BOAS VINDAS

Seja bem vindo! Espero que aqui encontre alento, beleza, amor e paz! E que possa espalhar isto para o mundo, que vive tão sedento de tudo isto.



Pesquisar este blog

Seguidores

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

MENSAGEM DO DIA


Aquele que deseja demasiado, demasiado consome.
Aquele que mais entesoura, mais perde.
O ser humano que se contenta, não padece desgraças.
O ser humano que sabe conter-se, evita o perigo.
Sendo assim, atinge a vida eterna.

Tao Te Ching

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

PENSAMENTO DO DIA



A lua brilha refletindo a luz do sol. Quando o sol se põe, a luz da lua é útil para fazer os objetos visíveis. Quando o sol nasce ninguém mais precisa da lua, apesar de seu disco ainda ser visível no céu. Assim também é a relação entre a mente e o Coração. A mente é útil devido à sua luz refletida, que é usada para ver os objetos. Quando voltada ao interior, a mente mergulha na fonte da Luz que brilha por si mesma, tornando-se assim [desnecessária] como a luz da lua em pleno dia.

Ramana Maharshi

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

PRA QUEM PERDEU ALGUÉM




Nas festas de fim de ano, costumamos nos lembrar, com saudade, dos entes queridos que já se foram. Assim, achei oportuno o texto abaixo, que transcrevi.
A todos um Natal de muita Paz e Amor e que possam construir um ano realmente novo. Mais amorosos, mais pacíficos, mais solidários.
O meu abraço fraterno,
Maria Luiza

Embora a morte faça parte do desenvolvimento humano, lutamos durante a vida pela idéia da imortalidade, e tentamos negar qualquer possibilidade de perda das pessoas que amamos. Quando a morte acontece, a sensação de dor é tão grande que temos a impressão de que vivemos um pesadelo que, em breve, vai passar. A tarefa mais difícil é constatar que o sonho é real e que é impossível fugir dele.

Abre-se um imenso buraco, e a sensação de vazio invade a alma com muita força. É como se ficássemos órfãos de nossas próprias crenças, e sem esperança de poder continuar vivendo depois deste duro golpe. O curso do tempo, que até então era sem importância, passa a ser um inimigo a ser enfrentado e, só aos poucos, descobre-se que é dele que virá o acalento.

Talvez, neste exato momento, muitos de vocês se sintam assim, experimentando um terrível vazio, e sem ânimo para continuar vivendo. Este é o início de um tempo muito difícil, de um tempo de dor, de um tempo de mudanças e transformações por dentro e por fora também. Este é o tempo do luto.

dorPor que dói tanto?

A dor que dói dentro do peito é do tamanho da ligação que se tinha com quem partiu. Leva tempo para nos ligarmos a uma pessoa e, portanto, será necessário também um longo tempo para nos desligarmos dela. Desligar não é esquecer, mas é poder viver com a lembrança da pessoa que partiu sem se machucar tanto. Com o passar dos dias e dos meses, essa dor se transformará em saudade e lembranças.

Quanto tempo vai durar esse sofrimento?

É preciso entender que, neste processo de luto, há dois tempos correndo juntos: o tempo do relógio e o tempo interno de cada um. Estes tempos nem sempre são coincidentes. O tempo do relógio marcará as horas, os dias, as semanas, o mês e os anos; mas o tempo de dentro tem uma marcação diferente. Ele anda conforme as sensações e sentimentos de cada um; por isso o tempo do luto é diferente para cada pessoa. Haverá dias em que a ausência parecerá algo muito recente, algo ainda muito doído. Em outros momentos, haverá uma impressão de melhora, como se o sentimento de falta houvesse rapidamente passado. Sem dúvida, o tempo do relógio irá ajudar o enlutado a entrar novamente na realidade, com o difícil encargo de aprender a conviver com o sofrimento. Mas, como as pessoas são diferentes, vivem seus sentimentos de forma diferente, e também elaboram o luto em tempos diferentes e de forma muito pessoal.

Os primeiros dias...

O dia do falecimento de alguém que amamos é, com certeza, um dia em que tudo parece ser parte de um filme do qual você nunca mais esquecerá. Uma sensação de que o chão se abriu e de que você tem de ser “forte” para não cair, mas suas pernas e seu corpo não controlam tantas emoções e tanta dor.

Os encaminhamentos práticos – velório, sepultamento, avisar parentes e amigos – talvez o distancie um pouco das emoções, mas em algum momento você vai ter de lidar com elas. O estado de confusão é muito comum nestes primeiros dias.

Crises de choro, depressões, alterações de sono, de apetite e de humor são reações esperadas. Nesse momento, muitas coisas perderão o sentido para quem vive o luto. Até as tarefas mais simples do dia-a-dia poderão ser difíceis demais de serem realizadas.

Quem quiser prestar um apoio, a alguém que vive o luto, poderá realizar essas tarefas cotidianas para permitir que o enlutado se restabeleça e, aos poucos, volte à sua rotina.

Voltar para casa sempre é difícil, pois representa voltar para a vida sem a pessoa que perdemos. Esta volta pode ser adiada por alguns dias, mas em algum momento terá de acontecer e será acompanhada de sofrimento. A rotina diária vai contando o que aconteceu e, por isso, os primeiros dias são tão doloridos e difíceis.

Todo apoio é bem-vindo nesse momento, mas é preciso que a pessoa que deseja ajudar também esteja pronta para ouvir e enxugar as lágrimas que vão rolar. Não tente impedir o enlutado de sofrer a sua dor, de sentir saudade... ele precisa “dar palavras a sua tristeza porque o pesar que não fala endurece o coração já sofrido” (Shakespeare).

Os aniversários e as datas comemorativas...

As datas de aniversário de nascimento e morte, assim como outras datas comemorativas, são ocasiões de muito impacto e recordações. Portanto, alterações emocionais são esperadas nestas circunstâncias. Mas, essas datas não podem ser apagadas do calendário, por mais sofrimento que tragam. É preciso, ao contrário, reaprender a conviver com esses dias e a comemorá-los de um jeito diferente.

O Dia de Finados, em especial, além de homenagear os entes queridos, leva-nos a pensar no enigma da morte, em nossos limites e fraquezas, confrontando-nos com o fato de que somos mortais e fazendo-nos repensar a forma como estamos lidando com a vida.

Como posso ajudar uma pessoa enlutada?

Todo apoio e cuidado dos familiares e amigos é bem-vindo, já que a sensação de perda gera instabilidade, desamparo e confusão. Se você quer ajudar um enlutado, atente para algumas orientações:
•É necessário, em primeiro lugar, que você o deixe expressar sua dor, permitindo que ele demonstre a saudade da forma que puder;
•Não o impeça de chorar e não lhe exija ser mais forte;
•Seja paciente com as reações diferentes e inesperadas do enlutado;
•Esteja por perto e coloque-se à disposição para ajudá-lo naquilo que for preciso. Nesse momento, tarefas simples do dia-a-dia podem parecer difíceis de serem realizadas sem auxilio;
•Nunca diga: “foi melhor assim”; pois nem sempre o será para a pessoa que ficou;
•Não finja que nada aconteceu nem fique tentando distrair a pessoa;
•Deixe-a expressar-se por meio de sua espiritualidade e de suas crenças, mesmo que você não partilhe delas.

Enfim, se você quer realmente ajudar, escute o enlutado sem interferir em seus sentimentos. Às vezes, um abraço e o silêncio são mais eficazes do que um milhão de palavras. Lembre-se de que a morte, embora seja um processo natural da vida, é um grande enigma para o homem, e a dor da perda sempre será o seu maior sofrimento.

Ana Lúcia Naletto e Lélia de Cássia Faleiros Oliveira são psicólogas clínicas do centro de Psicologia Maiêutica, especializadas no trabalho com enlutados.
 

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

MENSAGEM DO DIA


Uma alma iluminada sempre compreende as necessidades das demais e percebe a melhor maneira de lidar com elas.
Possui um senso de familiaridade para com todas as coisas vivas e simpatia, tolerância e amorosa gentileza são naturais nela. Expressa estas qualidades espontaneamente, através de cada ato e palavra.

Swami Paramananda

domingo, 20 de dezembro de 2015

AMIGOS SÃO ANJOS!


Os verdadeiros amigos são anjos! Descobri essa irrefutável verdade ao perceber o quanto são raras essas preciosidades que chegam de repente na vida da gente e se alojam ... devagarzinho ... em local especial e essencial da nossa existência. No decorrer dos anos, encontramos vários tipos de anjos. Alguns são sonsos, vão se apoderando do nosso carinho como quem não 
quer nada, até que, quando percebemos, já lhes dedicamos nosso afeto integral... Outros são mais atirados; já chegam mostrando claramente com seus olhos sinceros, o quanto a nossa amizade é importante para eles... Alguns chegam necessitando de curativos nos ferimentos causados por amigos que não eram anjos... Outros chegam para sarar nossos próprios 
ferimentos... Alguns são leves e divertidos; nos mostram a alegria da vida... Outros, não menos honestos, nos mostram a seriedade com que a vida deve ser enfrentada... Alguns tem suas qualidades tão à mostra, que a um primeiro olhar já sabemos a que vieram... Outros têm essas mesmas qualidades muito bem guardadas... e precisamos ir desvendando-as aos poucos... Alguns esbarram na gente numa esquina qualquer... sem avisar! E nos dão carinhos reais, sorrisos reais, proteção real... Uns não são melhores 
nem piores que os outros; são apenas diferentes... Com suas qualidades que devemos salientar... Com seus defeitos que devemos enfrentar... Quando gostamos temos o compromisso de ser fiel até aos defeitos do nosso anjo... O importante é tentarmos, ao longo de nossas vidas, termos sempre algum anjo com o qual possamos contar... Nas horas difíceis para nos dar alento... e nas horas alegres para rir com a gente, rir da gente, da vida enfim... O importante é termos anjos... O importante é sermos anjos...

Desconheço autoria

sábado, 19 de dezembro de 2015

FESTAS DE FIM DE ANO


Vivemos tempos de festas, tempos de reencontro com amigos, que moram fora, e de encontro com a família. Embora, nada seja tão agradável quanto antes, quando nossos pais eram vivos, não podemos negar que mesmo as lembranças são boas companheiras e por elas devemos agradecer.
São tempos de contemplação do Divino e de reflexões.
Quando um ano termina e outro começa, nossos corações se enchem de esperanças. Esperança de um mundo novo e de uma vida nova.
Entretanto, a verdade é que nada pode se modificar se não modificarmos a nós mesmos. Aliás, a única mudança que podemos realizar é a mudança de nosso interior.
É preciso crescer e, para isso, temos que enfrentar nosso lado obscuro e trabalhar seriamente na sua transformação. Somente assim estaremos vibrando numa sintonia mais alta. Quando agimos dessa forma o Universo responde com acontecimentos positivos.
De nada vale nos queixarmos dessa sociedade materialista, violenta, fútil, vazia, amoral, injusta, corrupta, consumista, se nós não nos tornamos pessoas mais espiritualizadas, pacíficas, justas, bondosas e incorruptíveis.
Estudando a História, podemos perceber que todas as civilizações que perderam a viga-mestra de seu sustentáculo, os valores considerados eternos, os mesmos discutidos por Sócrates, Platão, Confúcio, Cristo e tantos outros, caminharam inexoravelmente para o seu fim.
Acredito que o mesmo acontece com a nossa civilização. Ela está seriamente doente e o término de qualquer doença grave costuma ser a morte.
Portanto, é tempo de agradecer e pedir a coragem de nos vermos como somos realmente e começarmos a nossa mudança interior.
Acostumei-me sempre a dizer que existe em nosso planeta o Movimento Silencioso do Bem. O mal é barulhento e enraizou-se em nossa sociedade promovendo a deterioração da mesma. Mas, silenciosamente, ainda há aqueles que promovem o Bem através de ações amorosas.
Estes são a esperança da construção de um mundo novo, de uma sociedade realmente fraterna. Não falo em religiões, mas no Bem. Porque, infelizmente, existe um número enorme de pessoas que, em nome de suas religiões, promovem a discriminação e a violência.
O próprio Papa atual, que governa uma das maiores religiões do planeta, vem falando repetidamente das doenças graves de que sofre a maioria de seus representantes, inclusive aqueles de uma hierarquia superior.
De nada vale a pessoa bater no peito, frequentar os templos, ouvir as pregações, estudar a Bíblia, o Alcorão, o Torá, o Vedas, o Bhagavad Gita ou outro qualquer se não se transforma.
Acho que já é do conhecimento de todos a famosa frase com a qual o Dalai Lama respondeu à pergunta de Leonardo Boff num encontro dos dois. A pergunta foi: “Sua Santidade sabe dizer-me qual a melhor religião?”. Ele esperava que o Dalai dissesse: “O Budismo”, mas ele respondeu: “Aquela que te faz melhor”. É disso que estou falando.
Acho que esta é a hora de nos ajoelharmos, humildemente, diante da Divindade e pedirmos: “Oh, Senhor, me faz uma pessoa melhor para que eu possa ajudar a transformar o mundo e termos, no próximo ano, um ano pleno de novas realizações do Bem”.
Acho que devemos nos lembrar que até pra fazermos alguma crítica aos outros, ao governo ou à qualquer entidade ou instituição, devemos, em primeiro lugar, termos um comportamento exemplar e estarmos trabalhando seriamente em nossa melhoria interior.

Maria Luiza Silveira Teles

( Presidente eleita da Academia Montes-clarense de Letras e membro do Instituto Histórico  e Geográfico de Montes Claros)

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

MENSGEM DO DIA

A vida permanente é tão simples. Não é nada mais que estar em seu próprio estado original. Todavia, é de se admirar que para ensinar algo tão simples, inúmeras tradições foram criadas, iniciando entre si disputas sobre quem recebera a autoridade divina para ensinar. Que lástima! Seja você mesmo, isso é tudo!

Ramana Maharshi

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

CAMINHAR NA SENDA DA CORAGEM






“Coragem é vigilância. É o coração que conhece o Tudo, o coração que, intuitivamente, se apercebe de cada infração cometida contra o Todo. Aqueles que mantém a vigilância como sentinelas na muralha da vida precisam ter a coragem de defender a chama trina que se encontra na câmara secreta do coração. E a sentinela que caminha na muralha do Senhor precisa estar preparada para enfrentar todos os inimigos e o rufar dos tambores de guerra do ego que vem das profundezas do inconsciente. Pois é aí que os emissários de Maya esperam para escarnecer e tentar a sentinela do coração.

Ser a sentinela é ser solitário. Não desespereis na solidão, pois ela é realmente a união total com a presença de Deus. Sede a sentinela do portal da percepção no Buda e no Cristo e protegei as almas ternas geradas no ventre da Mãe Eterna, almas desejosas de nascer. Como os cavaleiros do passado que vinham proteger o templo e procurar o cálice do Senhor, que venha um, que venham todos os que desejam tornar-se o Buda. Vinde defender a era da mestria pessoal. ”

(Clare Prophet)

PENSAMENTO DE HOJE


O silêncio é a linguagem eterna; é o fluxo perene da "linguagem". Ele é interrompido pela fala; pois as palavras obstruem esta linguagem silenciosa.
Palestras podem entreter os indivíduos durante horas sem que eles progridam.
O silêncio, por outro lado, é permanente e beneficia toda a humanidade.

Ramana Maharshi

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

MENSAGEM DE HOJE

Sri Chaytanya, um grande santo hindu que viveu há alguns séculos, dizia existirem três graus de amor:
Quando estamos no grau mais elevado dizemos: “É-me suficiente que sejas feliz, pouco importando o meu sofrimento”.
No grau intermediário dizemos: “É necessário que sejas feliz e que eu também o seja”.
No grau inferior, dizemos:”Não posso sofrer. Dá-me a cada instante o que quero”

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

MENSAGEM DO DIA


Ninguém deve ser julgado pelos seus defeitos. As virtudes que uma pessoa possui são especialmente suas; seus erros são as fraquezas comuns à humanidade e não devem ser levados em consideração na avaliação de seu caráter.

Swami Vivekananda

VÁRIAS PERGUNTAS


A vida é feita de várias perguntas, de dúvidas, de medos, de mentiras, de tristezas, de tudo! Mas como íamos saber o que é resposta se não houvesse pergunta, e certezas se não houvessem dúvidas, coragem se não houvessem medo, verdades se não houvessem mentiras, de felicidade se não houvesse a tristeza? A vida é feita de seus lados opostos, assim como o bem e o mal. Se não houver um lado por mais que ele venha a ser ruim, como vamos saber o que é bom? Se você ficar se perguntando sobre tudo, você vai enlouquecer, quanto mais nós procuramos repostas para todas as nossas curiosidades, mais nós vamos achar perguntas! Há coisas no mundo que jamais vamos descobrir, você pode acreditar numa teoria e em outra, mas você nunca vai ter certeza disso, só se tem certeza quando vemos, quando passamos por aquilo! Podemos dizer hoje pra uma pessoa que amamos muito, que nós vamos amar para sempre, e que isso independente do que aconteça nunca vai mudar! , mas não sabemos o que vem pela frente, não sabemos o futuro, tudo muda, tudo passa, e as palavras somem nesses momentos, pois tudo o que você falou um dia que era pra sempre, acaba, porque o pra sempre, sempre acaba . Podemos dizer que uma pessoa é seu melhor amigo, ou sua melhor amiga, mas da mesma forma erramos de novo no falar, porque apesar de querermos que isso dure, não podemos! E novamente as palavras somem. Não temos controle dos nossos sentimentos, e pensamentos, e ações, tanto é que erramos várias vezes, não conseguimos controlar um sentimento, e na maioria das vezes falamos e pensamos o que não deveria nem passar pela nossa cabeça, quanto mais ser dita! E o pior de tudo é pensar que não podemos voltar atrás. O que você fez, ou o que alguém já te fez, vai ficar marcado pra sempre na sua vida, você pode até perdoar, mas não vai ser mais a mesma coisa! Porque perdoar é nobre, mais esquecer é impossível! Temos que pensar mais antes de falar, para não agirmos de uma forma que possa não ter volta! Por causa de uma palavra as vezes se perde um amor, uma amizade, por causa de uma palavra se perde a coragem, a esperança, por causa de uma palavra pode se perder uma vida! Preste mais atenção nas suas atitudes, e esqueça a do seu próximo. Só nos incomodamos com o erro dos outros quando possuímos o mesmo, o que não há em nós, não nos incomoda! 

Gaspar Senior
(O pensador)

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

AMOR

"Ouvi a palavra:
Amai - amai - amai.
A letra é: Não matareis - o Espírito é: Amai.
Amai o vosso amigo e o vosso inimigo - amai o rico, o pobre, o menino, o ancião, o santo, o pecador, o homem e a mulher. Eis o Espírito.
O que vos ofende, ofende o vosso irmão - e não ofendêreis o vosso irmão naquilo que vos não ofende. A ofensa seria perversidade de coração - e na coração estará o castigo.
Não se mova a vossa língua nem a vossa mão, nem o vosso pensamento se levante contra um dos vossos irmãos.
Deixai nas mãos de Deus as ofensas que vos façam - e só movais as vossas para a misericórdia.
Aquele que em pensamento ofende o seu irmão, consuma uma ofensa aos olhos de Deus, porque o pensamento é obra do seu espírito, e seu alimento é o filho da sua concepção.
O que infringe a lei, sem danificar o seu irmão, pode purificar-se pela expiação; mas, ao que ofende a seu irmão, são necessárias à expiação e a reparação.
Se a ofensa foi feita em pensamento, a reparação também o será; se foi por palavra, será por palavra; se foi por obras, será por obras.
Ninguém será justificado da ofensa feita ao seu irmão, enquanto subsistir o dano e não estiver saldada a dívida contraída.
O juiz da lei condenará o devedor ao cárcere, donde só sairá quando tiver pago o último ceitil da sua dívida.
Todos vós sois irmãos; não há um só de vós que não seja filho do Pai, como Jesus o disse. Amai-vos, pois, uns aos outros com amor de irmãos, se quereis que o Pai celeste vos ame, como a filhos.
Se virdes que o vosso irmão tem fome e sede, e comerdes e beberdes sem vos lembrardes da fome e da sede do vosso irmão, não sereis filhos do Pai celestial, e padecereis fome e sede.
Se virdes à nudez em vosso irmão, e tiverdes uma túnica e não a rasgardes para cobrir a sua nudez, não sereis filhos do Pai celestial, e sereis desnudados; porque, o pão, a água e o linho são dons de Deus para todos os filhos do seu amor – e o que monopoliza esses dons, em prejuízo do seu irmão, é um ladrão e frustra o amor do Pai e a sua providência.
Não se ria o vosso coração, quando o coração do vosso irmão chorar; juntai as vossas lágrimas às dele - e os anjos do Senhor recolherão as vossas lágrimas e o Juiz da lei escreverá com elas o julgamento dos vossos pecados.
Fazei ao vosso irmão todo o bem que estiver nas vossas mãos, mas por amor do bem e não com a vista no prêmio; porque, se obrardes esperando a recompensa, vosso coração é indigno da obra e do prêmio da obra.
O prêmio das obras é perecível, mas a recompensa do coração nunca morrerá.
O bem que fizerdes a vosso irmão, fazei-o em silêncio, e que a vossa mão esquerda ignore o que faz a direita; pois o bem que se faz, ao som de trombeta, não nasce da caridade, mas do orgulho do coração.
Aquele que entende que há mérito no bem produzido por suas mãos, está longe da perfeição de Espírito; porque o bem é a lei do Espírito, e o homem que assim obra, nada mais faz que cumprir a lei.
Não dividais, no coração, os vossos irmãos em bons e maus; porque Deus faz brilhar o Sol para o culpado e para o justo. Todos cabem no amor do Pai - e não sois o juiz dos vossos irmãos.
Qual dos vossos irmãos é justo? qual o pecador? Já vistes as suas almas? Não façais portanto seleção entre eles.
Quem julga os outros, provoca com o seu orgulho o julgamento dos seus pecados.
Outro mandamento tenho para dar-vos: Perdoai aos que vos ofenderem e dai sempre o bem pelo mal - é essa a perfeição na caridade.
O que dá o bem pelo bem, obra como costumam fazer os pecadores e os ímpios que procedem segundo a carne; mas, aquele que ama o seu inimigo e lhe faz o bem em troca das ofensas, obra contra a carne e imita os anjos do Senhor.
Ouvi a sua palavra e recebei a sua luz. Guardai a palavra de Jesus Cristo.

Eu - João."

Livro: Roma e o Evangelho
D. José Amigó Y Pellicer

MENSAGEM DO DIA


Diz o Tao Te Ching

"Não há maior mal que não saber contentar-se.
Não há maior mal que entregar-se à cobiça.
Logo, aquele que não conhece continência
jamais bastará a si mesmo."

domingo, 6 de dezembro de 2015

PENSAMENTO DE HOJE




A maya (ilusão) impede que a mente e os sentidos anelem pela realização de Deus. Mas o homem que realiza Deus se eleva por sobre os encantos e atrações que maya tem para oferecer. A maya revela seus mistérios para aquele que está além de maya.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

LÁGRIMAS QUE SÃO BÁLSAMOS

7,36 Um fariseu convidou Jesus a ir comer com ele. Jesus entrou na casa dele e pôs-se à mesa. 
7,37 Uma mulher pecadora da cidade, quando soube que Jesus estava à mesa em casa do fariseu, trouxe um vaso de alabastro cheio de perfume 
7,38 e, estando a seus pés, por detrás dele, começou a chorar. Pouco depois, suas lágrimas banhavam os pés do Senhor e ela os enxugava com os cabelos, beijava-os e os ungia com o perfume. 
7,39 Ao presenciar isso, o fariseu, que o tinha convidado, dizia consigo mesmo: -Se este homem fosse profeta, bem saberia quem é e qual é a mulher que o toca, pois é pecadora. 
7,40 Então, Jesus disse-lhe: “ -Simão, tenho uma coisa a dizer-te.” -Fala Mestre, disse ele. 
7,41 “ -Um credor tinha 2 devedores; um, lhe devia 500 denários e o outro, 50.
7,42 Não tendo eles com que pagar, perdoou a ambos a dívida. Qual deles o amará mais?” 7,43 Simão respondeu: -A meu ver, àquele a quem mais perdoou. 
7,44 e, voltando-se para a mulher, disse a Simão: “ -Vês esta mulher? Entrei em tua casa e não me deste água para lavar os pés mas esta, com suas lágrimas, regou-me os pés e enxugou-os com os seus cabelos. 
7,45 Não me deste o ósculo; mas esta, desde que entrou, não cessou de beijar-Me os pés.”

PARA LUCAS (7,36-45) – BÁLSAMO EM SEUS PÉS – LEIAMOS EM “ELUCIDAÇÕES EVANGÉLICAS”. 

“O fato referido nestes versículos constitui um exemplo da influência que o arrependimento tem sobre os destinos do homem. Por isso é que repetidamente se nos diz que nos arrependamos de nossos pecados, se queremos salvar-nos, que se nos aconselha a penitência.
Maria, a Madalena, a pecadora de Magdala, obteve o perdão de suas culpas, não por haver banhado os pés de Jesus com bálsamo e com lágrimas, mas porque esse ato foi a consequência do pesar profundo que lhe causavam suas faltas, do arrependimento sincero de que se achava possuída e por serem imensas sua fé e sua esperança naquele diante do qual se prosternava.
Mulher vaidosa de sua beleza não hesitou uma vez tocada de viva mágoa dos seus erros, em se humilhar, enxugando com os cabelos aqueles pés que o seu arrependimento inundava de lágrimas, em sacrificar a esse arrependimento os perfumes que serviam para mais sedutora torná-la e que se santificavam ao contato com o Santo dos Santos. 
Foi o testemunho mais alto e mais eloquente que ela podia dar, aos homens, porquanto Jesus lhe perscrutava os arcanos do coração, de renunciar ao seu passado de desordens e foi, ao mesmo tempo, a mais positiva promessa, que podia fazer, de reparação no futuro.
Longe de a censurarmos, imitemos todos, todos, a Madalena, prostrando-nos aos pés de Jesus e derramando-lhe na fronte os inebriantes perfumes que nos perdem.
Façamo-lo, e de sua boca ouviremos palavras de paz, de consolação e de amor, pois que a Ele e só a Ele deu o Pai onipotente o poder de ligar e desligar na Terra e no céu, poder que os apóstolos também exerciam sob a sua obediência, e inspirados e guiados pelos Espíritos superiores.
Duas circunstâncias devemos assinalar, no caso de Maria Madalena, porque explicam o procedimento que teve Jesus e servem para nossa orientação.
Em primeiro lugar, conquanto fosse mulher de vida dissoluta, possuía um coração compassivo, sensível à miséria de seus semelhantes. Era de natureza fraca e impressionável, donde as suas quedas; porém, era a sua caridade tão grande, que jamais um infortúnio apelara em vão para a sua piedade, que jamais um desgraçado lhe batera à porta e não encontrasse a compaixão e o devotamento, levado este até a abnegação.
Essa a razão por que Jesus pode dizer ao fariseu, que o convidara para a sua mesa com o intuito de descobrir nele algum ponto vulnerável, tanto que facilitara à pecadora entrar-lhe em casa: “Eis te declaro que muitos pecados lhe são perdoados, porque ela muito amou.” O amor de que Ele falava era o amor considerado do ponto de vista da caridade, do desprendimento, da piedade.
Em segundo lugar, a fé que Jesus inspirou a Maria Madalena foi que lhe abriu os olhos para o próprio proceder e a levou a se arrepender profundamente deste. 
A comparação entre a vida sem mácula do Mestre e os inúmeros excessos da sua vida de pecadora foi o que a impressionou e impeliu a vir, cheia de arrependimento sincero, rogar, em preces fervorosas, prostrada aos pés daquele a quem considerava um enviado celeste, o perdão de suas faltas. 
Jesus, que lhe lia no fundo da alma a disposição de não mais falir, de se regenerar, lhe concedeu a graça cuja obtenção, aliás, está ao alcance de qualquer pecador, desde que vivo seja o seu remorso e verdadeiro o seu arrependimento, como os tinham aquela pecadora; porquanto a graça não é o que a Igreja humana forjou.
A graça, o mesmo que o perdão tem por efeito abrir ao culpado as vias da reparação, que então lhe não é duramente imposta, como sucede nos casos de culpados endurecidos, mas facultada de maneira a ser feita com felicidade, com alegria, visando sempre o pecador efetuar o progresso que deixara de realizar e entrar de novo em graça perante o amor do Pai.

Desconheço autoria Quem souber favor comunicar-me”

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

MENSAGEM DO DIA


O Ser reside no lótus do coração. Sabendo disso, e consagrado ao Ser, o sábio entra diariamente naquele santuário sagrado.

Chandogya Upanishad

domingo, 29 de novembro de 2015

PENSAMENTO DE HOJE


Para mim, o mundo é assombroso porque é estupendo, assustador, misterioso, insondável; meu interesse é convencer você a tomar ciência de que está aqui, neste mundo maravilhoso, neste deserto maravilhoso, neste tempo maravilhoso.

Quero convencer você a tornar cada ato importante e válido, já que vai ficar aqui um curto espaço de tempo.
Na verdade, curto demais para conhecer todas as maravilhas que nele existem.

Dom Juan

sábado, 28 de novembro de 2015

MENSAGEM DO DIA


Amo aquele que é sempre constante, afável e piedoso, manso de coração e de firme vontade, e cujos pensamentos em Mim se concentram. Amo aquele que não tem cuidados mundanos, não teme o mundo e não é tímido; quem é livre de turbulência, da cólera, da impaciência e do medo, e não se entrega à tristeza e nem à alegria excessiva.

Sri Krishna no Bhagavad Gita

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

PENSAMENTO DE HOJE


A humildade é a única base sólida de todas as virtudes.

Confúcio

terça-feira, 24 de novembro de 2015

COMO SUPERAR A DOR DE UMA PERDA












Como superar a perda de uma pessoa querida? Existe uma forma melhor de enfrentar a morte? Como continuar a viver sem a pessoa que era o motivo do nosso viver? A dor que sentimos quando perdemos alguém é a maior que podemos passar na vida. Não há nada mais doloroso do que isso. Uma briga com o filho, uma discussão com a esposa ou um desentendimento com o amigo são problemas superáveis, dependem apenas de tempo ou coragem suficiente de todos para reverem seus pontos de vista.
Já a morte não espera e nem quer negociar. Não obedece ao tempo e muito menos à consciência. Aparece quando menos esperamos e derrota toda a nossa esperança e fé na vida.
A morte entra de uma forma brutal na vida. Corrói o coração de uma pessoa e estraçalha seus sonhos. Aniquila sua força para viver e parece que vai quebrá-la por inteiro e destruí-la. É uma dor que não some, pelo contrário, consome cada momento bom da vida sem a menor piedade e muito menos sem pedir licença. É uma dor gigantesca, indescritível em palavras.
A impossibilidade de se conversar com a pessoa que faleceu, ouvir sua voz, saber sua opinião ou tocá-la é devastadora para aquele que ficou. Uma foto, uma música, um aroma ou um objeto bastam para lembrar o ente querido. A dor de sua ausência reaparece a cada instante e cada vez mais forte. É impossível parar essa dor. Ela faz sangrar incessantemente a pessoa.
Questionamentos acerca do sentido da vida aparecem e desolam familiares e amigos. A culpa também surge, pois é muito comum alguém pensar que poderia ter sido feito mais para a pessoa que faleceu viver. Portanto, é uma fase repleta de emoções tremendamente dolorosas sentidas cotidianamente. Em resumo, é o próprio inferno vivido na terra. É uma dor maior que a própria pessoa e que parece que vai matá-la, o que, de certa forma, seria um alívio para esta nesse momento terrivelmente doloroso.
Mas isso não é possível de acontecer sem ser de forma trágica. A vida continua e só há uma forma de salvação que eu acredito que possa diminuir tamanha dor. É preciso lutar para que o coração não se empedre para receber o amor daqueles que ficaram. A amargura provocada pela morte precisa ser superada na medida do possível, e aos poucos, pela alegria e doçura da vida.
De nada adianta negar, fugir ou sufocar a dor. Só existe um caminho para superá-la: enfrentá-la com muita perseverança e força! Caso contrário, o pior pode acontecer: morrer em vida, tornar-se uma pessoa extremamente amarga, dura, sem brilho nos olhos e sem a capacidade de aproveitar verdadeiramente os bons momentos que a vida ainda pode lhe proporcionar.
Com boas intenções, é comum que familiares e amigos evitem ouvir a dor daquele que ficou, pois não suportam a sua própria dor da perda, ou acreditam ingenuamente que, ao conseguirem evitar a lembrança dessa perda, também evitarão o impacto da dor. Assim, preferem não tocar no assunto ou, pior, forçar uma alegria falsa. Nesse contexto, a solidão assola o coração daquele que ficou e torna cada vez mais insuportável e dolorosa a sua vida.
É nesse momento que a psicoterapia se torna fundamental, pois facilita o processo de elaboração do luto, torna a perda menos dolorosa e não deixa que a dor provocada pela morte comprometa a vida inteira da pessoa.
Ao superar a dor da perda, a pessoa vive melhor e mais livre. Passa a perceber como é precioso cada momento que desfruta com as pessoas que são importantes em sua vida. Passa a não gastar mais energia com discussões irrelevantes. Desenvolve plena e total consciência de que a vida é valiosa demais para dar atenção para esses pormenores. Portanto, não esperem que alguém querido morra para conseguirem dar valor para sua vida ou às pessoas que você ama. Viva bem a sua vida! Agora! Coragem! Mostre o seu amor a quem ama. Beije-o e abrace-o! Nada é mais prazeroso na vida do que isso. Quanto à dor do enlutado, incentive-o a procurar um suporte terapêutico o mais rápido possível. Hoje, a psicologia já evoluiu muito nesse trabalho. Essa é a melhor ajuda que um amigo ou familiar pode dar para quem vive o drama da perda.



Viviane Sampaio. Psicóloga

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

MENSAGEM DO DIA




Você está crescendo espiritualmente? Você pode sentir-se um com os outros? Você tem paz interior? Você irradia esta paz ao seu redor? Isso é chamado de crescimento espiritual, que é estimulado pela meditação interior e pelo trabalho realizado exteriormente com espírito de serviço.

Swami Ranganathananda

domingo, 22 de novembro de 2015

A EXISTÊNCIA DE DEUS


Uma vez de posse dessa nova linha de raciocínio, a razão, Descartes passa a examinar a ideia de perfeição. Quando dizemos que alguma coisa é imperfeita, estamos usando a ideia de perfeição sob a forma de falta de alguma coisa, ou seja, a ausência de algo que tornaria perfeita a coisa estudada.

Caso essa coisa estudada estivesse completa, teríamos a noção de um ser perfeito. Demonstrando que a ideia de perfeição não se origina nos sentidos, mas na razão, Descartes abre o caminho para a prova racional da existência de Deus. Ao questionar a origem da ideia de Deus, ele depara com o problema de que essa ideia não poderia ter surgido do nada, pois o nada, nada cria e nenhum ser, muito menos um ser perfeito, pode ter surgido do nada.

Seguindo este raciocínio, Descartes afirmou, também, que um ser imperfeito não pode ser a causa da criação de um ser perfeito, pois o menos não pode ser a causa do mais. A ideia de perfeição nasce junto com o homem, é uma ideia inata. Resta a ideia de que a perfeição não tendo sua origem no nada e nem tampouco em um ser imperfeito por natureza, só pode ter sido posta na razão por um ser perfeito.

Um ser perfeito pode ser a sua própria causa, ao contrário de um ser imperfeito. A idéia de perfeição posta na razão sugere a existência de um ser perfeito, pois seria contraditória a existência da perfeição sem um ser perfeito que a tenha criado.

Assim, a existência de uma idéia de perfeição que existe em nossa mente, comprova a existência de um ser perfeito que a criou e a colocou em nossa razão, ou seja, um ser que pode ser chamado de Deus.

Fonte:
Descartes, René

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

MENSAGEM DO DIA


Todo bom pensamento que enviamos ao mundo sem pensar em recompensa será armazenado na memória e quebrará um elo na corrente que nos escraviza, e isso nos tornará mais e mais puros, até que venhamos a ser o mais puros dos mortais.

Swami Vivekananda

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

A VIDA MÍSTICA



Misticismo é uma forma de conhecimento que inclui práticas como a meditação, a contemplação e a prece, visando a união íntima e direta do espírito humano com o princípio fundamental do ser. A experiência mística não depende de organização ou hierarquia, nem templos materiais, nem escrituras sagradas, porque é uma percepção imediata do divino, uma atitude interior. 
Erro é supor que a experiência mística requer a fuga do mundo. Quando o indivíduo vive sua realidade divina liberta-se do apego às coisas exteriores que o mundo oferece (lucros e perdas, prazeres e tristezas, honra e difamação), porque passa a desfrutar da felicidade interior que, por ser plena, dispensa os prazeres ilusórios e transitórios. Contudo, seu estado de bem-aventurança, longe de o isolar de seus semelhantes, faz com que se relacione melhor com todos os seres, sendo compreensivo, paciente, compassivo, magnânimo, generoso, caritativo e pacífico, qualidades típicas do altruísta. 
Gurdjieff, filósofo e mestre espiritual que influenciou celebridades como Rudyard Kipling e Katherine Mansfield, chamava de “quarto caminho” o daqueles que querem permanecer no mundo, mas não pertencer ao mundo. A maioria dos rosacruzes, do passado e do presente, têm seguido esta via e contribuído admiravelmente para o melhoramento do mundo. 
Qualquer que seja a sua fé, o místico é sempre um ser que se harmoniza com uma ordem superior: o Uno, o Absoluto, o Tao, sem a necessidade, para tanto, da intermediação de uma organização religiosa ou de um sacerdote. O conhecimento que ele busca não é intelectual-racional, nem doutrinário-formal, mas intuitivo. Trata-se de um saber que é, ao mesmo tempo, um vivenciar – um contato direto com a Realidade Superior, pelo qual o homem descobre e atinge a sua essência, desfazendo-se das impurezas do eu inferior.


Sergio Carlos Covello, F.R.C

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

PIEDADE! PIEDADE!



 Por que pedir piedade para mim, minha família, minha cidade, meu país, quando toda a humanidade sangra, quando corre o risco de desaparecer do planeta como consequência triste do ódio, do fanatismo, da intolerância, do preconceito e da ganância humana? Estas são as patologias da mente e da alma, que corroem os indivíduos, tornando-os infelizes e levando-os a querer destruir a felicidade dos outros. A humanidade está doente, o planeta também.
Alguém disse que o Rio Doce está na UTI, mas a verdade é que todos estamos na UTI.
O desaparecimento da humanidade e dos valores que ela construiu no decorrer de tantos séculos, a Arte, a Literatura, a Filosofia, tudo está na iminência de ser extinto se não houver uma mudança de rumos.
A lama que corre desde Mariana, que destruiu Bento Rodrigues e toda a vida no Vale do Rio Doce, seus afluentes e entorno, chegando, breve, ao oceano, acabando com toda a biodiversidade, esta mesma lama corre, também, em nossas artérias, em nossas veias, em nossos capilares. É a lama de nossa sordidez, de nossa maldade, de nossa pequenez, da mediocridade, da maledicência, da estupidez, de todos os nossos pecados!
Existe, porém,  uma luz no fim do túnel! Existe um caminho certo: aquele que o doce e meigo Nazareno nos ensinou há mais de dois mil anos atrás, assim como todos os outros grandes mestres.  Esta luz é o Caminho do Amor!
Enquanto não entendermos que nós humanos e toda expressão de vida sobre o planeta somos algo único, entrelaçado, a seiva da Vida irá, pouco a pouco, se esgotando, se esvaindo...
O lema francês da Liberdade, Igualdade e Fraternidade não pode ser apenas uma utopia ou uma bela expressão de retórica da qual alguns partidos políticos se arvoram em donos. Ela deve se tornar uma realidade em todo o globo. Fora disto não há nenhuma outra esperança!
Dizem que não há como falar em Deus neste momento histórico, quando Deus é usado como desculpa para a barbárie, para o ódio, para a “Guerra Santa”, repetindo as velhas Cruzadas.
Mas, Deus é a única saída. Não o Deus antropomórfico, mas a Fonte de toda a Vida, o que move todas as partículas do átomo e as une para o milagre da Criação. O Deus que é Amor, no sentido mais exato do termo “agregação”, pois sem esta força motriz que leva à união dos átomos não há vida. Deus que é Energia, energia que se manifesta em Luz, Som, Movimento, Equilíbrio, Harmonia, DNA. Deus que é Vida. Isto está além de qualquer religião. Era nisto que John Lennon pensava quando criou a letra de “Imagine”. Um mundo sem fronteiras, sem religião, pois já seria um mundo pacificado pelo Amor, portanto um mundo onde existiria a plena e verdadeira manifestação de Deus.
Não precisamos de fronteiras, de hinos, de bandeiras, de rituais, de dogmas, de discriminação de qualquer ordem. Precisamos unicamente de exercitar o Amor! Isto é viver a própria essência de Deus.
Um dia, quando o filósofo Nietzsche disse que Deus estava morto, ele quis afirmar que Deus não era mais necessário se a Ciência já podia explicar o fenômeno da Vida. Hoje, porém, quando a Astronomia e a Física Quântica conseguem nos dar uma ideia mais próxima do que é Deus, podemos afirmar que, como nunca, Deus está vivo e precisamos d’Ele, pois é a única força motriz criadora dos universos. Ele é o Amor!
Ontem, pude assistir a uma entrevista de um escritor francês, cujo nome me foge neste momento, que dizia não acreditar em Deus, mas que tendia a fazê-lo quando, estudando Astronomia, percebia a perfeita ordem do Universo.
Não foi à toa que um pianista inspirado, no meio do horror, que se instalou na Cidade-Luz, representante dos mais caros valores do mundo ocidental, levou o seu piano para praça pública e tocou, com extrema sensibilidade, a música “Imagine”.
Ali estava o grito de esperança, de saída para o mundo caduco, louco e agonizante: a alvorada de um novo mundo onde o estandarte do Amor haverá de tremular para todo o sempre. Aquele era o sinal de Deus para o Renascimento de uma nova Humanidade.

Maria Luiza Silveira Teles (membro da Academia Montesclarense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros)


MENSAGEM DO DIA



Enquanto permanecermos atados aos objetos dos sentidos para nosso desfrute, a Divindade interior permanecerá oculta à nossa visão. Nossa atenção deve ser desviada dos objetos dos sentidos e voltada para o interior, para realizá-La. Só então, nos será possível alcançar a perfeição e conseguir a eterna bem-aventurança, a vida eterna e o conhecimento infinito.

Swami Nirvedananda

sábado, 14 de novembro de 2015

PENSAMENTO DE HOJE


Qualquer pessoa pode adquirir competência e habilidade em vários campos. Para isso, só é necessário predispor-se a fazê-lo e empenhar-se nessa direção.

Paulo e Lauro Raful

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

PERDÃO É AMOR



Perdoa agora, hoje e amanhã, incondicionalmente. Recorda que todas as criaturas trazem consigo as imperfeições e fraquezas que lhe são peculiares, tanto quanto, ainda desajustados, trazemos também as nossas. (Chico Xavier)

O perdão é a maior prova de amor que qualquer um de nós pode expressar nesta caminhada progressista, muitos irmãos tende a falar deste sentimento amor com muita ênfase a manifestar o horizonte de oportunidades que este sentido pode oferecer, há aqueles que usam apenas a palavra amor como um parâmetro social, mas poucos se aprofundam neste instituto que é nossa principal mola propulsora para a salvação, como há aqueles que realmente buscam todos os dias preencher suas instancias vazias com essa sagrada virtude. 
Para amar e viver o amor é preciso trabalhar e ofertar sempre o perdão verdadeiro para com as nossas ofensas que deferimos contra os nossos semelhantes, assim como perdoar a nós mesmos quando ofendemos a nossa própria consciência e a nossa própria caminhada com as nossas fraquezas e os nossos pecados que insistentemente praticamos e pouco fazemos para mudar o curso negativo de nosso sentido e trabalhar também o perdão e a reparação quando ofendermos a Deus nos percalços do caminho e sem se importar com o evangelho do amor na pratica da mudança e na busca do melhoramento como no meio que estamos envolvidos e os cuidados para com os nossos ofensores. 
Havemos de compreender a fraqueza alheia olhando para a própria miséria e desconhecimentos que possuímos em nossa intimidade, não há como se viver o amor incondicional guardando em nosso coração e em nossa consciência sentimento ruinosos capazes de destruir tudo ao nosso redor, como o sentimento da magoa, do ódio, do egoísmo, da inveja que são os sentimentos responsáveis pela falência do progresso e proporcionando a estagnação nossa por querer persistir o orgulho e a vaidade presa em nosso caminho.
A caminhada da salvação é árdua e requerera de cada um de nós e sem quaisquer privilégios especiais a força de vontade, a coragem, o trabalho, a fé, a determinação, a persistência, o poder de garra, o poder de reconstrução, a raça da vitória para alcançar o objetivo da felicidade plena, e para se obter o sucesso nesta empreitada será necessário fazer nascer a força dos sentimentos mais sagrados num homem que é a humildade de aprender e reconhecer que não temos a força suficiente para compreender todos os institutos e que ninguém é superior a ninguém independente de posição social ou mesmo conhecimentos culturais com maior alusão, como a simplicidade de valorizar a voz das pequenas coisas a fazer de ti um bom servo de Deus capaz de aliar-se e propiciar a ti a conquista da amizade e da confiança alheia a poder ter em cada um de nós o fio da esperança de poder também buscar a salvação aliada a nossa caridade e a nossa fraternidade de captar homens para a embarcação rumo a Deus no seu paraíso e dentre todos estes sentidos nasce o fruto do amor e do perdão verdadeiro, mas também em muitos momentos seremos instigados a entregar todas as nossas conquistas e a probabilidade de auto progresso e salvação nas mãos do destino obscuro do pecado, alguns conseguirão resistir, mas o que temos visto e com grande fartura é a derrota que promovemos a nós mesmos onde paramos por comodismo, preguiça e uma frágil e corruptível fé que se venderá na primeira oferta de estagnar e parar a caminhada, e neste aspecto nasce o ódio, o rancor, a cólera, as doenças do corpo e da alma, a inveja, o egoísmo, a deslealdade, a ingratidão e tendo como consequência a própria prisão que não manifestará qualquer indicio do por do sol a nos favorecer, pois muitas vezes deixamos de lutar contra as forças ocultas e não sendo obedientes a Deus trabalhando com todas as armas e oportunidades favoráveis e necessárias para fazer-nos fortes e um eximo guerreiro vencedor e capaz de lutar por aquilo que tanto se almeja. 
Os habitantes planetários estão na evolução para vencer e progredir sempre e para isto nos sendo necessário nascer, renascer tantas vezes quanto for necessário para merecer o reino de Deus, mas antes de atingir este fim é preciso construir um caminho sólido e favorável a si e a qualquer outro irmão que desejar vir conosco. As extremidades do começo e do fim não farão sentido se o núcleo da nossa historia principal não aliar-se as forças do bem disposto a qualquer um. 
Nascemos imortais pelo amor de Deus com o propósito e o compromisso de auxiliar o progresso universal, haveremos de caminhar por diversas etapas para alcançar o objetivo da salvação que é o rumo de qualquer ser vivo. E quanto tempo será necessário para eu alcançar o reino sagrado? De certo no tempo e como conduzimos a nossa historia principal ao qual temos o discernimento do sentido que melhor nos convenie, uns terão mais estrada e outros menos e nessa realidade e diferença do tempo de cada um ocorre quando muitos resistem a permanecer na estrada única e tomam os atalhos que surgem pelo caminho e muitos querendo encurtar o tempo divino adentram ao desconhecido, sendo que neste lapso até tomarem o conhecimento de sua realidade e querer voltar atrás e refazer novamente o único e certo sentido será um tempo fundamental que muitos perderão por não acreditar muitas vezes em si próprio e na proposta que Deus tem para cada um de nós. 
Compreendam irmãos que os desafios da existência são para todos ao qual podemos ter como referencia o unigênito Jesus, que poderia pela graça de Deus ter vindo sem qualquer dificuldade e com os privilégios dos anjos a proteger contra todas as misérias nossa de cada dia, ao contrario, o Pai mandou-nos o Messias como um homem comum e repleto do sentimento do amor e do conhecimento e da verdade da salvação, nenhum mal causou e mesmo assim morreu pela nossa fraqueza e pecado, mas, no entanto ao invés de se revoltar contra nós, nos perdoou incondicionalmente e pediu perdão a Deus por todos nós. Por isto meus amados aqueles que aprenderam a perdoar cumpre o mais sagrado dom do amor, por isto sigamos sempre o exemplo e as lições de Jesus para também nos engrandecer no Reino e assim nos habilitar para salvar outros mais e fazer de nossa realidade o trabalho continuo da restauração e restruturação da paz que muitos perdem por ingenuidade e ou mesmo ignorância, mas sempre com a oportunidade de perdoar e amar incondicionalmente e fazer o nosso coração e nossa estrutura manso e humilde como Jesus.

Dr. Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

O DEUS DE CADA UM

 
Cada doutrina religiosa traz sua própria concepção de Deus, e na maioria das vezes elas são conflitantes. Isto, por si só (e não sem razão), já soa absurdo para aqueles que cultivam um pensamento mais cético e racional. Não é à toa que muitos acabam taxando a maioria dos teístas de alienados: se não chegam a um acordo sequer sobre a natureza de Deus, como podem querer ditar regras de conduta a serem seguidas? 
Essa pergunta é pertinente porque toca no cerne da religiosidade. O verdadeiro religioso não é aquele que se inscreveu em uma comunidade dos escolhidos de Deus (a origem de “igreja”, do grego ekklesia), mas aquele que pratica uma comunhão com Deus ou com o Cosmos, um caminho de retorno a compreensão de sua própria origem (do latim re-ligare, origem de “religião”). Desnecessário seria dizer que são definições bastante distintas, e que embora todo seguidor de igrejas possa ser religioso, nem todo religioso é seguidor de igrejas. Mas, ainda mais profundo do que isso: a todo verdadeiro espiritualista parece mesmo óbvio que a forma de comunhão com Deus (ou o Cosmos) é própria de cada um, pessoal e intransferível. Não serão livros nem padres nem gurus espirituais quem poderão lhe ensinar – todos esses ajudam, mas cada um aprende por si próprio, e na prática.
Uma comparação pertinente pode ser feita entre aprender espiritualidade e aprender a nadar: de nada adianta ler extensos manuais sobre natação, ou infindáveis palestras de grandes nadadores – você só irá se tornar um grande nadador se tomar coragem de mergulhar e enfrentar as ondas por si próprio. 
O verdadeiro espiritualista não é, portanto, um alienado da realidade. Ele apenas mergulhou na própria consciência, enquanto outros (não sem razão) preferiram abster-se da aventuras.

Gaspar Senior

terça-feira, 3 de novembro de 2015

MENSAGEM DO DIA


Perdoar é algo que devemos aprender não como um dever ou uma obrigação, mas como uma experiência similar à do amor - deve acontecer espontaneamente.

Rev. Theodore C. Spears

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

SE TE ENCONTRAS ANGUSTIADO


Se te sentes tentado ao suicídio, ora a Deus e busca a presença de um amigo com quem possas conversar.
Quase todos os homens experimentam semelhante estado emocional, notadamente quando o sofrimento, em suas múltiplas nuanças, lhes subtrai a alegria de viver.
Se a tempestade das provações desaba sobre a tua vida, não desesperes.
Breve, o sol voltará a brilhar no horizonte de tuas esperanças.
Suporta corajosamente a dor que te acicata a alma, recordando que Deus, nosso Pai de Infinita Misericórdia, a ninguém desampara.
Se te encontras angustiado, pensa naqueles que estão lutando em silêncio por um mundo melhor e junta-te a eles, consagrando os teus dias a uma causa nobre.
Não acredites que nada possas realizar na seara do bem.
Cede as tuas mãos ao Senhor e Ele, por ti, fará maravilhas.
Esquece a idéia da morte e vive para os que te amam.
O sacrifício pessoal é uma estrada de beleza indefinível ...
Amanhã, quando alcançares a Grande Renovação, agradecerás a cruz que te possibilitou compreender e abençoar a vida.

Irmão José
(Psicografado por Carlos Baccelli)



ALGUMAS DE MINHAS OBRAS

MEU MAIS NOVO LIVRO

MEU MAIS NOVO LIVRO