível, no entanto preponderante nos mais diversos mecanismos da vida, o campo é encontrado no fenômeno mediúnico, através de cuja irradiação é possível o intercâmbio.
Cada ser humano, encarnado ou não, vibra na faixa mental que lhe é peculiar, irradiando uma vibração especifica.
Quando nas comunicações, os teores são diferentes, a fim de produzir-se a afinidade, o médium educado sintoniza com o psiquismo irradiante daquele que se vai comunicar, e se este é portador de altas cargas deletérias, demorando-se sob vibrações baixas, o hospedeiro permite-se dela impregnar até que, carregado dessas energias pesadas, logra envolver-se no campo propiciador, portanto, de igual qualidade, cedendo as funções intelectuais e orgânicas à influência do ser espiritual que passa a comandá-lo, embora sob a sua vigilância em Espírito, que não se aparta, senão parcialmente, do corpo.
Quando se trata de Entidade portadora de elevadas vibrações, mais sutis que as habituais do médium, este, pelas ações nobres a que se entrega, pela oração e concentração, em que se fixa, libera-se das cargas mais grosseiras e sutiliza a própria irradiação, enquanto o Benfeitor, igualmente concentrado, condensa, pela ação da vontade e do pensamento, as suas energias até o ponto de sintonia, proporcionando o fenômeno de qualidade ideal.
Em casos especiais, nos quais seres muito elevados ou grotescos, nos extremos da escala vibratória compatível com a Vida na Terra, vêm-se comunicar, os Mentores, que mais facilmente manipulam as energias, tornam-se os intermediários que filtram as idéias e canalizam-nas em teor mais consentâneo com o campo do sensitivo, ocorrendo o fenômeno da mediunidade disciplinada.
O fenômeno mediúnico, portanto, a ocorre no campo de irradiação do Espírito através do Perispírito, está sempre a exigir um padrão vibratório equivalente, que decorre da conduta moral, mental e espiritual de todo aquele que se faça candidato.
Certamente, como decorrência do campo perispiritual, diversos núcleos de vibrações, nos quais se fixa o Espírito ao corpo, bem como em face do mecanismo de algumas das glândulas de secreção endócrina, apresentam-se as possibilidades ideais para o intercâmbio espiritual de natureza mediúnica.
Assim havendo constatado, foi que o Codificador do Espiritismo com sabedoria afirmou que a faculdade "é simplesmente uma aptidão para servir de instrumento, mais ou menos dócil aos Espíritos em geral que "os médiuns emprestam o organismo material que falta a estes para nos transmitirem as suas instruções".


Autor: Manoel Philomeno de Miranda (espírito) / psicografia de Divaldo Franco.
Revista Presença Espirita setembro de 1991 - DO BLOG COMPREENDER E EVOLUIR

PEDRO BIAL, PALADINO DO IMORAL



É lamentável ver Pedro Bial, um homem hipotéticamente culto, curvar-se ao papel de bobo da corte ao apresentar o Big Bacanal Brasil.
Um homem que foi amigo de Cazuza, que é um poeta, que esteve a frente de grandes reportagens, hoje está reduzido ao ícone do mau gosto televisivo.
Como Bial se declara agnostico, que em sua tradução quer dizer "desprovido de conhecimento", é natural que seu senso moral seja bastante abrangente e permissivo a ponto de compactuar e deleitar-se à frente desse programa sem valor algum.
Desculpe-me Bial se pego pesado, mas se fosse um João ninguém à frente do programa talvez não houvesse espaço para este alerta. No seu caso, como intelectual, jornalista, poeta, cineasta e etc é impossível não externar minha indignação sobre a quão baixo voce chegou na escala de valores humanos.
Qual a herança que voce pretende deixar para seus filhos Bial? Um mundo BigBrotheriano onde a permissividade e a falta de escrúpulos seja o padrão de comportamento da humanidade?
Pior Bial, se você quer deixar isso para seus filhos, coloque-os logo no programa mas transmita-o apenas em circuito fechado para os que compactuam com esse tipo de pensamento, Não coloques essa porcaria ao alcance dos filhos de outros.
A tua imagem, caro amigo, a não ser que te cubras com alguma hombridade que ainda te reste e deixes essa porcaria de lado, estará sempre atrelada a um dos programas mais nocivos à formação de nossos jovens.
BBB não é entretenimento Bial, não adiantam teus discursos nesse sentido, BBB é ferramenta alienadora das massas, mas, como você não sabe o sabor das massas, apenas o das maçãs, isso não lhe faz a mínima diferença.
O que te conta e fazes conta é o engordar da conta bancária, é o elogio atrelado ao galã da menopausa em que te converteste.
Me diga Bial...de um poeta para outro...de que vale fazeres saraus, criares grupos de poetas se a tua poesia se curva ao serviço do que é podre e nefasto em nossa TV?
Qualidades tens Bial, não precisarias estar nesse posto avançado da pregação do mau-caratismo na busca da audiência e de patrocínios...mas a busca da lisonja, a ganância dos aplausos te levou a esse triste fundo de poço.
Já não falo mais sozinho como há anos atrás , meu caro Pedro, hoje a internet parece finalmente estar dando lugar aos que pensam, aos que veem além das bundas das BBBetes e dos corpos sarados dos brothers...As pessoas hoje olham para além do teu sorriso e já contestam os teus discursos...´uma pena Bial...é uma pena que já não sirvas de referência para os bons e que te contentes com os aplausos dos medíocres.
Nesse teu Palácio Bialiano, que finges ser a cara do povo brasileiro, vais agregando a mesma fama de Herodes...Corrompido desde sempre pela ânsia e manutenção do poder a qualquer preço, distanciado das necessidades reais do povo.Tal qual Calígula, colocas "heróis gladiadores" em uma arena luxuosa e forneces o circo para a população idiotizada,em grande parte, pela grade de tua emissora, que só faz solapar em maior ou menor escala os valores morais e éticos de nossos cidadãos.
E para que tudo isso Bial? Para apareceres como mestre e senhor diante dos Big Babacas que adentram a "mais famosa ( ou será ignominosa) casa do Brasil" e diante de espectadores que a própria direção de sua emissora chama de Hommers?
Ah Bial, ao menos, ao iniciar o programa mude o bordão...seria mais honesto dizeres:
Vamos dar uma emburradinha?


Jorge Linhaça

SOLIDARIEDADE


Lá do fundo da solidão da alma,
o ser humano experimenta uma dor profunda,
um lamento, um vazio,
um silêncio que chega a pesar,
o fastio de uma vida sem maiores experiências...

Lá da experiência mais antiga, da velha sabedoria,
vem o recado para aqueles que não tem tempo para nada:
- arrume tempo para ser solidário,
aprenda a dividir o pão, a estender a mão.
Isso abre janelas no céu, cria rastros de luz.
Melhor que mil provérbios, mais que mil sermões,
a caridade bem exercida, é chave que rompe grilhões,
liberta a alma aflita, libera as emoções.

Por isso, no silêncio pesado da noite que não passa,
da angústia daquela dor que ninguém percebe,
do sentimento inexplicado de vazio,
pense na possibilidade de dedicar parte do seu tempo,
ao ensinar, ao partilhar, ao acolher,
em tudo ser mais gentil, mais sereno, mais pacífico.
Pois de tudo o que podes acumular,
de tudo o que pode levar da Terra,
é somente o bem que se fez,
que segue junto ao seu tesouro,
rumo ao Infinito.

Solidão é para quem compartilha o egoísmo do sofrer.
Solidariedade é para quem decidiu viver.

Paulo Roberto Gaefke


segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

TENTE LEMBRAR


1º) Deixe de tratar com prioridade quem te trata como opção...

2º) Não faça de sua vida um rascunho: você corre o risco de não
ter tempo de passá-la a limpo...

3º) Cuidado com as aparências: o tambor, apesar do barulho que faz,
é vazio por dentro...

4º) Não é triste você mudar de ideia: triste é você não ter ideia para ser mudada...

5º) Você nasceu sem pedir e vai morrer sem querer...
A pergunta é: está aproveitando esse intervalo?

Autoria desconhecida

sábado, 21 de janeiro de 2012

A TEORIA DO SUICÍDIO E OS SUICIDAS QUANDO REENCARNAM


- Parece que o suicídio é um ato de rompimento do plano de Deus, pelo qual se paga um
preço. Assim, de que maneira e com que traumas se reencarnam as pessoas que se matam:
a) por tiro no ouvido, b) por veneno, c) jogando-se embaixo de um carro, d) através de superexposição à radiação atômica?
Chico: - “O suicídio está ligado ao senso de responsabilidade. Nosso Emmanuel sempre explica que nós somos culpados por aquilo que conhecemos como sendo uma atitude imprópria para nós. Porém nós temos, ainda, povos que adotam o suicídio como norma de
comportamento heróico.
Temos comunidades no mundo que consideram o suicídio sob esse ponto de vista.
Demonstram que não possuem um conhecimento tão exato sobre a responsabilidade de
viver, produzir, como nós os cristãos fomos instruídos pelos Evangelhos de Nosso Senhor.
Então, vamos dizer que a escola de Jesus, preparando nosso espírito para a construção do mundo melhor, um mundo de amor e paz e não obstante os conflitos e guerras que temos sofrido, ou que estejamos sofrendo, nós então vemos que para nós o suicídio já adquire dimensões diferentes, porque nós somos chamados para valorizar a vida, a compreender o sofrimento como processo educativo e reeducativo de nossa personalidade. Então, o suicídio para nós, os cristãos, é algo de ingratidão para com os poderes supremos que regem os nossos destinos. O suicídio, para aqueles que conhecem a importância da vida, impõe um complexo culposo muito grande nas consciências. Então, nós os cristãos, que temos responsabilidades de viver e compreender a vida, em suicidando, nós demandamos o além com a lesão das estruturas do corpo físico. De forma que, se damos um tiro no crânio, conforme a região que o projétil atravessa, sofremos no além as lesões conseqüentes. São espíritos doentes, os espíritos enfermiços que recebem carinho especial dos protetores
espirituais.”
Entrevista concedida ao Jornal Diário, cidade de Cravinhos-SP
Livro: A TERRA E O SEMEADOR
Francisco Cândido Xavier / Emmanuel
136 - CAUSAS DOS SUICÍDIOS
P – O suicídio é conseqüência de fatores psicológicos em desagregação ou de influências espirituais em evolução?
CHICO XAVIER – Todos sabemos: cada espírito é senhor de seu próprio mundo individual. Quando perpetramos a deserção voluntária dos nossos deveres, diante das leis que nos
governam, decerto que imprimimos determinadas deformidades no corpo espiritual. Essas
deformidades resultam das causas cármicas estabelecidas por nós mesmos, pelas quais
sempre recebemos de volta os efeitos das próprias ações.
Cometido o suicídio, nessa ou naquela circunstância, geramos lesões e problemas
psicológicos na própria alma, dificuldades essas que seremos chamados a debelar na
próxima existência, ou nas próximas existências, segundo as possibilidades ao nosso
alcance.
Assim, formamos, com um suicídio, muitas tentações a suicídio no futuro, porque em nos reencarnando, carregamos conosco tendências e inclinações, como é óbvio, na
recapitulação de nossas experiências na Terra.
Quando falamos “tentações” não nos referimos a esse tipo de tentações que acreditamos
provir de entidades positivamente infelizes, cristalizadas na perseguição às criaturas humanas. Dizemos tentação oriunda de nossa própria natureza.
Sabemos que a tentação em si, na verdadeira acepção da palavra, nasce dentro de nós. Por isso mesmo poderíamos ilustrar semelhante argumento lembrando um prato de milho e um brilhante de alto preço: levado o brilhante de alto preço à percepção do cavalo, por exemplo, é certo que o eqüino não demonstraria a menor reação; mas em apresentando a ele o prato de milho, fatalmente que ele reagirá, desejando absorver a merenda que lhe está sendo apresentada.
Noutro ponto de vista, um homem não se interessaria por um prato de milho, no entanto se interessaria compreensivelmente pelo brilhante.
Justo lembrar que a tentação nasce dentro de nós.
Quando cometemos suicídio, plasmamos causas de sofrimento muito difíceis de serem
definitivamente extirpadas. Por isso, muitas vezes, os irmãos suicidas são repetentes na prova da indução ao suicídio, descendo, desprevenidos, à desconsideração para consigo próprios.
Benfeitores da Vida Maior são unânimes em declarar que, em todas as ocasiões nas quais sejamos impulsionados a desertar das experiências a que Deus nos destinou na vida terrestre, devemos recorrer à oração, ao trabalho, aos métodos de autodefesa e a todos os meios possíveis da reta consciência, em auxílio de nossa fortaleza e tranqüilidade, de modo a fugirmos de semelhante poço de angústia.


( * ) Entrevista concedida a Sra. Guiomar Albanesi, no Centro Espírita Perseverança, São
Paulo, Capital, em Outubro de 1974
Livro: A TERRA E O SEMEADOR
Francisco Cândido Xavier / Emmanuel

PENSAMENTO DO DIA


A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos.


Charles Chaplin

REVELAÇÃO: DEZEMBRO DE 2012

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

CRISTO E NÓS



“E disse-lhe o Senhor em visão: Ananias! E ele respondeu: Eis-me aqui, Senhor!” (Atos, 9:10)

“Os homens esperam por Jesus e Jesus espera igualmente pelos homens.
Ninguém acredite que o mundo se redima sem almas redimidas. O Mestre, para estender a sublimidade do seu programa salvador, pede braços humanos que o realizem e intensifiquem. Começou o apostolado, buscando o concurso de Pedro e André, formando, em seguida, uma assembleia de doze companheiros para atacar o serviço da regeneração planetária. E, desde o primeiro dia da Boa Nova, convida, insiste e apela, junto das almas, para que se convertam em instrumentos de sua Divina Vontade, dando-nos a perceber que a redenção procede do Alto, mas não se concretizará entre as criaturas sem a colaboração ativa dos corações de boa vontade.
Ainda mesmo quando surge, pessoalmente, buscando alguém para a sua lavoura de luz, qual aconteceu na conversão de Paulo, o Mestre não dispensa a cooperação dos servidores encarnados. Depois de visitar o doutor de Tarso, diretamente, procura Ananias, enviando-o a socorrer o novo discípulo.
Por que razão Jesus se preocupou em acompanhar o recém-convertido,
assistindo-o em pessoa? É que, se a Humanidade não pode iluminar-se e progredir sem o Cristo, o Cristo não dispensa os homens na obra do soerguimento e sublimação do mundo.
‘Ide e pregai.’
‘Eis que vos mando.’
‘Resplandeça a vossa luz diante dos homens.’
‘A Seara é realmente grande, mas poucos são os ceifeiros.’
Semelhantes afirmativas do Senhor provam a importância por ele atribuída à contribuição humana.
Amemos e trabalhemos, purificando e servindo sempre.
Onde estiver um seguidor do Evangelho aí se encontra um mensageiro do Amigo Celestial para a obra incessante do bem.
Cristianismo significa Cristo e nós.

Emmanuel


quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

QUE ME VENHA ESSE HOMEM...


Que me venha esse homem
depois de alguma chuva
que me prenda de tarde
em sua teia de veludo
que me fira com os olhos
e me penetre em tudo.
Que me venha esse homem
de músculos exatos
com um desejo agreste
com um cheiro de mato
que me prenda de noite
em sua rede de braços
que me perca em seus fios
de algas e sargaços.
Que me venha com força
com gosto de desbravar
que me faça de mata
pra percorrer devagar
que me faça de rio
pra se deixar naufragar.
Que me salve esse homem
com sua febre de fogo
que me prenda no espaço
de seu passo mais louco.
Com carinho...

Bruna Lombardi







PENSAMENTO DO DIA


"O coração só para pra depois voltar a bater; A gente só morre pra um dia voltar a nascer; A gente só perde pra saber o valor que é ter; Enfim, o ciclo e os contrários ensinando a viver."

Guilherme Antunes

INVITE


Woudn't you like to know my poetry? Click http://poesiauniversaldalu.blogspot.com. It will be a pleasure to have you there.

Maria Luiza

NOSSO CORPO


(...)Você mora no seu corpo. Pense que as máquinas modernas dão ao homem muitas facilidades.
No entanto, valeriam muito pouco sem o concurso das mãos.
Os aviões podem elevar você às alturas. Contudo, no dia-a-dia, você se equilibra em seus pés.
Os grandes telescópios são maravilhas do mundo, mas não serviriam para nada sem os olhos.
A música é o cântico do Universo, entretanto, passaria despercebida sem os ouvidos.
Enfim, pense que o seu corpo é um engenho Divino que a vida empresta a você, para sua permanência na Terra.
Cuide do seu corpo com serenidade e bom senso. Pense que, embora a ciência consiga tratá-lo, e até mesmo substituir alguns dos seus órgãos, ninguém, na Terra, encontra corpo novo para comprar.



Redação do Momento Espírita, com base em artigo assinado por Heraldo Espozel e no cap. 54, do Livro da esperança, pelo Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. Cec.

Em 19.01.2012.

A VIDA É UMA DÁDIVA



Se considerares que nada, absolutamente nada é teu, se considerares que quando vens à terra não tens nada e quando te vens embora da terra não trazes nada…Se considerares que nada é teu por direito, que tudo o que te chega às mãos é uma oferta que a vida te faz, vais começar a olhar para a vida de outra maneira.

Por exemplo: Se pensas que algo te vai acontecer e esse algo não acontece… Se esperas que algum assunto se encaminhe em determinado sentido e o resultado é diferente do que esperas... Se queres as coisas de uma determinada maneira e as coisas teimam em acontecer de outra… Se achas que uma pessoa vai reagir de uma maneira e ela reage de outra ou querias que ela fizesse uma coisa que não fez...

É claro que ficas desiludido. Não era assim que esperavas que as coisas se desenvolvessem. Mas há aqui uma questão que te quero colocar. Se nada nem ninguém é teu, como podes querer? Como é que pensas que podes manipular as coisas a teu bel-prazer? Porque é que achas que as coisas vão ser da forma que te dá mais jeito?

É a vida, amigo, é a vida quem te dá tudo. Absolutamente tudo. A vida dá-te tudo, desde o ar que respiras até à roupa que vestes, os filhos que tens, os amigos, a tua educação, dinheiro, emprego, relações. Já reparaste na quantidade de coisas e pessoas que a vida já te deu? Porque é que ficas sempre a olhar para o que não tens? Porque querias ter. E querer é ego.

Achas-te no direito de ter um certo número de coisas, mas em nome de quê? Quem tas deu? Quem te disse que eram tuas? Foi o teu ego que te encheu a cabeça com a ilusão de que tens direito a tudo. Faço-te uma proposta. Esquece tudo. Fica a zeros. Considera que não és dono de nada. De absolutamente nada. Tudo é da vida. E agora, devagar, começa a percepcionar todas as coisas que a vida já te deu. Tudo o que tens recebido.

Começa a ver, uma a uma, cada coisa que a vida se disponibilizou a oferecer-te, cada coisa, cada pessoa, cada emoção. E tenta sentir a gratidão por tantas coisas já recebidas. Deixa essa gratidão crescer no teu peito. Deixa que ela invada com a sua frequência excepcional a tua energia. E nunca mais vais ver a vida da mesma maneira.

O LIVRO DA LUZ – Pergunte, O Céu Responde,
de Alexandra Solnado

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

O PARTEJAR



Fantasio-me alvamente, o branco moço,
E calmas mãos bateiam o mistér divino
De garimpar duas almas, da fruta o seu caroço,
No caudal imprevisível do destino.

Velo, atento ao ventre, a dupla peça
Ouvindo com cuidado extremo os seus ruídos
A cada contração estou ao lado, sou obstetra
Traduzo a nave-mãe em seus gemidos.

Assim pouco a pouco vai-se abrindo
O túnel da vida de onde todos saímos
Num desabrochar de dor e de encantamento.

E quando a vida explode de repente
Num choro de criança, eu sinto profundo
O sinal que Deus ainda acredita neste mundo !




Nelson Antonio Corrêa

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

APENAS OBSERVANDO...


Ao viajar pelo Oriente, mantive contatos com monges do Tibete, da Mongólia, do Japão e da China. Eram homens serenos, comedidos, recolhidos e em paz nos seus mantos cor de açafrão.
Outro dia, eu observava o movimento do aeroporto de São Paulo: a sala de espera cheia de executivos com telefones celulares, preocupados, ansiosos, geralmente comendo mais do que deviam.
Com certeza, já haviam tomado café da manhã em casa, mas como a companhia aérea oferecia um outro café, todos comiam vorazmente. Aquilo me fez refletir: "Qual dos dois modelos produz felicidade?"
Estamos construindo super-homens e super mulheres, totalmente equipados, mas emocionalmente infantilizados.
Uma progressista cidade do interior de São Paulo tinha, em 1960, seis livrarias e uma academia de ginástica; hoje, tem sessenta academias de ginástica e três livrarias!
Não tenho nada contra malhar o corpo, mas me preocupo com a desproporção em relação à malhação do espírito.
Acho ótimo, vamos todos morrer esbeltos: "Como estava o defunto?". "Olha, uma maravilha, não tinha uma celulite!"
A publicidade não consegue vender felicidade, então passa a ilusão de que felicidade é o resultado da soma de prazeres: "Se tomar este refrigerante, vestir este tênis, usar esta camisa, comprar este carro, você chega lá!"
O grande desafio é começar a ver o quanto é bom ser livre de todo o condicionamento.
Há uma lógica religiosa no consumismo pós-moderno. Na Idade Média, as cidades adquiriam status construindo uma catedral; hoje, constrói-se um shopping-center. É curioso: a maioria dos shoppings-centers tem linhas arquitetônicas de catedrais estilizadas; neles não se pode ir de qualquer maneira, é preciso vestir roupa de missa de domingo. E ali dentro sente-se uma sensação paradisíaca: não há mendigos, crianças de rua, sujeira pelas calçadas...
Entra-se naqueles claustros ao som do gregoriano pós-moderno, aquela musiquinha de esperar dentista.
Observam-se os vários nichos, todas aquelas capelas com os veneráveis objetos de consumo, acolitados por belas sacerdotisas.
Quem pode comprar à vista, sente-se no reino dos céus. Deve-se passar cheque pré-datado, pagar a crédito, entrar no cheque especial, sente-se no purgatório. Mas se não pode comprar, certamente vai se sentir no inferno...
Felizmente, terminam todos na eucaristia pós-moderna, irmanados na mesma mesa, com o mesmo suco e o mesmo hambúrguer do Mc Donald...
Costumo advertir os balconistas que me cercam à porta das lojas: "Estou apenas fazendo um passeio socrático". Diante de seus olhares espantados, explico: "Sócrates, filósofo grego, também gostava de descansar a cabeça percorrendo o centro comercial de Atenas. Quando vendedores como vocês o assediavam, ele respondia: "Estou apenas observando quanta coisa existe de que não preciso para ser feliz!"


Frei Beto

QUERO...


“Fui criado com princípios morais comuns:
Quando eu era pequeno, mães, pais, professores, avós, tios, vizinhos, eram autoridades dignas de respeito e consideração. Quanto mais próximos ou mais velhos, mais afeto. Inimaginável responder de forma mal educada aos mais velhos, professores ou autoridades… Confiávamos nos adultos porque todos eram pais, mães ou familiares das crianças da nossa rua, do bairro, ou da cidade… Tínhamos medo apenas do escuro, dos sapos, dos filmes de terror… Hoje me deu uma tristeza infinita por tudo aquilo que perdemos. Por tudo o que meus netos um dia enfrentarão.
Pelo medo no olhar das crianças, dos jovens, dos velhos e dos adultos. Direitos humanos para criminosos, deveres ilimitados para cidadãos honestos. Não levar vantagem em tudo significa ser idiota. Pagar dívidas em dia é ser tonto… Anistia para corruptos e sonegadores… O que aconteceu conosco? Professores maltratados nas salas de aula, comerciantes ameaçados por traficantes, grades em nossas janelas e portas. Que valores são esses? Automóveis que valem mais que abraços, filhas querendo uma cirurgia como presente por passar de ano. Celulares nas mochilas de crianças. O que vais querer em troca de um abraço? A diversão vale mais que um diploma. Uma tela gigante vale mais que uma boa conversa. Mais vale uma maquiagem que um sorvete. Mais vale parecer do que ser… Quando foi que tudo desapareceu ou se tornou ridículo?
Quero arrancar as grades da minha janela para poder tocar as flores! Quero me sentar na varanda e dormir com a porta aberta nas noites de verão! Quero a honestidade como motivo de orgulho. Quero a vergonha na cara e a solidariedade. Quero a retidão de caráter, a cara limpa e o olhar olho-no-olho. Quero a esperança, a alegria, a confiança! Quero calar a boca de quem diz: “temos que estar ao nível de…”, ao falar de uma pessoa. Abaixo o “TER”, viva o “SER”. E viva o retorno da verdadeira vida, simples como a chuva, limpa como um céu de primavera, leve como a brisa da manhã!
E definitivamente bela, como cada amanhecer. Quero ter de volta o meu mundo simples e comum. Onde existam amor, solidariedade e fraternidade como bases. Vamos voltar a ser “gente”. Construir um mundo melhor, mais justo, mais humano, onde as pessoas respeitem as pessoas. Utopia? Quem sabe?… Precisamos tentar… Quem sabe comecemos a caminhar transmitindo essa mensagem… Nossos filhos merecem e nossos netos certamente nos agradecerão!”.

Arnaldo jabour.



ORAÇÃO PERDOANDO OS QUE MEOFENDERAM



Senhor; sei que sou falho em muitas coisas e muitos tem falhado comigo e me ofendido. Por isso eu te peço graça para perdoar a todos que, de alguma forma, me ofenderam com palavras, gestos e atitudes.
Sei que o Teu amor me ajuda a liberar o perdão. Coloca em mim um coração perdoador e bondoso, da mesma forma que o Senhor perdoou até mesmo os que Te tiraram a vida, pecando contra Ti.
Ajuda-me também a ter o Teu coração: cheio de amor, perdão e aceitação.
Em nome de Jesus, pela fé, e acima de todos os ressentimentos, eu perdôo a todos os que me ofenderam e os libero para serem tocados e transformados pela graça de Deus.

Em nome de Jesus,


Amém.

domingo, 15 de janeiro de 2012

TESE DO DOUTORADO SOBRE MÉDIUNS ESPÍRITAS



Dr. Alexander Moreira de Almeida é médico e doutor em psiquiatria pela USP – Universidade de São Paulo, coordenador do NEPER – Núcleo de Estudos de Problemas Espirituais e Religiosos do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e director técnico e clínico do HOJE – Hospital João Evangelista. O facto de registo, é que o doutor Alexander de Almeida defendeu sua Tese de Doutorado sobre “Fenomenologia das experiências mediúnicas, perfil e psicopatologia de médiuns espíritas" recorrendo a dezenas de médiuns espíritas e a varias associações espíritas de São Paulo, onde concedeu uma entrevista exclusiva ao Jornal de Espiritismo.
Como médico psiquiatra, o que o levou a escolher tal Tese de trabalho, para o seu doutoramento: “Fenomenologia das experiências mediúnicas, perfil e psicopatologia de médiuns espíritas"?
A.M.A – A importância que as vivências mediúnicas tiveram e ainda têm nas diversas civilizações e, mesmo assim, serem praticamente inexploradas no meio académico.
Como os seus examinadores e a própria Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, viram a sua Tese de Doutorado?
AMA – Muito bem. Sempre recebi todo o apoio do Departamento de Psiquiatria da USP, da FAPESP (Fundação de Amparo Á Pesquisa do Estado de São Paulo), bem como a banca teve uma postura muito científica: rigorosa, mas aberta.
E o orientador da Tese de Doutorado? Quem foi?
AMA – Francisco Lotufo Neto, professor livre-docente do Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Quem foram seus examinadores?
AMA – Prof. Dr. Paulo Dalgalarrondo, Doutor pela Universidade de Heildelberg (Alemanha), livre-docente em Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas); Prof. Dr. Leonardo Caixeta, psiquiatra, doutor em Neurologia pela Universidade de São Paulo, professor da UFG (Universidade Federal de Goiás); Prof. Homero Vallada, livre-docente, Professor de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP e da Universidade de Londres, maior especialista em genética psiquiátrica no Brasil e pelo Prof. Dr. Paulo Rossi Menezes, psiquiatra e epidemiologista, doutor pela London Universisty, livre-docente da faculdade de Medicina da USP.
Existiu algum critério específico para a composição da Banca Examinadora?
AMA – Que fossem pesquisadores destacados e que estudassem áreas relacionadas ao tema da tese.
Durante seu estudo, verificou por certo o grau de escolaridade dos médiuns espíritas. São eles incultos e ignorantes como se diz?
AMA – 46,5% dos médiuns tinham escolaridade superior ou superior com pós-graduação. O Censo Brasileiro de 2000 mostrou que o Espiritismo é a única religião em que a proporção de adeptos aumenta quanto maior o nível educacional do segmento estudado.
Os médiuns espíritas sofrem de transtornos dissociativos, psicóticos ou transtornos de personalidade múltipla?
AMA – Eles também podem apresentar estes e outros transtornos mentais, como qualquer indivíduo, no entanto, a prevalência de problemas psiquiátricos entre os médiuns estudados foi menor que o encontrado na população geral.
Então os médiuns espíritas não são esquizofrénicos?
AMA – Não, eles são até mais saudáveis que a população geral. Isto, apesar de terem muitas vivências alucinatórias e de influência que normalmente são consideradas como sintomas clássicos de esquizofrenia.
Como a mediunidade é vista pela medicina?
A.M.A – Como a expressão de uma manifestação cultural, religiosa, que não necessariamente é patológica. Sobre a explicação de sua origem, habitualmente é considerada como um fenómeno dissociativo em que se manifestam conteúdos do inconsciente do indivíduo. No entanto, estas ideias são baseadas em muitas opiniões e poucas pesquisas.
A mediunidade é causa de doenças mentais?
AMA – Apesar de, historicamente, nos últimos 150 anos ter se acreditado nisto, não há evidências a este respeito.
Quais os possíveis mecanismos neurofisiológicos da mediunidade?
AMA – Desconheço estudos a este respeito, tudo que eu dissesse seria meramente especulativo.
Alguns colegas defendem que a glândula pineal é o órgão sensorial da mediunidade. Sabemos que essa hipótese não é nova. O espírito de André Luiz através do respeitado médium Francisco Cândido Xavier trouxe de novo a “lume”. Qual a sua opinião?
AMA – Há uma longa história de associação da pineal com o Espírito, isto vem desde Descartes. Do ponto de vista científico, desconheço qualquer estudo trazendo evidências da pineal se relacionar com mediunidade. Entretanto, sem dúvida é uma interessante hipótese a ser testada.
Sendo médico e doutor em psiquiatria, o que é a mediunidade?
AMA – Penso que a mediunidade é uma manifestação de uma habilidade humana que tem estado presente na maioria das civilizações ao longo da história. A origem destas vivências em muitos casos, acredito, podem estar realmente no inconsciente dos médiuns. Entretanto, há um considerável número de casos em que esta explicação é insuficiente, apontando para alguma fonte externa ao médium.
Como relaciona psiquiatria, espiritualidade e mediunidade?
AMA – A psiquiatria deve estar interessada numa visão abrangente e multifacetada do ser humana, assim a espiritualidade deve ser levada em conta, como todas as demais dimensões da existência humana. Por fim, a mediunidade é uma vivência que pode nos revelar muito sobre o funcionamento da mente e sua relação com o corpo. Muitos de nossos trabalhos na área podem ser acessados na página www.hojenet.org no item “teses & artigos”.
Como distingue em seus pacientes “mediunidade” com distúrbios meramente neuropsicológicos?
AMA – Esta pergunta não admite uma resposta simples. Faz-se necessária uma avaliação cuidadosa e ampla da pessoa, o que ela tem vivenciado, suas crenças e seu contexto social e cultural. Em linhas gerais, para uma certa vivência ser considerada indicativa de um transtorno mental, deve estar associada a sofrimento, falta de controle sobre sua ocorrência, gerar incapacitação, coexistir com outros sintomas de transtornos mentais e não ser aceita pelo grupo cultural ao qual pertence o indivíduo.
Ao receber um paciente portador de faculdade mediúnica, como conduz o caso?
AMA – Trato o transtorno mental existente além de recomendar que o paciente continue com suas práticas religiosas. No entanto, se ele estiver com desequilíbrios mais graves, inicio o tratamento farmacológico e psicoterápico e solicito o afastamento das actividades mediúnicas. No entanto, recomendo que continue participando das demais actividades religiosas (palestras, orações, cultos, passes...)
O seu estudo reuniu a maior amostra de médiuns espíritas alguma vez investigada na área médica no mundo. A sua tese já teve repercussões no meio médico ou em algum centro de investigação universitário? Quais?
AMA – Tenho apresentado os resultados da tese em congressos científicos no Brasil e nos EUA, como por exemplo o Congresso Brasileiro de Psiquiatria e International Conference on Mediumship promovido pela Parapsychology Foundation
Nesses congressos científicos, como os investigadores brasileiros e norte-americanos reagiram à sua investigação?
AMA – Muito bem, demonstrando bastante interesse.
Como vê a doutrina espírita, codificada por Allan Kardec?
AMA – Como uma proposta bem fundamentada de se fazer uma investigação científica e com bases empíricas de fenómenos antes considerados metafísicos e fora do alcance da ciência.
O que é o NEPER – Núcleo de Estudos de Problemas Espirituais e Religiosos do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo?
AMA – É um grupo de estudos interdisciplinar das relações entre religiosidade saúde. É composto por psiquiatras, neurologistas, historiadores, psicólogos, antropólogos, filósofos. Não está vinculado a nenhuma religião, se prende apenas à rigorosa investigação científica nesta área.
Que mensagem gostaria de deixar aos médicos europeus?
AMA – Na Europa já existem iniciativas muito interessantes na área da espiritualidade, como a Fundação BIAL em Portugal, a Society for Psychical Research e muitos médicos britânicos que investigam o tema, bem como a disciplina de parapsicologia da Universidade de Edimburgo, além de iniciativas das Associações Médico-Espíritas. Que continuem se interessando e investigando cada vez mais as desafiadoras e fascinantes relações entre espiritualidade e ciência.
DADOS DA INVESTIGAÇÃO
Total: 115 médiuns espíritas
Mulheres: 76,5%
Média de Idade: 48 anos
Desemprego: 2,7%
Curso superior: 46,5%
Média de anos no espiritismo: 16 anos
Possuíam mais de 3 tipos de mediunidade;
Incorporação: 72%
Psicofonia: 66%
Vidência: 63%
Audiência: 32%
Psicografia: 23%
Exerciam a mediunidade por semana: 7 a 14 vezes
PRINCIPAIS CONCLUSÕES
1- Os médiuns espíritas diferiam das características de portadores de transtornos de personalidade múltipla e possuíam uma alta média de sintomas de primeira ordem para esquizofrenia, mas estes não se relacionavam aos escores de outros sintomas psiquiátricos e não se relacionavam a problemas no trabalho, família ou estudos.
2- A maioria teve o início de suas manifestações mediúnicas na infância e estas, actualmente, se caracterizam por vivências de influência ou alucinatórias que não necessariamente implicam num diagnóstico de esquizofrenia.
3- A mediunidade provavelmente se constitui numa vivência diferente do transtorno de personalidade múltipla.

Postado por Issarrar Ben Kanaan em 12 janeiro 2012 às 17:00 em Rede do Amigo Espírita

Fonte: http://www.ameporto.org/pt/entrevistas/alexander.htm

sábado, 14 de janeiro de 2012

A ALEGRIA


No fundo de um poço
deitei a Alegria,
dizendo-lhe: “Espera
que volto algum dia,
com louros e rosas,
Amor e Poesia.”
No fundo de um poço
por que a deitaria?
Por que desprezava
sua companhia?
Pensei que no mundo
tudo padecia.
Ai, como o pensava!
E não a queria.
No fundo de um poço
deitei a Alegria.
Chegaram os tristes
por quem eu sofria.
Consigo a levaram
- e de longe o via! -
Nunca perguntaram
a quem pertencia.
Sofrer por sofrer,
somente eu sofria.
Os outros, - apenas
querendo alegria.
À beira do poço
voltarei um dia.
Pousarei meu rosto
na água negra e fria,
em ramos serenos
de Amor e Poesia.
Direi meu segredo,
sem melancolia.

E na água profunda,
sem noite nem dia,
eu mesma serei
minha companhia.
Eu quis outra coisa
que ninguém queria.
Nem tenho saudade
da antiga Alegria.

Cecília Meireles

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

PENSAMENTO DO DIA


A vida é uma sucessão de mudanças espontâneas e naturais. Resistir a elas só serve para criar sofrimento. Deixe a realidade ser a realidade. Pemita que os acontecimentos sigam seu curso natural conforme a própria vontade.

Lao-tsé

BETÂNIA RECITA

SABEDORIA


Há dois tipos de sabedoria:
a inferior e a superior.

A sabedoria inferior é dada pelo quanto uma pessoa sabe
e a superior é dada pelo quanto ela tem consciência de que não sabe.
Tenha a sabedoria superior.
Seja um eterno aprendiz na escola da vida.

A sabedoria superior tolera;
a inferior, julga;
a superior, alivia;
a inferior, culpa;
a superior, perdoa; a inferior, condena.
Tem coisas que o coração só fala
para quem sabe escutar!

CHICO XAVIER

O POEMA DO MUNDO

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

A MUDANÇA DE DIMENSÃO E SUAS CONSEQUÊNCIAS S


Nem toda doença vem dos distúrbios físicos ou da desarmonia energética. Muitas pessoas hiper-sensíveis estão apresentando sintomas que nada mais são que a consequência da mudança vibratória do planeta e dos polos magnéticos.
Dores de cabeça, dores difusas pelo corpo, certa ansiedade demonstram apenas que estamos sentindo a nova dimensão a que o planeta está sendo ascensionado.
As pessoas comuns percebem somente que o tempo está passando mais depressa, mas atribuem isso à multiplicidade de suas funções. Entretanto, realmente, o tempo está passando mais depressa em vista das mudanças por que passa o nosso planeta Terra.
Raios diferentes dos que nos acostumamos a eles estão atingindo a Terra e interferindo em toda a vida do planeta. Dessa forma, todas as transformações que o planeta apresenta não são simplesmente resultado do desrespeito do Homem pela Natureza, mas, também, por causa de sua mudança vibratória. Essas mudanças não são nenhuma novidade: de eras em eras elas acontecem. Para que elas se deem em nível menos sofrido basta que mantenhamos elevados os nossos pensamentos, as emoções e os sentimentos. Como tudo se conecta a tudo no Universo e tudo é energia, vamos evitar tudo que possa ser negativo para que, assim, tudo se dê de forma mais tranquila.

Maria Luiza

DO OUTRO LADO DA VIDA...


o.(...)Ao longo das eras, o homem tem se indagado o que existe para além da tumba, como será a outra vida.
Em torno disso, teólogos e religiosos se têm posto a pensar e têm até estabelecido discussões acerca das ideias que fazem do que seja essa outra vida para onde todos iremos.
No século XIX, na França, um pedagogo francês indagou dos Imortais a respeito e o véu começou a ser levantado, revelando um mundo cheio de vida.
Vida abundante como falou o Mestre de Nazaré.
Livros foram escritos dizendo de como essa vida prossegue para os Espíritos imortais que somos todos nós.
Mas nem todos creem nos Espíritos, nessas vozes dos céus. Nem todos creem na mediunidade e nos fenômenos da comunicação dos chamados mortos.
Contudo, todos os que nos dizemos cristãos, com certeza recordamos das palavras do Mestre Jesus, em Seu discurso de despedida, naquela noite de quinta-feira, precedendo a Sua prisão:
Não se turbe o vosso coração. Crede em Deus. Crede também em mim.
Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fosse, eu vo-lo teria dito. Eu vou para vos preparar o lugar.
Portanto, tem razão o médico. Se nosso Senhor estará lá, se disse que iria à frente para nos preparar o lugar, é que nos aguarda.
Dessa forma, não importa o que mais exista lá. Não importa se temos ideias mais nítidas ou não do que exista para além da vida física.
Uma certeza temos: Jesus estará lá. Ele nos aguarda, Pastor de todas as ovelhas deste planeta e, como bom Pastor, nos receberá.

Pensemos nisso!

Redação do Momento Espírita, com base em texto que circula pela Internet, sem título e sem autoria e dos versículos 1 a 3 do cap. XIV do Evangelho de Joã

EM CONSTANTE RENOVAÇÃO

Em Constante Renovação - Emmanuel from FEEAK - Frat. de Est. Espíritas on Vimeo.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

ÀS VEZES...


Deus costuma usar a solidão
Para nos ensinar sobre a convivência.
Às vezes, usa a raiva para que possamos
Compreender o infinito valor da paz.
Outras vezes usa o tédio, quando quer
nos mostrar a importância da aventura e do abandono.
Deus costuma usar o silêncio para nos ensinar
sobre a responsabilidade do que dizemos.
Às vezes usa o cansaço, para que possamos
Compreender o valor do despertar.
Outras vezes usa a doença, quando quer
Nos mostrar a importância da saúde.
Deus costuma usar o fogo,
para nos ensinar a andar sobre a água.
Às vezes, usa a terra, para que possamos
Compreender o valor do ar.
Outras vezes usa a morte, quando quer
Nos mostrar a importância da vida.

Fernando Pessoa



terça-feira, 10 de janeiro de 2012

SÃO DEMAIS OS PERIGOS DESSA VIDA


Pra quem tem paixão,
principalmente
Quando uma lua chega de repente
E se deixa no céu, como esquecida
E se ao luar, que atua desvairado
Vem se unir uma música qualquer..

Aí então é preciso ter cuidado
Porque deve andar perto uma mulher
Uma mulher que é feita de música,
Luar e sentimento, e que a vida
Não quer, de tão perfeita .

Uma mulher que é como a própria lua
Tão linda que só espalha sofrimento,
Tão cheia de pudor que vive nua.

Vinicius de Moraes

PROFECIA DE 2012 SERÁ SOBRE CRISE DE CONSCIÊNCIA





O tempo de Fernand Malkun é dividido entre a
investigação e conferências. O especialista em Cultura Maia explica o
que esta civilização escreveu para 2012.


Há quinze anos, Fernando Malkun, barranquillero
(natural de Barranquilla, uma cidade da Colômbia) de origem libanesa,
deixou a arquitetura que tinha estudado na Universidade de Los Andes,
e a qual havia se dedicado por quase uma década, para responder às
perguntas que se atravessaram em sua vida. Durante esse tempo, ele se
encontrou com a cultura Maia e dedicou-se completamente ao seu estudo.
Hoje é um especialista no tema, com reconhecimento internacional e
continua viajando pelo mundo explicando a mensagem que esta
civilização deixou para os seres humanos.

Os Maias disseram que o mundo iria acabar em 2012?
R- Estão gerando um pânico coletivo absurdo aduzindo
que eles tinham anunciado que o mundo iria acabar em dezembro de 2012.
Não é verdade. Os Maias nunca usaram a palavra fim. Anunciaram um
momento de mudança, de grande aumento de energia do planeta, o que
causaria "eventos de destino", isto é, definitivos, nas pessoas. O
problema é que o nível de consciência da maioria das pessoas atinge
apenas o fim do mundo e não a transformação de consciência.
Quando isso vai acontecer?
R- Não vai acontecer, está acontecendo. As pessoas
não estão juntando todas as peças do quebra-cabeça para perceber isso.
Acreditam apenas que estes eventos atuais são causados por um conjunto
de "coincidências" evolutivas. Mas estamos em uma onda de mudanças
como nunca antes.
O que se percebe, segundo o que é dito pelos Maias?
R- A profecia anunciou que o planeta aumentaria a
sua frequência vibracional, o que é um fato: esta frequência, que se
mede com a ressonância Schumann, passou de 8 a 13 ciclos. Todos os
planetas do sistema solar estão mudando. De 1992 até hoje, os pólos de
Marte desapareceram 60 por cento e Vênus tem quase o dobro de
luminescência. Passamos 300 anos registrando o Sol e as tempestades
solares maiores têm ocorrido nos últimos seis meses. Houve um aumento
de terremotos de 425 por cento. Tudo está acelerado dos pontos de
vista geofísico e solar. Nosso cérebro, que irradia suas próprias
ondas, é afetado por essa maior irradiação do sol. Essa carga
eletromagnética é o motivo por que sentimos o tempo mais rápido. Não é
o tempo físico, mas o tempo de percepção emocional.
Fale sobre 1992. Por que este ano? O que aconteceu?
R- A essência das profecias maias é comunicar a
existência de um ciclo de 26.000 anos, chamado "o grande ciclo
cósmico". Tudo, estações, meses, dias se ajustam a esse ciclo. Há 13
mil anos, o sol -assim como agora- irradiou mais energia no planeta e
derreteu a camada de gelo. Essa camada desaguou no mar, elevou o seu
nível em 120 metros e ocorreu o chamado "Dilúvio Universal ". Os Maias
disseram que quando o sistema solar estiver novamente a 180 graus de
onde estava 13.000 anos atrás, a Estrela do Norte brilha sobre o pólo,
a constelação de Aquário aparece no horizonte e o trânsito décimo
terceiro de Vênus se der - o que vai acontecer em 6 de junho de 2012 -
o centro da galáxia pulsará e haverá manifestações de fogo, água,
terra, ar. Eles falam, especificamente, de dois períodos de vinte anos
, de 1992 a 2012 e 2012-2032 - de intensas mudanças.
Por que anunciavam isso?
R- A proximidade da morte faz com que as pessoas
repensem suas vidas, examinem e corrijam a direção que tomam. Isso é
algo que ocorre somente se algo se aproxima de você, ou você passa
diretamente, te impacta tremendamente. Isto é o que tem acontecido com
os tsunamis,os terremotos, as catástrofes naturais de que vivemos, os
conflitos sociais, econômicos, etc.

Então, eles falam de morte.
R- Eles falam de mudança, de um despertar da
consciência. Tudo o que está errado com o planeta está se
potencializando com o objetivo de que a mente humana se dedique a
resolvê-lo. Há uma crise de consciência individual. As pessoas estão
vivendo "eventos de destino", seja em seus relacionamentos, seus
recursos, em sua saúde. É um processo de mudança que se baseia
principalmente no desdobramento invisível, e está afetando em especial
à mulher.
Por que as mulheres?
R- A mulher é quem terá o poder de criar a Nova Era,
devido à sua maior sensibilidade. De acordo com as profecias - não só
as Maias, mas muitas-, a Era que se aproxima é de harmonia e
espiritualidade. As coisas que estão mal vão se resolver no período
que os Maias chamaram de "tempo do não tempo", que será de 2012-2032.
Desde 1992, o percentual de mulheres que vêem a aura (seres curadores)
do planeta tem aumentado. Hoje, é de 8,6 por cento. Imagine que em
2014 seja de 10 por cento. Isso significaria o início de um período
mais transparente. Essa seria a direção da mudança não violenta.
Mas o que se vê hoje é um aumento na agressividade.
R- As duas polaridades são intensificadas. Estão
abertos os dois caminhos, o negativo, escuro, destruição, de confronto
do homem com o homem; e o de crescimento da consciência. Existem
várias vozes que estão levando os seres humanos a pensar sobre isso.
Desde 1992, as informações proibidas dos gnósticos, dos maçons, dos
Illuminati, estão abertas para que se utilize no processo de mudança
de si mesmo. A religião esta acabando e a religiosidade é que irá
permanecer.
Tudo isso, os Maias deixaram de escrito, assim específico?
R- Não a esse ponto. Eles disseram que o sol iria
mudar as condições do planeta e criar "eventos de destino ". O sol
bateu todos os recordes este ano. Os Terremotos aumentaram 425 por
cento. A mudança de temperatura é muito intensa: de 92 para cá
aumentou quase um grau, o mesmo que subiu nos últimos 100 anos
anteriores. Antes, havia 600 ou 700 tormentas elétricas simultâneas,
hoje há duas mil. Antes se registravam 80 raios por segundo, agora
caem entre 180 e 220.
Como eles sabiam que isso ia acontecer?
R- Eles tinham uma tecnologia extraordinária. Em
suas pirâmides havia altares de onde eles estudaram o movimento do sol
no horizonte. Produziam gráficos com os quais sabiam quando haveria as
manchas solares, quando aconteceriam tempestades elétricas. Foi um
conhecimento que receberam dos egípcios, que, por sua vez, o receberam
dos sacerdotes sobreviventes da Atlântida, civilização destruída
13.000 anos atrás. Os Maias aperfeiçoaram o conhecimento e foram os
criadores dos calendários mais precisos. Um deles, chamado "Conta
larga" termina em 21 de dezembro de 2012, e marca o ponto do centro
exato do período de 26.000 anos. Eles sabiam que essas mudanças
estavam vindo e o que eles fizeram foi dar essa informação para o
homem de 2012.
Será que estas mudanças só foram levantadas por eles?
R- Todas as profecias falam da mesma coisa. Os
hindus, por exemplo, anunciam o momento de mudança e falam sobre a
chegada de um ser extraordinário qual o mundo ocidental cristão
apregoa. Os Maias nunca falaram de um ser extraordinário que viria
para nos salvar, mas falaram de crescer em consciência e assumir a
responsabilidade, cada ser na sua individualidade.
E se as pessoas não acreditam nisso?
R- Acreditando ou não, vai senti-lo no seu interior.
A mudança que estamos vivenciando não é algo de se acreditar ou não.
Neste momento, a maioria está vivendo um tempo de avaliação de sua
vida. Por que estou aqui, o que está acontecendo, para onde eu quero
ir? Basta olhar o crescimento da busca de espiritualidade, não de
religiosidade, porque a religião não está dando mais respostas às
pessoas.
A sua vida pessoal mudou?
R- Há quinze anos, eu era tremendamente
materialista. Minha conduta é muito diferente hoje. Eu me perguntei
por que estava aqui, para quê, e por razões especiais acabei metido no
mundo Maia. E posso afirmar que não se tratam de crenças falsas para
substituir crenças falsas. Tirei muitas histórias da minha mente, mas
eu ainda estou no terceiro nível de consciência, que é dominante no
planeta.
Quem está mais em cima?
R- Há pessoas que estão em um nível 4 ou 5. São as
menos famosas, de perfil baixo. Em uma viagem conheci um jardineiro
extraordinário, por exemplo. Estes seres estão em serviço permanente,
afetando a vida de muitas pessoas, mas não publicamente.
O que devemos fazer, de acordo com essa teoria?
R- O universo está nos dando uma oportunidade
individual para reestruturar nossas vidas. A maneira de
sincronizar-nos é, primeiro, não ter medo, perceber que podemos mudar
nossa consciência. A física quântica já disse: a consciência modifica
a matéria. O que significa que sua vida depende daquilo que você
pensa. A distância entre causa e efeito tem diminuído. vinte anos
atrás, para que se manifestasse algo em sua vida, necessitava-se de
muita energia. Vinte anos atrás qualquer fator de punição de um ato
maldoso ganhavam-se os anos para receber alarde. Hoje tudo ganha
destaque rápido. A corrupção pelo mundo a fora tem ganhado destaque
internacional. As ditaduras estão caindo. As religiões estão a cada
dia mais problemáticas, Hoje, você pensa algo e em uma semana está
acontecendo. Sua mente causa isso. O que devemos é buscar, as
respostas estão aí. Basta ter olhos para ver e ouvidos para ouvir.



Renato Dantas
Psicólogo /João Pessoa-PB
www.sorrisodeesperanca.com
AAMESPB - AMIGOS ADMIRADORES DA MÚSICA ESPÍRITA DA PARAÍBA
Bom é não precisar pedir. Melhor ainda é poder ajudar!
(Renato D M)FONTE: Fernando Malkún

domingo, 8 de janeiro de 2012

FLORBELA, A POETISA QUE VOLTA!



"Quem me dera encontrar o verso puro,
O verso altivo e forte, estranho e duro,
Que dissesse a chorar isto que sinto!"
Florbela Espanca

Florbela Espanca foi em tempos idos uma estrela fulgurante que encantou os corações portugueses com sua poesia. Seus gorjeios tocaram meus ouvidos quando li uma revista espírita. Depois pela Internet, deliciei-me com seus versos.
Esta estrela se apagou de forma trágica, mas a sua luminosidade poética se irradiou pelo mundo.
Tempos atrás, um amigo revelou-me: Wilson, Florbela está de volta e pede espaço para de novo trazer o seu canto e poesia.
Fiquei feliz. E soube que junto desse amigo e do seu grupo de atividades espirituais, ela iniciou uma nova jornada.
A meta dessa poetisa agora, vivendo no mundo paralelo, é socorrer com suas mensagens e presença, as criaturas que se encontram desesperadas. Ela sabe muito bem o quão doloroso é algemar-se na tristeza e desilusão.
Tudo bem, a vida às vezes se torna difícil, as pessoas agem com acidez, os conflitos do coração se acotovelam em nosso dia infiltrando-se em nossa alma.
Mas não há coisa mais encantadora aqui na Terra do que viver!

Permita que a divindade se manifeste em você e deixe que seu copo corra pelos campos da imaginação à procura de sonhos e ilusões.
Você já experimentou desistir de chorar, cansar-se de ficar desiludida?
Pois é, observe a vida, os pássaros, a água que jorra incessante noas fontes.
Faça algo por você, corte o cabelo, compre um perfume, ligue para um amigo querido.
Florbela Espanca teve uma trajetória dolorida e sobrecarregou sua vida com angústias, mas em tempo, desalgemou-se da dor e da solidão e, agora, cuida dos desesperançados. E ela pede com coragem: dê uma virada em sua vida. Vale a pena!

Em tempos outros, perdeu sua vida... Agora ela volta como a primavera para trazer seus encantos e perfumes.
Você que me lê, tem a oportunidade de se recuperar antes...
Então, seja esperta, utilize sua inteligência. Pense: sou um ser divino, tenho talentos, sou abençoada pelos mestres, vou sair dessa!
Isso! Olha um pouco acima, lá distante. Há caminhos e oportunidades.
Inocente seus atos, tirando de suas mãos o desejo insano de agredir e agredir-se.
Apascente seu olhar. Você é uma ovelha que Deus quer recolher em seu aprisco.
Observe-se e veja que em seu corpo existem mais de 150 milhões de células que são seres inteligentes e que aguardam com ansiedade que você dê a elas a oportunidade de se desenvolver e crescer.
Sim, para essas criaturas você é Deus!
E mais, dê uma segunda chance a você. As tentativas frustradas que você realizou não representam falhas. Foram oportunidades... outras surgirão!
Refaça seus conceitos. Tenha a coragem de dizer a si mesma que quer uma nova chance. Perdoe-se, tire dos seus ombros a responsabilidade de acertar sempre e evite o julgamento que faz de você uma pecadora.
Alto lá! Você é um ser divino e Deus precisa de você viva e atuante no Planeta Azul...

É, Wilson, é fácil falar, mas carregar estes fardos, observar as perdas do passado, pessoas e sonhos que se foram...
Pois bem, queime tudo. Junte as memórias, recolha as imagens, escreva tudo em papéis e queime. Forre suas mãos com as cinzas do esquecimento e da perda. E assim você poderá carregar as brasas que ainda restarem.
E se não der certo assim, então coloque nas palmas da sua mão uma caneta e escreva um bilhete carinhoso para alguém. Ponha nas mãos perfume e cumprimente aqueles que você encontrar ou ainda, suavize os movimentos da sua mão com gestos de carinho por você mesma.


Wilson Francisco - wilson153@gmail.com do site STUM

AS LIÇÕES QUE A VIDA ME DEU



1. A vida não é justa, mas ainda é boa.
2. Quando estiver em dúvida, dê somente o próximo passo, pequeno .
3. A vida é muito curta para desperdiçá-la odiando alguém.
4. Seu trabalho não cuidará de você quando você ficar doente. Seus amigos e familiares cuidarão. Permaneça em contato.
5. Pague mensalmente seus cartões de crédito.
6. Você não tem que ganhar todas as vezes. Concorde em discordar.
7. Chore com alguém. Cura melhor do que chorar sozinho.
8. Pode ficar bravo com Deus. Ele suporta isso.
9. Economize para a aposentadoria começando com seu primeiro salário.
10. Quanto a chocolate, é inútil resistir.
11. Faça as pazes com seu passado, assim ele não atrapalha o presente.
12. É bom deixar suas crianças verem que você chora.
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que é a jornada deles.
14. Se um relacionamento tiver que ser um segredo, você não deveria entrar nele.
15. Tudo pode mudar num piscar de olhos Mas não se preocupe; Deus nunca pisca.
16. Respire fundo. Isso acalma a mente.
17. Livre-se de qualquer coisa que não seja útil, bonito ou alegre.
18. Qualquer coisa que não o matar o tornará realmente mais forte.
19. Nunca é muito tarde para ter uma infância feliz. Mas a segunda vez é por sua conta e ninguém mais.
20. Quando se trata do que você ama na vida, não aceite um não como resposta.
21. Acenda as velas, use os lençóis bonitos, use roupa chic. Não guarde isto para uma ocasião especial. Hoje é especial.
22. Prepare-se mais do que o necessário, depois siga com o fluxo.
23. Seja excêntrico agora. Não espere pela velhice para vestir roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém mais é responsável pela sua felicidade, somente você.
26. Enquadre todos os assim chamados "desastres" com estas palavras 'Em cinco anos, isto importará?'
27. Sempre escolha a vida.
28. Perdoe tudo de todo mundo.
29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo..
31. Não importa quão boa ou ruim é uma situação, ela mudará.
32. Não se leve muito a sério. Ninguém faz isso.
33. Acredite em milagres.
34. Deus ama você porque ele é Deus, não por causa de qualquer coisa que você fez ou não fez.
35. Não faça auditoria na vida. Destaque-se e aproveite-a ao máximo agora.
36. Envelhecer ganha da alternativa -- morrer jovem.
37. Suas crianças têm apenas uma infância.
]38. Tudo que verdadeiramente importa no final é que você amou.
39. Saia de casa todos os dias. Os milagres estão esperando em todos os lugares.
40. Se todos nós colocássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos todos os outros como eles são, nós pegaríamos nossos mesmos problemas de volta.
41. A inveja é uma perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
42. O melhor ainda está por vir.
43. Não importa como você se sente, levante-se, vista-se bem e apareça.
44. Produza!
45. A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente.”

Regina Brett, que, aos 90 anos, assina uma coluna no The Plain Dealer, Cleveland, Ohio.

ALGUMAS DE MINHAS OBRAS

MEU MAIS NOVO LIVRO

MEU MAIS NOVO LIVRO