BOAS VINDAS

Seja bem vindo! Espero que aqui encontre alento, beleza, amor e paz! E que possa espalhar isto para o mundo, que vive tão sedento de tudo isto.



Pesquisar este blog

Seguidores

terça-feira, 13 de junho de 2017

ORAÇÃO NOSSA

Senhor ensina-nos a orar, sem esquecer o trabalho.

A dar, sem olhar a quem.
A servir, sem perguntar até quando...
A sofrer, sem magoar, seja quem for.
A progredir, sem perder a simplicidade.
A semear o bem, sem pensar nos resultados...
A desculpar, sem condições.
A marchar para frente, sem contar os obstáculos.
A ver sem malícia...
A escutar, sem corromper os assuntos.
A falar, sem ferir.
A compreender o próximo, sem exigir entendimento...
A respeitar os semelhantes, sem reclamar consideração.
A dar o melhor de nós, além da execução do próprio dever, sem cobrar taxas de reconhecimento...
Senhor, fortalece em nós, a paciência para com as dificuldades dos outros, assim como precisamos da paciência dos outros, para com as nossas próprias dificuldades...
Ajuda-nos para que a ninguém façamos aquilo que não desejamos para nós...
Auxilia-nos, sobretudo, a reconhecer que a nossa felicidade mais alta será, invariavelmente, aquela de cumprir seus desígnios onde e como queiras, hoje, agora e sempre.


Chico Xavier

EMBRIÕES CONGELADOS NA VISÃO ESPÍRITA”



Qual a situação do Espírito que vai reencarnar, desde o momento da fecundação?
- Pelo que sabemos da ação dos Espíritos técnicos da reencarnação, pela resposta à questão n° 344 de "O Livro dos Espíritos", deduzimos que só após a formação do zigoto (ovo fecundado, mas ainda não dividido) é que se inicia a ligação do Espírito que deverá reencarnar. Inicia, mas não se completa. Isso só irá acontecer definitivamente quando a criança vier à luz. Durante a gestação, o Espírito permanece em estado quase igual ao sono do encarnado (questão n° 351 de "O Livro dos Espíritos").
Conforme seu estado evolutivo, terá relativa liberdade das faculdades, no Plano Espiritual.
 Se o embrião for congelado, qual a situação do Espírito ligado a ele?
- Essa questão é, talvez, a de maior alcance e interesse da genômica.
As considerações a respeito dos embriões congelados trilham sobre o fio da navalha de algo tão transcendental, já largamente sendo experimentado pelos geneticistas e embriologistas: manipulação, aproveitamento, armazenamento, descarte ...
O embrião manipulado em laboratório, poderá ter duas destinações: uma, para fertilização assistida, caso em que a ligação do Espírito ocorrerá da mesma forma como se dá ao natural; outra, para produção de células-tronco, para fins terapêuticos, sendo de supor que não haverá Espírito ligado a ele. Só suposição, pois certeza, só o Plano Maior tem ...
Na fertilização assistida, vários embriões são manipulados, dos quais, normalmente, quatro são implantados no útero e os demais, mantidos congelados, para eventual repetência da fertilização, caso não prospere a tentativa anterior (tem sido um problema ético mundial o descarte dos embriões congelados que já não mais interessam ao casal).
Mas também estão sendo manipulados embriões, para pesquisas, os quais permanecem congelados. Também há congelamento de células germinativas (gametas), óvulos e espermatozoides.
Vemos assim, que os embriões podem ter duas finalidades: uma reprodutiva, outra para pesquisas laboratoriais.
O nó górdio da questão é saber em qual embrião, seja para uma ou para outra destinação, há ou não Espírito a ele ligado, posto que em "A Gênese", cap. XI, item n° 18, consta que na fecundação ocorre uma expansão do períspirito daquele que irá reencarnar, atraindo-o, irresistivelmente. E à medida que o feto se desenvolve, esse laço espiritual se encurta. Repetindo o que já enfatizamos, homem algum do mundo tem conhecimento se no embrião há ou não um Espírito a ele ligado.
Se um embrião ao qual está ligado um Espírito for conduzido ao congelamento - seja para pesquisa ou para futura reencarnação - e assim permanecer por longo tempo, em demorado estágio, podemos aventar algumas hipóteses espirituais que justifiquem tal condição, certamente muito desconfortável, para não dizermos sofredora.
Na hipótese formulada pela pergunta, a de que há embriões congelados com ligação espiritual efetuada, imaginamos que podem ocorrer as seguintes situações:
a. ali está um Espírito que se ofereceu, voluntariamente, para participar do progresso da ciência terrena, por ser dela devedor, em vidas passadas. O período do congelamento (prisional), qual casulo impenetrável, o obrigará ao mutismo e às reflexões de ajustamento futuro, o que lhe é benéfico!
b- ali está um Espírito "semimorto" ("Nosso Lar", cap.27); ou um Espírito "paralítico, qual feto da espiritualidade" ("Os Mensageiros", cap.22); ou um Espírito mergulhado no mal, que passou pela "segunda morte" e se transformou em ovoide, qual feto ou ameba mental, passando a ser "hóspede" de outro Espírito ("Libertação", cap.VI).
Obs: André Luiz é o autor espiritual das três obras citadas e os Espíritos infelizes, nelas referidos, acham-se adormecidos há longo tempo, sofrendo pesadelos sinistros ou estão imantados a outros Espíritos, haurindo lhes a vitalidade. Inferimos que a transferência de alguns desses Espíritos para embriões congelados poderá representar um primeiro passo para futura reencarnação, vez que permaneceriam "num quase sono", vestibular para a gestação, similar descrito na questão nº 351 , "O Livro dos Espíritos";
c. ali está um Espírito que durante sua(s) existência(s) terrena(s) amealhou inúmeros inimigos, por causa do seu grande poder e procedimento cruel, que pode até ter causado milhares de vítimas, as quais, agora no Plano Espiritual, perseguem-no obstinadamente, com propósitos vingativos. Se esse Espírito for alocado num embrião congelado isso lhe proporcionará abrigo (esconderijo) indevassável, constituindo defesa contra tantos vingadores. Simultaneamente, receberá tratamento espiritual a cargo de enfermeiros espirituais, podendo arrepender-se e iniciar processo de reconstrução moral. Quanto mais tempo aí permanecer, maior a chance dos perseguidores evoluírem e abandonarem a ideia de vingança, ou, no mínimo, reencarnarem e temporariamente concederem trégua para esse Espírito, assim contemplado com bênção inapreciável.
Como entender uma gestação sem ligação espiritual?
- Vamos repetir: o embrião - ovo a partir da primeira segmentação - pode ter ou não um Espírito a ele destinado, segundo os Espíritos que, à questão 356 de "O Livro dos Espíritos", esclarecem que há casos de gestação nos quais não há um Espírito endereçado à vida no corpo em formação, que ao nascer, será natimorto ...
Isso quer dizer que há embriões em desenvolvimento, mas sem ligação perispiritual. E à questão n° 136, da mesma obra, a surpreendente hipótese de que em algumas gestações a vida orgânica pode arrimar um corpo sem alma (apenas massa de carne, sem inteligência).
A conclusão que podemos tirar é de que existem embriões sem nenhuma ligação espiritual.
Refletimos que devem ser casos raríssimos ... Ninguém conhece todas as leis de Deus. Podemos apenas lucubrar que nos casos - dolorosos para os pais - de embriões sem ligação espiritual, talvez haja algum Espírito, devidamente autorizado ou assessorado por Espíritos Siderais, agindo à distância, por caridade ou por tarefa voluntária de resgate, energizando o desenvolvimento embrionário, contudo sem a ele estar jungido para fins reencarnatórios.
Para nós, assim, é ponto pacífico que a humanidade não tem ainda condições de determinar em qual embrião não há ligação espiritual.
Mas o bom senso, a lógica e principalmente o respeito à vida, induzem-nos à afirmativa de que todos os embriões devem ser sagrados!
O que nós espíritas devemos ter presente é que desconhecendo os desígnios divinos, jamais poderemos concordar com o descarte de um deles.
Há consenso entre os espíritas de que a ligação perispiritual do reencarnante ocorre no momento da fecundação, mesmo se o embrião se destinar a ser congelado?
- Não, não há consenso: alguns autores espíritas manifestam seu pensamento de que no embrião congelado não há Espírito a ele ligado. Aliás, essa opinião vale para todos os casos, isto é, a ligação espiritual só acontece quando o embrião é implantado no útero materno, seja de forma natural ou de forma assistida ...
Essa é uma ideia que pode estar certa, mas também, pode incidir naquela questão do limite do conhecimento humano: voltamos a repetir que não há na Terra nenhum homem capaz de afirmar se, em qualquer embrião, há ou não essa ligação espiritual e muito menos ainda, no caso positivo, quando ela acontecesse na concepção ou na implantação no útero materno.
A favor da ligação espiritual se iniciar na concepção já citamos afirmação espiritual a respeito, como se vê na questão n° 344 de "O Livro dos Espíritos".
Para que não pairem dúvidas sobre o significado da palavra "concepção", que os dicionários traduzem por geração no útero, cabe acrescentar que quando essa significação foi feita, a genética ainda não havia realizado a fecundação "in vitro " , isto é, fora do útero.
No livro "Missionários da Luz", cap. 13,que já citamos, vemos detalhadíssima descrição da fecundação do óvulo, sob comando do Instrutor espiritual Alexandre, nas seguintes fases:
- é selecionado um espermatozoide, dentre milhões (!!!)
- esse gameta selecionado é energizado por Alexandre;
- tal gameta parte veloz rumo à célula feminina que o aguardava, com vibrante atração magnética, sendo acolhida por ela;
- nesse preciso momento, o Instrutor ajustou a forma reduzida do futuro reencarnante ao organissmo perispirítico daquela que lhe seria mãe e declara:
"Está terminada a operação inicial de ligação.
Que Deus nos proteja".
Em quanto tempo o embrião inicia a divisão celular e quando chega ao útero?
- Na pág. 197 da obra "O Livro da Saúde ˆEnciclopédia Médica Familiar", 8ª Ed., 1976, Seleções do Reader's Digest encontramos:
"( ... ) Pouco depois da fecundação do óvulo, o ovo começa a dividir-se (segmentação). A célula inicial divide-se primeiramente em duas células, que, por sua vez, dão Origem a quatro, e assim sucessivamente, formando-se rapidamente uma massa celular, semelhante a uma amora, a que se dá o nome de "mórula". Ao fim de cinco a sete dias, o embrião - designação de um novo ser (humano), desde a fase da divisão do ovo até o quarto mês de gestação - atinge o útero, aderindo fortemente à mucosa uterina".
Assim, sempre com Kardec, alocamos as opiniões daqueles autores no rol das "opiniões pessoais" e não como sendo ensino de vários Espíritos, de forma a consagrá-las e serem incorporadas às premissas do Espiritismo.

Eurípedes Kuhl

MORADAS DO UNIVERSO – VISÃO ESPÍRITA




“Há muitas moradas na casa do meu pai” afirmou Jesus aos seus discípulos no evangelho de João 14 : 2. Nós espíritas entendemos que Jesus falava dos diversos mundos que constituem o universo criado por Deus. A lógica nos faz crer que é impossível que Deus tenha criado milhares de milhões de corpos celestes apenas para enfeitar o firmamento, para deleite do homem.
Só na nossa galáxia, a chamada Via Láctea, se calculam dois bilhões de estrelas, ou seja, dois bilhões de sóis, que certamente devem ter planetas girando em torno deles, presos pela gravidade, que os tornam cativos do seu astro luminoso. Se o nosso sol, que é uma estrela de quinta grandeza, pequenino diante da imensidão dos cosmos, tem nove planetas que giram em torno dele, quantos devem girar em torno desses bilhões de sóis só da nossa galáxia?
E existem milhares de galáxias. Se multiplicarmos, teremos números que nós não conseguimos imaginar.
O Espiritismo, essa religião que é ciência, classifica os planetas em termos de evolução, em cinco categorias, a saber: Os planetas primitivos onde a vida ainda se encontra nos primórdios da pedra lascada; os planetas de expiação, categoria onde o mal ainda suplanta o bem, como a nossa querida Terra, que está entrando numa fase de transição para a próxima categoria que são os planetas de regeneração, onde o bem já suplanta o mal, propiciando os espíritos que aí encarnam maiores possibilidades de recuperação moral e a prática do bem. Depois temos a quarta categoria que são os planetas de bem aventurança e a quinta e última categoria que são os planetas celestiais onde vivem os Espíritos que não necessitam mais encarnar para evoluir.
Aí temos, portanto, as opções evolutivas onde nossos espíritos frequentam, e frequentarão, as diversas escolas necessárias para a sua evolução. O espírito só tem duas condições para evoluir: o conhecimento e a caridade (amor), expressos pelo bem que podem fazer. Não é sem propósito que o Espírito de Verdade nos recomendou, como único mandamento para os espíritas: ”Amai-vos e instrui-vos”.
Se hoje estamos nesse pequeno planeta, é expiando para reeducarmos a nós mesmos, dentro de um programa, onde o objetivo é crescer em evolução visando alcançar a vitória do conhecimento pleno “... Conhecerás a verdade e ela vos libertará” (João 8:32) disse-nos o Grande Mestre incentivando-nos ao estudo das leis materiais e espirituais (do Plano Espiritual). E aqui estamos nós nesta fase de transição do nosso planeta, que está passando de Planeta de Expiação para Planeta de Regeneração. Muito
vai ser destruído, e muito vai ser reconstruído, principalmente moral e espiritualmente. Nova precipitação de “anjos maus” já está acontecendo, segundo os Espíritos Superiores, pois esse mundo precisa ser saneado para entrar na fase mais iluminada do bem.
O telescópio Kepler , lançado pela NASA em evolução em torno do sol, já identificou 1.235 planetas fora do nosso sistema solar. Desses 184 são gigantes como Júpiter, 662 são de dimensões semelhantes a Netuno e 122 têm o tamanho da nossa Terra, são os chamados “exo-terras”, que estão circulando em zonas habitáveis ao redor de suas estrelas, podendo ter água em estado líquido em suas superfícies. Dados da NASA. Isto fora as descobertas do outro telescópio estratosférico chamado Hubble.
Assim é o mundo de Deus, onde nós espíritos somos a expressão maior da Sua Criação. Mas fomos criados rudes e ignorantes, para termos o mérito de evoluir e crescer, para podermos fazer “ melhores maravilhas que Ele” (João 14:12) como no seu próprio conselho

.
 Iran Rêgo    *Médico cardiologista – espírita.

NUNCA É TARDE...


Para recomeçar; e se cair nunca fique parado, levante e tente outra vez. Para perdoar; pois assim fazendo não estará ajudando ao outro, mas a você mesmo. Para transformar-se; mudar sempre, e sempre para melhor. Não deixe que a luz da alma se apague, há tempo para construir tudo que quiser desde que estejamos prontos para seguir adiante. Nada na vida é ao acaso, tudo tem um grande propósito, por isso nunca é tarde para refletir as ações e os sentimentos, só depende de nós fazermos essa grande transformação.

do site Gotas de Paz

PENSAMENTO DE HOJE





As  pessoas orgulham-se em dizer que a humanidade evoluiu. Costumam lembrar-nos de que antes andávamos a pé ou a cavalo, e hoje andamos de carro e viajamos de avião. Animados, dizem que no passado os homens se comunicavam através de fumaça e hoje usamos mídias digitais e eletrônicas. Mas essas pessoas esquecem-se de que os seres humanos continuam intolerantes, ciumentos, raivosos, possessivos e violentos, de que vivem divididos em clãs, tribos, partidos e nações em constante conflito uns com os outros. Por isso, é difícil levar a sério o sentido que essas pessoas dão à palavra “evolução”.

Paulo e Lauro Raful

domingo, 11 de junho de 2017

PERANTE O CRISTO CONSOLADOR



Nasce Jesus, e o mundo de expiação recebe a mensagem do Cristo. A mensagem de amor e perdão cobre o planeta, porém a luta do bem contra o mal continua a impor batalhas ferrenhas na humanidade.
No período 300 a 400 anos, após a vinda do Messias, a igreja começa a deixar a pureza dos apóstolos. O poder e a fortuna passam a influenciar os erros e priorizar a riqueza em vez da devoção.
Perturbações históricas começam a acontecer, como investida do mal, contra os bons propósitos do cristianismo nascente. No ano de 325 acontece o concílio de Nicéia onde os participantes criam os dogmas; Teodósio, no ano de 381, se submete aos religiosos e, nessa época, aparecem os rituais e imagens. Em 607 d.C. cria-se o papado e o cristianismo nascente perde a humildade que devia reger a Igreja. Roma domina o mundo e a Igreja domina Roma. Na Idade Média cai o império romano e surgem os feudos, que é a expressão da servidão moral.
Fatos benéficos acontecem como reação do bem, como a reencarnação de S. Bento (Sanctus Benedictus), fundador dos beneditinos. Muitos bárbaros se convertem ao cristianismo. Maomé nasce em Meca no ano 590 com a missão de reunir as tribos árabes sob a luz dos ensinos cristão, mas fracassa pelo assédio do mal. Carlos Magno nasce no século VIII (reencarnação de Júlio César) e reina por 46 anos intensificando a cultura e a boa administração pública. É coroado pelo papa Leão III com a tríplice coroa e é considerado o novo imperador de Roma.
A partir do século XI inicia-se, pela Espiritualidade Superior, a restauração do cristianismo com o beneditino Hildebrando conhecido depois como Gregório VII. Importante pela fé inabalável e pela sinceridade, combatendo o tráfego das coisas religiosas, as honras eclesiásticas e tentando restabelecer a humildade nas hostes da Igreja.
Reencarnam os Espíritos Evoluídos, Pedro de Vaux, Francisco de Assis (reencarnação do apóstolo João Boanerges), Martin Lutero (provável reencarnação de Paulo de Tarso) que traduz a Bíblia para o Alemão tornando-a acessível ao povo em geral e popularizando o cristianismo.
Em 1860 Allan Kardec codifica o espiritismo recebendo revelações do Espírito de Verdade (Paráclito) através da psicografia de cinco médiuns crianças, na França.
“Vinde a mim, todos vós que estais aflitos e sobrecarregados, que eu vos aliviarei”, Mateus,11:28.
Jesus em João 14:15 a 17 e 26 promete outro consolador: o Espírito de Verdade, que vem na época prevista, através do Espiritismo, cumprir a promessa do Cristo. O Espiritismo vem abrir os olhos e os ouvidos, porquanto fala sem figuras nem alegorias, acaba com os dogmas e mistérios. Traz a consolação a todos os que sofrem pois mostra a causa dos sofrimentos e mostra como serão aplacados esses sofrimentos.
Ensina que o objetivo dos sofrimentos é o de depurar para garantir a felicidade futura. Ensina que a fé inabalável é a racional, pelo conhecimento das coisas, fazendo que o homem saiba donde vem, para onde vai e porque está na Terra.
Instrui o Espírito de Verdade: “Orai e crede, pois que a morte é a ressurreição, sendo a vida a prova buscada, e durante a qual as virtudes crescerão e se desenvolverão como a planta do bem. Amai-vos, este é o primeiro ensinamento, instrui-vos, este o segundo. Tomai por divisa duas palavras: devotamento e abnegação e sereis fortes. O sentimento do dever cumprido vos dará repouso ao espírito e resignação”. Evangelho Segundo o Espiritismo, cap V
I.
**IRAN RÊGOMédico cardiologista - espírita

FALAR COM DEUS


Falar com Deus é algo extraordinário e simples, em todos os momentos de sua vida. E isso não depende de oração de ninguém! Não fique indo atrás de profetas não, nem tampouco rituais… A melhor oração que existe, é a sua mesmo. Entra em seu quarto, dobre seus joelhos e abra o seu coração pra Deus, tenha intimidade com Ele, o Senhor quer ouvir sua voz e seu pensamento, seja humilde.
Ainda que não tiver palavras, apenas lágrimas, Ele a ouvirá pois Ele não deseja frases maravilhosas, mas um coração puro! Deus te ama e espera muito de você, creia nisso.
do site Gotas de Paz

sábado, 10 de junho de 2017

OS ESPÍRITOS ADIANTADOS E OS ATRASADOS



A crença sobre anjos tem duas teorias. A dogmática de que eles são anjos perfeitos e que assim já foram criados. E a crença universal de que eles são espíritos humanos perfeitos, mas que eram imperfeitos, quando foram criados. Nas duas doutrinas são espíritos, geralmente, bons, evoluídos. Mas há também os anjos maus.
Sou a favor da segunda teoria, espírita, de que os anjos são espíritos humanos, que foram criados imperfeitos e que, por evolução, se tornaram perfeitos. Se Deus criou os espíritos humanos imperfeitos, enquanto teria criado os anjos já perfeitos, isso seria uma prova de que Deus amaria mais os anjos do que a nós espíritos humanos. Se isso fosse verdade, o amor de Deus para conosco deixaria de ser infinito.
Se fosse verdadeira a doutrina de que os anjos não são espíritos humanos evoluídos, os teólogos não necessitariam tê-la transformado em um dogma. Devemos respeitar todos os dogmas, mas eles são doutrinas polêmicas. Eles não têm o respaldo bíblico, e, às vezes, são flagrantemente contrários à Bíblia. São Pedro fala que os anjos revoltados contra Deus pecaram e foram precipitados para baixo, isto é, a Terra. (2 Carta de Pedro 2: 4). Em outras palavras, eles vieram reencarnar para se purificarem até pagarem o último centil, pois o nosso mundo é o lugar de provas e expiações e as reencarnações são para o espírito evoluir, em busca da perfeição semelhante à de Deus.
Se anjos podem pecar, é porque eles são mesmo espíritos humanos ou da mesma categoria humana. E isso é mais um motivo para que Deus não os tenha criado mesmo já perfeitos, mas imperfeitos como nós o fomos. E lembro aqui a metáfora de Adão e Eva, que pecaram exatamente porque não eram perfeitos. E o Pecado Original com o qual nascemos, segundo o dogma cristão-judaico, tem um fundo de verdade, pois trazemos pecados das nossas vidas anteriores. E creio que o pecado de
Adão e Eva tenha também certa analogia com o pecado da rebelião dos anjos, o que seria mais uma justificativa de que os anjos são mesmo de natureza humana. Daí se falar também, como já foi dito, em anjo mau, impuro, ainda não purificado.
A crença dogmática cristã numa vida única terrena levou as pessoas a confundirem o corpo novo de uma criança com a idade do seu espírito, chamando-as, pois, de anjo quando morrem. Mas na verdade, a idade do espírito é diferente da idade do corpo. Este pode ser novo, mas habitado por um espírito velho, pois existe antes do corpo. “Antes que te formaste no ventre de tua mãe, eu já te conhecia.” (Jeremias 1: 5). E Jesus disse que antes que Abrão existisse, Ele já existia, logicamente em Espírito e não em corpo. (João 8: 58).
Porém atentemos para o fato de que o verdadeiro significado de anjo (“aggelos” em grego, e “angelus” em latim) é enviado, mensageiro, do mundo espiritual. Mas podem vir também anjos maus (espíritos humanos ainda atrasados), inclusive para serem doutrinados, como acontece nas reuniões mediúnicas das casas espíritas. E eis mais um texto bíblico: “...alguns, sem o saber, acolheram anjos”. (Hebreus 13: 2).

Fonte : J. R. Chaves- do livro: A Bíblia e o Espiritismo
*Iran Rêgo – médico cardiologista – espírita.

FRATERNIDADE

A fraternidade nos envolve por sermos todos irmãos, assim como Deus nos fez .


É a boa relação entre  os homens, em que se desenvolvem sentimentos de afeto, como se fôssemos todos irmãos de sangue.
É um laço de união entre os homens, baseado no respeito pela dignidade da pessoa humana e na igualdade de direitos entre todos os seres humanos.
do site Gotas de Paz

MENSAGEM DO DIA


Ao comermos uma deliciosa cenoura, temos que sentir que ela também é fruto do empenho de muitas gerações. Por trás de uma fatia de pão há uma história de milhares de anos. No Vietnã, quando comemos uma tigela de macarrão, temos consciência de que ela tem sua própria história. As mães não sabem automaticamente como temperar essa refeição. Esse conhecimento foi transmitido por muitas gerações. Todo bolo, todo prato possui sua própria história. A felicidade dos nossos ancestrais tornou-se nossa própria felicidade.

Durante a prática, vamos nos conectar a todos os nossos antepassados, bem como aos rios, montanhas, plantas e alimentos da nossa terra. O que somos senão a manifestação e continuação de todos esses elementos? [...] É claro que estamos prontos para abraçar o que é positivo, mas temos que aceitar também os aspectos negativos de nossa sociedade, como a violência, o ódio e o racismo, a fim de transformá-los. Devemos viver no sentido de contribuir para a mudança desses elementos.

Thich Nhat Hanh

quinta-feira, 8 de junho de 2017

PRECE A COMEÇAR POR MIM

Jesus,

Quero postar-me sempre a Teu serviço,
E cantar mundo afora a Tua mensagem,
Transformada na Terra em confortante e doce aragem.

Não pretendo, jamais, fazer-me omisso,
Ante tanto trabalho que me espera,
Como seareiro da esperança,
Antecipando as conquistas da nova era.

Mestre,
Quero seguir-Te sem cansaço,
E pautar-me pelos Teus ensinamentos, passo a passo,
Apresentando ao mundo o nosso Pai.

Quando vejo o caminho em que nossa humanidade vai,
E percebo os enganos, os vícios, os males e a dor,
Sinto que posso ser útil onde for,
Sinto, então, que posso ser Teu instrumento.

Fortifica-me, assim, e ilumina-me cada sentimento,
Inspira-me na ação do bem de cada dia.
Sabedor como sou de que esperas que a alegria
Alcance cada lar e cada coração,
Que vibras para que tudo seja renovação,
Nos rumos dessa vida planetária.

Não permitas, Jesus,
Que a luta necessária possa cansar-me a alma.
Faze-me mais consciente do meu próprio dever,
Para que Teu servidor honrado eu possa ser,
Dando brilho e valor aos labores pelo mundo.

Quero dizer-Te, enfim,
Que posso abrir os braços,
E abraçar os meus irmãos, que, como eu,
São caminheiros do progresso,
E, por isso, Jesus, é que ainda Te peço:
Abrasa-me todo ser para que eu seja nobre e companheiro,
Espalhando no planeta o Teu luzeiro,
E, ao mesmo tempo, que ouvir-Te a doce voz,
Porque, então, jamais me sentirei a sós,
E, encorajado, cantarei, enfim,
Toda ventura que me irá na alma,
Feliz por poder acolher-Te dentro de mim.


Pelo Espírito: Ivan de Albuquerque

PERDAS


Vivemos angustiados com medo da perda… de um emprego, de um amor e tantas outras perdas que vamos acumulando ao longo da caminhada, não estamos preparados para perder, mas as perdas são necessárias para nosso entendimento da Vida, sem as perdas não valorizamos as conquistas … muitas vezes somos egoístas e egoístas limitamos a nossa capacidade de evoluir. Deus sabe o que é o melhor para nós e o que necessitamos para evoluir.
Perdemos agora para mais adiante consolidarmos nossa vitória.
Pensemos Nisso!
do site Gotas de Paz


“VOCÊ SABIA QUE É NÓS QUE ATRAÍMOS OS ESPÍRITOS OBSESSORES?


Não pensemos que só existem obsessores que nos procuram por vingança. Por outros motivos também. Um motivo que tem nos chamado à atenção, e dito pelos próprios obsessores, é que eles são chamados às nossas presenças por nós mesmos. Mas, como?
Vejamos os exemplos que nos esclarecem. Há alguns anos atrás dirigíamos uma reunião prática na cidade de Araçatuba, quando um médium ficou envolvido por um espírito muito agitado. E, entre outras coisas, dizia com muita convicção, que ele ia a muitos lares, incontáveis, pois “eles me chamam”. Querendo saber como, ele disse, pelos palavrões, pelos gritos, pelas brigas. Alimento-me destas vibrações, é como se uma força irresistível me puxasse para lá.
No final de outubro de 2006, orientávamos um espírito que fora trazido de um lar onde permanecia sem nenhuma razão, a não ser a de querer ficar no ambiente, por gostar simplesmente.
Perguntamos por que insistia em ficar lá e ele disse “porque ela me prende ali por seus pensamentos, seus sentimentos, suas ações e me sinto bem lá”.
É importante lembrar que os nossos pensamentos, sentimentos e atitudes geram energias. Se forem bons, energias boas; se forem ruins, energias negativas que compõem a nossa aura e impregnam o ambiente à nossa volta. No caso das vibrações negativas, elas formam um ambiente propício para os espíritos desequilibrados, doentes, perturbadores, desocupados, pois os semelhantes se atraem. Esta é a lei da afinidade e da sintonia.
No livro História do Espiritismo em Piracicaba e Região, de Eduardo Carvalho Monteiro, existe um relato que comprova tal fato (o fato de atrairmos os obsessores):
Numa das viagens de trem que fazia como palestrante espírita e representante do Jornal O Clarim e Revista RIE, de Matão, João Leão Pitta, alguém o interrompe em sua leitura e respeitosamente indaga se ele era o Sr. Pitta. Confirmado, o desconhecido pede-lhe que o ajude a conversar com um parente ali presente, “tomado“ por um espírito. Pitta, então inicia um diálogo com o espírito que envolvia o jovem. Perguntado por que estava assediando o moço, a Entidade dizia que “não queria aquilo, mas que o fulano era quem o atraia com seus vícios”. Pitta argumentou com o Espírito: mas se você corresponde ao chamado, é porque você está na mesma faixa mental que ele, porque semelhante atrai semelhante. Não o atenda quando ele o chamar, que você passará bem e ele também.
Bem, podemos ver, pelo exemplo, que nós encarnados também atraímos os espíritos infelizes, quando nosso comportamento se assemelha ao deles, e não somente eles nos procuram. Então a nossa responsabilidade é grande nas obsessões. Nunca algo ocorrerá nesse sentido se não estivermos com a nossa parte de responsabilidade.
Em O Evangelho Segundo O Espiritismo, Cap.XXVIII, diz: Os maus espíritos pululam ao redor da Terra, em conseqüência da inferioridade moral dos seus habitantes. Sua ação malfazeja faz parte dos flagelos dos quais a humanidade é alvo neste mundo...
Para se preservar das doenças, fortifica-se o corpo; para se garantir da obsessão, é preciso fortalecer a alma; daí, para o obsidiado, a necessidade de trabalhar pela sua própria melhoria, o que basta, o mais frequentemente, para livrá-lo do obsessor...

Escrito por Jairo Capasso-UNIÃO ESPIRITA DE PIRACICABA

MENSAGEM DO DIA


O que destrói o ser humano?
Política sem princípios,
Prazer sem compromisso,
Riqueza sem trabalho,
Sabedoria sem caráter,
Negócios sem moral,
Ciência sem humanidade e
Oração sem caridade.

Mahatma Ghandi

terça-feira, 6 de junho de 2017

José de Arimatéia: Uma nova Terra exige homens com um novo olhar


Hoje vos falo como José de Arimatéia, um dos tantos personagens que experimentei quando estive entre vocês na mesma dimensão. Esse foi um dos que mais me marcou, pois fiz parte da história do mestre, com quem tanto aprendi, nosso amado Jesus. Recordo-me de ter sido em algum momento Papa e até presidente, mas isso não vem ao caso.

Trago agora esse personagem porque sinto ser a hora de rever alguns conceitos e crenças que se iniciaram lá trás, quando as palavras do mestre foram distorcidas, mal interpretadas, levando gerações, por séculos, a repetirem padrões baseados na salvação através do sofrimento, a criar e experimentar continuamente realidades cruéis.

Por anos e anos, vocês foramlevados a acreditar num Deus do lado de fora. Não compreenderam o significado de Onipotente, Onisciente e Onipresente? Ele sempre esteve em cada um de vocês e em tudo, mas muitos ainda atribuem essa Força a uma figura humana.

Seguindo esse conceito, por medo e incompreensão do Todo, vocês têm se tornado cópias uns dos outros, repetindo situações frustrantes, sofrendo castigos impostos pelo “Senhor” que acreditaram merecer, para no final experimentarem a salvação.

E por que precisam sofrer tanto para se elevarem, serem dignos do reino dos céus, os eleitos?

Essa é mais uma crença, lançada com o intuito de fazê-los distorcerem a visão de si mesmos e do poder que habita em vocês, para então enterrarem-se vivos. Assim ficam no aguardo da vida perfeita do outro lado, a hora da boa morte, o encontro com o Pai, Deus, Espírito, Mestre ou Criador, como queiram chamar.

“Ele” criou seus filhos à sua imagem e semelhança, é puro Amor, está em tudo o que vos rodeia. Sempre esteve do outro lado do espelho, dentro e fora de ti, acima, abaixo, ao seu lado. Por qual motivo ele estaria contra vocês, a sentenciar-lhes castigos, mostrar sua fúria e vingar-se? Como pode o “pai” amoroso colocá-los entre lanças, espiar vossos supostos pecados e decidir o destino de vossas almas de forma cruel. Ele não é perdão?

Quando Ele disse: “Vinde a mim os pequeninos, pois é deles o reino dos céus”, quis ressaltar a importância de se despir do adulto cheio de condicionamentos e julgamentos aprendidos ao longo da vida e voltar à pureza da criança. Convidou-os, portanto, a retornar, resgatar vossos corações sem distorções. A criança simplesmente É, Criativa, Curiosa, Corajosa.

Falo isso, como alguém que compreendeu as palavras do mestre, pois escolheu despedir-se da antiga vida, com suas velhas crenças, desilusões e apegos.
Como dizia um amigo meu, céu e inferno está em cada um de nós, isto é, podemos escolher o que queremos experimentar. Ao acreditarmos na forma de ensino através da punição, criamos diariamente nossos castigos. Então, depende única e exclusivamente de cada um!

Porém, as pessoas aprendem e absorvem aquilo que podem e se permitem experimentar, eu compreendo. Entretanto, há de se ter em mente que ao entregar as rédeas de vossas vidas a outrem, seja Sistema, Instituição ou pessoa, está a declarar para a vida seu total abandono como ser inteligente, digno, parte do Todo, com inúmeros potenciais criativos e em condições de escolher o melhor para si mesmo.

Queridos, quantos de vocês ainda estão à espera de um novo salvador, planeta, um passe de mágica que simplesmente transforme do dia para a noite vossas realidades sem qualquer esforço e disciplina?

Não tenho a intenção de desanimá-los com minhas palavras, menos ainda de fazer com que percam a fé, muito pelo contrário. Peço para terem fé em si mesmos, como imagem e semelhança do Criador que são, centelhas divinas na Terra.

Aceitem, a transformação só vem com autoconhecimento. Nada pode mudar fora se não mudar dentro. Como podem sobreviver a um novo sistema com consciências baseadas em antigas crenças, velhos hábitos e sentimentos? 

É preciso um novo olhar, a visão do verdadeiro mestre, daquele que promove, eleva e vê a todos como Criadores, Fontes e ao mesmo tempo Luz, perfeitos como são!

Mas eu vos pergunto: vocês estão prontos?

Meus queridos, são tantos os caminhos, mas será que estão fazendo as escolhas certas e por si mesmos? Ou estão sendo levados a elas, para encaixarem-se em um determinado padrão de alguma seita ou qualquer outra opção para serem aceitos?

Como podem receber o novo antes de conhecerem e aceitarem a si mesmos?
Façam uma experiência, repitam dia e noite que se amam, são dignos dos céus, filhos da Criação com os mesmos direitos. A nova Terra virá brindá-los quando estiverem preparados para enxergá-la como ela sempre foi, amiga, amorosa, generosa, fantástica, Mãe!

É o seu olhar, pensamento, sentimento e suas ações que transformam a realidade. Em qual dimensão deseja viver? A escolha é sua, tornem-se mestres de si mesmos com os ensinamentos que já estão ao seu aguardo dentro de ti!

Com imenso amor

José de Arimatéia
Canalizado por Fernanda Pacini e Marco Reis em 04/06/2017

PENSAMENTO DE HOJE


Em delícias eternas vive a alma que em si mesma encontra a fonte da felicidade, sendo unida com Deus e desapegada dos objetos do mundo exterior. Os prazeres nascidos do contato dos sentidos externos, e a que chamam “satisfação”, são fontes de sofrimentos, porque têm princípio e fim. O sábio não procura neles a sua felicidade.

Sri Krishna no Bhagavad Gita

sábado, 3 de junho de 2017

FAMÍLIA, LUGAR DE PERDÃO


Não existe família perfeita. Não temos pais perfeitos, não somos perfeitos, não nos casamos com uma pessoa perfeita nem temos filhos perfeitos. Temos queixas uns dos outros. Decepcionamos uns aos outros. Por isso, não há casamento saudável nem família saudável sem o exercício do perdão. O perdão é vital para nossa saúde emocional e sobrevivência espiritual. Sem perdão a família se torna uma arena de conflitos e um reduto de mágoas.
Sem perdão a família adoece. O perdão é a assepsia da alma, a faxina da mente e a alforria do coração. Quem não perdoa não tem paz na alma nem comunhão com Deus. A mágoa é um veneno que intoxica e mata. Guardar mágoa no coração é um gesto autodestrutivo. É autofagia. Quem não perdoa adoece física, emocional e espiritualmente.
E por isso que a família precisa ser lugar de vida e não de morte; território de cura e não de adoecimento; palco de perdão e não de culpa. O perdão traz alegria onde a mágoa produziu tristeza; cura, onde a mágoa causou doença.


do site Gotas de Paz

RELACIONAMENTOS CÁRMICOS

Quando duas pessoas se encontram nos caminhos da Vida e sentem, de forma imediata e automática, uma conexão/atração mútua e irresistível, pode tratar-se de uma situação de um relacionamento cármico entre os dois, que já vem de outras vidas.
O que muitas vezes chamamos de encontro entre “Almas Gémeas”, pode ser nada mais, nada menos, do que um encontro cármico.
Talvez, por isso é que muitos relacionamentos que, inicialmente pareciam ter tudo para dar certo, acabam de forma dramática e muitas vezes trágica.
Mas porque será que isto acontece? E o que são encontros cármicos?
Antes de mais, é importante perceber que os relacionamentos que desenvolvemos durante a nossa Vida são cármicos, na sua maioria, e surgem sempre como um aprendizado para ambas as partes. E todos aqueles com quem nos relacionamos são um espelho daquilo que somos por dentro.
A principal característica de um relacionamento cármico baseia-se no facto de que ambos parceiros carregam emoções não resolvidas dentro de si, tais como culpa, medo, dependência, ciúmes, raiva etc, trazidas de outras vidas e que precisam de ser resolvidas na vida atual. E a oportunidade de resolver dá-se exatamente pelo “reencontro” entre as duas almas.
Por causa da “carga” emocional não resolvida, estes dois seres sentem-se atraídos um pelo outro na vida atual e o reencontro entre estas duas almas é então, a oportunidade de resolverem o que ficou pendente e libertarem-se, para uma vivência mais plena e feliz.
Então o que acontece quando duas pessoas assim se encontram?
Dois seres com questões por resolver, quando se encontram sentem uma compulsão, quase que uma emergência em estar mais perto um do outro. Entretanto, depois de algum tempo, por força das questões mal resolvidas, começam a repetir os padrões emocionais dos seus antigos papéis.
A partir deste momento, em que estas duas pessoas começam a repetir os mesmos padrões emocionais que causaram problemas numa outra vida, passam a ter a oportunidade de enfrentar tal problema e talvez lidar com ele de uma forma mais iluminada. Ou não! Tudo depende do grau de maturidade emocional de cada um e da vontade de ultrapassar tal situação.
Por isso, muitos casais acabam por se separar de forma dramática e dorida, mesmo que o relacionamento tenha começado num aparente “mar de rosas” e muitas vezes, nem eles mesmo conseguem perceber muito bem porque as coisas aconteceram como aconteceram.
O propósito espiritual deste tipo de “reencontro” para ambos parceiros é que eles aproveitem esta oportunidade para fazer escolhas diferentes das que fizeram numa vida passada e aprenderem um com o outro, tudo o que deve ser aprendido e absorvido, para a evolução de ambos (já falei um pouco sobre esta questão no artigo “Relacionamentos da Nova Era”)!
Percebem a profundidade disto?
Num reencontro cármico, a outra pessoa é-nos imediata e estranhamente familiar, mesmo que nunca a tenhamos visto nesta vida ou que não a conheçamos bem. Com muita frequência há também uma atração mútua, que impulsiona as duas pessoas a estarem juntas e a descobrirem uma a outra.
E este tipo de encontro, muitas vezes, acaba por se transformar num relacionamento amoroso ou numa intensa paixão. E então, as emoções que experimentamos podem ser tão avassaladoras, que acreditamos ter encontrado a “alma gêmea”.
Contudo, muitas vezes, as coisas não são bem o que parecem e é preciso perceber que as emoções intensas podem estar relacionadas, muito mais com dor profunda, do que propriamente com amor mútuo.
Este tipo de relacionamento, por causa da carga emocional e bloqueios que traz consigo, trará sempre grandes desafios, muitos deles bem dolorosos, que virão à tona mais cedo ou mais tarde.
Após algum tempo, geralmente os parceiros acabam envolvendo-se num conflito psicológico, que poderá ter como base a luta pelo poder, o controlo e a dependência, seja emocional, material, ou de outra natureza.
E o que isto significa? Significa que muitas vezes, estes dois seres acabam por repetir um comportamento ou uma situação que o seu subconsciente reconhece de uma vida anterior, em que estas pessoas podem ter sido amantes, pai e filho, patrão e funcionário, ou algum outro tipo de relacionamento.
E pode ser que, nessa vida anterior, um dos dois tenha aberto uma ferida emocional no outro, através infidelidade, abuso de poder, manipulação, agressão, etc, tendo provocado cicatrizes profundas e trauma emocional.
E na vida atual, através da Lei de Atração e de Afinidade, estes dois seres reencontram-se, para se curarem.
Aqui, o convite espiritual para estas almas é que cada uma, após aprender o que deve aprender, deixe a outra ir e torne-se uma “entidade em si mesma”, livre e independente.
Relacionamentos cármicos quase nunca são duradouros e caso o sejam, raramente são estáveis e felizes, sendo muito mais destrutivos do que curadores.
Com muita frequência, o propósito básico do encontro é que ambos os seres consigam mudar o padrão emocional que causou sofrimento e então, deixar o outro ir, mais leve e solto.
Uma das formas de ver se está num relacionamento cármico é analisar a energia do relacionamento. A energia do amor é essencialmente calma, pacífica, reconfortante, alegre e inspiradora. Num relacionamento cármico, a energia geralmente é pesada, dramática, cansativa e muitas vezes trágica.
Num relacionamento cármico, a tarefa e o desafio exclusivos de cada um é lidar com a sua própria ferida interna e não com as questões do/da companheira. Cada um tem responsabilidade apenas por si mesmo.
Esta é uma das principais armadilhas neste tipo de relacionamentos. Muitas vezes, ficamos tão ligados à criança interior do nosso companheiro, que sentimos que temos que resgatá-lo, deixando a nossa própria criança interna abandonada.
É importante perceber que não somos responsáveis pelo nosso parceiro e ele não é responsável por nós. A solução dos nossos problemas não está nas mãos da outra pessoa.
Identifique se está neste tipo de relacionamento, aprenda as lições necessárias, cresça, evolua e quando for altura de partir, parta, mais leve, maduro e pleno.
Caso ambos parceiros sejam suficientemente maduros e evoluídos emocionalmente, o relacionamento cármico pode sim ser verdadeiramente benéfico e transformador para ambos!

Fonte: https://universonatural.wordpress.com/

ALGUMAS DE MINHAS OBRAS

MEU MAIS NOVO LIVRO

MEU MAIS NOVO LIVRO