BOAS VINDAS

Seja bem vindo! Espero que aqui encontre alento, beleza, amor e paz! E que possa espalhar isto para o mundo, que vive tão sedento de tudo isto.



Pesquisar este blog

Seguidores

sábado, 8 de março de 2014

MULHER




Hoje é o Dia Internacional da Mulher, esse ser extraordinário que torna o mundo menos cruel. Aí eu paro para  refletir sobre o assunto. Mulher, que tem ela de diferente e especial para receber tantas homenagens?
Ah, a mulher é uma das obras de arte de Deus! Explico no decorrer de minhas reflexões. Consciente, também de que há mulheres desnaturadas, verdadeiras cobras venenosas, golpistas, bandidas. Mas, graças a Deus, essas são uma exceção.
São características da mulher as sabenças mitopoéticas, a capacidade de descortinar horizontes, colorir a vida, dar-lhe uma textura policromática, tecendo-a com trançados sincopados de cores que nos comovem, inebriam, representando na História da Humanidade a Força, a Luta, o encanto, o sustentáculo
de uma construção nem sempre bem edificada pelo homem.
É preciso penetrar em sua alma para compreender essa criatura que, muitas vezes, se esconde nos seus contrários, nas suas vastidões interiores, que não se esgotam e nem sempre se deixam apreender...
Ela, em sua forma pura, enternece e desperta respeito e afeto. Só não o faz quando perde o respeito próprio.
Mulher é colo que acalenta, é seio que dá o leite que alimenta, é ternura que adoça a vida, é caminho  certo nas encruzilhadas, tantas vezes traiçoeiras . Ah, a mulher é a beleza em sua forma mais legítima, mesmo aquelas que não possuem a beleza física. É sonho, é romantismo, é poesia, é lágrima pronta, é riso frouxo,
é perfume, é oásis. É o abraço confortador, sempre com alma de mãe, até quando cuida daqueles que não nasceram de seu ventre.
Sempre me vem à cabeça um dito de Arnaldo Jabbor:  “mesmo sem mais nada a oferecer, mulher é cheiro de xampu, de sabonete, de banho recém-tomado”.
Ela é graça, é tentação, é história, é novela, é saudade, é amor. Tem a percepção aguçada, o dom da devoção, é preocupada com seus filhos e companheiros. É, normalmente, uma esteta, com extrema coragem, determinação e compaixão.
As mulheres foram infantilizadas e escravizadas por séculos. Como dizia Gilberto Freyre em sua obra: “Casa Grande e Senzala”,  elas só sabiam “fiar, parir e chorar”. Eram jardins sem cultivo... Mas, a semente estava dentro delas e, assim, transformaram o mundo e a si mesmas, quando as sementes germinaram, floriram e deram frutos.
Mulher tem tempero, movimento, dança com o universo. Ela é a canção de uma alma faminta de amor e cuidado.
Feliz da mulher que tem consciência de sua importância e feliz do homem que reconhece a importância dela em sua vida.
É por tudo isso que ela é especial e merece todas as homenagens.


Maria Luiza Silveira  Teles

ALGUMAS DE MINHAS OBRAS

MEU MAIS NOVO LIVRO

MEU MAIS NOVO LIVRO