BOAS VINDAS

Seja bem vindo! Espero que aqui encontre alento, beleza, amor e paz! E que possa espalhar isto para o mundo, que vive tão sedento de tudo isto.



Pesquisar este blog

Seguidores

terça-feira, 27 de março de 2018

"A SÍNDROME DE DOWN NA VISÃO ESPÍRITA "


Paulo de Tarso, o extraordinário “Apóstolo dos Gentios”, em excelsa inspiração escreveu aos Gálatas {6:8} afirmando que se o homem semeia na carne, na carne expiará (ceifará a corrupção).
Para quem tem “olhos de ver e ouvidos de ouvir”, não interpretando a Escritura segundo a letra que mata mas segundo o espírito que vivifica, o apóstolo aponta para a necessidade do espírito humano, que haja cometido algum delito contra alguém ou praticado equívocos de conduta numa existência, em corrigir tal situação em existência posterior.
Precisando dessa correção para alívio da própria consciência traumatizada pelo erro, vivencia a experiência da doença ou das deficiências físicas ou mentais. As leis divinas pois, não nos castigam mas nos auxiliam a retomar o caminho evolutivo normal. É o que ocorre com os espíritos que precisam da deficiência denominada Síndrome de Down, pela qual resgatam algum problema do passado.
O próprio Jesus, referindo-se a nossa inclusão nos mundos expiatórios afirmou que “...dali não sairíamos enquanto não pagássemos até o último ceitil”, referendando igualmente a necessidade evolutiva do Espírito humano. Nossas aflições no entanto podem advir não só de vidas anteriores como também desta mesma vida, como resultado de nossa imprevidência na atual existência.
A Síndrome de Down, é uma dessas situações ligadas a problemas de vidas anteriores.
Normalmente, cada uma das nossas células possui 46 cromossomos, que são iguais, dois a dois. A causa da Síndrome de Down no corpo físico, resulta daquilo que os cientistas chamam de “acidente genético”, devido á presença de um cromossomo 21 a mais nas células. É chamada de trissomia do cromossomo 21, erro que, segundo a Medicina, não está no controle de ninguém.
Esse “acidente genético” que acarreta a Síndrome de Down ocorre em uma para cada 500 crianças nascidas, caracterizando-se por deficiência mental e anomalias no desenvolvimento ósseo e de vários órgãos internos, em 95% dos casos. Os demais casos também são explicados pela Ciência Médica, mas sempre do ponto de vista materialista ou físico.
Evidentemente o Espiritismo concorda com as informações das pesquisas médicas, obtidas no árduo e sério trabalho investigativo do homem na busca da etiologia das doenças.
O que a Ciência Espírita no entanto acrescenta é que o acaso não existe pois não há erro ou injustiça segundo a Doutrina Espírita. Aquele “acidente genético” ocorre na realidade pela presença do espírito, que tem alguma “conta” a acertar com a Justiça Divina e que se liga á célula ovo ou zigoto no momento em que esta se constitui na fecundação humana.
Esse espírito tem um campo energético próprio, agindo não somente na atração dos gametas sexuais, como também na intimidade do zigoto, em plena elaboração do ser embrionário. Essa tese é espírita e é absolutamente racional como hipótese científica. A ciência materialista dita oficial, evidentemente, ainda não aceita tal tese, já que não investigou o espírito.
Aos poucos no entanto vai chegar lá como já chegaram inúmeros pesquisadores e estudiosos das causas atuais e anteriores das doenças e deficiências que acodem á espécie humana. O novo paradigma da Medicina, em futuro bem próximo, tenho certeza, é aquele que admitirá, em bases científicas, a existência do espírito, como principal componente do homem integral, ou seja, do ser cósmico criado por Deus.
Agora mesmo, cientistas da Universidade do Texas, E.U., bem como do Instituto Weizmann de Israel, proclamam que óvulos se comunicam com espermatozóides, enviando-lhes sinais para guiá-los até às trompas de Falópio, tornando possível a fecundação, acreditando os pesquisadores que o sinal emitido pelo óvulo é um componente do líquido que o circunda. 
Sem serem espíritas, confirmam a tese espírita de que todo efeito inteligente tem sempre uma causa também inteligente, podendo-se deduzir que pode estar ali o espírito reencarnante, ligado vibratóriamente á sua futura mãe, exercendo ação sobre o óvulo, atraindo depois o espermatozóide que lhe é afim por estar com ele sintonizado energeticamente, dentro da faixa evolutiva em que se encontra.
Isso não é história não. São dados de pesquisas recentes do Dr Américo Domingues Nunes Filho, presidente da Associação Médico-Espírita do Rio de Janeiro.
De qualquer forma, precisamos respeitar e amar o deficiente, seja qual for a lesão de que seja portador.
A compreensão da Lei Divina da Reencarnação nos inspira nesse sentido.


Ciro Francisco Amantéa-ViceP/Use/Int/Itu.
Fonte: Rede Amigo Espírita

“10 GRAVES SINTOMAS DA OBSESSÃO ESPIRITUAL”


Esse é um assunto delicado que requer atenção e quebra de pré-conceitos.

Ninguém está livre de ataques energéticos, todos nós vez ou outra nos deparamos com situações em nossas vidas que realmente não conseguimos entender e muito menos resolver.
Ás vezes parece que quanto mais lutamos contra uma situação ruim, pior ela fica. Entramos em conflitos internos e externos e muitas vezes nos damos por vencidos em certas áreas de nossas vidas.
A obsessão espiritual é algo que realmente existe, pode ocorrer por meio de espíritos desencarnados, mas também com desafetos dessa vida, pessoas encarnadas do seu passado que insistem em manter um vínculo energético negativo, de mágoa, rancor, inveja e ressentimento.
Alguns sintomas são bem típicos de obsessões e ninguém passa por essa vida sem ter tido ao menos uns dois sintomas desses, porém o que determina a permanência ou não de obsessores é o comportamento e entendimento de cada um. Uma pessoa amorosa, que sente compaixão pelo próximo e não tem problemas em perdoar, consegue se livrar mais facilmente de ataques de obsessores.
Já uma pessoa agressiva e magoada tende a alimentar obsessões por longos períodos na vida.
Seguem alguns sintomas de obsessão quando já instalada. Fique atento, mas também entenda que existe solução, existe alívio e cura. O bem e a positividade sempre serão mais fortes!
1 – Sensibilidade aumentada e choro compulsivo.
Parece que as pessoas estão mais agressivas ou com mais atenção aos seus erros. Antes se alguém te desse uma patada, você revidava ou simplesmente não dava importância. Agora você se sente perseguido e maltratado. Chora, na maioria das vezes à noite e quando tenta desabafar com alguém, muitas vezes acham que é frescura sua e você não deve se importar. Isso te deixa mais triste ainda e com a sensação que ninguém se importa com você e seus sentimentos. Sempre vem na cabeça a ideia de que ninguém se importa com você, que se você morresse ou sumisse, ninguém se importaria.
Fique atento, essa ideia de que você não tem valor não é sua!
2 - Vida financeira destruída
Desemprego, ou emprego com um salário que não dá pra quase nada e te deixa frustrado. Dívidas que aparecem do nada, quando entra um pouco de dinheiro, logo aparecem gastos inesperados e a esperança de uma vida melhor vai indo embora aos poucos.
Obsessores atacam muito a vida financeira pois sabem que as preocupações com dívidas, moradia e sobrevivência são extremamente dolorosas e desgastantes.
3 – Relacionamentos Conturbados
Ciúmes, brigas, desconfianças, traições, mágoas e em casos mais graves até agressões. Após crises explosivas parece que a pessoa que agrediu estava fora do corpo sendo comandada por alguém. Períodos de paz se instalam, mas as brigas e desentendimentos nunca deixam de aparecer.
4 - Agressividade
Ausência total de paciência com as pessoas próximas. Vontade de mudar a forma de ser de algumas pessoas, de falar verdades na cara sem ter medo de magoar ou ferir. Ausência de compaixão pelo próximo e o sentimento crescente de que ninguém merece confiança, pois todos são falsos e hipócritas. Gostam de dizer sempre a frase, sou sincero e falo na cara, quando na realidade são totalmente cruéis e sem nenhuma educação. Ao magoar o outro, por mais fraco que o outro pareça, o agressor cria um vínculo negativo, atrai para si somente a negatividade.
Pense muito antes de jogar verdades na cara de alguém ou postar ofensas e indiretas, o mesmo constrangimento que você vai causar no outro, retornará para você amanhã. Os juros cobrados pela lei do retorno são muito altos, não vale a pena pagar.
5 – Julgar os outros e se sentir vítima
Obsessores atuam colocando as manias, desconfianças e compulsões exageradas em suas mentes. O obsessor coloca a ideia na sua vítima de que ela carrega o mundo nas costas e que se ela não interferir em tudo, nada dará certo. Existe muita dificuldade em confiar em todos, e a vitima observa apenas os defeitos e falhas nas pessoas e não consegue achar nada positivo em ninguém. Nesse ponto o obsessor coloca a ideia de que sua vítima deve interferir na vida dos outros, criticar, excluir quem não se encaixa em seu meio, religião, trabalho e sua família.
6 - Se envolver em fofocas
As fofocas sempre começam de forma inocente e são justificadas e defendidas pelos fofoqueiros. Muitas vezes começam com frases do tipo: – Vou te dar um “toque a respeito do fulano” ou “fica esperto com o fulano”….
O ambiente de trabalho é o lugar onde mais podemos observar esse tipo de comportamento. Muitas teorias totalmente enganosas e mentirosas que causam verdadeiro mal estar são disseminadas diariamente por fofoqueiros nas empresas.
Quem de nós nunca trabalhou em um ambiente tóxico onde o fofoqueiro mantinha muitos reféns sob seu comando maléfico, pois obsessores sabem o quanto somos sugestionáveis, no ambiente de trabalho.
Presenciei um caso onde uma gerente chegou certa manhã de cara fechada no trabalho, pois estava com dor de dente e dor de cabeça, mas como tinha uma reunião importante, foi trabalhar mesmo passando mal, pois tinha tarefas que não podiam esperar. Ao passar pelos funcionários de cabeça baixa e sem cumprimentar ninguém, causou uma grande impressão errada e diversas teorias absurdas se formaram durante o dia, até uma funcionária muito sugestionável a maldade se convencer loucamente que a chefe estava com raiva dela e a demitiria naquele dia.
A gerente passou o dia na sala dela em conferências e não falou com ninguém. Isso foi suficiente para uma série de confusões e fofocas maldosas se instalarem.
Apenas um funcionário desequilibrado e medroso, abriu o ambiente para obsessores que já encontraram outros com vibrações baixas e instalaram um clima de terror na empresa.
Observei que as teorias descabidas corriam solto a respeito da cara fechada da gerente, mas em nenhum momento ninguém pensou que ela poderia estar com um problema só dela e que não queria compartilhar com ninguém naquele momento.
A funcionária sugestionável acabou passando mal o dia todo achando que ia ser demitida, pois o fofoqueiro não gostava dela e se aproveitou para torturá-la e criar um clima desfavorável. Outros acabaram achando que haveria uma grande corte de despesas e mais funcionários seriam demitidos.
A gerente acabou saindo mais cedo para ir ao dentista, estava realmente passando mal e percebi que o rosto até estava um pouco inchado. Os funcionários não perceberam esse detalhe, pois estavam ocupados de mais com a teoria de demissões.
Fiquei alguns dias nessa empresa, pois eu iria ministrar um treinamento. Tive a oportunidade de observar que no dia seguinte a gerente chegou e já estava bem, havia sido medicada e chegou cumprimentando a todos normalmente.
Observei que o fofoqueiro mestre foi ao encontro dela ansioso para saber o que havia acontecido no dia anterior. Fiquei impressionada ao observar a decepção no rosto dele ao saber que ninguém seria demitido, nada de ruim iria acontecer, a chefe apenas tinha tido uma forte dor de dente.
A funcionária sugestionável acabou faltando naquele dia, havia passado mal de tanto medo e nervoso por causa das fofocas.
Fique atento, muitas vezes sentimos medos sem fundamentos, odiamos pessoas por ouvirmos falar coisas a respeito delas e não paramos para ver os fatos como eles realmente são. Passar a fofoca adiante, ficar na platéia assistindo os outros se prejudicarem e sentir prazer ao ver a loucura alheia também é um comportamento tóxico. Se você simplesmente não quer se meter, afaste-se, não seja lenha da fogueira de ninguém!
7 – Ver vultos, ouvir barulhos estranhos em casa, sentir angústias e pensamentos negativos que vem de repente.
Nem todos os alertas que recebemos são nossa intuição. Nossa intuição nos defende de situações de perigo ou nos levam a situações positivas. Se você está com uma série de problemas na sua vida, sem dinheiro para nada, lar conturbado, problemas de saúde, sua intuição provavelmente nem está funcionando. Ver vultos, ouvir vozes que ninguém mais ouve e receber alertas exagerados de mágoa e raiva sobre determinadas pessoas é sinal de obsessão.
Sua intuição não vai te dizer pra ir saber se a pessoa que te magoou está falando mal de você para alguém. Fique atento, faça orações e tratamento para desobsessão.
8 – Vício
Você nem quer comer mais um pedaço de pizza, mas está tão bom… Passou um dia horrível no trabalho e sabe que sua cabeça não vai te deixar em paz se não tomar uma dose de Whisky para relaxar(e isso acontece no mínimo 4x por semana)… Aquelas lembranças são dolorosas demais para aguentar de cara limpa… Ou o prazer só vem com o uso de algumas substancias… entre outros pensamentos esses são alguns colocados por obsessores para manter suas vítimas no vício.
Mas como o vício gera dependência e afeta o metabolismo do corpo, além de um trabalho de desobsessão é necessário um acompanhamento de especialistas para ajudar na cura.
9 – Sua vida mudou de forma inexplicável após a morte de alguém
Uma determinada pessoa da sua família ou próxima faleceu e sua vida logo depois começou a dar errado.
Uma série de pequenos azares e infortúnios começaram a aparecer de forma inexplicável. Fique atento, orações para a alma do falecido são bem vindas nesse caso, entre outros procedimentos de desobsessão.
10 – Doenças recorrentes
Infecções, pequenos procedimentos cirúrgicos, remédios que não fazem efeito, alergias, problemas respiratórios. Enfim, hospitais e laboratórios são sua rotina.
Sentimentos de vitimismo e exigir que os outros compreendam e te ajudem também estão presentes nesses casos.
Alguns idosos costumam usar doenças para aprisionar a família toda em sua carência. Fique atento.
Como enxergar melhor os sintomas?
Fique atento a ideias torturantes a se fixar.
Quando sentimos forças interferindo no processo mental.
Quando se verifica a vontade sendo dominada.
Quando se experimenta inquietação constante.
Quando se sente desequilíbrio espiritual.
Quais são as consequências a longo prazo?
Desordens patológicas (doenças)
Loucura
Morte Física
O que você deve entender sobre obsessão? É um mal que existe, mas também tem solução.
Sim existe cura, sim existe saída, sim existe saúde, prosperidade, relacionamentos saudáveis.
Você não deve ter medo, culpa ou qualquer tipo de desespero. A saída é um pouco trabalhosa, mas pense que você merece ser feliz e viver bem.
A positividade é infinitamente maior e mais forte do que a negatividade, uma vez que você aprende a se proteger, nada te impedirá de ter uma vida saudável e feliz.
Não participe de fofocas, perdoe sempre que possível, não julgue e não maltrate ninguém, pois essas atitudes abrem portas para energias tóxicas.
Que Deus te abençoe sempre!


Autor desconhecido
Fonte: Mensagem Espírita

sábado, 24 de março de 2018

“PLANEJAMENTO REENCARNATÓRIO”


O retorno a um novo corpo, através da reencarnação, se dá para o crescimento do espírito. É um processo educativo, e não punitivo. Encarado dessa forma, não há um número definido de encarnações para um espírito. Sobre a chamada “lei” de causa e efeito atua a lei de misericórdia, que é uma das variantes da lei de Amor. Os processos não se dão de forma linear, isto é, não se passa pelo que se causou a outrem na mesma proporção e na mesma intensidade. As circunstâncias a que um espírito está sujeito numa encarnação expiatória são sempre atenuadas pela Misericórdia Divina. Achamada “lei” de causa e efeito não é como a pena de Talião. Não é “olho por olho dente por dente”. Às vezes, no período de intermissão, o espírito atravessa sofrimentos, resultantes de suas atitudes quando no corpo físico. Ao reencarnar para aprender, os processos a que estará sujeito não poderão ser idênticos aos que proporcionou aos outros, em face do que aprendeu no período de intermissão, bem como em função da necessidade de educar-se a partir de estratégias amorosas das leis de Deus..
Em geral, as reencarnações são planejadas com antecipação, cujo tempo de preparo será proporcional às necessidades educativas do espírito. Quanto mais evoluído o espírito, maior seu tempo de intermissão, consequentemente mais tempo terá ele para seu planejamento. O planejamento exigirá o concurso de muitos espíritos, os quais participarão, direta ou indiretamente, das relações futuras do reencarnante. Tais preparativos vão desde a escolha dos pais ao tipo e detalhes do corpo que se utilizará o espírito. Escolhe-se o gênero de provas que se atravessará, o tipo de morte que se terá, as principais experiências que deverão ocorrer após o nascimento, que reencontros se darão, que doenças se terá, qual a época mais propícia para se reencarnar, etc.
Tais experiências planejadas se dão no nível de probabilidades, podendo haver alterações, a depender das necessidades do espírito, bem como de seu livre arbítrio e de terceiros. Fundamental é perceber que, embora planejado o destino e a existência da pressão interna das experiências pregressas, o livre arbítrio é soberano, podendo alterar quaisquer daqueles fatores. As escolhas havidas que sejam diferentes do planejado, levarão a consequências - positivas ou negativas - para o espírito. O espírito, após a reencarnação , poderá alterar seu planejamento. Poderá ele, adquirir novos compromissos, como fugir de outros. Poderá ampliar suas realizações previstas, tanto quanto diminuí-las.
A vida na Terra deixa de ser um acaso para ter um objetivo. Cada ação humana tem implicações, pois nada ocorre por acaso. Não se volta à Terra como a uma colônia de férias. A Terra não é uma instância de lazer. Viver é construir para o espírito. Estar no corpo físico é conscientizar-se da responsabilidade por vários processos de aprendizagem que o Universo faculta.
Aqui se está para algo aprender. Não se deve desprezar o mundo social ou o corpo, pois, mesmo sendo a realidade espiritual matriz geradora, não é exclusiva e nem deve contribuir para alienação ao mundo dos ditos vivos. Há uma complementaridade entre a vida material e a espiritual. Viver fora do mundo físico é saber viver nele.
Viver bem na Terra, aspirando a uma vida melhor após a morte, é legítimo, porém não deve ser um fim em si. O espírito não pode esquecer que, além de almejar seu progresso, deve tornar o mundo material um local bom de se viver. O reino dos céus, pregado nos meios cristãos, é tão “além” quanto aqui, isto é, na Terra deve-se implantá-lo, pois ela faz parte do “reino”. A localização desse reino é uma questão de consciência e responsabilidade.
É claro que as escolhas feitas nem sempre obedecem aos compromissos havidos em encarnações anteriores. Tais escolhas podem levar à compulsoriedade, que impõe, ao espírito, determinado processo educativo, independente de seu arbítrio. Há encarnações compulsórias para muitos espíritos que acumulam compromissos, principalmente quando envolvem terceiros. O seu passado espiritual tem influência decisiva nesse processo de escolha. As ligações com desafetos são geradoras de reencontros para que se desfaçam os laços de inimizade e ódio. Os desafetos geralmente nascem juntos para transformarem seus sentimentos aversivos em amor, aprendendo, dessa forma, o real significado do viver. As provas e expiações a que estão submetidos os espíritos, decorrem desses compromissos pregressos. Tais compromissos são vulgarmente chamados de dívidas, cujos correspondentes processos de resgates, chamo de educativos.
O processo de escolha que o espírito faz, guarda relação direta com seu livre arbítrio. O planejamento é um balizador para o espírito. Existe apenas um único determinismo imposto ao espírito. Tal determinismo inexorável é a evolução. Evoluir sempre. O ser humano pode se desenvolver muito nos diversos campos do saber, porém jamais poderá alterar as leis de Deus, e uma delas é a lei de Progresso. Progredir sempre, na direção do Bem, do
Belo e do Amor, para que alcance a felicidade, essa é a lei. Nos processos de escolha não se deve prescindir do bem coletivo.
Cada escolha do espírito tem implicações com o direito dos outros.
Nas mudanças de planejamento que visem auxiliar maior número de pessoas, os resultados serão sempre benéficos para o espírito. Essas mudanças ocorrem, geralmente a pedido do espírito que, desejando continuar encarnado para completar alguma tarefa relevante, conta com auxílio espiritual para a alteração de seu planejamento anterior.
Os conflitos e problemas atuais, antes de serem creditados às existências passadas, devem ser analisados, como faz a Psicologia, a partir da vida atual. Será que a origem de tais conflitos não está na infância problemática? Será que a relação materna e paterna não provoca traumas que eclodem adiante? Certamente que tais fatores influenciam. O retorno de um espírito a uma nova família é sempre uma novidade cheia de receios e carregada de expectativas.
A sociedade muda. Os costumes e regras sociais não são os mesmos para o espírito que esteve ausente da sociedade dos encarnados durante muito tempo. Ele tem que reaprender muito.
Há métodos educativos coletivos, os quais visam alcançar grupos de espíritos necessitados de um mesmo aprendizado. A humanidade, por vezes, atravessa processos educativos coletivos, cujo planejamento pertence a instâncias superiores e visam dar novo ritmo ao planeta. São planejados num nível superior às encarnações individuais. Pela sua interferência nos destinos de uma coletividade, suas particularidades merecem a atenção de espíritos mais elevados.
O suicídio é um exemplo do algo não planejado antes da encarnação e que é uma forma (in)voluntária de alterar o planejamento.
A negligência de alguém que, como consequência leve à sua desencarnação, promove alteração no planejamento reencarnatório. Alguns acidentes se encaixam nessa situação, por ocorrerem fora dos processos educativos do espírito e por vontade (negligente) de seu autor. Como exemplo, cito os casos de adolescentes que correm em ruas das grandes cidades, de forma alucinada, sem a mínima segurança, em brincadeiras conhecidas pelo nome de “pegas”.
Há filhos não planejados antes da reencarnação, que conseguem realizá-la por intercessão de espíritos que obtêm a concordância do casal.


Trechos do livro: Reencarnação: Processo Educativo
Adenáuer Novaes

AMA SEMPRE


Não olhes os teus problemas e dificuldades como se fosse um inimigo… Mas olha como uma provação a ser superada. Olha a vida como um belo pomar de frutas saborosas, e não apenas as ervas daninhas de muitas pessoas querendo sufocá-la. Não dê importância para aqueles que não gostam de ti, eles ainda não conhecem o valor do teu coração generoso. Sejas sempre gentil e amoroso para contigo mesmo, que tudo de bom acontecerá em tua vida.
Teus verdadeiros amigos são aqueles que te estendem as mãos quando tu estás caído. Quando sentires um vazio na tua alma, não desfaleças, não desanimes, Deus e os Anjos têm muitas coisas mais importantes para ti.
Não há ninguém no mundo que possa impedi-lo de ser feliz, a não seres tu mesmo.
Ama sempre…Ama com Humildade…


do site Gotas de Paz

PENSAMENTO DE HOJE


Eu, ó príncipe, sou o Espírito que reside na consciência de todos os seres, e cujo reflexo é conhecido por todos como “Eu”. Eu sou o princípio, o meio e o fim de todas as coisas.

Sri Krishna no Bhagavad Gita

quarta-feira, 21 de março de 2018

SEUS PROTETORES NA TERRA


Quais são os meus talentos? Qual é a minha força interior? Não há uma resposta padrão para esta pergunta, pois a individualidade de cada um torna-se a própria força interior.
Cada espírito, ao longo de suas encarnações se “especializa” em um talento, um dom, um presente de Deus. O maior de todos os dons é sem dúvida o amor, mas é a diferença de cada espírito que pode proporcionar uma mundo completo e propício a sua evolução.
Para nos elevarmos é preciso nos reconhecermos e reconectarmos com o nosso íntimo, nossas forças. As particularidades proporcionam nosso crescimento a partir das vicissitudes nas encarnações, além de contribuir para a superação das dificuldades, dos medos e da insegurança.
A Força interior é a essência que há dentro de nós. Como um super herói temos poderes e podemos contribuir para salvar o mundo, salvar as pessoas. Somos espíritos em constante construção, tal o motivo de estarmos encarnados na Terra, aprendendo gradualmente e elevando nossa moral. A reforma íntima é a organização interior de cada indivíduo. Devemos unir de maneira equilibrada as emoções e as razões. Estabelecer barreiras saudáveis nos relacionamentos sociais e, primordialmente, nos conhecermos.
Somos a oportunidade de salvação do planeta Terra, somos os Heróis das histórias como nos quadrinhos que cada criança cresceu lendo e assistindo.
É possível entender que os sonhos alimentam a esperança. Conforme o entendimento interior e a centralização das forças é possível lutar pela concretização dos sonhos e pela propagação das Leis do amor.
O processo de transição para o plano de regeneração se iniciou e, como um quebra cabeças, somos parte da evolução deste planeta. Nossas forças são capazes de mudar nossos caminhos, de fortalecer o espírito e romper as imperfeições que possam restar dentro de nosso interior.
Diga todos os dias Eu sou capaz, Eu sou forte e as vitórias serão consequências mínimas perante a percepção do seu próprio Eu.

Ricardo Guelfi de Souza

PENSAMENTO DO DIA


Viver sem objetivos claros é o mesmo que navegar sem rumo. Não importa se nossas metas são grandes ou pequenas. O importante é não deixar de ter metas, pois, sem elas, somos naus sem destino no mar turbulento da vida.

Paulo e Lauro Raful

A ESTRADA DA VIDA


A estrada para a Vitória não é uma Reta…..existe uma Curva chamada Fracasso…. um Trecho chamado Confusão ….
Uma Lombada chamada Dificuldade….e uns Pneus Furados chamados de Inveja. Mas se você tiver um Estepe chamado Determinação ….um Motor chamado Perseverança ….um Seguro chamado ….e um Motorista chamado Jesus, com certeza você chegará a um lugar chamado “Sucesso“.
Basta você acreditar e batalhar pelo seu Sucesso que irá vencer e conseguir o intento que tanto almejou.
Muitas das vezes é mais fácil desistir e deixar como está, do que arregaçar as mangas e lutar pelos seus ideais.


do site Gotas de Paz

terça-feira, 20 de março de 2018

“EXSTE CASAMENTO OCASIONAL? POR ACASO? OU O CASAMENTO É PLANEJADO ANTES DO NASCIMENTO, PELA ESPIRITUALIDADE? ”


A família é uma organização prevista por Deus para bem dar continuidade à espécie, proporcionando ainda uma estrutura capaz de promover a evolução de seus integrantes. Em pequenas unidades familiares, os componentes do grupo têm oportunidade de fortalecer e construir cada vez mais suas virtudes, bem como avançar na área da inteligência.
Sendo esta uma importantíssima representação da Lei Divina, esperar-se-ia haver famílias organizadas ao acaso, nos tempos modernos?
Nos primórdios de nossa evolução, encarnados na Terra, quando ainda não possuíamos em princípio nenhum vínculo, seja com quem fosse, pois estávamos iniciando o nosso longo processo de crescimento moral e intelectual, as famílias, ou melhor, os grupamentos, pois nos organizávamos em bandos, foram estruturados sem significativos critérios, em razão de todos estarem no início de suas jornadas.
À medida que aconteceram as primeiras interações entre nós, Espíritos, também se iniciaram os primeiros vínculos emocionais ou sentimentais, ainda bem rudimentares, porém começou a se criar gradativamente um ambiente onde os Espíritos começaram a preferir certos Espíritos, passando também, por outro lado, a não desejar conviver com outros Espíritos. Tudo indica que assim deve ter ocorrido.
A Humanidade, avançando cada vez mais, deixou de se agrupar em grandes comunidades e dividiu-se em pequenas famílias, proporcionando um estreitamento dos laços afetivos entre alguns e recrudescimento de animosidades entre outros. Estes primeiros laços sentimentais podem existir até hoje, porquanto foram fortalecidos e multiplicados ao integrarmos diversas famílias, visto que não tínhamos determinantes preferências e ainda nem se justificavam ajustes por parte dos Espíritos mais evoluídos na organização destas unidades familiares.
Partindo do conhecimento de outra Lei de Deus, de que o acaso não existe, ou seja, tudo obedece a uma ordem maior em função das inúmeras leis e princípios a nos reger, todos criados por Deus, conceito totalmente diferente do tudo está escrito, como entender uma família, o elemento fundamental de promoção da evolução da espécie humana, constituída de integrantes reunidos ao acaso ou acidentalmente?
Veja-se algumas citações de Allan Kardec, sobre o acaso:
Que se deve pensar da opinião dos que atribuem a formação primária a uma combinação fortuita da matéria, ou, por outra, ao acaso?
“Outro absurdo! Que homem de bom-senso pode considerar o acaso um ser inteligente? E, demais, que é o acaso? Nada.”(1) (Grifo nosso.)
Se o acaso não é nada, como pode ser o responsável pela união de Espíritos em uma particular família? Avalie-se esta outra questão, em O que é o Espiritismo:
Se as almas são independentes umas das outras, donde vem o amor dos pais pelos filhos e o destes por aqueles?
Os Espíritos se ligam pela simpatia, e o nascimento em tal ou tal família não é um efeito do acaso, mas depende muitas vezes da escolha feita pelo Espírito, que vem juntar-se àqueles a quem amou no Mundo Espiritual ou em suas precedentes existências. […] (2) (Grifo nosso.)
Nesta questão de O que é o Espiritismo, temos a afirmação de que acertos na erraticidade explicam grande parte das uniões, pois sabemos que tanto quanto os filhos, muitos pais também se escolhem frequentemente antes de voltarem. Mas isto não é tudo, ainda temos outras informações:
Os encontros, que costumam dar-se, de algumas pessoas e que comumente se atribuem ao acaso, não serão efeito de uma certa relação de simpatia?
“Entre os seres pensantes há ligação que ainda não conheceis. O magnetismo é o piloto desta ciência, que mais tarde compreendereis melhor.”(3) (Grifo nosso)
Esta pergunta fornece a chave para a compreensão da questão: o magnetismo, anteriormente chamado de simpatia. É esta ainda uma ciência que dá suporte à afirmação de não haver casamento acidental, ou seja, todas as uniões obedecem a uma lei que nos aproxima sem que sequer o saibamos.
Entretanto, há mais subsídios:
Exercem os Espíritos alguma influência nos acontecimentos da vida?
“Certamente, pois que vos aconselham.”
a) — Exercem essa influência por outra forma que não apenas pelos pensamentos que sugerem, isto é, têm ação direta sobre o cumprimento das coisas?
“Sim, mas nunca atuam fora das leis da Natureza.” (4)
Comentário de Allan Kardec à pergunta acima: Imaginamos erradamente que aos Espíritos só caiba manifestar sua ação por fenômenos extraordinários. […] Assim é que, provocando, por exemplo, o encontro de duas pessoas, que suporão encontrar-se por acaso; inspirando a alguém a ideia de passar por determinado lugar; chamando-lhe a atenção para certo ponto, se disso resulta o que tenham em vista, eles obram de tal maneira que o homem, crente de que obedece a um impulso próprio, conserva sempre o seu livre-arbítrio.(5) (Grifo nosso)
Esta nota do mestre lionês, reforça ainda mais a tese, pois os Espíritos podem promover encontros, e assim o fazem, visando o bem dos envolvidos, quando estamos encarnados, sem nosso conhecimento, sem que sequer saibamos.
Um pouco mais à frente, agora na Revista Espírita, O Codificador ratifica o seu comentário:
“Os Espíritos encarnados agem por si mesmos, conforme sejam bons ou maus. Podem agir também sob o estímulo de Espíritos desencarnados, de que se fazem instrumento para o bem ou para o mal, ou para a realização de certos fatos. […] Dessa forma, encontramos alguém que nos leva a fazer ou deixar de fazer alguma coisa; pensamos que é o acaso que no-lo envia, quando, na maioria das vezes são os Espíritos que nos impelem uns para os outros, porque esse encontro deve conduzir a um resultado determinado.” (6) (Grifo nosso.)
É preciso entender que se houvesse acaso, Deus não teria controle sobre a sua própria criação, bem como sobre suas criaturas, entendimento inadmissível, considerando os atributos da onisciência e onipotência caracterizando a Divindade. Além disso, nossa responsabilidade pela evolução da família, de que fazemos parte, seria questionável.
Sendo assim, não imaginemos estarmos casados formalmente ou em regime de parceria, ao acaso, e que, por conta deste alegado “acidente de percurso”, podemos quebrar a união por motivos banais, frívolos e injustos. Longe de entender ser o casamento indissolúvel, pois o conceito de indissolubilidade do casamento é uma lei humana muito contrária à Lei da Natureza, a união, nada obstante, de modo algum aconteceu por acaso.
Autor: Rogério Miguez- Fonte: Agenda Espirita

1 - Os Espíritos que reencarnam planejam seu casamento na Terra?
Sim, quando esclarecidos e conscientes de suas necessidades, o que não ocorre com multidões que retornam à carne atendendo ao automatismo reencarnatório.
2 - Não há da parte dos mentores espirituais o cuidado de planejar algo a respeito?
Há sempre um acompanhamento e um empenho de orientação, mas é preciso considerar que planejamento implica em consciência de responsabilidade, que não é o forte dos Espíritos imaturos que habitam nosso planeta de expiação e provas.
3 - Podemos dizer que os casamentos que dão certo são aqueles que foram planejados?
Estes têm melhores chances, mas também podem fracassar. Nossa visão na Espiritualidade é bem mais objetiva. Identificamos com clareza nossas necessidades e o que nos cumpre fazer. Na Terra é frequente prevalecerem nossas paixões, pondo a perder, não raro, planos cuidadosamente elaborados.
4 - Quando o casamento não dá certo, ainda que planejado, é lícito partir para nova experiência afetiva?
O livre-arbítrio outorga-nos a possibilidade de recompor nossa vida nos domínios da afetividade e os próprios mentores espirituais podem nos auxiliar nesse mister. Tudo o que desejam é que tenhamos aprendido algumas lições e não incorramos nos mesmos enganos que determinaram o fracasso anterior.
5 - Como fica nosso compromisso com o cônjuge do qual nos separamos?
Normalmente o casamento objetivo harmonização de Espíritos que se reúnem no lar, consolidando laços de afetividade ou desfazendo nós de animosidade. Se isso não ocorre, fatalmente nos reencontraremos para novas experiências em comum.
6 - Voltaremos à condição de cônjuges?
A misericórdia divina poderá facultar uma mudança de posições nesse relacionamento, ligando-nos por laços de consanguinidade — pai e filha, mãe e filho ou como irmãos — que exercem poderosa influência nessa harmonização.
7 - Há registro de pessoas que colecionam casamentos, em uniões efêmeras. Ao desencarnar, com quem ficarão?
Com a solidão, em estágios depuradores nas regiões umbralinas. Ali terão a oportunidade de refletir sobre tendências inferiores não combatidas que inviabilizaram uma convivência estável e proveitosa.
8 - Como ser feliz no casamento?
Sendo feliz antes dele. A felicidade é uma realização pessoal que pede esforço por entender os objetivos da existência humana e empenho por cumprir os desígnios divinos. Pessoas felizes, que cumprem a vontade de Deus, fazem casamentos felizes.


RICHARD SIMONETTI- Fonte: Espiritbook

ACALME-SE


Acalme o seu coração. Seja qual for a situação que estejas vivendo, lembre-se que tudo passa. É só uma fase.
Rogue a Deus e a Jesus que você possa se ligar à Eles, pois Eles estão sempre com você, iluminando o seu caminho, guiando seus passos e livrando-o dos perigos que se sucedem em todos os momentos da sua jornada.
De nada adiantará ficar nervoso, desequilibrado ou incrédulo, pois só irá dificultar a solução do problema.
Eles podem te proteger de uma forma tranquila e sem ser ostensiva pois a invisibilidade não significa ausência.
As coisas boas passam, e as não boas também passam. Acalme-se que tudo se resolve.


do site Gotas de Paz

MENSAGEM DO DIA


Os pensamentos e as vozes sussurrantes continuam e continuam dentro de nós, comentando, observando e julgando. Nossos pensamentos e as vozes sussurrantes estão correndo em nossa consciência armazenadora. Com plena atenção, tentamos nos tornar conscientes do que está se passando por lá. Há sempre pensamento. Estamos plenamente conscientes de nosso pensamento ou somos capturados por eles? Estamos vivendo nossas vidas, ou apenas existindo no piloto automático? Se pudermos ser plenamente conscientes de nossos pensamentos, palavras e ações então somos soberanos de nossas vidas. Podemos usar a prática de plena consciência para controlar nossas ações, nossos movimentos, nossos corpos e as coisas que vem e vão. 

Thich Phouc Tinh (monge sênior de Deer Park Monastery e aluno do Thay)

sexta-feira, 16 de março de 2018

OS SERVIÇOS DO ESPIRITISMO




Diante da vida, temos que evoluir sempre, pois somos criaturas, como espíritos, eternos, criados por Deus com individualidade e personalidade dependente exatamente dessa evolução. A humanidade, desde os seus primórdios vem recebendo mentores espirituais, Avatares do progresso, que nos trazem lições principalmente de ordem moral e espiritual.
    Cristo foi o maior dos Avatares que nos trouxe a virtude do amor e do perdão como forma de evolução. As diversas regiões do planeta receberam e continuam recebendo esses missionários do bem.
  O Espiritismo como uma religião revelada por Espíritos Superiores, de evolução muitíssima adiantada, vem nos prestar serviços que nos consola nesse “vale de lágrimas” como define santo Agostinho. Primeiro nos informa que a morte, como fator de mudança radical, não existe. Portanto, nos tira aquele medo obsessivo do ocaso da vida. Os espíritas sabem que a vida continua e por isso se preparam para continuar uma jornada, sem desarrumar as malas.
   As encarnações sucessivas como fator de progresso individual nos coloca numa posição de compreensão com tantas desigualdades existentes, como por exemplo, as condições sociais do cidadão.
   Mesmo as desavenças no lar recebem explicações da Doutrina Espírita: o lar não recebe somente os afetos, mas também os desafetos de existências passadas, para a necessária regeneração e também acabar as divergências que provocaram a antipatia.
  A lógica rege a Doutrina. Não há dogmas. Se Deus nos fez inteligentes é para usá-la também na espiritualização, libertando-nos dos tabus e das “afirmativas” fatalistas de alguns orientadores e pastores religiosos. “Conhecerás a verdade e ela vos libertará” (João 8:32).
   A morte, como fator de desaparecimento, é inexistente, há sim um futuro depois dela e esse futuro é a vida em continuação, agora no Plano Espiritual, junto com nossos entes queridos, em busca da evolução, que também não se interrompe com o desencarne.
  Continuamos sempre no progresso do espírito, e, através da mediunidade, nos comunicamos amplamente com aqueles que nos precederam para a verdadeira vida. Aqui estamos encarnados em pequenos estágios de aprendizado. Lá, estaremos na plenitude da vida pois a mobilidade e a compreensão é muito mais eficiente e por isso a fé raciocinada é a regra que tanto os espíritos e as almas (espíritos encarnados) devem seguir para alcançar o pleno progresso.
  Os espíritas são, ou deveriam ser, mais serenos diante da calúnia, da crítica; diante das dificuldades externas, pois conhecemos a lei que atribui a “cada qual segundo as obras pessoais”.
   Sabemos que nenhuma religião salva, o que salva são as nossas boas ações, principalmente na caridade bíblica, que é secreta,”como a que a mão esquerda não saiba o que fez a direita”. A caridade sem espera de recompensa, aquela que não humilha quem é o objeto dessa boa ação.
   A fé raciocinada nos ilumina pela razão, fazendo com que nossos caminhos sejam valorizados, desde que dediquemos em fazermos um exame de nós mesmos, revisando e revalorizando os conceitos de trabalho e tempo. Revisando a consciência para fazermos um balanço dos benefícios ou prejuízos que, porventura, causamos a alguém.
   O perdão e o amor, virtudes que Jesus, na Sua vinda, nos ensinou, sempre será o norte daqueles que sabem que “no presente somos consequência do passado e que estamos preparando o futuro para nossas vidas eternas”, como nos ensina Allan Kardec.


IRAN RÊGO
Médico cardiologista, espírita
                                                                         

PRECE ORANDO A CADA DIA

Senhor,

Faze-me perceber que o trabalho do bem me aguarda em toda parte.
Não me consintas perder tempo, através de indagações inúteis.
Lembra-me, por misericórdia, que estou no caminho da evolução, com os meus semelhantes, não para consertá-los e sim para atender à minha própria melhoria.
Induze-me a respeitar os direitos alheios a fim de que os meus sejam preservados.
Dá-me consciência do lugar que me compete, para que não esteja a exigir da vida aquilo que não me pertence.
Não me permita sonhar com realizações incompatíveis com os meus recursos, entretanto, por acréscimo de bondade, fortalece-me para a execução das pequeninas tarefas ao meu alcance.
Apaga-me os melindres pessoais, de modo que não me transforme em estorvo diante dos irmãos, aos quais devo convivência e cooperação.
Auxilia-me a reconhecer que cansaço e dificuldade não podem converter-me em pessoa intratável, mas mostra-me, por piedade, quanto posso fazer nas boas obras, usando paciência e coragem, acima de quaisquer provações que me atinjam a existência.
Concede-me forças para irradiar a paz e o amor que nos ensinaste.
E, sobretudo, Senhor, perdoa as minhas fragilidades e sustenta-me a fé para que eu possa estar sempre em ti, servindo aos outros.

Assim seja.


Autor desconhecido

PENSAMENTO DE HOJE


Quanto mais espiritual um homem se torna, mais ele descontinua de suas tentativas de realizar atos particulares com suas faculdades pessoais. Ele se envolve em um ato mais puro e universal: a calmaria e o repouso da quietude interior.

São João da Cruz

quinta-feira, 15 de março de 2018

“ESTAMOS PREPARADOS PARA DESENCARNAR? ”


Quando vamos viajar nos preparamos, separamos as roupas, as passagens e até mesmo o psicológico para o que está por vir. Mas e quando chegar a nossa hora de voltar à pátria espiritual, estaremos prontos?
A nossa sensação de incompleto e de ter esquecido algo ou de arrependimento, infelizmente irá existir. Por sermos espíritos em evolução constante, nunca vamos estar satisfeitos com o nosso grau de evolução. Logo, iremos sentir falta de algo sempre, como por exemplo, um desafio que não cumprimos, uma magoa que não foi curada, um perdão que não foi dito, entre diversas outras falhas.
O que temos que fazer para que a carga na consciência seja um pouco mais leve é irmos realizando aos poucos um dos ensinamentos do Cristo: Amar ao próximo como a ti mesmo.
O mundo em que vivemos é uma breve passagem na nossa vida, esse não é o nosso verdadeiro lar e essa encarnação não é a nossa vida inteira, apenas uma fase na evolução espiritual.
As pessoas que estão ao nosso redor não irá estar conosco a eternidade inteira, então curta os momentos com elas, ame, aprenda, perdoe e dê o seu melhor ao próximo sempre. Sabemos que a despedida não é fácil, mas é uma realidade que não dá para fugir, então desapegue.
Aos poucos você irá tento consciência das coisas e vivendo a vida com mais amor, por que somente desse jeito você chegará ao plano espiritual com a consciência em paz de que fez tudo o que tinha que ser feito.
TV MUNDO MAIOR | Haila Vicente

Trabalhar e estudar não é tudo...
Muitos de nossos companheiros ao desencarnarem têm decepções de não serem recebidos na espiritualidade como vencedores, mas como espíritos ainda com muito a aprender e principalmente a melhorar.
No Livro Atitude de Amor (Ermance Dufaux), vemos essa preocupação de líderes espíritas na entrevista com Eurípedes Barsanulfo. O Espírito mostra aos interessados e preocupados companheiros que o problema está na melhora íntima. Muitos reencarnam com um defeito e desencarnam novamente com ele. Não mudaram intimamente.
No livro Mereça ser Feliz (Ermance Dufaux), Eurípedes nos alerta de que Trabalhar e Estudar não é tudo. Eles são caminhos de descoberta e fortalecimento, todavia, diz, se o tarefeiro não se aplica ao serviço essencial da transformação de si próprio, buscando o autoconhecimento com pleno domínio do mundo interior, deixará de semear, no seu terreno pessoal, as sementes que vão conferir no futuro sua verdadeira liberdade.
E é isso que fez com que sentissem falta de melhora ao voltarem para o mundo espiritual. Trabalharam, estudaram muito, mas a melhora íntima ainda ficou a desejar. Isto nos faz lembrar um engenheiro no leito de morte que confidenciou a um amigo: - construí muito, mas esqueci de construir a minha vida. Veja-se aqui a vida íntima. A melhor forma de saber se estamos cumprindo esse dever de nos melhoramos é sempre nos avaliando.
E o modo de nos capacitarmos para isso é o estudo. O Espírito Verdade ao preparar a Codificação da Doutrina Espírita com Kardec deixou como base dois importantes ensinamentos: - Espíritas, Amai-vos e Espíritas, Instrui-vos.
O ensinamento da necessidade da melhora íntima já vem dos tempos mais remotos. E na época de Jesus temos dois grandes exemplos de transformações, o de Madalena e o de Paulo de Tarso. Kardec trata da melhora íntima na pergunta 919 do Livro dos Espíritos que deve ser lida muitas vezes por todos nós, até compreendermos o seu verdadeiro significado e o praticarmos. Cada um de nós tem responsabilidades a cumprir. Classificamos estas responsabilidades de dois tipos, a responsabilidade pessoal e a responsabilidade coletiva. A pessoal é a nossa melhora íntima, como espíritos imortais, para podermos prosseguir na evolução. A responsabilidade coletiva é a de que cada filho tem sua tarefa na obra do Pai. Jesus diz que o nosso maior testemunho diante de Deus, são as nossas obras.
Então, estudar, trabalhar, mas melhorar sempre. Este é o caminho. E como diz Eurípedes Barsanulfo, a receita de Jesus para isso, é o amor incondicional.
Toda a orientação de Eurípedes Barnanulfo, cujo resumo está no livro Atitude de Amor, foi trabalhada na frase de João, Cap. 3:30, - mostra-nos bem o sentir e o proceder de verdadeiros Cristãos:” – É NECESSÁRIO QUE EU DIMINUA, PARA QUE O CRISTO CRESÇA.”


União Espírita de Piracicaba

ALGUMAS DE MINHAS OBRAS

MEU MAIS NOVO LIVRO

MEU MAIS NOVO LIVRO