BOAS VINDAS

Seja bem vindo! Espero que aqui encontre alento, beleza, amor e paz! E que possa espalhar isto para o mundo, que vive tão sedento de tudo isto.



Pesquisar este blog

Seguidores

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

INSPIRAÇÃO NO MESTRE - A EVOLUÇÃO


Cada novo dia é um período precioso para o buscador da verdade. Ele sabe que um novo ciclo começa e, dependendo de quanto já avançou na caminhada, procura torná-lo proveitoso, útil, amoroso, com base no conhecimento e nas experiências adquiridas até aqui. Ele sabe que pode fazer de seu dia um paraíso, um inferno ou, ainda, pode simplesmente desperdiçá-lo, ligando aquele piloto automático que embotará sua consciência, misturando-a com aquela da maioria das pessoas que ainda se encontra hipnotizada, adormecida, perdida no meio da ilusão da matéria.
Sim, o ruído é enorme, permanente e está por toda parte. Intensifica-se em ocasiões especiais como o natal, ano-novo, no carnaval e nos grandes eventos esportivos locais e mundiais. A mobilização diuturna e massacrante da mídia, empurrada pelos bancos, os produtores de bebidas, os grandes grupos de telefonia, as empresas estatais -ainda que sejam monopolistas, todas sustentadas com nossa energia-, faz com que a maioria permaneça constantemente num faz-de-conta cheio de fantasia, de pseudo-alegria, de sensações passageiras de euforia que podem beirar a alucinação ou a insensatez.

Sim, enormes quantidades de energia são desperdiçadas, impregnando ainda o éter com suas vibrações pesadas, de baixa frequência, distantes da Luz, que aguarda condições mais favoráveis para manifestar-se com seu poder em nosso auxílio.
Todos sentimos na Alma essas perturbações daninhas que se espalham à nossa volta, que dificultam até a conexão com a Fonte para escrever estas linhas... ainda que tenhamos feito com cuidado e perseverança nossa parte, sem abrir brechas ao negativismo, ao desânimo, ao conformismo, sempre usando a chave do Amor, perdoando, servindo, estando em constante sintonia com os eternos valores universais. Sim, mesmo assim, há situações em que nossa força de vontade e nossas certezas são desafiadas, postas à prova de fato mais uma vez, sem clemência, sem dó.
Sabemos que passa, pois tudo é cíclico e mutável, e que poderíamos deixar para enviar este boletim na semana que vem, mas sentimos dentro do peito uma grande urgência e uma necessidade premente de continuar a espalhar sementes de Luz, que nos impelem a escrever, a continuar motivando e estimulando todos os que estão na sintonia da Verdade e que neste exato momento podem se sentir perdidos, abandonados, esquecidos pela Consciência Universal.

No entanto, ainda que tudo em volta nos aponte superficialidade, banalidade, vulgaridade, barganha, falta de compromisso e tudo o mais, este é mais um momento certo para manifestar nossa força e poder inatos, nossa lucidez e disposição na busca da verdadeira e definitiva libertação que está na edificação, tijolo por tijolo, ladrilho a ladrilho, de nossa Morada Espiritual. Algo que nos recoloca na bem-aventurança, na paz, na alegria de servir, na disponibilidade total de amparar, avançando firmes na trilha impérvia que leva ao topo daquela montanha dos muitos nomes: Amor Incondicional, Consciência Crística, A Fonte...
Ainda que a subida possa parecer solitária, na verdade, conta com o apoio sublime dos Mestres, dos seres de Luz que nos amam de amor infinito, que conhecem o tamanho das dificuldades que aqui, no plano material, enfrentamos a cada passo dado, sugerindo-nos como evitar na prática as inúmeras armadilhas do ego, com sua enganação e falsas necessidades, aliviando desta forma nosso fardo, tornando a caminhada mais compensadora, leve e benéfica.

Veio-me agora uma pergunta simples: onde estão as religiões tradicionais nesses momentos tão críticos da Humanidade? Que apoio real - psicológico, energético e espiritual conseguem dar? Como aliviar o intenso sofrimento da Alma de milhões de pessoas, prisioneiras de tradições obsoletas, inverdades, fundamentalismo, hipocrisia, sem esquecermos ainda dos dogmas que, à luz do conhecimento moderno, chegam a beirar o ridículo?
Onde foi parar, se é que alguma vez de fato existiu, o verdadeiro ecumenismo, a universalidade e a opção pelos pobres? Como foi repassada, nos séculos, a belíssima mensagem original do Pescador de Almas da Galileia, o Cristo?
Ou será que suas palavras foram alteradas, distorcidas, esquecidas, em prol do poder absoluto, do controle do rebanho, da riqueza, da ostentação e do fasto?
Sim, está mais do que na hora. Precisamos o quanto antes higienizar o ambiente à nossa volta, limpando-o de todo o lixo que atravanca nossa jornada rumo ao desenvolvimento da Alma, aquele movimento individual e intransferível, tão único quanto nossas digitais, nossa escrita, ou a vibração sutil de nosso ser divino.

Vamos para frente com firmeza, determinação e coragem; mas sempre com respeito absoluto para com aquele nosso semelhante que ainda segue iludido, desconcertado e como que cego pela fumaça densa que o envolve e o impede de enxergar a realidade da vida, até mesmo de observar no espelho sua própria imagem refletida, o que lhe permitiria identificar de imediato os traços marcantes de sua linhagem estelar.
Vamos, principalmente, dar o exemplo pelas atitudes, pela coerência, pela alegria verdadeira, pela abertura mental, emocional e espiritual, muito além das palavras faladas ou impressas, SENDO tudo o que professamos.
Vamos nos espelhar também no exemplo dos muitos Mestres, principalmente no que mais está hoje nos auxiliando dia-a-dia no Caminho de Volta para a Casa do Pai.
Jesus Cristo. Nosso Irmão estelar, hoje presença mais do que viva em nós e no STUM.


Namastê (O Deus que É em mim saúda o Deus que É em Você).
Sergio STUM

RECOMENDAÇÕES


ANTES DE FALAR, ESCUTE.
ANTES DE ESCREVER, PENSE.
ANTES DE GASTAR, GANHE.
ANTES DE JULGAR, ESPERE.
ANTES DE ORAR, PERDOE.
ANTES DE DESISTIR, TENTE.

Desconheço autoria

REFLEXÃO


"Nesta vida temos três professores importantes: o ‘Momento Feliz’, o ‘Momento Triste’ e o ‘Momento Difícil’.
O ‘Momento Feliz’ mostra o que não precisamos mudar.
O ‘Momento Triste’ mostra o que precisamos mudar.
O ‘Momento Difícil’ mostra que somos capazes de superar.”
Parabéns...
Os obstáculos te mantém forte.
As mágoas te mantém humano.
Os choques te mantém humilde.
Tu és muito especial!"

Autoria desconhecida

PENSAMENTO DO DIA


Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho.

Mahatma Gandhi

PAI NOSSO



Oh! Vós, Infinita e Sagrada Presença de Deus,
Criativa força do Universo, Sagrado seja o vosso Nome.
Vós sois em nós a Fonte da Vida e do Amor,
Em profunda gratidão reverenciamos a mais alta Fonte de Vosso Ser,
Porque Vós Sois, EU SOU O EU SOU.
Vós sois a Força Onipotente que dá vida a todos os seres.
Nós reconhecemos Vossa Vontade Divina em nós, agora e sempre!
Que vosso reino possa manifestar-se sobre a terra,
Sendo reconhecido pela humanidade.
Oh! Presença de Amor Onipotente Espírito Criador Eu Sou,
Nós vos sentimos em nossos corações,
Vos reconhecemos em nossas mentes
E Vos vivenciamos em nossa consciência.
Daí a todos nós da Substância de Vossa Santa Presença,
para que ,
Enquanto a vós servimos, possamos usufruir da abundância de todo o bem.
Pedimos perdão pela falta do cumprimento de Vossas Leis,
Da Harmonia e do Amor, para nós e para todos os seres humanos;
E, assim, como somos perdoados,
Também nós aprenderemos a perdoar a quem quer que nos tenha ofendido;
Porque estás em nós e Convosco sentimo-nos abrigados.
Vós sois a Beleza e perfeição em todas as coisas,
O Poder e a Força que nos capacita a trilhar o caminho certo.
E agora, Oh! Poderoso, sublime-se o nosso Ser com Vosso Ser
E permiti que possamos partilhar de Vossa Glória,
Como partilhávamos, no começo, antes de nascer no mundo.
Bênção:
Selados com Chamas do Arco Íris Divino, e de todos poderosos Elohim e,
Abrigados na tríplice ação da Chama Trina, seguimos como mestres de nossas Vidas,
Como vencedores sobre toda a substância.
Abençoadas Chamas, Marco de Luz da Mais Alta Fonte Divina,
Nós Vos agradecemos por vossos serviços e Vos envolvemos em nosso Amor.
Aceitamos a Unidade da Vida e nos curvamos humildemente à Luz Cósmica.
Todos servimos como condutores da Luz no corpo, da Mais Alta Fonte, Eu Sou.
Eu Sou Luz, Eu vivo na Luz. Eu amo a Luz. Onde estou há luz.
Eu Sou Paz. Eu Sou Harmonia. Eu Sou Amor. Eu vibro Pura Luz Universal!
Amém, Amém.

DO BLOG PORTAL ARCO ÍRIS E CENTRO DE CURA CÓSMICA

CONFIA SEMPRE...


Nem tudo na vida são flores...
Em algumas curvas talvez o medo nos domine...
As dúvidas se aglomerem e por não encontrarmos respostas, como nosso coração se flagela...
Caminhos são cortados, modificados e nem ao menos somos consultados...
Quedas repentinas e que causam tristeza... Incertezas...Receios pelo porvir...
Vontade de parar o tempo... De colecionar só alegrias... Vontade que a mudança ocorra logo... Ansiedade pela mudança que não pode ser evitada... Sonhos... Projetos...
Lágrimas e sorrisos que se misturam... Vontade de gritar... De pegar a bolsa e fui...
De ficar em silêncio, simplesmente longe de tanto tumulto... Renovar... Reencontrar a esperança... Ir adiante... Perdas que doem... Paciência e resignação, nem sempre fáceis de serem cultivadas. Quantas questões... E nenhuma garantia... A vida apenas segue o seu rumo e lá vamos nós ...
Porém, se todas as respostas nos faltam, uma única certeza jamais se apaga:
NÃO ESTAMOS SOZINHOS!!!
Há um Pai de amor e muito amor a caminhar a cada minuto, a cada respirar nosso, Ele sempre está lá. Pai que só nos apresenta oportunidades de crescimento, nem sempre compreendidas pela criança espiritual que ainda somos. Mas o Pai não nos pune, não nos condena e sim nos banha com seu amor.
E é esse amor que nos liberta, que nos levanta e nos mostra outros caminhos.
Ontem foi doloroso... Hoje é um novo recomeço, agora é o momento de novamente reerguer a cabeça e seguir.
Não seguiremos sozinhos! O Pai não nos deixa.
Nas manhãs em que acordamos sem pique, Ele vem até nós e nos envolve em sua proteção.
Nos instantes em que não seguramos as lágrimas, são suas mãos que as enxugam.
E quando pensamos que não aguentaremos mais o fardo a carregar e realmente pensamos em desistir, é Ele que declama:
EU ESTOU CONTIGO
VAMOS, CONFIA, PORQUE JUNTOS TRIUNFAREMOS
E, assim, novo alento renasce em nosso íntimo e a esperança volta a sorrir.
E de mãos dadas com esse Pai de Misericórdia, voltamos a caminhar, porque somos capazes, trazemos imenso potencial dentro de nós.
E com esse potencial vamos edificando outras construções, porque nosso potencial não pode enferrujar, acreditemos nele e muito faremos.
"Batei e vos será aberto".
Vamos, tendo a consciência de que não iremos sozinhos.
O Pai caminha conosco.
E juntos triunfaremos diante de qualquer tempestade.
Não deixemos de confiar!
O Pai está eternamente a nos abençoar com seu amor..

Sônia Carvalho
soniaccarvalho@hotmail.com

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

O TEMPO



O tempo é precioso!
O tempo é uma dádiva!
Foi-nos concedido para que
possamos expressar
nesta existência todo o nosso aprendizado.
Tic tac, tic tac...
o tempo passa, incessante.
E não volta mais.
Perceba que esse é o seu tempo:
tempo de amar,
de perdoar,
de realizar,
de sorrir,
de abraçar...
Vamos, não fique aí parado!
O tempo não volta!
O tempo é precioso!
Venha logo e faça o seu melhor,
faça valer a pena!
Porque sempre é tempo!
E esse é o SEU tempo!

Cacilda Zeraik

domingo, 26 de fevereiro de 2012

PENSAMENTO DO DIA


"Se todo dia cai
dentro de toda noite,
há um buraco
onde existe muita luz contida.
Há que se sentar
à beira deste buraco
e pescar muita luz,
com paciência"

Pablo Neruda

sábado, 25 de fevereiro de 2012

PACIÊNCIA E NÓS...


Quando as dificuldades atingem o apogeu, induzindo os companheiros mais valorosos a desertarem da luta pelo estabelecimento das boas obras, e prossegues sob o peso da responsabilidade que elas acarretam, na convicção de que não nos cabe descrer da vitória final...
Quando os problemas se multiplicam na estrada, pela invigilância dos próprios amigos, e te manténs, sem revolta, nas realizações edificantes a que te consagras...
Quando a injúria te espanca o nome, procurando desmantelar-te o trabalho, e continuas fiel às obrigações que abraçaste, sem atrasar o serviço com justificações ociosas...
Quando tentações e perturbações te ameaçam as horas, tumultuando-te os passos, e caminhas à frente, sem reclamações e sem queixas...
Quando te é lícito largar aos ombros de outrem a carga de atribuições sacrificiais que te assinala a existência, e não te afastas do serviço a fazer, entendendo que nenhum esforço é demais em favor do próximo...
Quando podes censurar e não censuras, exigir e não exiges...
Então, terás levantado a fortaleza da paciência no reino da própria alma.
Nem sempre passividade significa resignação construtiva.
Raramente pode alguém demonstrar confor-midade, quando se encontre sob os constrangimentos da provação.
Paciência, em verdade, é perseverar na edifi-cação do bem, a despeito das arremetidas do mal, e pros-seguir corajosamente cooperando com ela e junto dela, quando nos seja mais fácil desistir.

Pelo Medium Chico Xavier, Espírito Emmanuel

A SABEDORIA VEM...


Sábias palavras que eu deveria guardar e proferir todo santo dia, pois tenho certeza que a sabedoria é muito mais parar, prestar atenção no que outra pessoa fala. Talvez por isso Deus deu dois ouvidos e uma boca, para podermos usá-los com sabedoria.
Para que falar mais do que o necessário? E como me arrependi depois de ter falado.Mas também tenho me segurado daquilo que escuto e que vem diretamente para mim ou como dizem outros "não leve para você".
Impossível: a indireta já é direta e depois de palavras jogadas ao vento não tem mais como recuperar.
Poderia eu ser diferente?
Poderia eu não sentir?
Poderia eu não guardar?
É muito triste eu ter certeza que posso compreender em estar escrevendo para os outros na teoria, mas na prática ser muito diferente, eu não consigo ser indiferente a palavras que ferem, que sangram.
Hoje mais do que nunca gostaria de usar teoria e prática sem distinção.Deixar que palavras passem e não deixem marcas.
Mas sou mais uma pessoa igual e imperfeita como tantas outras que de todas as maneiras tentam ser dóceis, justas e incrivelmente ponderadas e fingir que nada aconteceu.
Ah! O coração não perdoa, ele dói e por mais que tentamos dizer que "tudo passa", quando as pessoas de quem mais gostamos são as que nos fazem sofrer.
Talvez haja alguém que diga "quem ama perdoa", sábias palavras !
Mas o coração também é traiçoeiro, como ele ama, ele também sofre...
Amanhã será outro dia e tenho certeza que um pouco de tudo isso se apagará.


Bel Rech do blog Buscando o Amor

MEUS OLHOS


Pisados
Cansados
De muitas lágrimas
De muito perdão
Profundos e mansos
Já viram muito
Nada os espanta
De compaixão
De paciência
De mansidão...

by Orvalho do Céu

PENSAMENTO DO DIA


'O que mais preocupa não é o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos sem-caráter, dos sem-ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons".


Martin Luther King

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

PENSAMENTO DO DIA


Enquanto vivemos, temos chances de ser para os outros ou uma Terra Prometida ou um deserto árido e assustador: um milagre ou uma triste decepção.

Frei Neylor J. Tonin

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

REFLEXÃO


A pessoa não foi feita só para a solidão, mas não pode viver sem a experiência de profundos silêncios.

Frei Neylor Tonin

DIANTE DA MORTE


Diante da morte, Senhor, ensina-nos a louvar e glorificar a Vida, que não termina no túmulo.
Mostraste-nos, com a Tua própria ressurreição, que o homem não se resume à matéria que se desfaz... Viveremos para sempre!
O corpo volta a ser pó, mas o espírito prossegue na jornada que não se interrompe.
Que não vejamos, pois, na morte mais do que indispensável processo de renovação.
Um dia, todos haveremos de nos reunir no Grande Lar e não mais conheceremos o adeus.
Tudo que é pertinente ao mundo físico é transitória ilusão...
Os que amamos não desaparecem do nosso amor.
Redivivos, simplesmente prosseguiremos trilhando outra estrada, ansiando pelo definitivo encontro Contigo.
Senhor, encoraja-nos a abrir os braços à cruz que se nos destina!



Livro: Preces e Orações – Médium: Carlos A. Baccelli - Espírito: Irmão José

PENSAMENTO DO DIA


Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.

Clarice Lispector

AFLIÇÕES



No íntimo de todas as criaturas existe o desejo de ser feliz e de afastar os
sofrimentos. Ninguém gosta de sofrer. No entanto, Jesus cristo nos disse: "no mundo só tereis aflições."
São variadas as causas das aflições. Podemos, para melhor compreensão,
separá-las entre as que têm origem em nossa intimidade e aquelas próprias da
natureza em que vivemos.
Assim temos várias dores que somente têm a ver com o mundo em que nos
encontramos. Por exemplo, a dor causada pelo nascimento do siso, o último dos molares, é um impositivo da biologia humana. A dor pela picada de um mosquito ou de uma agulha, da mesma forma. São dores próprias de um mundo material. São dores comuns a que estão sujeitos os seres que habitam o planeta.
O sofrimento faz parte de nossa vida, uma vez que em tudo existe a necessidade de ação. Nossa mente pensa, nossa vontade almeja. Mas o corpo precisa executar.
Toda vez que desejamos alguma coisa, quando aspiramos algo, a necessidade de
trabalhar para realizar nossos sonhos gera certo sofrimento.
Quem deseja bater recordes, vive aflições. São horas intermináveis de
exercícios, disciplina rígida, com intuito de superar as próprias limitações
físicas.
Dores físicas, preocupação com a classificação, um revés de última hora.
Aflições de toda sorte.
Quem deseja passar no vestibular, apesar do grande esforço aplicado no
estudo, se aflige ante a perspectiva de não conseguir a vaga pretendida. E se esquecer tudo na hora da prova? E se não conseguir a vaga? E se precisar fazer outro vestibular? Quem deseja ser cantor, ator, engenheiro, médico passa pelas aflições das
horas estafantes de estudo, estágio, aprendizagem, esforço,testes.
Reveses. Inquietudes. Aflições.
Em tudo há sofrimento pois em tudo existe a necessidade do esforço material,
de conformidade com o nível evolutivo do mundo em que vivemos.
No mundo só teremos aflições! São os sofrimentos desse mundo, os empeços materiais que se apresentam.
Também existem os sofrimentos causados por nós mesmos. É o resultado
originado de nossas intenções, de nossas atitudes, do estado geral da nossa
mente e do nosso coração. Quando tomamos decisões desequilibradas, sofremos.
Quando agimos de forma negativa, teremos que recolher adiante o resultado
dessas ações infelizes. Quando pensamos somente em nós, num egocentrismo doentio, sofremos.
Quando desejamos que as coisas não passem, não mudem ou não terminem,
sofremos novamente. Tudo passa. As paisagens mudam. Os momentos bons terminam, e os maus também.
Procurando entender a mensagem de Jesus poderemos vencer os sofrimentos do
mundo, vendo-os como realmente se apresentam. Ou seja, como empeços materiais numa realidade relativa. Alargando nosso ponto de vista poderemos vencer a melancolia e a aflição.
Sem visão pessimista, venceremos os obstáculos próprios ao meio em que nos
encontramos. E se optarmos por seguir Jesus, não haverá aflição que resista ao bendito remédio da fé.
Todos desejamos ser feliz. Sejamos ricos ou pobres, instruídos ou não, todos
desejamos evitar os sofrimentos. Assim, procuremos vencer as tribulações de cada dia e encontrar razões para felicidade em coisas pequenas. Ser grato pelo que temos, pelo que usufruímos. Aprender com os pássaros a saudar o dia com um cântico de esperança.
Eis uma boa fórmula para superar as aflições e começar a ser feliz, desde
hoje.

Desconheço a autoria

A ARTE - REFLEXÃO



A arte pura é a mais elevada contemplação espiritual por parte das
criaturas. Ela significa a mais profunda exteriorização do ideal, a
divina manifestação desse “mais além” que polariza as esperanças da
alma. E o artista verdadeiro é sempre o “médium” das belezas eternas e
o seu trabalho, em todos os tempos, foi tanger as cordas mais
vibráteis do sentimento humano, alçando-a da Terra para o infinito
e abrindo em todos os caminhos, a ânsia dos corações para Deus, nas suas
manifestações supremas de beleza, de sabedoria e de amor.”


(Emmanuel)

domingo, 19 de fevereiro de 2012

A VAI-VAI É UMA LUZ QUE SEMPRE ILUMINA...


Um grito anuncia:
Olha a “Vai Vai” aí, gente!
Mulheres que brilham,
Mulheres que sempre brilharão
É o nome do nosso enredo.
Começa então a brilhar
A magia do encantamento...

Um apito ordena o rufar da bateria
Que, de imediato, obedece à batuta
Do mais que mestre Tadeu,
Maestro que faz pulsar o coração da Escola.
Repicam os tamborins;
Roncam as cuícas;
Rodopiam as saías lilases das veneráveis baianas;
Requebram abusados os deliciosos quadris
Das desnudas cabrochas;
Movimentam-se com leveza
Os pequenos e os grandes adereços...

Sob forte ovação
Prorrompe harmoniosamente a evolução.
Antecedendo o abre-alas,
Graciosa a comissão de frente
Invade corajosa, a passarela iluminada...
Por entre as variadas alas,
Valsando, como alados colibris,
Os galanteadores mestres-salas
Cortejam as deslumbrantes porta-estandartes,
Que esvoaçam no asfalto,
Como andorinhas aos pares,
Fazendo tremular garbosas
As sagradas bandeiras da Escola.

Como uma pororoca de emoções
Prossegue, sem interrupção,
A magnífica evolução.
Nomes de mulheres que brilham,
Como confetes alegres,
São lançados ao léu,
Por entre serpentinas multicoloridas,
Forrando o chão da passarela,
Transfigurada em leito acolhedor do rio “Vai Vai”
Que se derramará vitorioso
No mar da dispersão...

É a “Vai Vai” da alegria!
É a “Vai Vai” da esperança!
É a nossa “Vai Vai” corajosa
Revelando na passarela segredo,
O brilho histórico de mulheres
Que o machismo brasileiro
Ocultou sob o tapete do desconhecimento!


Montes Claros, 18-02-2012
Romildo Ernesto de Leitão Mendes

sábado, 18 de fevereiro de 2012

DEPRESSÃO E INFLUÊNCIA ESPIRITUAL



Acompanhei um caso interessante de depressão com um componente espiritual presente. Um rapaz de vinte e dois anos, universitário, revelou a sua mãe seu descontentamento com seu curso e sua vontade de deixá-lo. Mesmo com os conselhos contrários da mãe ele abandonou a faculdade. Passou a ficar muito tempo em casa, em seu quarto e a falar de forma monossilábica.
Emagreceu, pois comia muito pouco e passou a se demorar por muito tempo em frente à televisão. Ele morava só com a mãe. Seu pai havia falecido quando ele tinha doze anos e isso não abalou sua vida, pois sempre demonstrou disposição para viver e estudar.
Sempre foi bom aluno e não apresentou, desde a morte do pai, nenhum sintoma de qualquer transtorno. Porém, de repente, já adulto, passou a ter um comportamento não habitual e de isolamento progressivo. Conduzido a um médico, a muito custo, pela mãe, foi diagnosticada a depressão. Passou a tomar remédios, porém sem alteração nos sintomas.
A alguns quilômetros de sua casa, numa das reuniões mediúnicas do Centro Espírita Harmonia, apresentou-se um espírito dizendo-se sem fé e sem perspectiva em sua vida. Sabia que havia falecido há cerca de quarenta anos, vítima de falência múltipla
dos órgãos. Disse ter se dedicado à religião, tornando-se padre, mas que não tinha muita convicção em suas pregações e em sua fé. Fora levado à religião por influência da tradição familiar, que reservava um dos filhos para o ministério de evangelizar o próximo.
Ele fora escolhido por ser o caçula. Mesmo aceitando o ofício, nunca se entusiasmou com a tarefa. Cometeu muitos desatinos, vivendo de forma moralmente condenável. Seus familiares se afastaram dele e seus fiéis não se sentiam bem ao seu lado nem o procuravam para conselhos. Achavam-no despreparado e evasivo em seus sermões. Viveu seus últimos dias doente, sem visitas e sem amigos. Faleceu com pouco mais de quarenta anos num hospital público, sem nenhum familiar próximo e sem que ninguém se lembrasse dele. Morreu como viveu, isolado e sem vínculos afetivos. Como a vida continua, perambulou pelo mundo dos espíritos em torno do ambiente religioso que viveu, desnorteado procurando por Jesus e pelos santos da Igreja. Depois de algum
tempo, sem encontrar o que esperava e sem saber o que fazer, à procura de algum referencial familiar, refugiou-se numa igreja distante daquela em que outrora pregara. Um dia, passados alguns anos desde seu falecimento, atraído por uma senhora que passou a ir àquela igreja, seguiu-a até sua casa. Lá encontrou um jovem universitário cheio de vida. Automaticamente ligou-se a ele por se sentir atraído pela sua jovialidade e disposição de viver.
Seu interesse pela senhora se deu por causa da persistente oração que fazia em favor do filho. Ela notara que seu filho estava vivendo algum processo difícil, que não compreendia, então resolveu buscar auxílio nos santos de sua devoção. Seus pensamentos e a projeção mental da imagem do rapaz atraíram o padre desencarnado.
Ele a seguiu à saída da igreja sem saber ao certo aonde ia, porém algo o levava a ela. Seu desejo era mais forte do que sua consciência do ato. No íntimo achava que iria encontrar uma resposta para sua vida, que se achava paralisada. Chegando à casa dela, ao ver o rapaz, sentiu-se atraído a ele. Estremeceu como se estivesse diante de alguém muito importante em sua vida. Sentiu um frio dentro de si e leve tremor no corpo. Teve ímpetos de abraçá-lo, mas se conteve, temendo uma reação contrária por parte do rapaz. Naquele momento constatou que o conhecia de algum lugar e que ele era alguém muito querido seu. Por sua vez, o rapaz, ante a situação, sem saber da presença do espírito em sua casa, sentiu uma sensação de pesar e tristeza, aliadas a uma certa alegria íntima simultânea. Levantou-se da cama e foi à sala, na qual sua mãe acabara de entrar. Ali estavam os três num mesmo ambiente, porém só o espírito tinha consciência do fato. Os outros dois acreditavam estar sozinhos. O rapaz, ao cumprimentar sua mãe, sem perceber a presença do espírito, disse-lhe não estar se sentindo bem naquele momento e pediu-lhe que fizesse uma oração. Feita a oração, acompanhada pelo padre desencarnado, que se sentiu muito bem ali, o rapaz melhorou e voltou ao seu quarto.
A partir daquele dia, por conta da presença de seu amigo padre desencarnado, sem disso ter consciência, foi se tornando uma pessoa isolada e sem ânimo para fazer o que habitualmente fazia. Depois de alguns dias sua mãe o levou a um médico.
Um dia, a vizinha, após a mãe lhe ter contado que seu filho não passara bem no dia anterior, convidou-a a levá-lo a um Centro Espírita, pois acreditava que a ocorrência poderia estar associada a alguma influência espiritual. Provavelmente a vizinha agira sob inspiração de espíritos, inclusive quando conseguiu levá-los ao Centro Espírita dias depois. Após insistentes convites da mãe, o rapaz se decidiu a ir, mesmo contrariado.
Lá chegando, acompanhado pelo espírito, que mesmo tendo consciência do lugar para onde estava indo, não se incomodou, o rapaz assistiu a uma palestra e tomou passes. Disse à mãe que se sentiu bem e que retornaria lá na semana seguinte. Por sua vez, durante o passe, o padre se sentiu desligado dele e permaneceu na instituição, interessado no que lá ocorria. Viu que ali se falava de religião de forma diferente da que se acostumara a pregar, sem dogmatismo nem subserviência. A palestra da noite discorreu sobre o Cristo-homem, que realizou sua vida de acordo com seus firmes propósitos de educar as pessoas a também realizarem seu próprio destino. O Cristo era mostrado como uma pessoa e não como um Deus. Como alguém que era capaz de aceitar o outro com suas deficiências, sem lhes exigir santidade. Isso lhe foi muito útil e recebido como um alento, pois se sentia culpado pelo seu passado. Era como se o próprio Cristo o absolvesse, sendo mostrado simplesmente um ser humano como ele.
Permaneceu ali naquela Instituição por alguns dias, até ser admitido numa de suas reuniões mediúnicas para o diálogo com aqueles que fazem parte do mundo do qual ele ainda não havia se desligado completamente.
Na reunião mediúnica, questionado sobre os motivos pelos quais se ligara àquele rapaz, disse não saber, bem como não se lembrar de nada que se referisse aos dois. Passou a acompanha-lo como se o fizesse a um grande amigo. Gostava do rapaz, sentindo-se bem ao seu lado, porém sem perceber que estaria prejudicando sua vida. Sua ligação psíquica com o rapaz desencadeou os sintomas da depressão. Não entendia que seu próprio estado mental contaminava o do outro.
Interessante como a influência espiritual, ou proximidade entre um espírito e outro que esteja em dimensão diferente, promove alterações psíquicas. Neste caso, pelo estado mental do padre falecido, a influência era negativa. Seria o que se chama de obsessão não intencional, por não haver desejo de domínio sobre o outro. Esse tipo de influência, que no caso específico contribuiu para a instalação da depressão, também é comum nos casos de síndrome de pânico. A proximidade psíquica entre espíritos desencarnado e encarnado pode provocar uma série de reações orgânicas concomitantemente a alterações no estado de consciência e em sua invasão pelo inconsciente.
O estudo dos processos psicogênicos certamente conduzirá a uma percepção das influências espirituais, além de uma melhor compreensão a respeito do inconsciente.
Passados alguns dias, após o desligamento voluntário do padre da companhia do rapaz, este veio a melhorar e a voltar à sua habitual jovialidade e ao interesse pelos estudos.
Muitos casos de depressão possuem um componente espiritual de difícil percepção. Às vezes se trata de parentes desencarnados que se ligam, por laços afetivos, ao encarnado, mas que lhe contaminam com seus pensamentos derrotistas. Outras vezes, o depressivo pode perder a motivação para a vida, por saber de antemão que enfrentará grandes desafios decorrentes de seu passado culposo. Parece que ele quer recuar da prova ou expiação a enfrentar. Ao se aproximar o período em que enfrentará seu próprio passado, acercam-se dele, espíritos que, pelo estado em que se encontram, influenciam sobremaneira seu psiquismo.
Depressivos desencarnados, quando se aproximam de pessoas pessimistas e frágeis psicologicamente, facilmente transmitem seus estados mentais. O processo de transferência se dá de períspirito a perispírito, de mente a mente, como num sistema de radiofrequência.
Um emite e o outro capta, estando ambos na mesma freqüência psíquica. Como em todos os casos, vale a pena selecionar as companhias que se quer ter. Quem sintoniza com a depressão atrairá depressivos e desiludidos nos dois lados da vida:
material e espiritual.
A influência espiritual é fato normal, pois espíritos existem em toda parte. Alguns, mais adiantados, se estruturam em organizações espirituais que se assemelham às cidades, outros, ainda presos à sociedade terrena, permanecem vinculados ao que aqui ocorre. Estes últimos vivem e convivem com os encarnados, como se ainda estivessem no corpo físico. Transmitem e recebem fluidos, pensamentos e emoções. Adoecem e fazem adoecer.
Parece uma sociedade dentro da outra, numa incrível comunhão de idéias e de sentimentos. Pode-se observar que algumas atitudes resultam de intenções de um lado e de outro.
A depressão causada exclusivamente por influência espiritual, via de regra, apresenta sintomas mais perturbadores ao indivíduo, principalmente quanto à confusão mental que provoca.
Neste caso, será imprescindível o tratamento espiritual, para o esclarecimento também do espírito que a desencadeia.
A maneira mais adequada de identificar quando a depressão é causada por obsessão espiritual é verificar a existência de seus sintomas típicos. Os sintomas5 típicos da obsessão espiritual são:
1. Falhas freqüentes no curso, conteúdo ou forma do pensamento, com conseqüentes perturbações no contato com a realidade;
2. Alterações freqüentes de comportamento à revelia da pessoa, gerando constrangimentos e dificuldades em viver a normalidade cotidiana;
3. Perturbações psicóticas (alucinações, delírios persecutórios, audição de vozes, etc.), que provoquem dificuldades de conciliação com a normalidade do ego;
4. Alterações constantes da senso-percepção, promovendo constantes distorções na qualidade e quantidade do que é captado pelos cinco sentidos;
5. Sintomas característicos da Síndrome de Pânico (taquicardia, sensação de asfixia, medo sem causa aparente, suor frio nas extremidades, medo de sair sozinho, etc.), provocando alterações na vida diária;
6. Sensações típicas da mediunidade não educada, perturbando a vida e as relações da pessoa;
7. Alterações constantes na quantidade e qualidade do sono, provocando insônias ou dormir em quantidade além do habitual;
8. Recorrências em distúrbios descritos pela Psiquiatria como Transtornos Mentais, exceto aqueles cujas causas se devem a problemas neurológicos e aos congênitos.

Adenáuer Novaes
Do livro: Alquimia do Amor, Depressão, Cura e Espiritualidade,
1ª Edição - Fundação Lar Harmonia





sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

MOMENTO DE REFLEXÃO


Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós.

Clarice Lispector

PENSAMENTO DO DIA


Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

Fernando Pessoa

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

QUANDO EU DIGO QUE SOU ESPÍRITA


Pode-se observar o espiritismo sob diversas óticas. Como comunidade de pessoas que se identificam com a doutrina e ação social espíritas, ou seja, como fenômeno social (o que envolve não apenas as ciências sociais, mas também a história) como fenômeno psicológico e parapsicológico e até mesmo como fenômeno natural, se considerarmos os fenômenos de efeitos físicos.
Há também uma grande fronteira entre a comunidade e os fenômenos espíritas e as disciplinas da área de saúde, que é histórica, além da extensa produção literária, a exigir um olhar da área de letras e as instituições educacionais espíritas, que tem gerado incursões de pesquisadores da educação.
Outra fronteira entre as áreas de conhecimento indexadas pelos órgãos brasileiros de fomento à pesquisa envolve a filosofia.
O Espiritismo, que foi inicialmente tratado com preconceito por sua identificação como religião pela sociedade e pela comunidade científica internacional, que lhe legou o pleito de ser reconhecido como uma doutrina complexa, com dimensões também filosóficas e científicas, aos poucos vem recebendo olhares de diferentes campos do conhecimento, ora por pesquisadores, oriundos da comunidade espírita, ora por outros sem qualquer vínculo de identidade com esta ou com o pensamento espírita.
A liga de pesquisadores do espiritismo tem organizado encontros anuais, multidisciplinares, com o objetivo de aproximar esses pesquisadores e interessados na temática de diversas áreas, funcionando como espaço estruturante para o surgimento e intercâmbio de núcleos e linhas de pesquisa no âmbito acadêmico.
O Espiritismo é na verdade um elo entre a fé e a ciência que percorreram, ao longo da história, caminhos separados, muitas vezes antagônicos. É com o advento do Espiritismo que esse secular desencontro está sendo atenuado, com tendência natural ao desaparecimento. William Crookes é um conhecido exemplo no século XIX, e a parapsicologia e a transcomunicação instrumental foram consideradas nesse sentido dois marcos importantes no século XX.
Chega-se ao Espiritismo através de três caminhos: pelo amor, pela dor ou pela necessidade intelectual de se obter uma explicação racional para transcendentes perguntas: quem somos, porque somos, de onde viemos e para onde vamos. A Filosofia tentou oferecer respostas a essas perguntas e o resultado foi uma verbalização erudita não explicativa. Aqui e ali, entretanto, houve clarões que se anteciparam à teoria espírita. Sócrates e Platão, acessíveis somente a pessoas de certo nível intelectual, são exemplos clássicos desses clarões, porém a concepção sistêmica de um todo que respondesse logicamente àquelas perguntas a qualquer pessoas só se tornou possível, nos meados do século XIX, com Kardec.
A revelação da verdade espírita enfrentou – e ainda enfrenta neste Século XXI, em época de transição – barreiras poderosas tais como os cleros organizados do catolicismo, os pastores de diversas crenças, com fortes motivações econômicas, antigas tradições religiosas e pautas culturais sedimentadas há séculos e completamente alheias ao conhecimento científico. Criam-se, portanto, “establisments” religiosos que, somente com o tempo serão aos poucos modificados.
O Espiritismo, historicamente, contrariou e continua contrariando interesses econômicos poderosos e suas implicações políticas. A igreja católica e as diversas igrejas protestantes de denominações as mais esdrúxulas, refugiadas na sacralização da Bíblia, que supostamente seria “a palavra divina”, viram-se, com o Espiritismo, ameaçadas em suas posições como intermediárias entre Deus e os homens. Todos os absurdos dos teólogos medievais foram incorporados pela teologia protestante, além de que o antiquado empirismo religioso judaico, embasado por uma tradição sacralizadora, teve também guarida no pensamento da Reforma, isso em relação ao Antigo Testamento. Em relação aos Evangelhos é visível uma grande miopia intelectual, não explicativa, mas em todo esse processo anti-espírita a força econômica foi de grande importância, alimentada pela antiga e lucrativa prática do dízimo e uso do poder social decorrente da acumulação de capital. Muito tempo ainda decorrerá antes que o Espiritismo se transforme, como já foi previsto, no futuro de todas as religiões. Mas isso inexoravelmente acontecerá.



*Lourival Silveira é professor de Biologia e, Advogado aposentado. Milita no espiritismo desde 1969. É fundador da Mocidade Espírita Dorival Alonso do CE Caminho da Luz de Regente Feijó. Fundador da Fundação Mirim de Regente Feijó; Criador do site Grupo de Divulgação Esperança (http://grupoesperanca.ning.com) e criador do site: www.ceandreluiz.com.br Atualmente é vice-presidente do Centro Espírita André Luiz de Presidente Prudente. Orador e Divulgador Espírita. E-mail:lourivalsilveira@gmail.com

SILÊNCIO


Minha alma não fala
Minha voz adormeceu
Minha dor arde calada
Minha vida derramada
Minha boca muda seca
Minha lágrima não caída
Meu grito desesperado
Minha roupa é preta
Meu sangue coagulou
Meu verso desandou
Meu sentido morreu.

Cale-se, quem nunca sentiu.
Omita-se que nunca viu!

Palavras são só palavras?
Um amor alvejado?

E, como amei...
O quanto amei

...a-mei!!!

Geane Masago

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

PENSAMENTO DO DIA


Quanto maiores somos em humildade, tanto mais próximos estamos da grandeza."

Tagore

REFLEXÃO


O mundo é sementeira;
colhe-se aqui
o que foi plantado.
Que semente você
tem espalhado pelo
chão da sua vida?


(Paulo Roberto Gaefke)

MUDANDO AS REGRAS DO JOGO PARA SER FELIZ


A felicidade existe para você também, embora talvez neste momento você ainda não acredite nela.
Está na hora, porém, de começar a mudar as regras desse jogo. Afinal, trata-se da sua vida e é você quem decide o que fazer dela.
Ponha felicidade em sua vida todos os dias. Esse é um direito seu. Acredite: você nasceu para ser feliz.
É claro, entretanto, que não basta você ter consciência do seu direito a ser feliz. Esse é apenas o começo do processo. É preciso também que você tome posse da felicidade. E, para que você faça isso o mais rápido possível, deixe-me dar-lhe algumas dicas, ou apenas lembrá-lo de algumas coisas que você possivelmente já sabe, mas que precisa usar com mais constância em seu dia a dia.
Dica número 1: goste do que você tem
As pessoas, normalmente, atrelam sua felicidade a coisas que ainda pretendem conseguir. E ficam adiando desfrutar plenamente sua vida, com alegações do tipo “Quando eu for gerente na empresa vou ser feliz!”, “Quando eu arrumar uma namorada vou ser feliz!”, “Quando eu comprar uma casa de praia, então vou ser feliz!”… E a vida passa, e a felicidade nunca chega.
O agora é o seu momento de glória. Ele contém a sua possibilidade real de ser feliz. Seja feliz agora, valorizando o que já conquistou, gostando e desfrutando de tudo o que você já tem.
Dica número 2: deixe nas mãos de Deus
Grande parte da infelicidade que as pessoas têm vem do fato de elas quererem controlar tudo em sua vida, com um nível de detalhes impressionante. É aquela preocupação extrema com tudo, em especial com coisas que estão além do seu alcance. Dizemos que essas pessoas gostam de “brincar de ser Deus”, isto é, julgam-se com tanto poder sobre os fatos e as coisas em geral a ponto de se acharem capazes de “adivinhar” os resultados futuros de qualquer situação.
Para realmente ser feliz é imprescindível que você tenha fé verdadeira e deixe que o Criador cuide do seu amanhã e da solução das suas dificuldades. O que é preciso é entregar nas mãos de Deus tudo aquilo que está fora do seu alcance resolver. E, dessa maneira, relaxar e se entregar àquilo que está ao seu alcance fazer, com tranqüilidade e confiança.
Dica número 3: aprecie as coisas boas da vida
A infelicidade que acompanha muita gente se deve também a uma espécie de cegueira seletiva que elas têm. Quer dizer, essas pessoas, em geral, só têm olhos para as desgraças da vida ­ ou para as dificuldades da vida, que elas normalmente chamam de desgraças. Tudo o que elas vêem, dizem e fazem está associado a resolver problemas ou, pior ainda, a reclamar dos problemas, muitas vezes sem fazer coisa alguma para resolvê-los.
Para realmente ser feliz é imprescindível que você reserve um espaço em sua vida para apreciar as coisas boas que existem ao seu redor. Se você ficar esperando que as dificuldades acabem para começar a viver feliz, sua vida vai passar sem que você a tenha desfrutado.
É preciso que você entenda e aceite que as dificuldades existem e sempre existirão. Elas são a sua vida, são o seu desafio para que você possa crescer. Mas não são impedimentos para a sua felicidade.
Enfim
As escolhas em sua vida são sempre suas. O importante é que você use isso a seu favor e faça escolhas que lhe tragam bom proveito… Por isso, busque sempre escolher a felicidade.
.
Pense sobre isso!
.
Um abraço e muita Paz!


Gilberto Cabeggi

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

A VIDA É SURPREENDENTE...



Disseram-me, que lá na frente do caminho,
estaria alguém um dia, a me esperar
debochei, caí no riso, ha! ha!
mentira, encontro marcado não há...

Disseram também, que o amor
acontece e que não tem como escapar
sorri de novo, ha! ha!
em casa, ninguém me achará?

E blá, blá, blá, continuaram a dizer
foi então que fiquei brava,
é difícil acontecer, quando um
não quer, dois não abraçam...

Arriscaram então um palpite
tipo aqueles de censuras
que língua nenhuma tem osso
e a vida, é surpreendente ventura...

Por fim, dei um basta na conversa,
buscando trocar de caminho,
tranquei a vida e sem festa
aconcheguei-me no ninho...

Meu coração estava partido
e eu tinha vermelhos retalhos
refaria uma outra metade
seria assim, o meu atalho...

O âmago em charco, quão doía
e ao Sol, pelos dias o secava,
mas nas noites frias não dormia
no meu leito ele sangrava...

Certo dia em meu caminho,
encontrei pegadas no chão,
estava triste e sozinha,
querendo um abraço de irmão...

Deparei-me com um andarilho
com sua metade na mão,
sorrindo, colou sua parte a minha
e nos dividimos em um só coração...

Livinha

PENSAMENTO DO DIA


Teu pensamento é certo quando se harmoniza com o teu ser.

Huberto Rodhen

DECLARAÇÃO


Esse teu jeito de olhar
me faz calar, pensar,
ficar louco,sonhar,
imaginar coisas...e ter apenas
telepaticamente tua presença,
que não cansa de ser ausência.


Nelson Antônio Corrêa

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

A SABEDORIA DO SILÊNCIO INTERNO



Fale apenas quando for necessário.
Pense no que vai dizer antes de abrir a boca.
Seja breve e preciso já que cada vez que deixas sair uma palavra, deixas sair ao mesmo tempo uma parte de seu Chi (energia).
Desta maneira, aprenderás a desenvolver a arte de falar sem perder energia.
Nunca faças promessas que não possas cumprir.
Não te queixes, nem utilizes em seu vocabulário, palavras que projetem imagens negativas
porque se produzirão ao redor de ti, tudo o que tenhas fabricado com tuas palavras carregadas de Chi.
Se não tens nada de bom, verdadeiro e útil a dizer, é melhor se calar e não dizer nada.
Aprenda a ser como um espelho: observe e reflita a energia.
O próprio Universo é o melhor exemplo de um espelho que a natureza nos deu,
Porque o universo aceita, sem condições, nossos pensamentos, nossas emoções, nossas palavras, nossas ações,
e nos envia o reflexo de nossa própria energia através das diferentes circunstâncias
que se apresentam em nossas vidas.
Se te identificas com o êxito, terás êxito.
Se te identificas com o fracasso, terás fracasso.
Assim, podemos observar que as circunstâncias que vivemos são simplesmente manifestações externas
do conteudo de nossa conversa interna.
Aprende a ser como o universo, escutando e refletindo a energia sem emoções densas e sem prejuizos.
Porque sendo como um espelho sem emoções aprendemos a falar de outra maneira.
Com o poder mental tranquilo e em silêncio, sem lhe dar oportunidade de se impor
com suas opiniões pessoais e evitando que tenha reações emocionais excessivas,
simplesmente permite uma comunicação sincera e fluida.
Não te dês muita importância, e sejas humilde, pois quanto mais te mostras superior,
inteligente e prepotente, mais te tornas prisioneiro de tua própria imagem e vives em um mundo de tensão e ilusões.
Sê discreto, preserva tua vida íntima, desta forma te libertas da opinião dos outros
e terás uma vida tranquila e benevolente invisivel, misteriosa, indefinivel, insondável como o TAO.
Não entres em competição com os demais, torna-te como a terra que nos nutre, que nos dá o necessário.
Ajuda ao próximo a perceber suas qualidades, a perceber suas virtudes, a brilhar.
O espírito competitivo faz com que o ego cresça e, inevitavelmente, crie conflitos .
Tem confiança em ti mesmo, preserva tua paz interior evitando entrar na provação e nas trapaças dos outros.
Não te comprometas facilmente, se agires de maneira precipitada sem ter consciência profunda da situação,
vais criar complicações.
As pessoas não tem confiança naqueles que muito facilmente dizem “sim”
porque sabem que esse famoso “sim”não é sólido e lhe falta valor.
Toma um momento de silêncio interno para considerar tudo que se apresenta a ti e só então tome uma decisão.
Assim desenvolverás a confiança em ti mesmo e a Sabedoria.
Se realmente há algo que não sabes, ou não tenhas a resposta a uma pergunta que tenham feito, aceite o fato.
O fato de não saber é muito incômodo para o ego porque ele gosta de saber tudo, sempre ter razão
e sempre dar sua opinião muito pessoal.
Na realidade, o ego nada sabe simplesmente faz acreditar que sabe.
Evite julgar ou criticar, o TAO é imparcial em seus juizos não critica a ninguem,
tem uma compaixão infinita e não conhece a dualidade.
Cada vez que julgas alguem a única coisa que fazes é expressar tua opinião pessoal,
e isso é uma perda de energia, é puro ruido.
Julgar, é uma maneira de esconder tuas próprias fraquezas.
O Sábio a tudo tolera, sem dizer uma palavra.
Recorda que tudo que te incomoda nos outros é uma projeção de tudo que não venceu em ti mesmo.
Deixa que cada um resolva seus problemas e concentra tua energia em tua própria vida.
Ocupa-te de ti mesmo, não te defendas.
Quando tentas defender-te na realidade estás dando demasiada importância às palavras dos outros, dando mais força à agressão deles.
Se aceitas não defender-te estarás mostrando que as opiniões dos demais não te afetam,
que são simplesmente opiniões, e que não necessitas convencer aos outros para ser feliz.
Teu silêncio interno o torna impassível.
Faz uso regular do silêncio para educar teu ego que tem o mal costume de falar o tempo todo.
Pratique a arte do não falar.
Toma um dia da semana para abster-se de falar.
Ou pelo menos algumas horas no dia, segundo permita tua organização pessoal.
Este é um exercício excelente para conhecer e aprender o universo do TAO ilimitado,
ao invés de tentar explicar com palavras o que é o TAO.
Progressivamente, desenvolverás a arte de falar sem falar, e tua verdadeira natureza interna substituirá
tua personalidade artificial, deixando aparecer a luz de teu coração e o poder da sabedoria do silêncio.
Graças a esssa força, atrairás para ti tudo que necessitas para tua própria realização e completa liberação.
Porem tens que ter cuidado para que o ego não se infiltre…
O Poder permanece quando o ego se mantém tranquilo e em silêncio.
Se teu ego se impõe e abusa desse Poder o mesmo Poder se converterá em um veneno,
e todo teu ser se envenenará rapidamente.
Fica em silêncio, cultiva teu próprio poder interno.
Respeita a vida dos demais e de tudo que existe no mundo.
Não force, manipule ou controle o próximo.
Converta-te em teu próprio Mestre e deixa os demais serem o que são, ou o que têm a capacidade de ser.
Dizendo em outras palavras, viva seguindo a vida sagrada do TAO.

(Texto Taoista)

PENSAMENTO DO DIA


Na minha memória, tão congestionada e no meu coração tão cheio de marcas e poços você ocupa um dos lugares mais bonitos".


(Caio Fernando Abreu)

SUSPENSAS FUGAS


Para pensar em ti todas as horas fogem:
o tempo humano expira em lágrima e cegueira.
Tudo são praias onde o mar afoga o amor.

Quero a insônia, a vigília, uma clarividência
deste instante que habito – ai, meu domínio triste!,
ilha onde eu mesma nada sei fazer por mim.

Vejo a flor; vejo no ar a mensagem das nuvens
- e na minha memória és imortalidade -
vejo as datas, escuto o próprio coração.

E depois o silêncio. E teus olhos abertos
nos meus fechados. E esta ausência em minha boca:
pois bem sei que falar é o mesmo que morrer:
Da vida à Vida, suspensas fugas.

(Cecília Meireles)

ACREDITE NO SEU SUCESSO


Por que tanta impaciência para conquistar a sua vitória? A ansiedade é muito mais frequente nas pessoas que desacreditam no sucesso de seus empreendimentos. Seja corajoso e otimista, acreditando que conseguirá atingir os seus objetivos. Se ficar ansioso, além de não resolver os problemas, você os tornarás ainda maiores. Lembre-se de que tudo acontece na hora certa e acredite que Deus sempre reserva o melhor caminho para você. Mantenha-se em equilíbrio e tenha paciência, para que sua vitória seja conquistada na hora certa e no momento apropriado.

Iran Ibrahim Jacob

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

PERDOAI, PARA QUE DEUS VOS PERDOE


"Se perdoardes aos homens as faltas que cometem contra vós, vosso Pai celeste também perdoará vossos pecados; mas se não perdoardes aos homens quando vos ofendem, vosso Pai também não perdoará vossos pecados." Jesus (Mateus, 6:14 e 15)
A misericórdia é o complemento da doçura; porquanto aquele que não é misericordioso não poderá ser e pacífico. Ela consiste no esquecimento e no perdão das ofensas. O ódio e o rancor denotam alma sem elevação, nem grandeza. O esquecimento das ofensas é próprio da alma elevada, que paira acima dos golpes que lhe possam desferir. Uma é sempre ansiosa, de sombria suscetibilidade e cheia de fel; a outra é calma, toda mansidão e de caridade.
Ai daquele que diz: Nunca perdoarei. Esse, se não for condenado pelos homens, sê-lo-á por Deus. Com que direito reclamaria ele o perdão das suas próprias faltas, se não perdoa as dos outros? Jesus nos ensina que a misericórdia não deve ter limites, quando diz que cada um perdoe ao seu irmão, não sete vezes, mas setenta vezes sete vezes.
Há, porém, duas maneiras bem diferentes de perdoar: uma, grande, nobre, verdadeiramente generosa, sem pensamento oculto, que evita com delicadeza ferir o amor-próprio e a suscetibilidade do adversário, ainda quando este último nenhuma justificativa possa ter; a segunda é a em que o ofendido, ou aquele que tal julga, impõe ao outro condições humilhantes e lhe faz sentir o peso de um perdão que irrita, em vez de acalmar; se estende a mão ao ofensor, não o faz com benevolência, mas com ostentação a fim de poder dizer a toda gente: vede como sou generoso! Nessas circunstâncias, é impossível uma reconciliação seja sincera de parte a parte. Não, não há aí generosidade; há apenas uma forma de satisfazer o orgulho. Em toda contenda, aquele que se mostra mais conciliador, que demonstra mais desinteresse, caridade e verdadeira grandeza d’alma, granjeará sempre a simpatia das pessoas imparciais.

O Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo X

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

DOSE DE LOUCURA



Será a humana brandura?
Que me importo pensem que tenho uma dose,
Uma dose de loucura
Serei capaz de a erguer
Numa noite escura
Como um facho a arder
Por uma causa das que a sociedade não atura
Quem a brandir terá de temer, fazer-nos tremer
Se nos pedem com um misto de humidade e secura
Nossa mão, deveriam lamber
Ser capazmente íntegros, para não semearem a agrura
Pensem um mundo, usando uma dose,
Uma dose de loucura
Não valem vigílias
É preciso semear em tempos de amargura
Para o conseguir não servem chás de tílias
Que a tocha fique incandesce na noite escura
Criar espírito de união
A iluminar caminhos
Para que todo o mundo fique a flutuar em comunhão
Que os grandes senhores
Tenham espírito de missão
Que evitem nefastos esplendores
E procurem a necessária preparação
Para semearem amores
Devem ao povo essa atenção
Amem sempre senhores
Paguem tributos de menção
Para que termine a agrura
Que todos, sem excepção!
Ergam um facho a arder na noite escura
Utilizemos, em união,
Cada qual uma dose de loucura

Daniel Costa

ESTRESSE E SUICÍDIO


Vivemos na Era das tragédias anunciadas, usando apenas a observação, o estudo das ocorrências do dia a dia e o raciocínio, previ há alguns anos; o que começa a se tornar realidade; infelizmente.
Os efeitos do estresse crônico estão deixando muitas pessoas em estado de quase desespero.
As queixas mais comuns: perturbações do sono; dor em tudo quanto é lugar; cefaléias quase intratáveis; digestão complicada; vertigens; perda de memória; dificuldade de concentração; infecções de repetição; ites de todos os tipos e níveis – falta de motivação; cansaço crônico; depressão; angústia, tristeza crônica; agressividade sem freio; comportamento bipolar; pânico – o mais grave: tudo isso quase ao mesmo tempo.
A grande preocupação - tenho ouvido muito dos pacientes e das pessoas em geral: continuar assim não vale a pena; é melhor morrer – como água mole em pedra dura tanto bate até que fura; o perigo de cada vez mais pessoas deixarem apenas o suicídio inconsciente: falta de cuidados e de mudanças; doenças auto-imunes; e partirem para o suicídio ativo; pode virar moda; especialmente se passar na TV.
O que fazer?
E as causas disso?
Embora esse problema como a maioria dos outros seja falta de uma educação que prepare realmente para as razões do viver; analisemos algumas causas primárias.
Conforme coloquei na introdução do livro “Saúde ou doença: a escolha é sua” (Ed. Petit). A compreensão do que seja saúde, doença e cura precisa de urgente revisão.
A idéia de que curas são vendidas como sabonete fixou-se na nossa cultura; e hoje é real. Buscamos a cura como se procuram mercadorias num mercado; não queremos nos curar queremos ser curados não importa de que forma e a que preço, muito menos nós medimos conseqüências.
A cura como necessidade de mudanças definitivas na forma de pensar, sentir e agir, de reformular hábitos e eliminar vícios prazerosos é evitada, pois, às vezes exige decisões contundentes na maneira de escolher, separar, avaliar; daí nós vamos levando a vida, empurrando com a barriga cada vez mais avantajada; buscando um remedinho aqui, um milagrezinho ali – tal e qual a busca da dieta mágica que permite que você coma tudo que quiser e emagreça.
O resultado é que esse tipo de busca não representa uma decisão séria de cura da nossa parte; uma opção verdadeira entre diferentes meios de vida; pois enquanto alguém achar que pode comprar saúde, outro pensará ser capaz de vender cura; Pior, outros mais espertos tentarão intermediá-la através dos planos de saúde.
Nada resolve tudo e, a medicina e o método científico não são exceções à regra. Quando totalmente atrelada à razão científica ela é neutra quanto a fins, e irremediavelmente, incapaz de responder à questão de como viver, para que viver; Ora, parece que viver, é apostar na liberdade de pensar e escolher.
A metodologia científica, não nos diz como usar essa liberdade e o que fazer de nossas vidas – o pior é que não estamos nem um pouco interessados em saber.
Qualquer ato de escolha, por mais simples que seja, ultrapassa a esfera de competência da ciência. Então, a saúde ou a doença passa a ser principalmente questão de filosofia de vida; é uma escolha como outra qualquer, envolve todos os nossos sentidos e capacidades, nem sorte, nem azar, nem destino.
Opção feita; aguardem-se as conseqüências – já estão em andamento.
Somos insaciáveis; acreditamos que a vida existe apenas para nos dar prazer e, na ânsia de aproveitá-la, corremos para os braços da morte. Existe um apetite desgovernado por sensações e, a nossa capacidade de assimilá-las e integrá-las a um projeto de vida que faça sentido ainda é bem diminuta. Daí, a necessidade e a importância da doença, que regula a seletividade natural do uso do livre-arbítrio
Na atualidade o perigo de crer sem questionar é avassalador; pois em tempos de globalização há sobrecarga de informação; além disso, todo mundo quer nos vender tudo a qualquer preço. Hoje somos bombardeados de apelos, cercados de sons, rótulos, slogans e imagens por todos os lados, e assediados por apelos os mais desconexos em assuntos de saúde. Na atualidade, sempre há alguém querendo nos vender saúde, é preciso cuidado para não comprar doença; crer por crer é perigoso e doentio; daí, um dos medicamentos definitivos para a cura é a reflexão constante.
O que fazer?
Uma das urgências é que nos livremos de idéias mofadas a respeito de saúde, doença e cura; é vital que nossas fixações mentais e velhos conceitos a respeito do assunto sejam reciclados.
Para que possamos ajudar os que já estão em desespero é preciso cuidado; pois nós, de alguma forma, também estamos no caminho que leva a esse desastre – para que sejamos úteis é preciso despertar a esperança mostrando que não há doença que não possa ser curada nem saúde ou felicidade estática.
Buscar e integrar novas reflexões ao cotidiano é uma prática saudável.
Dentre elas:
Tradicionalmente a doença é vista como algo impessoal, fortuito e ocasional; tentamos negar nossa participação na sua origem; tanto que a diretriz das pesquisas está sempre assentada na busca de culpados externos ao indivíduo: DNA, vírus, bactérias, acidentes, etc. também na busca da cura procuramos nos entregar a resultados de exames e a decisões dos profissionais, sempre na tentativa de fugirmos da responsabilidade.
Assunto extenso; para finalizar este bate papo deixo a sugestão:
Médicos, pacientes, recursos diagnósticos, terapêuticas devem formar um time onde o capitão, técnico e dono do time, é o paciente.
Se o amigo está pensando em passar para o lado de lá para se curar; juízo; pois a tal da morte não cura nada, não resolve nada; nem emagrece; faz nascer cabelo – lá é tal cá.
Melhor começar a mudar de postura já; enquanto estamos por aqui – pois, em 3D já estamos bem ou mal enturmados com o que é possível fazer; já do lado de lá; é melhor não entregar nas mãos de Deus; pois Ele pode estar muito ocupado e como é eterno: sabe-se lá quanto é o tempo de espera até chegar nossa vez.
A cura dos efeitos do estresse crônico é muito mais simples do que podemos imaginar.
Mas, se alguém querido ou que nós conhecemos; começar a dizer que viver assim não vale mais a pena: melhor ficar de olho.

Obs. Há muita luz no fim do túnel

Namastê.

Joaé Aparecido

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

TEMPO...


O cérebro humano mede o tempo por meio da observação dos movimentos.
Se alguém colocar você dentro de uma sala branca vazia, sem nenhuma mobília, sem
portas ou janelas, sem relógio.... você começará a perder a noção do tempo.
Por alguns dias, sua mente detectará a passagem do tempo sentindo as reações internas do seu corpo,incluindo os batimentos cardíacos, ciclos de sono, fome, sede e pressão sanguínea.
Isso acontece porque nossa noção de passagem do tempo deriva do movimento dos objetos, pessoas, sinais naturais e da repetição de eventos cíclicos, como o nascer e o pôr do sol.
Compreendido este ponto, há outra coisa que você tem que considerar:
Nosso cérebro é extremamente otimizado. Ele evita fazer duas vezes o mesmo trabalho.
Um adulto médio tem entre 40 e 60 mil pensamentos por dia.
Qualquer um de nós ficaria louco se o cérebro tivesse que processar
conscientemente tal quantidade. Por isso, a maior parte destes pensamentos é automatizada e não aparece no índice de eventos do dia e portanto, quando você
vive uma experiência pela primeira vez, ele dedica muitos recursos para
compreender o que está acontecendo. É quando você se sente mais vivo.
Conforme a mesma experiência vai se repetindo, ele vai simplesmente colocando suas reações no modo automático e'apagando' as experiências duplicadas.

Se você entendeu estes dois pontos, já vai compreender porque parece que o tempo acelera, quando ficamos mais velhos e porque os Natais chegam cada vez mais rapidamente. Quando começamos a dirigir automóveis, tudo
parece muito complicado, nossa atenção parece
ser requisitada ao máximo.
Então, um dia dirigimos trocando de marcha, olhando os semáforos, lendo os sinais ou até falando ao celular ao mesmo tempo.
Como acontece? Simples: o cérebro já sabe o que está escrito nas placas (você não lê com os olhos, mas com a imagem anterior, na mente); O cérebro já sabe qual marcha
trocar (ele simplesmente pega suas experiências passadas e usa , no lugar de repetir
realmente a experiência). Ou seja, você não vivenciou aquela experiência, pelo menos para a mente. Aqueles críticos segundos de troca de marcha, leitura de placa são apagados de sua noção de passagem do tempo. Quando você começa a repetir algo
exatamente igual, a mente apaga a experiência repetida.
Conforme envelhecemos as coisas começam a se repetir - as mesmas ruas, pessoas, problemas, desafios, programas de televisão, reclamações, enfim... as experiências novas (aquelas que fazem a mente parar e pensar de verdade, fazendo com que seu dia pareça ter sido longo e cheio de novidades), vão diminuindo.
Até que tanta coisa se repete que fica difícil dizer o que tivemos de novidade na semana, no ano ou, para algumas pessoas, na década.
Em outras palavras, o que faz o tempo parecer que acelera é a...ROTINA
A rotina é essencial para a vida e otimiza muita coisa, mas a maioria das pessoas ama tanto a rotina que, ao longo da vida, seu diário acaba sendo um livro de um só capítulo, repetido todos os anos.
Felizmente há um antídoto para a aceleração do tempo: M& M(Mude e Marque).
Mude, fazendo algo diferente e marque, fazendo um ritual, uma festa ouregistros com fotos. Aprenda uma nova língua, ou um novo instrumento. Mude de paisagem, tire férias com a família (sugiro que você tire férias sempre e, preferencialmente,
para um lugar quente, um ano, e frio no seguinte) e marque com fotos, cartões postais e cartas. Tenha filhos ou animais de estimação (eles destroem a rotina)
Sempre faça festas de aniversário e para você (marcando o evento e diferenciando o dia).
Use e abuse dos rituais para tornar momentos especiais diferentes de momentos usuais.
Faça festas de noivado, casamento, 15 anos, bodas disso ou daquilo, bota-foras, participe do aniversário de formatura de sua turma, visite parentes distantes, entre na universidade com 60 anos, troque a cor do cabelo, deixe a barba, tire a barba,
compre enfeites diferentes no Natal, vá a shows, cozinhe uma receita nova, tirada de um livro novo. Escolha roupas diferentes, não pinte a casa da mesma cor, faça diferente.Beije diferente sua paixão e viva com ela momentos diferentes.
Vá a mercados diferentes, leia livros diferentes, busque experiências diferentes.
Seja Diferente!
Se você tiver dinheiro, especialmente se já estiver aposentado, vá com seu marido, esposa ou amigos para outras cidades ou países, veja outras culturas, visite museus estranhos, deguste pratos esquisitos.... em outras palavras... V-I-V-A. !!!
Porque se você viver intensamente as diferenças, o tempo vai parecer mais longo.
E se tiver a sorte de estar casado(a) com alguém disposto(a) a viver e buscar coisas diferentes, seu livro será muito mais longo, muito mais interessante e muito mais v-i-v-o... do que a maioria dos livros da vida que existem por aí. Cerque-se de amigos.
Amigos com gostos diferentes, vindos de lugares diferentes e que gostam de
comidas diferentes. Enfim, acho que você já entendeu o recado,não é?
Boa sorte em suas experiências para expandir seu tempo, com qualidade, emoção, rituais e vida.
ESCREVA em TAmaNhosdiFeRenTes eem CorES dif ErEntEs!
CRIE, RECORTE, PINTE, RASGUE, MOLHE,DOBRE,PICOTE, INVENTE,REINVENTE...
V I V A !!

Autoria desconhecida

UM DESEJO


O poeta calado
é como a flor a esconder suas pétalas
ou uma palavra sem sílabas
um poema sem verso
lá no fim dos confins do universo
sem poeta e sem leitor
um candidato a deputado
sem mandato ou eleitor
é como o pôr-do-sol em preto e branco
ou um bailirino manco
uma dançarina sentindo dor
o poeta calado
é um folha seca apodrecendo no charco
um furo no casco de um barco
afogando o remador
é o silêncio do som
o olvido do olfato
a negritude da cor
o poeta calado
é uma embarcação encalhada
a limpeza emporcalhada
o desamor do amor
um avião que não voa
um talento vivendo à toa
amante sem amador
passarinho sem canto
a tristeza sem pranto
alegria sem esplendor
um pomar cheio de frutas carnudas
que o dono proibiu de colher
é a liberdade que um dia tive
mas que alguém resolveu me tolher.


Benno Assmann

REFLEXÃO


"Andar com fé é saber que temos tudo a nosso favor, é compartilhar as bênçãos multiplicadas, é saber que sempre seremos surpreendidos com presentes do Universo... é a certeza que o melhor sempre acontece, e que tudo aquilo que almejamos está totalmente ao nosso alcance".

Autoria desconhecida

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

PENSAMENTO DO DIA


No final, não nos lembraremos das palavras dos nossos inimigos, mas do silêncio dos nossos amigos

Martin Luther King

REFLEXÃO DE HOJE


Meu filho, atende às minhas palavras, presta atenção às minhas sentenças: que elas não se afastem de tua vista! Guarda-as dentro do teu coração, porque são vida para quem as encontra, saúde para todo o corpo. Guarda teu coração com toda cautela porque dele brotam as fontes da vida! Afasta de ti a falsidade da boca, e repele de ti o engano dos lábios! Que teus olhos olhem sempre para a frente e teu olhar siga reto para diante! Olha bem onde pisam teus pés, e todos os teus caminhos serão seguros! Não te desvies nem para a direita nem para a esquerda, afasta os teus pés do mal!

Provérbios 4, 20-27

A BELEZA DA VIDA



Certa vez uma leitora me pediu que comentasse sobre o significado da seguinte frase: “Que a morte de um ente querido seja luz para a nossa vida!”.
À primeira impressão, pode nos parecer que essa afirmação seja totalmente incoerente. “Como pode a morte de alguém que amamos servir-nos de luz?” – você poderia perguntar.
Vou procurar falar disso sem tocar em nenhuma religião em específico, para não parecer tendencioso.
Vivi muitos ano no Japão e lá as estações do ano são muito bem definidas. Então, aprendi a observar com cuidado o ciclo da vida.
No outono, as folhas das árvores começam a mudar de cor, tornam-se vermelhas, ou alaranjadas, ou marrons, até que caem todas, deixando as árvores apenas nos troncos e galhos.
Então, entra o inverno…
Durante todo o inverno, as árvores ficam desfolhadas, secas, com a aparência nítida de que não têm vida, de que morreram para sempre. Os insetos somem, os pássaros desaparecem, a temperatura esfria, como se o sol não voltasse mais a nos aquecer, o céu fica cinza e só clareia quando a neve cai e cobre todo o solo. A vegetação, já aparentemente sem vida, some então sob a neve. Tudo é muito triste e parece ser o fim.
E depois, chega a primavera…
O céu se abre aos poucos e, com os primeiro raios de sol da primavera, de repente, podemos observar uma borboleta saindo do casulo, alguns insetos voando, aranhas, na maioria filhotes que acabaram de sair dos ovos, armando suas teias, pássaros piando, depois voando, depois cantando, depois montando seus ninhos. E os novos filhotes ganhando os céus e trazendo música para a vida.
Olhando-se mais de perto para aquelas árvores aparentemente sem vida, passamos a observar centenas de pequenos brotos, cheios de força, sendo chamados novamente à vida.
Depois de poucas semanas, toda a exuberância da natureza está restabelecida, toda a beleza nos é devolvida. Toda a vida renasce daquilo que poderíamos jurar que estava morto.
É assim o ciclo da vida…
Mas o que isso tem a ver com a pergunta daquela leitora?
Bem, eu disse que não falaria de religião, mas não disse que não falaria de Deus. Então eu lhe faço apenas uma pergunta: “Se Deus tem todo esse cuidado com o restante da natureza, por que razão não teria esses mesmos cuidados, ou até mesmo ainda mais cuidados, conosco, que somos Seus filhos feitos à Sua semelhança?”
Isso tudo, para mim, diz apenas uma coisa: a vida não termina. Ou ainda, a NOSSA vida também não termina. Ela se renova a cada primavera (ou a cada morte e a cada nascimento).
Não vou entrar no mérito dessa questão para, como eu já disse, não ser tendencioso. Mas não posso negar a grandeza deste mundo de Deus, que pude presenciar por anos a fio observando a natureza.
Então, se pensarmos que somos partes desse imenso universo de Deus e, como tudo, apenas nos renovamos, por que deveríamos temer ou chorar a morte?
Veja bem, não estou dizendo que não tenhamos sentimentos de tristeza com a separação de nossos entes queridos. Apenas quero dizer que, quando um ente querido se vai do nosso convívio, devemos sim curtir a nossa tristeza, pois isso faz parte da nossa natureza e é necessário para lavar a nossa alma e refrescar o nosso coração. Mas podemos também aprender a ver nessa partida a beleza da renovação da vida.
A partida de um ente querido pode nos chamar a atenção para a grandiosidade da vida, da mesma forma como o nascimento de um filho o faz.
Essa consciência da nossa condição temporária neste mundo e da nossa eternidade como filhos de Deus nos vem a partir desses dois acontecimentos: o nascimento e a morte.
Encarar a morte de um ente querido pode abrir, então, nossos olhos para a luz da compreensão da nossa existência: Será mesmo a morte tão definitiva? A natureza nos diz que não!
Podemos nos tornar mais fortes e confiantes nesses momentos de provação, se os aproveitarmos para compreender a grandeza e a beleza da vida que Deus nos deu.
Pense sobre isso!
Um abraço e muita Paz!


Gilberto Cabeggi

domingo, 5 de fevereiro de 2012

DESÂNIMO?...


Deixe eu tentar adivinhar:
você acordou hoje com um certo desânimo?
Indiferença, talvez.
Sabia que só uma em cada dez pessoas acorda entusiasmada(o)?
E, no entanto, o entusiasmo é tudo, porque dá a você a confiança
para fazer diferença no seu dia.
Eu quase sempre acordo com entusiasmo
(hoje então nem se fala).
Mas concluí que, mesmo nos dias em que isso não acontece,
posso me programar mentalmente para me reanimar e me entusiasmar,
contagiando assim os que estão ao meu redor.
Tente você também buscar entusiasmo
e fazer do seu dia um prazer de viver!

Por Lidia Albino

De Sérgio Charlab

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

SEI DO SILÊNCIO...


Sei do silêncio que cala os meus gestos...do amor inventado
Da ausência colada na pele...dos beijos adormecidos na boca
Dos sonhos por dentro da noite...dos desejos no corpo calado
Sei da mulher que vagueia sem rumo...tão triste...tão louca

Sei das flores que o vento acariciou...do tempo que as secou
Da chuva a escorrer do meu olhar...da eternidade dos sonhos
Do sol que se escondeu...da ausência que o meu corpo gelou
Sei da negrura que cobre o dia...das folhas secas de Outono

Sei do nada que sobrou dos sonhos...do tempo infinito
Dos caminhos onde me perdi...do mar onde naufraguei
Das mãos que seguram farrapos...da solidão que grito
Das ilusões que a noite matou...dos desejos que calei

Sei das águas estagnadas...dos rumos incertos no peito
Do nada que me inunda...do vazio no meu corpo suspenso
Do beijo preso nos gestos...do desejo amordaçado no leito
Sei das mãos onde naufragaram carícias...do mar imenso

Sei do sorriso que grita o silêncio...sei das noites sem fim
Do Inverno do meu leito...dos dias sem sol...dos gestos vazios
Sei do meu corpo a entardecer...dos gemidos que esqueci
Da pele que guardou os segredos...dos meus lábios frios

Sei do silêncio preso no olhar...da carícia no tempo esquecida
Do rio que corre lento no meu peito...da rosa seca na mão
Das cinzas tatuadas no meu rosto...da Primavera perdida
Sei da árvore despida...das folhas mortas...da desilusão

Sonhadora
do blog Rosa Solidão

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

TER CORAGEM


A primeira qualidade do caminho espiritual é a coragem, dizia Gandhi.
E, segundo o monge tibetano Chögyam Trungpa, a primeira qualidade do homem valente é lutar por aquilo que possa ser útil a toda a humanidade.

O mundo sempre parece ameaçador e perigoso para os covardes. Estes procuram a segurança mentirosa de uma vida sem grandes desafios, e se armam até os dentes para defender aquilo que julgam possuir. Os covardes são vítimas do próprio egoísmo, e terminam construindo as grades da própria prisão.

Mas os homens e mulheres valentes projetam seu pensamento muito além das paredes do quarto. Sabem que, se não fizerem nada pelo mundo, ninguém mais o fará.
Então, tomam parte do Bom Combate da vida, mesmo sem entender direito porquê.

Paulo Coelho

DO SITE STUM

TERESA DE CALCUTÁ, CHICO DO BRASIL...



Ambos nasceram em 1910, ela, Teresa de Calcutá, ele, Chico de Pedro Leopoldo. Ela uma mulher valente, ele um homem corajoso. Ela, católica, ele espírita, no entanto ambos portavam-se como verdadeiros integrantes da família universal. Tinham muito mais em comum do que apenas o ano de nascimento. Seguiam o mesmo professor: Jesus, tinham o mesmo sobrenome: amor, viveram para o mesmo objetivo: servir.
Ela recebeu o prêmio Nobel da Paz, ele viveu pacificamente toda a vida.
Teresa de Calcutá viveu para os menos favorecidos, queria ser pobre, nunca conseguiu. Seu coração transbordava riquezas; a nobreza da generosidade, as pérolas da fraternidade, os diamantes da solidariedade. Dizia Teresa em toda sua simplicidade que a felicidade humana é impossível de ser mensurada. Como controlar em planilhas estatísticas a felicidade de um faminto que encontra o alimento? Teresa tinha razão. Impossível mensurar a felicidade humana. Por isso trabalhava sem estatísticas, mas em prol da felicidade e dignidade de seus irmãos de caminhada.
Chico Xavier, o Chico de Pedro Leopoldo, O Chico do Brasil, o mineiro do século também queria ser pobre, sem sucesso. Doou os direitos autorais de seus mais de quatrocentos livros psicografados que venderam e vendem milhares de exemplares em todo mundo. Poderia ter polpuda conta bancária, no entanto preferiu a simplicidade, mas nunca foi pobre, sua vida foi repleta de amigos dos dois planos, Chico era e será onde estiver um milionário; um magnata das letras, um ícone da humildade, um pobre das moedas, mas rico de amor...
Assim eram Teresa e Chico... franzinos fisicamente, mas colossais espiritualmente. Narram as páginas da literatura que quem se aproximava de Teresa, a Madre Teresa de Calcutá, não conseguia conter a emoção, devido a irradiação de sua serenidade e sua intensa energia espiritual.
O que a literatura diz de Teresa, reafirma com Chico. Aqueles que gozaram de sua convivência afirmam que sua presença iluminava, acalmava, tranqüilizava...
Chico e Teresa; Teresa e Chico... É como se falássemos de amigos: “Oi Teresa!” “Bom dia, Chico!” Embora não os tenha conhecido, falar deles, de suas conquistas, realizações e aventuras é como falar de amigos, porque com os amigos não há barreiras, não há inquietações, inexistem constrangimentos. Os amigos deixam-nos à vontade, sinto-me, pois, à vontade para escrever sobre Teresa e Chico os quais considero amigos; amigos do mundo, dos ricos, dos pobres, dos brasileiros, indianos, nigerianos, amigos de todos...
Teresa e Chico; Chico e Teresa, duas figuras que praticavam o amor, deixaram marcas inesquecíveis e indeléveis a nos convidar para, dentro de nossas possibilidades obviamente, viver como eles, servindo e amando para a construção de um mundo fraterno e justo.
Pensemos nisso.



Wellington Balbo (Bauru – SP)
Wellington Balbo é professor universitário, escritor e palestrante espírita, Bacharel em Administração de Empresas e licenciado em Matemática. É autor do livro "Lições da História Humana", síntese biográfica de vultos da História, à luz do pensamento espírita, e dirigente espírita no Centro Espírita Joana D´Arc, em Bauru.

ALGUMAS DE MINHAS OBRAS

MEU MAIS NOVO LIVRO

MEU MAIS NOVO LIVRO