BOAS VINDAS

Seja bem vindo! Espero que aqui encontre alento, beleza, amor e paz! E que possa espalhar isto para o mundo, que vive tão sedento de tudo isto.



Pesquisar este blog

Seguidores

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

“POR QUÊ UM ESPÍRITO PODE FICAR VAGANDO PERDIDO? QUANDO ISSO OCORRE, COMO RESOLVER? ”



Estado de Perturbação. Um espírito não esclarecido, chega do outro lado praticamente sem consciência do que está acontecendo, não acredita já estar morto, continua a agir como se ainda estivesse vivo, assiste todo o funeral e acha que esta sonhando, fica ao redor do caixão com seu corpo ou entre os familiares. Depois do enterro, volta para casa e tenta se comunicar, como ninguém responde às suas perguntas fica desorientado, não aceita auxílio de outros espíritos que vieram para ajudar; como sempre lhe disseram que “os bons”, vão direto para o céu, e como uma pessoa nunca se julga má, ele fica esperando que os anjos venham buscá-lo.
Como os anjos não aparecem, alguns ficam anos ou séculos na sua casa, no local da morte ou junto com os seus bens, tesouros ou pertences.
Presos a Matéria Pessoas que viveram aqui só voltados aos prazeres materiais, sem se preocupar com o seu futuro espiritual, geralmente demoram-se na crosta terrestre, buscando ainda os mesmos tipos de prazer que costumavam cultivar quando encarnados, acomodam-se junto aos encarnados que apreciam os mesmos vícios, induzindo as pessoas a prática, para usufruir dos fluídos.
Ex: bebidas, cigarros, etc. Aprendem a se alimentar da energia dos vivos, se “encosta” como dizem, numa pessoa que lhe ofereça condições, e muitas vezes, mesmo sem saber que está prejudicando, suga a sua energia.
Deixando-a, cada dia mais debilitada, começam a surgir às doenças.
Região de Sombra e Dor Quando o espírito comete delitos graves aqui na Terra (assassinatos, crimes) ele é atraído para regiões de sombra e dor, o chamado umbral, onde pelo sofrimento chegará um dia ao arrependimento e o desejo de reparar o mal praticado, e então será socorrido por espíritos bons que irão retirá-lo de lá e serão conduzidos a postos de atendimento espiritual conhecido como colônias.
Falta de preparo para morte tudo isso acontece porque as religiões não preparam as pessoas para essa passagem. Somente ensinam que o pecador, batizado, convertido ou morrendo sob confissão, extrema unção, encomendação do corpo ou tendo um funeral com os rituais religiosos, vai direto para o céu.
As pessoas nasceram e são livres para fazerem o que quiserem inclusive o mal, aí entram as religiões cuja missão é conduzir o homem à prática do bem e da justiça e consequentemente prepará-lo para voltar melhor do que quando veio.
Por não admitir o renascimento a maioria das igrejas não tem outra saída, a não ser ensinar que o morto deve aguardar de braços cruzados dentro do caixão até o momento em que as trombetas vão soar e todos ressuscitarão, para o julgamento coletivo do juízo final.
Como nada prende um espírito, ele sai por aí para fazer o que quiser.
Esse é o motivo que incontáveis irmãos se encontram nessa situação há muito tempo.
É obrigação dos vivos auxiliarem com suas orações e atos aqueles que já se foram principalmente convencê-los do arrependimento.
Daí a necessidade de se doutrinar e evangelizar esses espíritos para que no menor tempo possível lhes seja dado conhecer a Verdade que os libertará das falsas doutrinas e das falsas promessas.

Bibliografia: Livro Céu e Inferno

MÁGOAS


Mágoas, rancores e ódios não te levarão a lugar algum. Liberte-se desses pesos desnecessários. Abra espaço para suas asas. E então voe. O mundo também é seu. Não sofra demasiadamente e desnecessariamente. Aprenda a ser filtro e não esponja. Absorva as coisas positivas do mundo. Abstrai o negativo. Siga fazendo o melhor que possas. Sempre otimista e sempre em frente!

do site Gotas de Paz

MENSAGEM DO DIA



Reconhecer suas próprias fraquezas e movimentos falsos e retirar-se deles esse é o caminho em direção a liberação. 
Não julgar ninguém a não ser a si mesmo até que se possa ver as coisas com uma mente calma e um vital calmo, é uma regra excelente. 
E também, não permita a sua mente formar impressões apressadas pela força de alguma aparência exterior, nem a seu vital agir segundo elas. 
Há um lugar no ser interior onde se pode sempre permanecer calmo e de lá olhar com equilíbrio e discernimento as perturbações da consciência de superfície e agir sobre ela para mudá-la. Se você pode aprender a viver nesta calma do ser interior, você terá encontrado sua base estável. 

Sri Aurobindo

domingo, 29 de outubro de 2017

“ENCONTRANDO ESPÍRITOS FAMILIARES DURANTE O SONO”


Era manhã de sol nas proximidades do mar.

A esposa despertara ansiosa por narrar ao marido a experiência que tivera na noite anterior.
Estavam fisicamente separados por cerca de cinco dias, em cidades diferentes, e a saudade batia forte.
Há mais de trinta anos que dividiam a mesma cama, a mesma vida, e qualquer rápida separação era sentida por ambos.
Tomando do telefone, ela lhe conta que, na noite anterior, tivera uma sensação muito especial.
Deitada na cama, nos primeiros instantes do sono, sentira o perfume dele, como se ele tivesse acabado de sair do banho, e se colocado ao seu lado, como sempre o fazia em casa.
Além do aroma agradável, percebeu uma presença muito forte, como se ele realmente estivesse ali.
Virou-se rapidamente, mas não havia ninguém.
O marido, do outro lado da linha, ouvia tudo também emocionado.
Quando ela terminou a narração, foi a vez dele dizer:
Pois também vivi uma experiência singular nesta noite. Na madrugada, acordei com a certeza de que você estava dormindo ao meu lado. Tinha certeza que você estava ali. Mas quando olhei para o seu lugar na cama, nada vi.
Terminam os dois a conversa, surpresos, dizendo: É... acho que nos encontramos esta noite!
Muitos de nós temos histórias peculiares sobre o período do sono.
Aqueles que conseguem lembrar mais claramente dos sonhos trazem experiências ricas, por vezes, e que merecem nossa análise.
Para onde vamos durante o sono? Todas essas lembranças serão apenas produto do cérebro?
O espiritismo vem nos elucidar, afirmando que, durante o período do sono, a alma se emancipa, isto é, se afasta do corpo temporariamente.
Dessa forma, o que conhecemos como sonhos são as lembranças do que o Espírito viu e vivenciou durante esse tempo.
Quando os olhos se fecham, com a visitação do sono, o nosso Espírito parte em disparada, por influxo magnético, para os locais de sua preferência.
Através da atração produzida pela afinidade, procuramos muitas vezes aqueles que nos são caros, amigos, parceiros e amores.
Por isso é que aqueles que muito se amam na Terra, podem se encontrar no espaço, e continuarem juntos.
É assim que encontramos Espíritos amados, que já não se encontram conosco fisicamente, e partilhamos com eles momentos inesquecíveis.
Por vezes lembramos, por outras tantas não, mas sempre conservamos no íntimo bons sentimentos, ou a sensação de ter vivido experiência agradável.
O Espírito sopra onde quer, e mesmo durante nosso aparente repouso, perceberemos que ele está em atividade, sempre.
Você sabia que podemos nos preparar melhor para conseguirmos ter bons sonhos?
Obviamente que os acontecimentos do dia, e nosso estado emocional irão influenciar nossas experiências oníricas, mas podemos tomar alguns cuidados a mais para aproveitar melhor esse período: uma leitura salutar, a oração sincera, uma música suave que nos acalme, alguns momentos de meditação.
Todos estes ingredientes colaboram para que as últimas impressões do dia sejam positivas, e sejam levadas conosco, favorecendo a emancipação da alma.
Assim, tenha bons sonhos...

Redação do Momento-Autor: Momento Espírita

PENSAMENTO DE HOJE


Quando você sentir os assaltos do desejo e da raiva, o melhor a fazer é ficar em silêncio, como Jesus estava em silêncio em meio às suas ignomínias e sofrimentos. 

São Paulo da Cruz

sábado, 28 de outubro de 2017

“PLURALIDADE DOS MUNDOS HABITADOS”


O axioma: Conhece-se a árvore pelos frutos, é célebre.
Ele significa que, pelos efeitos, se pode aquilatar a qualidade da causa.
Deus é a inteligência suprema e a causa primária de todas as coisas.
O atual estágio do desenvolvimento humano impede que se pesquise satisfatoriamente a respeito da natureza Divina.
Contudo, mediante o raciocínio, é possível concluir que Deus deve possuir todas as virtudes em seu grau máximo.
Caso contrário, poderia ser ultrapassado, em qualquer dessas virtudes, por outro ser.
Então, esse ser é que seria Deus, a entidade suprema do Universo.
Mas, se Deus é infinitamente perfeito, por qual razão sua obra parece tão repleta de falhas?
Ele criou a Humanidade, mas ela não lhe faz honra, por suas características.
Há tanta maldade no mundo: violência, corrupção, perfídia...
Haverá compatibilidade entre a perfeição Divina e a aparente imperfeição de Sua obra?
Há, mas ela pressupõe considerar a pluralidade dos mundos habitados, ensinamento ministrado pelo Espiritismo.
Em determinada passagem do Evangelho, Jesus afirma:
Há muitas moradas na casa de meu pai.
A casa do Pai é o Universo.
As diferentes moradas são os mundos que circulam no espaço infinito.
Tais moradas possuem características correspondentes ao estado evolutivo dos Espíritos que nelas habitam.
Se alguém julgar um país, apenas com base em um hospital, pensará que nele só há doentes. 
Se a análise levar em conta a população de um presídio, a conclusão será de que a nação é composta por criminosos.
Equívoco semelhante comete quem julga a Humanidade apenas com base nos habitantes da Terra.
Os Espíritos ensinam que há mundos, em diversos estágios evolutivos.
Quanto mais evoluído o Espírito, melhor o mundo que ele habita.
Há mundos primitivos, de provas e expiações, de regeneração e paz, ditosos e celestes ou Divinos.
Nos mundos primitivos, reinam soberanas as paixões e a vida moral é quase nula.
A Terra da idade da pedra e períodos subsequentes, é um exemplo desse tipo de mundo.
Atualmente, o planeta Terra qualifica-se como de provas e expiações.
Os seres que o habitam, em sua maioria, possuem inteligência desenvolvida.
Contudo, são muito viciosos, o que evidencia sua imperfeição moral.
Por força dos vícios de seus habitantes, na Terra o mal predomina.
Os mundos evoluem de um estágio a outro e os Espíritos não se encontram sempre vinculados a um planeta.
Isso explica porque almas nobres e generosas não são comuns em nosso meio.
Quando um Espírito passa a merecer paz e felicidade, ele é encaminhado a um mundo compatível.
A partir daí, somente nasce em locais inferiores em missão de amor.
Assim, a obra Divina, que se reflete na Humanidade terrena, está em processo de elaboração.
Com o tempo, absolutamente todos os Espíritos serão puros, em sabedoria e bondade.
Mas essa pureza é fruto do esforço próprio.
Assim, se você quer ser feliz, burile o seu íntimo.
Remova do seu ser toda causa de violência, discórdia ou crueldade. 
Seja um fator de progresso e harmonia no mundo.
Por uma questão de justiça, você sempre estará no local mais adequado ao seu temperamento e aos seus valores.
Pense nisso.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. III, do livro O Evangelho segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, ed. FEB.

MENSAGEM DO DIA


As condições nas quais nos encontramos 
são o resultado do que pensamos;
permanecem fundamentadas na mente, são forjadas por ela. Se um homem fala ou atua com uma mente pura, a felicidade o segue como a sombra inseparável. 

Dhammapada

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

ANJOS GUARDIÃES E ESPÍRITO PROTETOR


Os anjos guardiães são embaixadores de Deus, mantendo acesa a chama da fé nos corações e auxiliando os enfraquecidos na luta terrestre.
Quais estrelas formosas, iluminam as noites das almas e atendem-lhes as necessidades com unção e devotamento inigualáveis.
Perseveram ao lado dos seus tutelados em toda circunstância, jamais se impacientando ou os abandonando, mesmo quando eles, em desequilíbrio, vociferam e atiram-se aos despenhadeiros da alucinação.
Vigilantes, utilizam-se de cada ensejo para instruir e educar, orientando com segurança na marcha de ascensão.
Envolvem os pupilos em ternura incomum, mas não anuem com seus erros, admoestando com severidade quando necessário, a fim de lhes criarem hábitos saudáveis e conduta moral correta.
São sábios e evoluídos, encontrando-se em perfeita sintonia com o pensamento divino, que buscam transmitir, de modo que as criaturas se integrem psiquicamente na harmonia geral que vige no Cosmo.
Trabalham infatigavelmente pelo Bem, no qual confiam com absoluta fidelidade, infundindo coragem àqueles que protegem, mantendo a assistência em qualquer circunstância, na glória ou no fracasso, nos momentos de elevação moral e naqueloutros de perturbação e vulgaridade.
Nunca censuram, porque a sua é a missão de edificar as almas no amor, preservando o livre-arbítrio de cada uma, levantando-as após a queda, e permanecendo leais até que alcancem a meta da sua evolução.
Os anjos guardiães são lições vivas de amor, que nunca se cansam, porquanto aplicam milênios do tempo terrestre auxiliando aqueles que lhes são confiados, sem se imporem nem lhes entorpecerem a liberdade de escolha.
Constituem a casta dos Espíritos Nobres que cooperam para o progresso da huma Os anjos guardiães são embaixadores de Deus, mantendo acesa a chama da fé nos corações e auxiliando os enfraquecidos na luta terrestre.
Quais estrelas formosas, iluminam as noites das almas e atendem-lhes as necessidades com unção e devotamento inigualáveis.
Perseveram ao lado dos seus tutelados em toda circunstância, jamais se impacientando ou os abandonando, mesmo quando eles, em desequilíbrio, vociferam e atiram-se aos despenhadeiros da alucinação.
Vigilantes, utilizam-se de cada ensejo para instruir e educar, orientando com segurança na marcha de ascensão.
São sábios e evoluídos, encontrando-se em perfeita sintonia com o pensamento divino, que buscam transmitir, de modo que as criaturas se integrem psiquicamente na harmonia geral que vige no Cosmo.
Trabalham infatigavelmente pelo Bem, no qual confiam com absoluta fidelidade, infundindo coragem àqueles que protegem, mantendo a assistência em qualquer circunstância, na glória ou no fracasso, nos momentos de elevação moral e naqueloutros de perturbação e vulgaridade.
Nunca censuram, porque a sua é a missão de edificar as almas no amor, preservando o livre-arbítrio de cada uma, levantando-as após a queda, e permanecendo leais até que alcancem a meta da sua evolução.
Os anjos guardiães são lições vivas de amor, que nunca se cansam, porquanto aplicam milênios do tempo terrestre auxiliando aqueles que lhe são confiados, sem se imporem nem lhes entorpecerem a liberdade de escolhas, trabalhando com afinco para alcançar as metas que anelam.
Cada criatura, no mundo, encontra-se vinculada a um anjo guardião, em quem pode e deve buscar inspiração, auscultando-o e deixando-se por ele conduzir em nome da Consciência Cósmica.
*
Tem cuidado para que te não afastes psiquicamente do teu anjo guardião.
Ele jamais se aparta do seu protegido, mas este, por presunção ou ignorância, rompe os laços de ligação emocional e mental, debandando da rota libertadora.
Quando erres e experimentes a solidão, refaze o passo e busca-o pelo pensamento em oração, partindo de imediato para a ação edificante.
Quando alcances as cumeadas do êxito, recorda-o, feliz com o teu sucesso, no entanto preservando-te do orgulho, dos perigos das facilidades terrestres.
Na enfermidade, procura ouvi-lo interiormente sugerindo-te bom ânimo e equilíbrio.
Na saúde, mantém o intercâmbio, canalizando tuas forças para as atividades enobrecedoras.
Muitas vezes sentirás a tentação de desvairar, mudando de rumo. Mantém-te atento e supera a maléfica inspiração.
O teu anjo guardião não poderá impedir que os Espíritos perturbadores se acerquem de ti, especialmente se atraídos pelos teus pensamentos e atos, em razão do teu passado, ou invejando as tuas realizações... Todavia te induzirão ao amor, a fim de que te eleves e os ajudes, afastando-os do mal em que se comprazem.
O teu anjo guardião é o teu mestre e amigo mais próximo.
Imana-te a ele.
Entre eles, os anjos guardiães e Deus, encontra-se Jesus, o Guia perfeito da humanidade.
Medita nas Suas lições e busca seguir-Lhe as diretrizes, a fim de que o teu anjo guardião te conduza ao aprisco que Jesus levará ao Pai Amoroso.                                                                                 Joanna de Ângelis - Da obra: Momentos Enriquecedores

ESPÍRITO PROTETOR
P: - É ponto pacífico em todas as religiões, que todo indivíduo tem um espírito protetor ou "anjo da guarda" que o acompanha durante toda a vida. Esse espírito fica sempre junto do seu protegido ou sua atuação se faz à distância?
R: - Esse Anjo da Guarda estará sempre junto ao seu protegido, sem que esse "estar junto" seja entendido física ou geograficamente. Mesmo que se encontre à distância do protegido o Anjo Guardião estará "perto", desde que o seu tutelado se mantenha psiquicamente a ele vinculado. Isso nos permite dizer que a atuação do Guardião pode fazer-se estando próxima ou distante, fisicamente, do seu protegido.
P: - A chamada "Voz da Consciência" é a voz desse espírito protetor?
R: - A voz da consciência, geralmente, se refere à presença das leis divinas em nossa intimidade, agindo na condição do implacável juiz que nos aplaude quando acertamos e que nos admoesta quando erramos. Entretanto, em muitas ocasiões, a inspiração superior dos nossos Guardiões pode-se apresentar como verdadeira voz da consciência, principalmente quando nos vem advertir quanto a situações comprometedoras ou, ainda, quando nos sugere realizações importantes para a nossa jornada de evolução.
P: - Ele tem recursos para evitar ou provocar acidentes ou enfermidades, com o objetivo de proteger seu pupilo de um mal maior?
R: - Quanto mais evoluídos são os Espíritos, de mais recursos dispõem para conduzir os seus tutelados para uma ou outra situação, sempre atentos às necessidades e aos méritos dos seus pupilos, principalmente quando essas necessidades e esses méritos tenham o poder de interferir positivamente no processo evolucional dos indivíduos.
P: - Quais são os recursos que ele adota para desviar seu protegido dos vícios, das paixões e demais prejuízos espirituais?
R: - Pode ele inspirar, mobilizar situações sociais em torno dos seus tutelados. Pode lançar mão de fluidos diversos, de energias variadas, que tenham a possibilidade de agir nas células, nos órgãos, no psiquismo. Entretanto todas essas providências estão sempre associadas à "lei do mérito”.
P: - Esgotados esses recursos ele se afasta deixando o pupilo entregue a sua própria sorte?
R: - Consciente como é de que não deverá impor ao seu tutelado, aquilo que este não queira, entrega-o ao próprio livre arbítrio, quando, então, se vinculará às faixas vibratórias que deseje, até o momento do arrependimento e do "retorno" aos bons climas espirituais:

José Raul Teixeira

do blog Compreender e Evoluir

“NOSSOS FILHOS SÃO ESPÍRITOS- COMO LIDAR COM ELES. ”


Diante dos desafios da criação, das preocupações que ocupam as nossas mentes, é comum desvirtuarmos das reais prioridades da criação filial em nome da segurança financeira. Filhos são espíritos, unidades inteligentes de Deus, com o objetivo de figurar pela eternidade nos prumos felicidade.
Para que os eventos provedores da felicidade ganhem força, é necessário o respaldo inicial, o alicerce do caráter reto, sob o peso das escolhas difíceis.
Muitos dizem, naturalmente sob as aflições do desconhecimento, que o passado delituoso de outras vidas é a resultante das diferenças de afinidade que conduzem a desdita do presente. Estes desconhecem o poder do amor, ignoram a força da indulgência. O antagonismo atual é vencido pelo exemplo, paciência e inúmeros atos de amor, o conhecido 70x7, segundo o Mestre Jesus. Os problemas do hoje possuem, certamente, os componentes do presente.
Nossos filhos não foram criados para os parcos anos da existência carnal, o objetivo é muito maior, é pavimentar lhes a estrada rumos aos cimos da felicidade, é conduzir-lhes nas vias do homem ou mulher de bem, é direcionar lhes ao caminho dos anjos. Entretanto, vislumbramos, ainda envolvido na manta ao nascer, o médico da mamãe, ou o engenheiro do papai. Como se a necessidade da vida fosse unicamente o alimentar de um grupo de células, além do fenômeno da procriação e perpetuação da espécie humana.
Nossos filhos são espíritos e, portanto, existem as características latentes, a “borra” do caráter passado que retorna sob a virtude trabalhada ou do vício a ser confirmado, legado moral acumulado e trazido através dos tempos. Os traços inconsequentes do antes, os quais devemos fomentar a reconstrução através dos esforços da educação. Educar é ação contínua, é ajudar sem atrapalhar. É auxiliar sem confundir, é perseverar, jamais desistir.
A formação profissional, obviamente importante, deve ser alcançada, porém distante está de ser a única, em se tratando do ser eterno. Necessário investir mais na formação do ser humano, no conjunto de virtudes que qualificam o espírito em sua integralidade.
O mundo clama pelo equilíbrio, não a encontraremos nas telas ou ferramentas do mundo virtual, hoje, infelizmente, encontramos as famílias reunidas em corpo somente, pois frequentemente as mentes estão longe, viajando na ação de jogos eletrônicos ou de mensagens instantâneas, desde as mais tenras idades. Como formar um caráter se nos momentos de comunhão familiar, permitimos a alienação que evita a convivência e o contato?
A Terra espera por paz, e não a encontraremos nos múltiplos cursos preparatórios, e sim, ensinando-lhes o respeito ao próximo, dando-lhe a perfeita noção de limite, para estar-se sempre quite com consciência.
A sociedade pede amor, virtude esta a ser desenvolvida no universo do espírito, através dos exercícios da caridade em todos os sentidos. Não tenhamos as aspirações de encaminhar-lhes a descoberta do valor da vida, da formação do cidadão de bem, unicamente pelas vias dos cursos profissionalizantes.
A educação moral é o maior investimento, custa-nos apenas o empenho diário, entretanto sua aquisição, jamais se perde, degrada, desvaloriza ou apequena-se. Ao contrário, avança indeterminadamente. Tal educação, nem sempre vem recoberta do doce da vida, por vezes se achega crispada de sentimento latentes em vendavais de paixões. O Cristo, além os inúmeros exemplos conhecidos de recuperação moral de almas, nos ensina que jamais devemos desistir de um ser humano, seja quem for, quem dirá dos que nos são fruto, do corpo e/ou do coração. Um espírito sempre absorve a dose, mesmo que homeopática, do amor, sob a disciplina do exemplo e do incansável esforço.
Um traço de nós acompanhará sempre os nossos pequeninos, que traço desejamos deixar-lhes? Quais tesouros do coração lhes damos como guia dos momentos difíceis? Dá-lhe os devidos valores para que saibam pesar a importância do dinheiro, da família, da sociedade, da profissão, do próximo e de Deus.
Assim, saberão portar-se diante das agruras do mundo e desafios humanos, entenderão o respectivo papel diante da eternidade, não limitando-se aos investimentos momentâneos, os valores com vencimento nas décadas, sob as fragilidades e limitações do corpo biológico. Terão a real noção da vida futura e a consciência do que são na essência: Espíritos.

Fonte: Correio Espírita. Por: Pedro Valiati

SORRIR SEMPRE


A melhor coisa que você pode fazer por alguém, é lhe sorrir. O maior presente que você pode dar a alguém é a sua amizade. É com uma troca de sorrisos que uma amizade pode começar. Quando você perceber que uma pessoa está triste, sorria para ela. Um sorriso é uma porta que se abre. Às vezes, tudo que alguém precisa é de um sorriso amigável que convida para uma conversa e talvez um café.
Nos momentos de tristeza, nos caminhos de escuridão, são os amigos que nos alegram, é a amizade que nos ilumina. Quando você estiver triste, não tenha medo, olhe nos olhos de alguém e troque um sorriso. Um sorriso pode ser um convite de amizade. Um sorriso que se abre para você é uma porta para fugir da solidão.

do site Gotas de Paz

PENSAMENTO DE HOJE


O sol pode dar calor e luz ao mundo inteiro, mas não pode fazer nada quando as nuvens escondem seus raios. Da mesma forma, enquanto houver egoísmo no coração do homem, Deus não brilhará no seu coração. 

Sri Ramakrishna

terça-feira, 24 de outubro de 2017

ESTÁGIOS DA VIDA



A vida da gente é feita de vários estágios.
Para cada estágio, surge à nossa frente um novo degrau a ser superado.
O degrau mais difícil a ser superado é geralmente o primeiro.
Para este degrau deveremos acumular uma alta dose de coragem, de determinação e principalmente de fé no que virá.
Ao ultrapassarmos este primeiro degrau, tudo fica mais tranqüilo e sereno em nossa vida.
Vale a pena entender que os desafios e conquistas foram colocados para que possamos achar em cada estágio do viver, um novo sentido para esta linda vida que nasce todos os dias.
Uma vida com desafios é uma vida sem estressantes rotinas.
É uma vida de superação constante, em busca da felicidade que abriga o nosso coração.


do site Gotas de Paz

“COMO SABER SE VOCÊ ESTÁ SENDO OBSEDIADO.”


DEFINIÇÃO: é a ação prejudicial, insistente, dominadora, de um Espírito sobre outro. Em alguns casos, quando a ação é intensa e continuada, pode vir a causar reflexos prejudiciais no organismo do obsidiado.
Por que acontece?
Por débito de um Espírito para com outro, originado nesta ou em outra vida;
Pela afinidade que atrai um Espírito para outro. Nossas imperfeições atraem para junto de nós Espíritos com idênticas imperfeições, vícios e falhas morais, tais como: alcoolismo, maledicência, ambição etc.
Pela falta de ação no Bem, pois devemos fazer o Bem no limite de nossas forças, e que respondemos por todo o mal que resultar de não termos praticado o Bem. Incluímos aqui o não exercício da faculdade mediúnica, quando a possuímos.
Quanto ao seu agente:
1-De desencarnado sobre encarnado: é a que mais costumamos notar.
2-De encarnado obsidiando desencarnado;
3-De desencarnado sobre desencarnado
Como reconhecer quando alguém está obsediado:
A pessoa demonstra alterações no campo das ideias e no comportamento, tanto físico como emocional.
Quem tem conhecimento doutrinário espírita e um pouco de experiência no atendimento a obsidiados, reconhece os sinais dessa alteração.
Quando a obsessão se acentua, os sinais de alteração começam a ficar evidentes, tais como:
(Excetuando-se causas orgânicas, psicológicas, neurológicas)
-olhar fixo ou fugidio, sem encarar a ninguém;
-tiques e cacoetes nervosos;
-desalinho, desleixo ou excentricidade na aparência pessoal;
-agitação, inquietude, intranquilidade;
-medo e desconfiança injustificados;
-apatia, sonolência, mente dispersiva;
-ideias fixas;
-excessos no falar, no rir; mutismo ou tristeza;
-agressividade gratuita, difícil de conter;
-ataques que levam ao desmaio, rigidez, inconsciência, contorções etc;
-pranto incontrolável e sem motivo;
-orgulho, vaidade, ambição ou sexualidade exacerbados.
A CURA:
A cura da obsessão se dá pela ação:
Do encarnado: que, sem se abater, suporta com paciência o assédio espiritual e, enquanto isso, toma atitudes salutares para ir se renovando moralmente e se exercitando na prática do Bem;
Do desencarnado: que desanima por não obter os efeitos desejados ou se sente motivado a se modificar para melhor.
De terceiros: que ofereçam ajuda competente, tanto ao obsessor quanto ao obsidiado com esclarecimentos sobre o porquê de seus sofrimentos e como se conduzir para se libertar e continuar a progredir.
Fernando Rossit- Kardec Rio Preto

Bibliografia de Apoio:
1-O Livro dos Médiuns, Allan Kardec

2-Estudo sobre Mediunidade, Therezinha de Oliveira

REFLEXÃO DE HOJE


O começo do amor é a vontade de deixarmos aquele que amamos ser completamente si mesmo, a resolução de não querer força-lo a se adaptar à nossa própria imagem. Se, ao amarmos, nós não deixarmos a pessoa ser quem ela é, mas apenas algo similar ao que somos, simplesmente não a amamos; amamos apenas o nosso próprio reflexo projetado nela. 

Thomas Merton

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

MENSAGEM DO DIA


Quando se vai para dentro da consciência interior, ela é sentida como uma pura e calma existência sem movimento algum, antes eternamente tranquila, não-movida e separada da natureza exterior. Isso vem como um resultado do desapegar-se dos movimentos (da natureza exterior), do distanciar-se deles, e é um acontecimento bem importante. 

Sri Aurobindo

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

“OS EFEITOS DA NECRÓPSIA (AUTÓPSIA) NOS ESPÍRITOS”


O Mentor permaneceu na Enfermaria, pelo período em que tinha curso a necropsia para a identificação da causa mortis e outros comportamentos legais. Observamos que os Espíritos, mesmos distanciados dos corpos que se faziam examinados, retratavam as ocorrências que os afetavam, provocando sensações cruciantes. O motorista, por ser incurso em maior responsabilidade, manteve-se em sono agitado por todo o tempo. Devido às fortes vinculações com a matéria, experimentava as dores que lhe advinham da autópsia de que o corpo era objeto. Embora contido por enfermeiros diligentes sofreu cortes e serração, profundos golpes nos tecidos e costuras…
‘Recordemos que se encontrava sob amparo, não ficando, todavia, isento à responsabilidade pelos erros que a juventude extravagante lhe facultara.
‘Em autópsia, muitos Espíritos que se deixaram dominar pelos apetites grosseiros e se ficam apenas no corpo, quando não fazem jus a assistência especializada, enlouquecem de dor, demorando-se sob os efeitos lentos do processo a que foram submetidos os seus despojos.
‘Desse modo, cada um dos jovens, apesar de todos haverem desencarnado juntos, no mesmo momento, experimentava sensações de acordo com os títulos que conduziam, de beneficência e amor, de extravagância e truculência.
‘Correspondendo à hora do reconhecimento e translado dos corpos pelos familiares para as providências da inumação cadavérica, acompanhamos o despertar de quase todos, sob os duros apelos dos pais e irmãos, partindo, semi-hebetados, para os atender…
 ‘As nossas providências de socorro não geram clima de privilégio, nem protecionismo injustificável. Cada um respira a psicosfera que gera no campo mental. Todos somos as aspirações que cultivamos, os labores que produzimos.
A cruz, porém, é intransferível, de cada qual. Podemos ajudar a diminuir-lhe o peso, não a transferi-la de ombros.
‘A agitação era geral. Podíamos observar que rápidas flechadas de forte teor vibratório os alcançavam, fazendo-os estremecer, estorcegar.
‘O motorista subitamente apresentou uma facies de loucura, ergue-se, trêmulo, respondendo algo com palavras desconexas e como que envolto pelo fio de densa energia que o alcançava, pareceu sugado, desaparecendo…
‘- Foi atender – elucidou Dr. Bezerra – aos que o chamam sob chuvas de blasfêmias e acusações impróprias.
‘A família soube, pela Polícia, que ele havia ingerido alta dose de drogas, o que parecia responder pelo acidente, provocando, a informação, mágoa e revolta nos pais.
‘Em continuação, mais dois se evadiram do local de amparo obedecendo ao impositivo evangélico: “Onde estiver o tesouro, aí estará o coração”. 
‘Fábio e outro amigo, porque não se encontrassem muito comprometidos com os vícios e viessem de uma estrutura familiar mais digna, foram poupados à presença do cadáver e às cenas fortes que se desenrolaram antes e durante a inumação dos corpos.
‘Não se furtariam, é certo, ao mecanismo de recuperação, apesar da ajuda da antiga mãezinha, que o reembalava nos braços, na condição de avó.
‘Desperta-se, cada dia, com os recursos morais com que se repousa, à noite.
‘Além do corpo, cada Espírito acorda conforme o amanhecer que preparou para si mesmo.

Fonte: Missionários da Luz. André Luiz-Chico Xavier. 

GRATIDÃO


"A Gratidão afeta positivamente a sua frequência vibracional, esse é um hábito que você deveria incorporar agora mesmo na sua vida.
Comece a agradecer por tudo, pelas coisas boas e ruins, por todas as experiências que você já vivenciou.
A gratidão abre as portas para que as coisas boas fluam positivamente na sua vida.
Você já agradeceu hoje?


do site Gotas de Paz

PENSAMENTO DE HOJE


Se você quer ser feliz, pense nos outros. Se quiser ser infeliz pense em você mesmo. 

Sakyong Mipham Rinpoche

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

ESPIRITISMO E METAPSÍQUICA


A mediunidade é tão antiga quanto a existência do homem. Desde os primórdios anotamos a presença de feiticeiros, oráculos, xamãs e outros que se comunicam com o plano que nós chamamos de forma genérica de Espiritual.
A comunicação de mortos com vivos é um fato incontestável, a ponto de no velho testamento, incontáveis vezes, lermos a presença dessas comunicações. A ponto de Moisés proibir os hebreus da consulta, por evocação, aos mortos (Deuteronômio cap. XVIII).
Se Moisés proibiu é porque o fenômeno acontecia realmente e estava sendo mal utilizado. Ele não proibiria o que não existe.
Assim a fenomenologia da hoje chamada “transcomunicação” ainda é motivo de estudo tanto no Espiritismo como na Parapsicologia.
O professor Hippolite Leon Denizard Rivail, desde 1822, se interessou pelo estudo destes fenômenos que ele chamou de “efeitos físicos e inteligentes”. O professor Hippolite, (que posteriormente adotou o nome de Allan Kardec) observava no mundo, todos os sensitivos que porventura “provocaram” alguma fenomenologia excepcional.
Estudando as irmãs Fox, duas meninas americanas, semi-analfabetas, na cidade de Hidesville, nos Estados Unidos, pode ele lançar as bases do Espiritismo Científico. Assim entre os anos de 1857 e 1868 nasceram os 5 livros básicos da doutrina.
Concomitantemente o russo Alexandre Aksakof lançava a chamada Metapsíquica, ciência-mãe da Parapsicologia atual. Amigos Aksakof e Kardec se correspondiam nos seus estudos até que, 100 anos depois que Kardec inicia seus estudos, (ainda como professor Hippolite Leon Rivail), outro cientista chamado Charles Richet estudando a famosa médium Européia Paladino, classifica os fenômenos Metapsíquicos.
São criados dois grandes grupos: Os fenômenos objetivos que analisa e os fenômenos exteriores, perceptíveis aos nossos sentidos, que parecem terem um caráter inteligente, e os fenômenos subjetivos que estudam os fenômenos exclusivamente intelectuais.
Assim surgem uma lista de 12 (doze) fenômenos bem estudados (não vamos analisar cada um agora).
Em 1930, Joseph Banks Rhine, inicia o que chamou de Parapsicologia, introduzindo o método quantitativo aos estudos qualitativos da Metapsíquica,. O objetivo era reproduzir os fenômenos metapsíquicos em experimentos de laboratório. Aí surgem PSI que Banks Rhine classifica com Psi-Gama = fenômenos subjetivos; Psi-Kapa = fenômenos objetivos ou de efeito físico e Psi-Theta = fenômenos oriundos dos seres espirituais que Kardec chamou de mediunidade.
Mas como dizia Kardec: “De nada adianta conhecermos o outro mundo, que nos cerca, se não
tomarmos consciência de que somos sujeitos à evolução permanente. A vida não acaba com a morte e o Espiritismo nos dá este conhecimento que é o da verdade”.
Como vemos, a Parapsicologia não explica o Espiritismo como querem alguns, ao contrário, é o Espiritismo que completa a Parapsicologia, como deduziu o grande Joseph Banks Rhine.

Iran Rego
*Médico cardiologista – espírita.
Membro da Academia Maçônica de letras

OBSTÁCULOS


Ao raiar do dia somos todos convidados ao aprendizado e ao conhecimento da vida.
Cabe a cada um abraçar as oportunidades positivas para seguir adiante buscando o aprimoramento das virtudes e a correção dos erros.
Em nossa caminhada haverá muitos obstáculos, mas bem sabemos que somos capazes de superá-los através da nossa coragem, perseverança e principalmente da fé. Não podemos nos abater, mas sim nos encorajarmos na busca do que queremos de melhor para nós.
Sejamos firmes nos propósitos que queremos melhorar em nós e com certeza seremos todos vitoriosos em nossa trajetória, basta buscarmos sempre a prece como nossa melhor conselheira dos momentos difíceis, desta forma o fortalecimento chega e assim temos condições de continuar firmes e fortes .


do site Gotas de Paz

MENSAGEM DO DIA


Quando evitamos o sofrimento legítimo que resulta do enfrentamento dos problemas, nós também evitamos o crescimento interior que todo sofrimento traz à alma. 

Scoth Peck

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

PENSAMENTO DE HOJE


A primeira necessidade é a descoberta interior para saber o que se é verdadeiramente atrás das aparências sociais, morais, culturais, raciais, hereditárias. No centro há um ser livre, vasto, conhecedor, que se oferece à nossa descoberta e que deve tornar-se o centro agente de nosso ser, de nossa vida. 

Mirra Alfassa

terça-feira, 17 de outubro de 2017

"QUEM É JESUS PARA OS ESPÍRITAS."


Pouca gente sabe o que realmente é Jesus para os espíritas, sem contar os que fantasiam em torno de conjecturas vazias, por total desconhecimento. Personalidade mais comentada de todos os tempos, Jesus, por sua importância, ensejou a fragmentação da História em duas partes — antes da sua vinda e depois de sua passagem pela Terra.
Os espíritas não costumam cultuar imagens, muito menos a imagem de Jesus na cruz, abatido, vitimado pela incompreensão dos homens. Para eles, o Jesus real é “um ser iluminado, belo, forte, irradiando amor de uma forma ampla e total, como um verdadeiro sol cujos raios se direcionam para todos os lados e atingem a todas as pessoas do Universo. Médico, psicólogo, pedagogo, consolador, redentor, Jesus nunca usou de uma classificação dicotômica da humanidade — os condenados a um futuro terrível num inferno eterno, em função de seus erros, e os eleitos, os únicos a se salvar, em função da sua fidelidade. Assim, os espíritas veem esse tal de inferno apenas como um estado íntimo da consciência. Nada de demônios, nada de Pai vingativo. Esse conceito encerrou-se com Moisés — teve valor somente a seu tempo, quando a humanidade exigia o tratamento do olho-por-olho-dente-por-dente. A partir de Jesus, Deus passa a ser infinitamente bom e misericordioso.
Quando se diz que Jesus é o caminho, o espírita entende que uma estrada leva sempre a algum lugar. Ao classificar-se o mestre como caminho, afirma Emmanuel, afasta-se a possibilidade de uma estrada sem proveito. Aceitando a receita de Jesus, caminhar em sua companhia “é aprender sempre e servir diariamente, com renovação incessante para o bem infinito, porque o trabalho construtivo, em todos os momentos da vida, é a jornada sublime da alma, no rumo do conhecimento e da virtude, da experiência e da elevação”. Zonas com estradas desativadas, sem serviço, sem transporte, refletem economia paralítica. Assim arremata Emmanuel:1 “Cristãos que não aproveitam o caminho do Senhor para alcançar a legítima prosperidade espiritual são criaturas voluntariamente condenadas à estagnação”. Nada de inferno. E toda estagnação é temporária, até que o espírito desperte. Disso tem certeza o espírita. Esse despertar, comumente, acontece sobre o aguilhão da dor, em função da sábia lei divina de causa e efeito.
O destino de todos nós? A perfeição. Todos, sem exceção verão a Deus, alcançarão os patamares maiores da evolução. E mais, independentemente da religião que abraçaram. O que manda é a prática indiscriminada do Amor, com maiúscula, e não a escolha da prática religiosa, rotulada.
Jesus, para o espírita, não é Deus. O mestre chamou a si mesmo de Filho do Homem, filho de Deus. Sempre se referia: “meu Pai que está no céu. “A distância, em medidas de perfeição, que existe entre Jesus – pela sua superioridade moral – e nós mesmos é que nos faz imaginá-lo como Deus... Compreensível que para nós ele seja quase isso, um Deus.
A prática do perdão, mecanismo expresso no Pai-Nosso como condição para o perdão do Pai, e a máxima “amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”, são a receita maior para rumarmos sem delongas na direção do Criador.
A regra áurea do “fazer aos outros o que gostaríamos que nos fizessem” não foi trazida por Jesus. Ela datava de muitos séculos passados. Buda a citava, os gregos, os persas, os chineses, os egípcios, os hebreus, até os romanos: “A lei gravada nos corações humanos é amar os membros da sociedade como a si mesmo”.2 A grande diferença é que Jesus vivenciou essa regra áurea, “em plenitude de trabalho, abnegação e amor”.
A maioria dos espíritas concorda com Gandhi quando ele diz que a mais pura essência do cristianismo está no Sermão da Montanha (é lá que Jesus nos ensina a orar, por meio do Pai-Nosso). Se todo acervo da sabedoria humana sobre a Terra fosse destruído, só restando o Sermão da Montanha, “as gerações futuras teriam nele toda a beleza e sabedoria necessárias para a vida”, disse o grande estadista hindu.
Aliás, o espírita entende também que Gandhi, Buda, Lutero, Chico Xavier, Tereza de Ávila, Madre Tereza de Calcutá, Irmã Dulce, Santo Agostinho, os profetas que constam das escrituras sagradas e tantos outros, todos, sem exceção, foram colaboradores do Cristo, na sua estratégia de estabelecer o Reino de Deus na Terra. Todos foram, em maior ou menor grau, “inspirados pelos planos mais altos da vida”. Tudo faz parte de um trabalho árduo e constante para a instalação definitiva do amor entre os homens. Afinal, Jesus é o diretor espiritual desse planeta e espera a colaboração de todos para a redenção da Humanidade. Nisso, até nós, na nossa pequenez, estamos incluídos. Operários do Cristo, nas mínimas coisas.

Ref.: 1-          “O caminho”, em Vinha de luz, psicografado por Francisco Xavier, FEB.
2-        “A regra áurea”, Caminho, verdade e vida, idem.


 Escrito por Ary Marques Brasil   

ALGUMAS DE MINHAS OBRAS

MEU MAIS NOVO LIVRO

MEU MAIS NOVO LIVRO