BOAS VINDAS

Seja bem vindo! Espero que aqui encontre alento, beleza, amor e paz! E que possa espalhar isto para o mundo, que vive tão sedento de tudo isto.



Pesquisar este blog

Seguidores

sábado, 29 de novembro de 2014

REFLEXÃO COM RUMI


"Procurai não dizer que entendestes... A compreensão reside em não compreender... Para ti, essa compreensão é um obstáculo. É preciso escapar dela. Para alcançar o sentido profundo (mani) dissimulado "sob o véu das palavras", somente disponibilidade, ou receptividade não bastam: é necessário um esforço, uma atitude, primeiro passo que faz daquele que questiona - ou se questiona - um peregrino, no Caminho. A utilidade da palavra será portanto a de fazer-te procurar e a de iniciar-te; o que não quer dizer que a coisa que se busca seja obtida pela palavra: se fosse assim, não terias que fazer tanto esforço... A palavra é como algo que vês mover-se de longe: vais à sua procura para vê-la, mas não é por causa de seu movimento que a vês. A palavra do homem, sob seu aspecto oculto, é algo como: ela te faz buscar o sentido, embora na realidade não o vejas".


Rumi. Século XIII. Fihi Ma Fihi. Tradução do original persa por Eva de Vtray-Meyerovich. Rio de Janeiro, Edições Dervish, 1993.320 p. p.9, p.165, p.capa.

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

ABOLIÇÃO DO MAL


Quem se refere a perseguições e calúnias, rixas e desgostos, na maior parte das circunstâncias, está destacando a influência do mal.
Quantos milhares de caminhos, entretanto, para equilíbrio e restauração, alegria e esperança se todos nos empenhássemos a extinguir impressões negativas no nascedouro!...
Determinado amigo terá incorrido no erro de que o acusam, todavia se nos afastamos da censura que o envolve, anotando-lhe unicamente as qualidades nobres
de filho de Deus, com possibilidades de recuperação iguais às nossas, mais depressa se verá liberto da inquietação na sombra para readquirir a tranquilidade de consciência.
Certo acontecimento menos feliz haverá sido indiscutivelmente um desastre social, no entanto, se nos abstemos de comentá-lo nos aspectos destrutivos, teremos cooperado para que se lhe pulverizem os destroços morais, sem piores conseqüências.
Aquela injúria assacada contra nós efetivamente nos haverá queimado as entranhas do ser, entretanto desaparecerá nas correntes profundas do tempo, se nos
consagramos a olvidá-la, sem comunicar-lhe o fogo devorador aos entes queridos, através de alegações menos edificantes.
Essa confidência amarga ter-nos-á atingido o coração, por farpa invisível, mas não ferirá outros, se nos dispusermos a esquecê-la.
Reflitamos na contribuição da paz a que todos somos chamados e para a qual todos somos capazes com segurança e eficiência.
Para começar, porém, de maneira substanciosa e definitiva, é preciso que o mal cesse de agir, tão logo nos alcance, encontrando em cada um de nós uma estação terminal das trevas.


Emmanuel

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

AMOR VERDADEIRO

É fácil amar o outro na mesa do bar, quando o papo é leve, o riso é farto e o chopp gelado. 
É fácial amar o outro nas férias, no churrasco, nas festas ou quando se vê de vez em quando.
Difícil é amar quando o outro desaba, quando não acredita em mais nada e entende tudo errado. Quando paralisa, perde o charme, o prazo, a identidade e a coerência. Nessas horas que se vê o verdadeiro amor, aquele que quer o bem acima de tudo. É esse o amor que dura para sempre, na verdade, esse é o único tipo que pode ser chamado de amor.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

DEUS TE CONCEDA A PAZ


Se a provação te aflige,
Deus te conceda paz.

Se o cansaço te pesa,
Deus te sustente em paz.

Se te falta a esperança,
Deus te acrescente a paz.

Se alguém te ofende ou fere,
Deus te renove em paz.

Sobre as trevas da noite,
O Céu fulgura em paz.

Ama, serve e confia.
Deus te mantém a paz.

Que assim seja.


Autor: Emmanuel – Médium - Chico Xavier.

sábado, 22 de novembro de 2014

A CARIDADE DE OUVIR




Chico Xavier se sentia incomodado ao ouvir as anedotas picantes de um seu conhecido, até que Emmanuel aconselhou-o a exercer a Caridade de deixá-lo falar o que quisesse, sem julgamentos, pois essa é uma das formas de Caridade.
Aprender a ouvir o que os outros queiram dizer representa um passo adiante na senda evolutiva, pois estaremos respeitando a liberdade alheia tanto quanto queremos que os outros respeitem a nossa.
Não é propriamente cristã a simples disponibilidade para ouvir a confissão alheia, se ocorre em postura de falsa superioridade como a maioria dos antigos confessores, mas sim em ouvir em atitude interior e exterior de igualdade diante de quem confessa: aí está o diferencial: ouvir sem diminuir a dignidade daquele que se penitencia, porque é certo que nossa vez de confessarmos também chegará, mais cedo ou mais tarde. Por isso, “com a mesma medida com que medirdes, vos medirão também a vós”, ou seja, se ouvirmos com simpatia, informalmente e com naturalidade as confissões alheias, teremos igualmente condições de expormos nossas faltas naturalmente, sem receios infundados e com a certeza de que pelo menos uma pessoa nos ouvirá com “olhos bons”.
Quando ouvimos as confissões alheias é muito comum sentirmos uma pitadinha de satisfação maldosa ou maliciosa: é como se aquelas pessoas reconhecessem que lhes somos superiores, o que, na verdade, pode ser exatamente o contrário.
Chico Xavier ouvia reclamações, lamentações, ofensas, pedidos inviáveis, falas prolixas e todo tipo de inconveniências com o mesmo espírito de respeito à dignidade alheia e consideração pelas necessidades que caracterizam cada um: não se tratava de “humildade de vitrine”, mas ele aproveitava aquelas oportunidades para beneficiar os consulentes, muitas vezes, com passes espirituais, mentalizações benéficas, desobsessão e outras formas de ajudá-los.
Assim também devemos proceder, dentro das nossas possibilidades.

Maria Clara
Livro: Confissão e prece

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

REFLEXÃO PARA HOJE


"Acorde! Ao menos agora, acorde!
Acorde para o seu próprio Ser.
Desperte para sua própria realidade".

Brahmananda

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

PENSAMENTO DE HOJE


É impossível viver sem agir. Por outro lado, nossas ações produzem sempre consequências. Por isso, é crucial aprendermos a agir com sabedoria, honestidade, justiça e bondade. Isso fará com que as consequências de nossas ações, ao fim e ao cabo, sejam benéficas.

Paulo e Lauro Raful

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

MECANISMO DO AUXÍLIO


Todos somos filhos de Deus e, nessa condição, de um modo ou de outro, carecemos todos nós do Amparo Divino.
Meditando nisso, não teremos qualquer dificuldade para reconhecer o imperativo do apoio mútuo, em todos os processos de vivência, já que não compreendemos em Deus justiça sem bondade e nem bondade sem justiça.
Por essa mesma razão, é fácil observar a necessidade do ajustamento entre socorro e cooperação.
A fim de que o mecanismo do auxílio funcione com segurança, entre aquele que necessita de amparo e aquele que pode ajudar relativamente, é indispensável venha a surgir e fixar-se o auxílio daqueles
outros que possam ajudar mais ainda.
O doente nas prescinde do tato e do entendimento de quem o assiste, a fim de que o médico disponha de campo adequado à atuação curativa.
A criança reclama a vigilância de pais ou tutores que a protejam para o professor, junto dela, encontre o clima propício à obra da educação.
E criatura alguma, integrada nas responsabilidades próprias, se lembrará de perturbar o trabalho da recuperação física e do aprimoramento
cultural, com interferências inoportunas.
Assim ocorre quanto ao socorro espiritual.
Os amigos que operam em mais elevado nível de evolução estão prontos à prestação de serviço, em favor dos companheiros em estágio educativo na Terra, mas para isso aguardam o concurso de irmãos amadurecidos na experiência que se lhes erijam em suportes as boas obras que lhes caibam realizar.
Impossível que os Instrutores da Paz consigam tranquilizar o ambiente humano, quando os que verificam o imperativo da paz agravam os problemas
formados pela discórdia.
Impraticável a ação dos Espíritos Benfeitores na restauração íntima de alguém, quando aqueles que reconhecem à imposição de semelhante reajuste
descambam para a condenação.
Se anelamos a libertação do mal, saibamos colaborar na extinção do mal.
Se nos propomos sanar o desequilíbrio, procuremos harmonizar.
Amigos do mundo, sempre que buscardes o concurso daqueles amigos outros que se domiciliam na Vida Maior, recordai que lhes sois os pontos de
apoio para que a colaboração deles se efetue.
Em qualquer plano do Universo, toda vez que desejarmos realmente o bem, é forçoso nos convertamos em colunas vivas do bem


Emmanuel

PENSAMENTO DE HOJE




" Tudo o que somos nasce com nossos pensamentos. Em nossos pensamentos, fazemos o nosso mundo."

Buda

domingo, 16 de novembro de 2014

POEMA DA GRATIDÃO



Em ti, poeta,
Encontrei a pureza da criança
A luz da natureza pura,
As palavras e despalavras,
O caminho e os descaminhos,
O deslumbramento do banal
O encanto das noites quietas
A beleza de um milharal.
As pinturas de um muro qualquer
A meditação dos desvãos de um rio
E todo o encanto do mar
Tu foste mestre de tantos
E, mais que isso, mestre da vida,
Da simplicidade
E da felicidade.
Por isso e por tanto
És estrela na eternidade!


Em memória de Manoel de Barros, o grande poeta, que faleceu no Brasil, no dia 13/11/2014

PENSAMENTO DE HOJE


A agulha magnética aponta sempre para o norte, qualquer que seja a direção do navio; assim, o navio não se desvia de sua rota. Se a mente do homem estiver sempre voltada para Deus, ele será sempre imune a qualquer perigo.

Ramakrishna

sábado, 15 de novembro de 2014

REFLEXÃO

Enquanto eu for isto ou aquilo, ou tenha isto ou aquilo, não sou todas as coisas, nem possuo todas as coisas. Torna-te puro até que não tenhas isto ou aquilo; então serás onipresente e, não sendo isto ou aquilo, serás todas as coisas. 

Meister Eckhar
t

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

PENSAMENTO DE HOJE


Assim como você sente a fragrância de uma flor ao manuseá-la, ou o perfume do sândalo ao friccioná-lo contra uma pedra, assim também você obtém o despertar espiritual pensando constantemente em Deus.

Sri Sarada Devi

domingo, 9 de novembro de 2014

POEMA DA GRATIDÃO


É nesta hora truanesca
Neste crepúsculo de milênio
Quando as sombras se adensam e a revolta grassa
Nesta casa santuário, queremos dizer, Senhor!
Enquanto lá fora há o aturdimento e o desequilíbrio
Nós aqui queremos dizer-te que amamos a vida
Que para nós é bela e é consentida
Muito obrigado Senhor!
Pelo que me deste e pelo que me dás.
Muito obrigado pelo ar, pelo pão, pela paz.
Muito obrigado pela beleza que meus olhos vêm notar da natureza
Olhos que fitam o céu, a terra e o mar.
Que acompanham a ave ligeira que corre fagueira pelo céu de anil, e se detém na terra verde salpicada de flores em tonalidades mil.
Muito obrigado senhor porque eu posso ver meu amor
Mas diante de minha visão
Eu detecto cegos que tropeçam na escuridão
Que andam na multidão
E que choram na solidão
Por eles eu oro e a ti eu imploro comiseração
Porque eu sei
Que depois dessa lida na outra vida eles também enxergarão
Muito obrigado pelos ouvidos meus
Que me foram dados por Deus
Ouvidos que ouvem o tamborilar da chuva no telheiro
A melodia do vento nos ramos do salgueiro
As lágrimas que vertem os olhos do mundo inteiro
Ouvidos que ouvem a música do povo que desce do morro na praça a cantar
A melodia dos imortais, que a gente ouve uma vez e não esquece nunca mais.
A voz melodiosa, canora, melancólica do boiadeiro.
E a dor que geme e que chora no coração do mundo inteiro
Pela minha faculdade de ouvir, pelos surdos eu te quero pedir.
Porque eu sei
Que depois dessa dor, no teu reino de amor, voltarão a sentir.
Muito obrigado pela minha voz
Mas também pela sua voz
A voz que canta
Que alfabetiza, que ilumina
Que solfeja uma canção
Que legisla
Pela voz, que emite a melodia de sua própria voz.
Mas diante de minha melodia
Eu detecto na Terra os que sofrem de afazia
Eles não cantam de noite eles não falam de dia
Oro por eles
Porque eu sei, que depois desta prova, na vida nova.
Eles cantarão
Obrigado pelas minhas mãos
Mas também pelas mãos que aram
Que semeiam
Mãos que agasalham
Mãos de ternura
Mãos que libertam da amargura
Mãos que apertam mãos
Mãos dos adeuses
De caridade e de solidariedade
Mãos que escrevem poesias
Mãos de cirurgia
Mãos de sinfonia
Mãos de psicografia
Pelas mãos que atendem a velhice
A dor
O desamor
Pelas mãos que no seio embalam o corpo de um filho alheio sem receio
E pelos pés que me levam a andar, sem reclamar.
Muito obrigado senhor, porque eu posso caminhar.
Mas diante do meu corpo perfeito
Eu olho na Terra
E encontro
Paralisados, maltratados, amputados, marcados, deformados.
Eu oro por eles
Porque eu sei, que depois desta expiação.
Na outra reencarnação
Eles também bailarão
Obrigado por fim, pelo meu Lar.
É tão maravilhoso ter um lar
Não é importante se esse Lar é uma mansão, ou uma favela, uma tapera, um ninho, um grabato.
De dor, um bangalô, 
Seja lá o que for.
Mas que dentro dele, exista a figura do amor.
O amor de mãe, ou de pai.
De mulher ou de marido
De filho ou de irmão
A presença de um amigo
Alguém que nos dê a mão
Pelo menos a companhia de um cão
Porque é muito doloroso viver na solidão
Mas se eu a ninguém tiver para me amar
Nem um teto para me agasalhar, ou uma cama para repousar.
Nem aí reclamarei
Pelo contrário, eu cantarei.
Obrigado senhor porque eu nasci
Muito obrigado porque eu creio em ti
Pelo
teu amor, obrigado senhor!

Divaldo Pereira Franco

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

PENSAMENTO DE HOJE


O que não enfrentamos em nós mesmos encontraremos como destino.

Carl Gustav Jung

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

NA TRILHA DA FELICIDADE



Falas comumente da felicidade, qual se te referisses à deidade remota, quando esse filão de alegria se te localiza ante os pés.
Felicidade, porém, não é conquista fácil, prodígio de herança, episódio social ou bafejo da fortuna.
Somos convidados pela vida a criá-la em nós e por nós, como sucede com todas as nossas aquisições humanas.
Plantas o milharal e o milharal te responde ao carinho com o tesouro da colheita.
Instalas a usina, junto de forças determinadas da natureza, e essas forças da natureza te retribuem com vigorosos reservatórios de força.
No mesmo sentido, a felicidade atira as próprias sementes no caminho de todos, especialmente entre aqueles que jazem atormentados por desenganos
e lágrimas e, a breve tempo, ei-la que te oferta messes valiosas de esperança e ventura, tranquilidade e cooperação.
Aqui, o próximo em penúria te solicita singela fatia de reconforto; ali, se te pede ligeiro auxílio a favor de mães e crianças desamparadas; além, irmãos enfermos em desvalia esperam de ti alguns minutos de atenção e bondade, categorizados por eles à conta de apoio celeste; adiante, as vítimas das inquisições sociais esmolam-te simpatia e compreensão num olhar de ternura; mais adiante, os caídos em viciação e delinquência suplicam-te apenas uma palavra de encorajamento e de paz que lhes dulcifique o coração; e, por toda a parte, amigos e adversários, muitas vezes, aguardam de ti uma frase só de entendimento e generosidade, fé e bênção, que os auxilie a
caminhar.
Descerra a própria alma à influência do Cristo que jamais se se negou a criar o bem nos outros e para os outros e, um dia, escutarás de espírito jubiloso, ao te despedires dos nossos irmãos da Terra:
- "Bendito sejas, coração amigo!
O mundo ficou melhor e mais feliz porque viveste."


Emmanuel

sábado, 1 de novembro de 2014

O ESPELHO DE GANDHI




Perguntaram a Mahatma Gandhi quais são os fatores que destroem os seres humanos. Ele respondeu: "A Política, sem princípios; o Prazer, sem compromisso; a Riqueza, sem trabalho; a Sabedoria, sem caráter; os negócios, sem moral; a Ciência, sem humanidade; a Oração, sem caridade.

A vida me ensinou que as pessoas são amigáveis, se eu sou amável; que as pessoas são tristes, se estou triste; que todos me querem, se eu os quero; que todos são ruins, se eu os odeio; que há rostos sorridentes, se eu lhes sorrio; que há faces amargas, se eu sou amargo; que o mundo está feliz, se eu estou feliz; que as pessoas ficam com raiva quando eu estou com raiva e que as pessoas são gratas, se eu sou grato.

A vida é como um espelho: se você sorri para o espelho, ele sorri de volta. A atitude que eu tome perante a vida é a mesma que a vida vai tomar perante a mim.

Quem quer ser amado, ama. O caminho para a felicidade não é reto. Existem curvas chamadas EQUÍVOCOS, existem semáforos chamados AMIGOS, luzes de cautela chamadas FAMÍLIA, e tudo se consegue se tens: um estepe chamado DECISÃO, um motor poderoso chamado AMOR, um bom seguro chamado FÉ, combustível abundante chamado PACIÊNCIA, mas acima de tudo um motorista habilidoso chamado DEUS!"

Grande Gandhi!

ALGUMAS DE MINHAS OBRAS

MEU MAIS NOVO LIVRO

MEU MAIS NOVO LIVRO