BOAS VINDAS

Seja bem vindo! Espero que aqui encontre alento, beleza, amor e paz! E que possa espalhar isto para o mundo, que vive tão sedento de tudo isto.



Pesquisar este blog

Seguidores

terça-feira, 8 de agosto de 2017

"ESPIRITISMO, DOENÇAS GRAVES PODEM SER OPORTUNIDADES DE REAVALIAÇÃO DE ATITUDES."


Aquilo que parece injustiça é, na realidade, uma oportunidade de fortalecimento para que as dores e os sofrimentos sejam suportados com maior grandeza do espírito. Algumas doenças, como o câncer e os males da infância, que muitas vezes nos fazem duvidar da fé e perguntar o ‘porquê’ de tanto sofrimento para tal paciente, tem também suas explicações. Pelo menos para o espiritismo, o câncer é como uma tentativa de reequilíbrio, como se fosse um aviso e um pedido de tempo a quem não soube elaborar as emoções da vida e, em muitos casos, achou que daria conta de tudo. Uma doença pode ter um significado muito maior do que se imagina. É assim, visto como uma oportunidade de rever e avaliar a vida, que muitos males são interpretados à luz do espiritismo.
Neste último dia da série do Estado de Minas, 'Saúde à luz do espiritismo', o jornal ouviu dos profissionais da psicologia e da pediatria as interpretações para males que, até hoje, não se sabe ao certo como surgem. “Em que momento a gente começa a adoecer?”, questiona a psicóloga clínica e espírita Letícia Fonseca Talarico, que faz parte de grupos de tratamento a pacientes com câncer, da Associação Médico-Espírita de Minas Gerais. A pergunta é, segundo ela, o pontapé inicial para essa discussão. Dentro de uma mudança de clima, podemos gripar, mas, “se estivermos mal emocionalmente, a gripe, que seria simples, piora”.
E, ao contrário do que se pensa sobre o câncer, mal que, segundo o Instituto Nacional do Câncer, atinge milhares de brasileiros todos os anos, é visto pelo conhecimento espírita, conforme a especialista, como uma tentativa de reequilíbrio. “Quando chega uma nova paciente para o nosso grupo de tratamento, dizemos: lá vem outra mulher maravilha. Geralmente, as mulheres que sofrem de câncer, durante muito tempo de suas vidas, acharam que davam conta de tudo e não conseguiram elaborar as emoções da vida”, diz. Ela exemplifica, contando o caso de uma paciente que se casou com um homem muito difícil de lidar. “Mesmo sabendo isso, ela foi passando a ideia de que dava conta de tudo. Passou por cima de si mesma. Veio o câncer e fez o contrário, colocou o marido para cuidar dela”, conta.
TENSÕES :
Muitas vezes na vida, segundo Letícia, vamos vivendo as emoções fortes sem dar nome a elas. “Em vez de colocá-las para fora, vamos guardando-as e deixando-as passar”, diz, lembrando que isso ocorre muito com os homens, que guardaram muita tensão ao longo da vida e não a colocaram para fora, até o câncer lhe chamar a atenção para a vida. “O câncer é um alarme e um convite para rever a vida. E é uma doença que une as famílias. É um retorno à casa do Pai”, define a psicóloga.
Saiba mais:
Transtornos mentais podem ser reflexo de vidas passadas
Por que adoecemos? Saiba a explicação do espiritismo
Capacidade de entrar em contato com espíritos pode ser desenvolvida por meio de estudo e dedicação
Líder humanitário vem a Belo Horizonte para lançar livro e ministrar curso
No grupo da Associação Médico-Espírita de Minas Gerais, é obrigatório aos enfermos estarem em tratamento. Há psicoterapia e terapia de família.
Males da infância:
Mas e se esse paciente for uma criança? Como o espiritismo encara os males da infância? Segundo comenta a pediatra e homeopata Lenice Aparecida de Souza Alves, a vida é, antes de tudo, regida por leis que expressam a vontade de Deus. “Uma criança que tem uma experiência dessa ordem teria, naturalmente, uma série de situações que poderiam favorecer a própria evolução”, diz, lembrando que, muitas vezes, uma doença desperta nas pessoas o sentido espiritual.
Quando a criança é acometida por uma fatalidade, de acordo com a pediatra, podem-se buscar respostas nas causas do passado. “Pode ser uma prova para aquela família.” Ela se recorda de um menino que teve um quadro de leucemia e que não ficava sozinho de jeito nenhum. “Um dia, ele compartilhou comigo que tinha medo de morrer e ser levado para o interior. A criança nos surpreende. A leitura dela é particular.”
LAÇOS :
A especialista diz que seu consultório é um espaço profissional. “Sou homeopata, mas muitos pacientes me procuram por saber que sou espírita”, conta, lembrando que o tratamento espírita é água fluidificada, passe e ida ao centro espírita. “Há muitas crianças que falam do seu amigo invisível. Até que ponto é fruto do imaginário ou é a janela aberta entre o espiritual e o mundo terreno?”, questiona, lembrando que, no caso do câncer infantil, as crianças têm que se submeter ao tratamento convencional, como a quimioterapia e outros recursos que forem indicados para os seus casos.
“Pela visão espírita, essa situação vai ter algo mais a oferecer à família, vai dar a essa família elementos de reflexão para que abrace a experiência.” Lenice conta o caso de uma família em que a mãe teve que mudar de cidade em função do filho pequeno doente. “Ela teve que mudar por causa do transplante que ele faria. Não deu certo da primeira vez. O que percebemos no sofrimento de todos eles foi que o laço familiar se estreitou. A cumplicidade dos pais e o empenho da família. Há muitos ensinamentos contidos, que são riquíssimos”, conclui.

FONTE: SAÚDE PLENA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ALGUMAS DE MINHAS OBRAS

MEU MAIS NOVO LIVRO

MEU MAIS NOVO LIVRO