BOAS VINDAS

Seja bem vindo! Espero que aqui encontre alento, beleza, amor e paz! E que possa espalhar isto para o mundo, que vive tão sedento de tudo isto.



Pesquisar este blog

Seguidores

domingo, 29 de novembro de 2015

PENSAMENTO DE HOJE


Para mim, o mundo é assombroso porque é estupendo, assustador, misterioso, insondável; meu interesse é convencer você a tomar ciência de que está aqui, neste mundo maravilhoso, neste deserto maravilhoso, neste tempo maravilhoso.

Quero convencer você a tornar cada ato importante e válido, já que vai ficar aqui um curto espaço de tempo.
Na verdade, curto demais para conhecer todas as maravilhas que nele existem.

Dom Juan

sábado, 28 de novembro de 2015

MENSAGEM DO DIA


Amo aquele que é sempre constante, afável e piedoso, manso de coração e de firme vontade, e cujos pensamentos em Mim se concentram. Amo aquele que não tem cuidados mundanos, não teme o mundo e não é tímido; quem é livre de turbulência, da cólera, da impaciência e do medo, e não se entrega à tristeza e nem à alegria excessiva.

Sri Krishna no Bhagavad Gita

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

PENSAMENTO DE HOJE


A humildade é a única base sólida de todas as virtudes.

Confúcio

terça-feira, 24 de novembro de 2015

COMO SUPERAR A DOR DE UMA PERDA












Como superar a perda de uma pessoa querida? Existe uma forma melhor de enfrentar a morte? Como continuar a viver sem a pessoa que era o motivo do nosso viver? A dor que sentimos quando perdemos alguém é a maior que podemos passar na vida. Não há nada mais doloroso do que isso. Uma briga com o filho, uma discussão com a esposa ou um desentendimento com o amigo são problemas superáveis, dependem apenas de tempo ou coragem suficiente de todos para reverem seus pontos de vista.
Já a morte não espera e nem quer negociar. Não obedece ao tempo e muito menos à consciência. Aparece quando menos esperamos e derrota toda a nossa esperança e fé na vida.
A morte entra de uma forma brutal na vida. Corrói o coração de uma pessoa e estraçalha seus sonhos. Aniquila sua força para viver e parece que vai quebrá-la por inteiro e destruí-la. É uma dor que não some, pelo contrário, consome cada momento bom da vida sem a menor piedade e muito menos sem pedir licença. É uma dor gigantesca, indescritível em palavras.
A impossibilidade de se conversar com a pessoa que faleceu, ouvir sua voz, saber sua opinião ou tocá-la é devastadora para aquele que ficou. Uma foto, uma música, um aroma ou um objeto bastam para lembrar o ente querido. A dor de sua ausência reaparece a cada instante e cada vez mais forte. É impossível parar essa dor. Ela faz sangrar incessantemente a pessoa.
Questionamentos acerca do sentido da vida aparecem e desolam familiares e amigos. A culpa também surge, pois é muito comum alguém pensar que poderia ter sido feito mais para a pessoa que faleceu viver. Portanto, é uma fase repleta de emoções tremendamente dolorosas sentidas cotidianamente. Em resumo, é o próprio inferno vivido na terra. É uma dor maior que a própria pessoa e que parece que vai matá-la, o que, de certa forma, seria um alívio para esta nesse momento terrivelmente doloroso.
Mas isso não é possível de acontecer sem ser de forma trágica. A vida continua e só há uma forma de salvação que eu acredito que possa diminuir tamanha dor. É preciso lutar para que o coração não se empedre para receber o amor daqueles que ficaram. A amargura provocada pela morte precisa ser superada na medida do possível, e aos poucos, pela alegria e doçura da vida.
De nada adianta negar, fugir ou sufocar a dor. Só existe um caminho para superá-la: enfrentá-la com muita perseverança e força! Caso contrário, o pior pode acontecer: morrer em vida, tornar-se uma pessoa extremamente amarga, dura, sem brilho nos olhos e sem a capacidade de aproveitar verdadeiramente os bons momentos que a vida ainda pode lhe proporcionar.
Com boas intenções, é comum que familiares e amigos evitem ouvir a dor daquele que ficou, pois não suportam a sua própria dor da perda, ou acreditam ingenuamente que, ao conseguirem evitar a lembrança dessa perda, também evitarão o impacto da dor. Assim, preferem não tocar no assunto ou, pior, forçar uma alegria falsa. Nesse contexto, a solidão assola o coração daquele que ficou e torna cada vez mais insuportável e dolorosa a sua vida.
É nesse momento que a psicoterapia se torna fundamental, pois facilita o processo de elaboração do luto, torna a perda menos dolorosa e não deixa que a dor provocada pela morte comprometa a vida inteira da pessoa.
Ao superar a dor da perda, a pessoa vive melhor e mais livre. Passa a perceber como é precioso cada momento que desfruta com as pessoas que são importantes em sua vida. Passa a não gastar mais energia com discussões irrelevantes. Desenvolve plena e total consciência de que a vida é valiosa demais para dar atenção para esses pormenores. Portanto, não esperem que alguém querido morra para conseguirem dar valor para sua vida ou às pessoas que você ama. Viva bem a sua vida! Agora! Coragem! Mostre o seu amor a quem ama. Beije-o e abrace-o! Nada é mais prazeroso na vida do que isso. Quanto à dor do enlutado, incentive-o a procurar um suporte terapêutico o mais rápido possível. Hoje, a psicologia já evoluiu muito nesse trabalho. Essa é a melhor ajuda que um amigo ou familiar pode dar para quem vive o drama da perda.



Viviane Sampaio. Psicóloga

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

MENSAGEM DO DIA




Você está crescendo espiritualmente? Você pode sentir-se um com os outros? Você tem paz interior? Você irradia esta paz ao seu redor? Isso é chamado de crescimento espiritual, que é estimulado pela meditação interior e pelo trabalho realizado exteriormente com espírito de serviço.

Swami Ranganathananda

domingo, 22 de novembro de 2015

A EXISTÊNCIA DE DEUS


Uma vez de posse dessa nova linha de raciocínio, a razão, Descartes passa a examinar a ideia de perfeição. Quando dizemos que alguma coisa é imperfeita, estamos usando a ideia de perfeição sob a forma de falta de alguma coisa, ou seja, a ausência de algo que tornaria perfeita a coisa estudada.

Caso essa coisa estudada estivesse completa, teríamos a noção de um ser perfeito. Demonstrando que a ideia de perfeição não se origina nos sentidos, mas na razão, Descartes abre o caminho para a prova racional da existência de Deus. Ao questionar a origem da ideia de Deus, ele depara com o problema de que essa ideia não poderia ter surgido do nada, pois o nada, nada cria e nenhum ser, muito menos um ser perfeito, pode ter surgido do nada.

Seguindo este raciocínio, Descartes afirmou, também, que um ser imperfeito não pode ser a causa da criação de um ser perfeito, pois o menos não pode ser a causa do mais. A ideia de perfeição nasce junto com o homem, é uma ideia inata. Resta a ideia de que a perfeição não tendo sua origem no nada e nem tampouco em um ser imperfeito por natureza, só pode ter sido posta na razão por um ser perfeito.

Um ser perfeito pode ser a sua própria causa, ao contrário de um ser imperfeito. A idéia de perfeição posta na razão sugere a existência de um ser perfeito, pois seria contraditória a existência da perfeição sem um ser perfeito que a tenha criado.

Assim, a existência de uma idéia de perfeição que existe em nossa mente, comprova a existência de um ser perfeito que a criou e a colocou em nossa razão, ou seja, um ser que pode ser chamado de Deus.

Fonte:
Descartes, René

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

MENSAGEM DO DIA


Todo bom pensamento que enviamos ao mundo sem pensar em recompensa será armazenado na memória e quebrará um elo na corrente que nos escraviza, e isso nos tornará mais e mais puros, até que venhamos a ser o mais puros dos mortais.

Swami Vivekananda

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

A VIDA MÍSTICA



Misticismo é uma forma de conhecimento que inclui práticas como a meditação, a contemplação e a prece, visando a união íntima e direta do espírito humano com o princípio fundamental do ser. A experiência mística não depende de organização ou hierarquia, nem templos materiais, nem escrituras sagradas, porque é uma percepção imediata do divino, uma atitude interior. 
Erro é supor que a experiência mística requer a fuga do mundo. Quando o indivíduo vive sua realidade divina liberta-se do apego às coisas exteriores que o mundo oferece (lucros e perdas, prazeres e tristezas, honra e difamação), porque passa a desfrutar da felicidade interior que, por ser plena, dispensa os prazeres ilusórios e transitórios. Contudo, seu estado de bem-aventurança, longe de o isolar de seus semelhantes, faz com que se relacione melhor com todos os seres, sendo compreensivo, paciente, compassivo, magnânimo, generoso, caritativo e pacífico, qualidades típicas do altruísta. 
Gurdjieff, filósofo e mestre espiritual que influenciou celebridades como Rudyard Kipling e Katherine Mansfield, chamava de “quarto caminho” o daqueles que querem permanecer no mundo, mas não pertencer ao mundo. A maioria dos rosacruzes, do passado e do presente, têm seguido esta via e contribuído admiravelmente para o melhoramento do mundo. 
Qualquer que seja a sua fé, o místico é sempre um ser que se harmoniza com uma ordem superior: o Uno, o Absoluto, o Tao, sem a necessidade, para tanto, da intermediação de uma organização religiosa ou de um sacerdote. O conhecimento que ele busca não é intelectual-racional, nem doutrinário-formal, mas intuitivo. Trata-se de um saber que é, ao mesmo tempo, um vivenciar – um contato direto com a Realidade Superior, pelo qual o homem descobre e atinge a sua essência, desfazendo-se das impurezas do eu inferior.


Sergio Carlos Covello, F.R.C

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

PIEDADE! PIEDADE!



 Por que pedir piedade para mim, minha família, minha cidade, meu país, quando toda a humanidade sangra, quando corre o risco de desaparecer do planeta como consequência triste do ódio, do fanatismo, da intolerância, do preconceito e da ganância humana? Estas são as patologias da mente e da alma, que corroem os indivíduos, tornando-os infelizes e levando-os a querer destruir a felicidade dos outros. A humanidade está doente, o planeta também.
Alguém disse que o Rio Doce está na UTI, mas a verdade é que todos estamos na UTI.
O desaparecimento da humanidade e dos valores que ela construiu no decorrer de tantos séculos, a Arte, a Literatura, a Filosofia, tudo está na iminência de ser extinto se não houver uma mudança de rumos.
A lama que corre desde Mariana, que destruiu Bento Rodrigues e toda a vida no Vale do Rio Doce, seus afluentes e entorno, chegando, breve, ao oceano, acabando com toda a biodiversidade, esta mesma lama corre, também, em nossas artérias, em nossas veias, em nossos capilares. É a lama de nossa sordidez, de nossa maldade, de nossa pequenez, da mediocridade, da maledicência, da estupidez, de todos os nossos pecados!
Existe, porém,  uma luz no fim do túnel! Existe um caminho certo: aquele que o doce e meigo Nazareno nos ensinou há mais de dois mil anos atrás, assim como todos os outros grandes mestres.  Esta luz é o Caminho do Amor!
Enquanto não entendermos que nós humanos e toda expressão de vida sobre o planeta somos algo único, entrelaçado, a seiva da Vida irá, pouco a pouco, se esgotando, se esvaindo...
O lema francês da Liberdade, Igualdade e Fraternidade não pode ser apenas uma utopia ou uma bela expressão de retórica da qual alguns partidos políticos se arvoram em donos. Ela deve se tornar uma realidade em todo o globo. Fora disto não há nenhuma outra esperança!
Dizem que não há como falar em Deus neste momento histórico, quando Deus é usado como desculpa para a barbárie, para o ódio, para a “Guerra Santa”, repetindo as velhas Cruzadas.
Mas, Deus é a única saída. Não o Deus antropomórfico, mas a Fonte de toda a Vida, o que move todas as partículas do átomo e as une para o milagre da Criação. O Deus que é Amor, no sentido mais exato do termo “agregação”, pois sem esta força motriz que leva à união dos átomos não há vida. Deus que é Energia, energia que se manifesta em Luz, Som, Movimento, Equilíbrio, Harmonia, DNA. Deus que é Vida. Isto está além de qualquer religião. Era nisto que John Lennon pensava quando criou a letra de “Imagine”. Um mundo sem fronteiras, sem religião, pois já seria um mundo pacificado pelo Amor, portanto um mundo onde existiria a plena e verdadeira manifestação de Deus.
Não precisamos de fronteiras, de hinos, de bandeiras, de rituais, de dogmas, de discriminação de qualquer ordem. Precisamos unicamente de exercitar o Amor! Isto é viver a própria essência de Deus.
Um dia, quando o filósofo Nietzsche disse que Deus estava morto, ele quis afirmar que Deus não era mais necessário se a Ciência já podia explicar o fenômeno da Vida. Hoje, porém, quando a Astronomia e a Física Quântica conseguem nos dar uma ideia mais próxima do que é Deus, podemos afirmar que, como nunca, Deus está vivo e precisamos d’Ele, pois é a única força motriz criadora dos universos. Ele é o Amor!
Ontem, pude assistir a uma entrevista de um escritor francês, cujo nome me foge neste momento, que dizia não acreditar em Deus, mas que tendia a fazê-lo quando, estudando Astronomia, percebia a perfeita ordem do Universo.
Não foi à toa que um pianista inspirado, no meio do horror, que se instalou na Cidade-Luz, representante dos mais caros valores do mundo ocidental, levou o seu piano para praça pública e tocou, com extrema sensibilidade, a música “Imagine”.
Ali estava o grito de esperança, de saída para o mundo caduco, louco e agonizante: a alvorada de um novo mundo onde o estandarte do Amor haverá de tremular para todo o sempre. Aquele era o sinal de Deus para o Renascimento de uma nova Humanidade.

Maria Luiza Silveira Teles (membro da Academia Montesclarense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros)


MENSAGEM DO DIA



Enquanto permanecermos atados aos objetos dos sentidos para nosso desfrute, a Divindade interior permanecerá oculta à nossa visão. Nossa atenção deve ser desviada dos objetos dos sentidos e voltada para o interior, para realizá-La. Só então, nos será possível alcançar a perfeição e conseguir a eterna bem-aventurança, a vida eterna e o conhecimento infinito.

Swami Nirvedananda

sábado, 14 de novembro de 2015

PENSAMENTO DE HOJE


Qualquer pessoa pode adquirir competência e habilidade em vários campos. Para isso, só é necessário predispor-se a fazê-lo e empenhar-se nessa direção.

Paulo e Lauro Raful

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

PERDÃO É AMOR



Perdoa agora, hoje e amanhã, incondicionalmente. Recorda que todas as criaturas trazem consigo as imperfeições e fraquezas que lhe são peculiares, tanto quanto, ainda desajustados, trazemos também as nossas. (Chico Xavier)

O perdão é a maior prova de amor que qualquer um de nós pode expressar nesta caminhada progressista, muitos irmãos tende a falar deste sentimento amor com muita ênfase a manifestar o horizonte de oportunidades que este sentido pode oferecer, há aqueles que usam apenas a palavra amor como um parâmetro social, mas poucos se aprofundam neste instituto que é nossa principal mola propulsora para a salvação, como há aqueles que realmente buscam todos os dias preencher suas instancias vazias com essa sagrada virtude. 
Para amar e viver o amor é preciso trabalhar e ofertar sempre o perdão verdadeiro para com as nossas ofensas que deferimos contra os nossos semelhantes, assim como perdoar a nós mesmos quando ofendemos a nossa própria consciência e a nossa própria caminhada com as nossas fraquezas e os nossos pecados que insistentemente praticamos e pouco fazemos para mudar o curso negativo de nosso sentido e trabalhar também o perdão e a reparação quando ofendermos a Deus nos percalços do caminho e sem se importar com o evangelho do amor na pratica da mudança e na busca do melhoramento como no meio que estamos envolvidos e os cuidados para com os nossos ofensores. 
Havemos de compreender a fraqueza alheia olhando para a própria miséria e desconhecimentos que possuímos em nossa intimidade, não há como se viver o amor incondicional guardando em nosso coração e em nossa consciência sentimento ruinosos capazes de destruir tudo ao nosso redor, como o sentimento da magoa, do ódio, do egoísmo, da inveja que são os sentimentos responsáveis pela falência do progresso e proporcionando a estagnação nossa por querer persistir o orgulho e a vaidade presa em nosso caminho.
A caminhada da salvação é árdua e requerera de cada um de nós e sem quaisquer privilégios especiais a força de vontade, a coragem, o trabalho, a fé, a determinação, a persistência, o poder de garra, o poder de reconstrução, a raça da vitória para alcançar o objetivo da felicidade plena, e para se obter o sucesso nesta empreitada será necessário fazer nascer a força dos sentimentos mais sagrados num homem que é a humildade de aprender e reconhecer que não temos a força suficiente para compreender todos os institutos e que ninguém é superior a ninguém independente de posição social ou mesmo conhecimentos culturais com maior alusão, como a simplicidade de valorizar a voz das pequenas coisas a fazer de ti um bom servo de Deus capaz de aliar-se e propiciar a ti a conquista da amizade e da confiança alheia a poder ter em cada um de nós o fio da esperança de poder também buscar a salvação aliada a nossa caridade e a nossa fraternidade de captar homens para a embarcação rumo a Deus no seu paraíso e dentre todos estes sentidos nasce o fruto do amor e do perdão verdadeiro, mas também em muitos momentos seremos instigados a entregar todas as nossas conquistas e a probabilidade de auto progresso e salvação nas mãos do destino obscuro do pecado, alguns conseguirão resistir, mas o que temos visto e com grande fartura é a derrota que promovemos a nós mesmos onde paramos por comodismo, preguiça e uma frágil e corruptível fé que se venderá na primeira oferta de estagnar e parar a caminhada, e neste aspecto nasce o ódio, o rancor, a cólera, as doenças do corpo e da alma, a inveja, o egoísmo, a deslealdade, a ingratidão e tendo como consequência a própria prisão que não manifestará qualquer indicio do por do sol a nos favorecer, pois muitas vezes deixamos de lutar contra as forças ocultas e não sendo obedientes a Deus trabalhando com todas as armas e oportunidades favoráveis e necessárias para fazer-nos fortes e um eximo guerreiro vencedor e capaz de lutar por aquilo que tanto se almeja. 
Os habitantes planetários estão na evolução para vencer e progredir sempre e para isto nos sendo necessário nascer, renascer tantas vezes quanto for necessário para merecer o reino de Deus, mas antes de atingir este fim é preciso construir um caminho sólido e favorável a si e a qualquer outro irmão que desejar vir conosco. As extremidades do começo e do fim não farão sentido se o núcleo da nossa historia principal não aliar-se as forças do bem disposto a qualquer um. 
Nascemos imortais pelo amor de Deus com o propósito e o compromisso de auxiliar o progresso universal, haveremos de caminhar por diversas etapas para alcançar o objetivo da salvação que é o rumo de qualquer ser vivo. E quanto tempo será necessário para eu alcançar o reino sagrado? De certo no tempo e como conduzimos a nossa historia principal ao qual temos o discernimento do sentido que melhor nos convenie, uns terão mais estrada e outros menos e nessa realidade e diferença do tempo de cada um ocorre quando muitos resistem a permanecer na estrada única e tomam os atalhos que surgem pelo caminho e muitos querendo encurtar o tempo divino adentram ao desconhecido, sendo que neste lapso até tomarem o conhecimento de sua realidade e querer voltar atrás e refazer novamente o único e certo sentido será um tempo fundamental que muitos perderão por não acreditar muitas vezes em si próprio e na proposta que Deus tem para cada um de nós. 
Compreendam irmãos que os desafios da existência são para todos ao qual podemos ter como referencia o unigênito Jesus, que poderia pela graça de Deus ter vindo sem qualquer dificuldade e com os privilégios dos anjos a proteger contra todas as misérias nossa de cada dia, ao contrario, o Pai mandou-nos o Messias como um homem comum e repleto do sentimento do amor e do conhecimento e da verdade da salvação, nenhum mal causou e mesmo assim morreu pela nossa fraqueza e pecado, mas, no entanto ao invés de se revoltar contra nós, nos perdoou incondicionalmente e pediu perdão a Deus por todos nós. Por isto meus amados aqueles que aprenderam a perdoar cumpre o mais sagrado dom do amor, por isto sigamos sempre o exemplo e as lições de Jesus para também nos engrandecer no Reino e assim nos habilitar para salvar outros mais e fazer de nossa realidade o trabalho continuo da restauração e restruturação da paz que muitos perdem por ingenuidade e ou mesmo ignorância, mas sempre com a oportunidade de perdoar e amar incondicionalmente e fazer o nosso coração e nossa estrutura manso e humilde como Jesus.

Dr. Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

O DEUS DE CADA UM

 
Cada doutrina religiosa traz sua própria concepção de Deus, e na maioria das vezes elas são conflitantes. Isto, por si só (e não sem razão), já soa absurdo para aqueles que cultivam um pensamento mais cético e racional. Não é à toa que muitos acabam taxando a maioria dos teístas de alienados: se não chegam a um acordo sequer sobre a natureza de Deus, como podem querer ditar regras de conduta a serem seguidas? 
Essa pergunta é pertinente porque toca no cerne da religiosidade. O verdadeiro religioso não é aquele que se inscreveu em uma comunidade dos escolhidos de Deus (a origem de “igreja”, do grego ekklesia), mas aquele que pratica uma comunhão com Deus ou com o Cosmos, um caminho de retorno a compreensão de sua própria origem (do latim re-ligare, origem de “religião”). Desnecessário seria dizer que são definições bastante distintas, e que embora todo seguidor de igrejas possa ser religioso, nem todo religioso é seguidor de igrejas. Mas, ainda mais profundo do que isso: a todo verdadeiro espiritualista parece mesmo óbvio que a forma de comunhão com Deus (ou o Cosmos) é própria de cada um, pessoal e intransferível. Não serão livros nem padres nem gurus espirituais quem poderão lhe ensinar – todos esses ajudam, mas cada um aprende por si próprio, e na prática.
Uma comparação pertinente pode ser feita entre aprender espiritualidade e aprender a nadar: de nada adianta ler extensos manuais sobre natação, ou infindáveis palestras de grandes nadadores – você só irá se tornar um grande nadador se tomar coragem de mergulhar e enfrentar as ondas por si próprio. 
O verdadeiro espiritualista não é, portanto, um alienado da realidade. Ele apenas mergulhou na própria consciência, enquanto outros (não sem razão) preferiram abster-se da aventuras.

Gaspar Senior

terça-feira, 3 de novembro de 2015

MENSAGEM DO DIA


Perdoar é algo que devemos aprender não como um dever ou uma obrigação, mas como uma experiência similar à do amor - deve acontecer espontaneamente.

Rev. Theodore C. Spears

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

SE TE ENCONTRAS ANGUSTIADO


Se te sentes tentado ao suicídio, ora a Deus e busca a presença de um amigo com quem possas conversar.
Quase todos os homens experimentam semelhante estado emocional, notadamente quando o sofrimento, em suas múltiplas nuanças, lhes subtrai a alegria de viver.
Se a tempestade das provações desaba sobre a tua vida, não desesperes.
Breve, o sol voltará a brilhar no horizonte de tuas esperanças.
Suporta corajosamente a dor que te acicata a alma, recordando que Deus, nosso Pai de Infinita Misericórdia, a ninguém desampara.
Se te encontras angustiado, pensa naqueles que estão lutando em silêncio por um mundo melhor e junta-te a eles, consagrando os teus dias a uma causa nobre.
Não acredites que nada possas realizar na seara do bem.
Cede as tuas mãos ao Senhor e Ele, por ti, fará maravilhas.
Esquece a idéia da morte e vive para os que te amam.
O sacrifício pessoal é uma estrada de beleza indefinível ...
Amanhã, quando alcançares a Grande Renovação, agradecerás a cruz que te possibilitou compreender e abençoar a vida.

Irmão José
(Psicografado por Carlos Baccelli)



domingo, 1 de novembro de 2015

PENSAMENTO DO DIA


Adormeci e sonhei que a vida era alegria; despertei e vi que a vida era serviço; servi e vi que o serviço era uma alegria.

Rabindranath Tagore

ALGUMAS DE MINHAS OBRAS

MEU MAIS NOVO LIVRO

MEU MAIS NOVO LIVRO